História The Tide - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Asia, Got7, Jackjin, Jacknior, Jackson, Jaejae, Jin, Jinson, Kpop, K-pop, Markbam, Park, Romance, Wang, Young, Youngbum
Visualizações 135
Palavras 1.476
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - Ten


~Jinyoung P.O.V~

O que ele pensa que está fazendo? 

Sinceramente, eu não sei o que pensar a respeito desses 'presentes', a respeito dele. Jackson Wang apenas estava me deixando confuso. Muito, por sinal.

Levanto-me ainda com a rosa e o bilhetinho em mãos, devo confessar que amei os simples objetos que o platinado havia me dado, em especial a rosa. 
Desde que me conheço por gente possuo um grande fascínio por flores, mesmo não sabendo identificar a maioria delas, o cheiro das mesmas sempre me traziam sentimentos bons.

Olho fixamente para a rosa, cheirando-a novamente, logo depois retiro minhas chaves do bolso para abrir a porta. Após abrir a mesma, adentrei meu quarto com um leve sorriso estampado na cara, em seguida joguei-me em minha cama, empurrando o pedaço de madeira atrás de mim no intuito de fecha-lo. 

O que aquele cara quer? Primeiro tira uma foto minha sem a minha permissão, depois pede desculpas pelos seus atos, e quando eu estava começando a formular uma ideia sobre ele, algo razoavelmente bom, o mesmo me beija, sem mais nem menos. Agora está pedindo desculpas novamente?

Ah vai pra puta que pariu caralho!

Isso é um comportamento no mínimo estranho e confuso, um comportamento de louco. Pratica bullying comigo e pede desculpas após, duas vezes, me deixando totalmente confuso. Isso definitivamente não esta certo.

Que tipo de ser humano que, no mínimo, não fosse doente faria isso com alguém?

Porém o que mais me assusta em toda essa história, é que eu estava sorrindo. Sentia que o garoto estava conquistando minhas desculpas pelo simples fato de ter me dado uma rosa vermelha, pois eu estava sorrindo feito bobo desde que vira a flor debaixo da minha porta.

Balancei a cabeça na tentativa de espantar aqueles pensamentos sem nexo, me levantando e indo em busca de um copo para colocar a rosa que havia ganhado. Após encher um pequeno copo com a água da pia do banheiro, coloquei a mesma dentro do copo e deixei-o em cima de minha escrivaninha.

Voltei para a cama em busca do pequeno papel que estava junto da rosa anteriormente e o coloquei ao lado do copo, tratando logo de trocar minhas vestes e organizar o cômodo médio. Uma tentativa falha de ocupar a mente com outra coisa que não seja sobre ou relacionado a Jackson Wang.

Para minha tristeza, terminei a arrumação mais rápido do que esperava. Deitei-me exausto em minha cama, de um modo que fazia meu olhar ir diretamente na bendita rosa vermelha e delicada presente em minha escrivaninha, trazendo a minha mente o garoto de cabelos brancos.

Jackson Wang, por que eu?

~>•<~

Despedia-me de Wendy apressadamente, dizendo a mesma para não se atrasar na hora livre, como sempre dizia a ruiva todo dia antes de irmos para a aula. Wendy e eu passamos a almoçar nos gramados da entrada, que era particularmente grande, todos os dias desde... Bem, não importa.

Adentrei o prédio designado para a música e derivados sem a menor pressa pois não estava atrasado, pelo contrário, havia chegado até um pouco cedo. Ao chegar na sala onde ocorreria minhas primeiras aulas, sentei-me em meu lugar de sempre, passando a observar a area pela janela. Porém algo chamou minha atenção: fios brancos destacavam-se nas cores mortas das plantas em volta do prédio meramente esquecido pelos funcionários da universidade, tornando impossível não reparar neles. Logo percebi que havia mais três pessoas com o garoto platinado, que pareciam manter-se numa conversa animada, talvez planejando a próxima brincadeira designada a mim.

Ontem a noite, após minha cabeça quase explodir de tantos pensamentos passando por ela, cheguei à conclusão de que os pedidos de desculpas eram falsos, assim como o primeiro. Logo, estava esperando outra brincadeira de mal gosto do chinês, planejando evita-la ao máximo.

Olhei novamente para onde os quatro indivíduos estavam, percebendo que eles não estavam mais lá. Ajeitei-me em meu acento, me sentindo desconfortável de uma hora para outra. Logo vi que alguns alunos já faziam-se presentes na sala de aula, em seguida avistei a professora adentrando a mesma.
A aula estava prestes a começar, porém um raio pequeno e morno invadira meu campo de visão, iluminando meu rosto. Imediatamente me virei para a janela, vendo uma fresta de sol surgir no céu nublado, tudo indicava que iria o sol iria mostrar-se para os londrinos hoje. 

As aulas passaram-se num piscar de olhos, sem ao menos perceber vi a professora sair do estabelecimento, juntamente dos outros alunos, fazendo-me acreditar que estava na hora livre, mais precisamente a hora do almoço. Arrumei minhas coisas apressadamente, com medo de deixar Wendy esperando por mim, logo saindo da sala.

