História The torture of "A" 2 temporada - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ashley Benson, Ian Harding, Keegan Allen, Lucy Hale, Sasha Pieterse, Shay Mitchell, Troian Bellisario, Tyler Blackburn
Personagens Ashley Benson, Ian Harding, Keegan Allen, Lucy Hale, Sasha Pieterse, Shay Mitchell, Troian Bellisario, Tyler Blackburn
Tags Pretty Little Liars
Visualizações 23
Palavras 1.499
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente era pra mim ter postado ontem esse capitulo mais não deu pois ontem era o aniversário da minha irmã e eu tava arrumando a festa de aniversário dela

Capítulo 3 - Capítulo 3 "Oh My God, "A" is Here. You Believe In This?


Lucy Hale.

Nos entreolhávamos, esperando Shay por o telefone no gancho e nos explicar o que houve.

–O Set foi comprado.-Disse Shay vagarosamente.

–O que?!-Perguntamos em uníssono.

–Não sei, uma mulher ligou dizendo que havia comprado e tal. Acho que ta na hora de voltarmos á New Orleans.-Disse Troian.

–Mas...Ela ta com os nossos contratos?! Ela é nossa chefe agora?!-Ashley levantou rapidamente do sofá.

–Não sei bem...Mas concordo com a Troian, vamos fazer as malas e voltar para New Orleans, nossas casas ainda estão lá.-Disse Shay.

–Vamos todas ficar na minha, ela é maior.-Disse Sasha.

Assentimos e subimos as escadas rapidamente até nossos quartos.

(...)

Não levamos muitos minutos para jogar tudo na mala, pegar as mesmas jogar no carro e partir para New Orleans.

Demorou algumas horas para estarmos no mesmo local que queríamos esquecer. Nada havia mudado, estava tudo exatamente como era antes.

Estacionamos na frente da antiga casa de Sasha e adentramos com nossas coisas.

–Não vamos avisar para os meninos que voltamos. Vamos dar um tempo, antes do mundo inteiro saber.-Suspirou Troian fechando a porta.

–E aí? Vamos no Set agora?-Sasha perguntou.

–Minha vontade é interrogar Sofia.-Ashley ergueu as mãos.

–Não creio que ela seja mesmo “A”, ela mesma se expôs demais.-Discordei.

–Eu ainda não entendo como não pôde ser a Jade, ela mesma tinha todas aquelas câmeras e armários em casa.-Disse Shay.

–Ela estava protegendo a verdadeira “A”, sacrificando-se, elas eram muito próximas.-Afirmou Troian.

–Como ela podia ser próxima de alguém que matou a melhor amiga?!-Ashley questionou.

–Há algo de muito podre nessa amizade de “A” e Jade.-Falei.

Um tilintar em conjunto aconteceu. Todos celulares ao mesmo tempo.

–Tinha me esquecido de como era aterrorizante.-Shay sacudiu os ombros.

Abriram a mensagem.

“Sofia é A” “Jade é A”

Vocês estão mesmo determinadas a me desmascarar, não é? Por que vocês não prestam atenção em si mesmas.

Isso mesmo, entre si. Quem garante que eu,“A”, não estou lendo essa mensagem neste segundo, nesta sala, bem aí ao seu lado?

–A.

Nos entreolhamos mais uma vez neste dia. Um olhar desconfiado, de medo, de terror. Realmente poderíamos estar dividindo a sala com “A”.

–Quem tem motivos pra ser “A”?-Perguntou Sasha pausadamente.

–Sasha! Acredita mesmo, que “A” está bem aqui, entre nós?!-Questionou Troian.

–Não sei! Mas...

–Sem “mas”. “A” não está aqui e nem é uma de nós!-Berrei.

–Ei Lucy, calma.-Sasha afagou meu braço.

–Não, não! Eu vou descansar, não quero mais saber dessa história!-Bati o pé e subi até o quarto.

VihVegas.

As garotas estavam tentando entender a atitude de Lucy. Tão assustada, estressada, raivosa.

–Lucy ta certa, nenhuma de nós é “A”, Sasha, você nem poderia ter cogitado essa possibilidade.-Ashley fitou-a.

–Todos são culpados, até que se prove o contrário.-Sasha deixou escapar.

–Ah, então todas somos “A” e você é a santa?-Troian perguntou.

–Eu sei que eu não sou eu.-Afirmou Sasha.

–Tá ficando Ridícula, Sasha.-Shay revirou os olhos.

–Então vou fazer o favor, de vocês se livrarem da minha desagradável presença.-Sasha pegou sua chave, mandou um beijo no ar (sarcástico por sinal) e saiu, batendo a porta fortemente.

Sasha Pieterse.

Argh! Era insuportável o fato que eu não possa cogitar possibilidades. Era minha culpa que Lucy havia enlouquecido do nada, só por que eu sugeri que uma de nós teria motivos pra ser “A”, e não que seria mesmo.

Afinal, a opinião é minha, se elas não aceitam e nem querem compreender, o problema é delas.

Apesar de me sentir péssima, por sair de lá, como fiz.

–Ah!-Arfei.-Por favor, bolinhos, refrigerantes, chocolates e tudo o que você tiver aí.

Estava em uma lanchonete que abrira a pouco tempo. Minha paciência estava por um fio. Apoiei minha testa na mesa, inspirando e suspirando.

Quando ouvi o barulho de dois pratos e uma latinha na mesa.

Levantei meu rosto e sorri.

Brownies, pedaços pequenos de chocolate e um latinha de coca-cola.