Durante meu percurso até os gramados da entrada, percebi uma grande quantidade de alunos indo para lá, o que não era normal já que a universidade possuía muitas saídas. Avistei sem dificuldades a ruiva, estava parada meio longe de algo que parecia ser uma grande barraca cheia de pessoas em volta. 

- Oi, o que é aquilo tudo ali?- Perguntei a garota assim que me aproximei.


     - Oioi, não te falei? Duas vezes por ano a universidade organiza uma cabana bem grandona na entrada, lá eles vendem comidas típicas de vários países, especificamente doces. Tem de tudo lá, mas o que mais vende é um tal de brigadeiro, quer experimentar? É uma delicia.

Apenas assenti com a cabeça, seguindo a garota no meio de pessoas diversas, entre alunos e crianças, pais e avôs, até chegar ao início. Perguntei-me mentalmente se não devíamos pegar algum tipo de fila, mas ao ver Wendy cumprimentar as pessoas que estavam trabalhando lá e logo após pegar dois dos doces que me falara, calei meus pensamentos.

- Toma. - A ruiva me deu algo que se assemelhava a uma pequena bolinha marrom, que se não tivesse coberta de granulado negro poderia jurar que fosse coco de algum bicho. - Come logo, é feito de chocolate, não é coco. - Obedeci a mesma, dando uma curta mordida no doce, imediatamente fazendo uma expressão de tremenda satisfação. Aquilo era divino.


       - Da onde veio esse doce? - Perguntei, devorando o resto do doce em mãos.

- Ah, os brasileiros que inventaram, é bom né. - A ruiva sorriu doce, fazendo-me perceber que seus dentes estavam completamente sujos de chocolate. Ignorei isso e tratei de limpar os meus, imaginando que deviam estar parecidos com os dela.

Wendy e eu tratamos de sair do meio daquela multidão, caminhando em direção as árvores com certa dificuldade pelo aglomerado de pessoas ali.

- Mas Wendy, eles fazem isso pra que? Não tem muitos bolsistas aqui e o preço é bem alto.


           - Ah, eles doam tudo pra caridade.

Menos de um segundo após Wendy responder-me, avistei a pessoa que menos queria ver naquela hora. Parei abruptamente, colocando a mão na boca, fazendo Wendy questionar aquela ação, logo olhando para a frente também.

Tudo que pude ouvir foi o grito entusiasmado e surpreso da ruiva ao meu lado, e apenas pude olhar para os olhos dele. Fixei o olhar no indivíduo que se aproximava de mim, paralisado. Sentia vontade de correr para longe, de me enfiar num buraco e nunca mais sair de lá.

Wendy dava pulinhos ao meu lado, não acreditando no que estava vendo. Logo percebi que algumas pessoas estavam nos encarando e tudo que eu conseguia fazer era respirar, pois todo o meu corpo se travou.

Jackson aproximava-se de mim com aquelas pessoas que havia visto mais cedo, porém uma estava faltando, em suas mãos estava um perfeito buque de rosas idênticas a que eu recebera ontem. 
O garoto de cabelos platinados andava de forma desengonçada em minha direção, e quando o mesmo finalmente parou em minha frente meu coração acelerou tanto que chegava a doer, sentia que iria desmaiar a qualquer momento, além de não ter deixado de notar que mais pessoas se aglomeravam ali para ver o que era aquele circo todo feito pelo platinado.


Quando Jackson finalmente ficou a uma distância significativa, estendeu-me o buquê, um sorriso perfeito brotando em seus lábios, exibindo seus dentes brancos.

- JinYoung, me desculpe. Por tudo. Eu fui um idiota. - Ainda com a mão na boca, peguei o buquê e rapidamente o perfume que as flores exalavam chegou as minhas narinas, preenchendo-me aos poucos. Não pude evitar de levar o objeto próximo de meu rosto para sentir mais daquele aroma adocicado, fechando os olhos enquanto aproveitava o aroma. 

 Após curtos segundos, tratei de abrir meus olhos novamente, encontrando um Jackson com cara de bobo olhando para mim, fazendo-me corar. Diversas vezes abri minha boca para tentar dizer algo, porém permanecia calado.

- JinYoung, aceitaria sair comigo? - Olhei para Wendy, a garota estava mais do que eufórica, com um sorriso em seus lábios. Ao perceber meu olhar, a garota lançou-me um olhar calmo, fazendo-me esquecer de meus problemas.

- Aceito.


Notas Finais


Eu não gostei mt desse capítulo não, mas depois de refaze-lo duas vezes decidi postar essa versao mesmo, desculpa se estiver ruim.

Por outro lado, gente, a fanfic chegou em 1k de views!!!!! Sério eu to urrando de felicidade aqui, vocês são demais!!
Quando comecei a escrever não imaginava que chegaria a tudo isso de views, obvio que comparando a outras fanfics de outras pessoas o número é pequeno, mas pra mim parece ser tão grande, vocês não tem noção!

Obrigado por acompanharem essa fanfic lixosa que eu escrevo, amo vocês!

Até lovers


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...