–Hora de ser feliz.-Sorri e peguei os pratos.

Comi tudo em menos de 30 minutos...Oh Deus...Me arrependi. Cerrei os punhos, deixei o pagamento em cima da mesa e voltei em direção á minha casa.

Shay Mitchell.

Minutos após Sasha sair feito um foguete, decidi que precisava sair um pouco também. Lucy ainda estava trancada em seu quarto, Ashley estava na cozinha com Troian, peguei um casaco e saí.

Notei que Sasha tinha ido caminhando, decidi fazer o mesmo e quando estava virando a esquina, vi Ashley sair de casa e adentrar no Volvo.

Ela deveria ir ao Shopping.

Meus pensamentos se centraram em Ian. Eu odiava isso, parei numa praça ali perto, tinha uns quiosques de doces, comprei umas balas de morango e me sentei no banco, quando recebi uma mensagem, hesitante, abri a mesma.

Sei que é errado, mas eu estou com saudades.

–Ian.

Suspirei e foi inevitável responde-lo.

Pois é. Eu também. Estou naquela praça cheias de quiosques, venha pra cá, por favor.

Logo desliguei o telefone. Era impressionante como o arrependimento era rápido. Afundei meu rosto em minhas mãos e comecei a chorar, fiquei uns 15 minutos sem querer olhar para um mundo.

–Ei.-Alguém tocara meu ombro.

–Ian.-Arfei, quando ergui meu rosto.

–Não sabia que estava em New Orleans, quando foi que saiu de New York?-Ele sentou ao meu lado.

–Hoje mais cedo. E todas nós voltamos, não era para contar pra você ou para os outros.-Murmurei.

–Pois é, eu já sei. Lucy...

–Sim, ela está por aí, e continua iludida com os eu amor.-Me senti péssima por aquilo.

–Ela não está iludida, eu a amo.-Afirmou Ian, dando-me uma facada em meu peito.-Mas isso não me impede de burramente, amar você também.

Era inevitavelmente, pus minhas mãos em volta de seu pescoço e beijei-o intensamente, eu ficaria ali por horas se pudesse.

Me esqueci que estava em um lugar público e “A” poderia estar ali. Mas nos lábios de Ian, eu me esquecera de tudo, até que ferira minha mlehor amiga.

Ashley Benson.

Após Shay sair, peguei as chaves do carro, minha bolsa e saí no mesmo. Fui em direção ao Shopping mais badalado da cidade, com as lojas mais caras, e as pessoas mais ricas, eu adorava.

Estacionei o carro, pus meus óculos escuros, peguei minha bolsa de coura verde-água, e desci do mesmo. Caminhei elegantemente para dentro do shopping e comecei a zapear por todas as lojas daquele andar, e me apaixonei por um par de sapatos de couro, salto 15cm, vermelho. Meu Deus! Havia uma bolsa de couro vermelha, bem ao lado. Combinação total.

–É, acho que você vai se aposentar.-Sorri para a minha bolsa, pendurada em meu ombro.

Adentrei na loja, e chamei a primeira vendedora.

–Hey, quanto custa aqueles lindos sapatos vermelhos?-Apontei para os mesmos.

–$150,00.-Ela respondeu sorridente.

–Não está tão caro.-Falei.

–A primeira parcela, de 7.-A vendedora completou.

Fiquei boquiaberta.

–Hã, então sendo assim, acho que só vou olhar mesmo.-Sorri.

A vendedora assentiu e se afastou.

Uma bolsa daquelas não caberia em minha bolsa, então eu só poderia levar os saltos.

Suspirei e fui vagarosamente até o interior da loja. Me aproximei da prateleira de saltos, e sutilmente comecei a observar os saltos que eu queria, e discretamente os pus em minha bolsa.

–Acho que não vou querer nada.-Suspirei alto o bastante, para que a vendedora ouvisse.

A mesma sorriu e acenou pra mim.

Sorri satisfeita e acenei para mesma.

Em seguida pus os óculos escuros e sorri comigo mesma.

–Ainda tô podendo.-Saí desfilando da loja.

Lucy Hale.

Pela janela do quarto, pude ver que Sasha, Ashley e Shay saíram de casa, eu poderia escutar o batucar das panelas e Troian falando uns palavrões.

–Ela deve estar tentando cozinha.-Revirei os olhos.

Eu estava evitando pensar no que Sasha falara. Eu achei tão ofensivo e muita falta de confiança.

Logo meu celular tocou, desviando minha atenção, era um número desconhecido. Sem hesitar, peguei o celular e atendi.

–Oi.-Falei, me jogando na cama.

–Lu-Lucy?!-Uma voz reconhecida chamou meu nome.

–Kelly?!-Quase saltei da cama, e meu coração parou.

–Shh, fale baixo.-Ela parecia chorar.

–Você é uma vaca mesmo.-Fui fria.

–Eu preciso falar com você, Lucy. Por favor, eu preciso explicar umas coisas.-Kelly suplicou.

–Você é Team “A”, você não tem direito nem que eu atenda suas ligações.-Sussurrei.

–Por favor Lucy. Avenida C, na Rua 2214, te vejo amanhã ás 20:00.-Kelly disparou.

–Lucy, eu preciso muito falar com vo...Ah! Desculpe!-Era Sasha.

–Preciso desligar, tchau.-Fui direta e desliguei o celular.

–Ah, Sasha.-Tentei sorri, até que lembrei que estávamos “de mal”.

–Me desculpe Lucy, eu tive tempo pra pensar e...

Sasha não terminou a frase, seus olhos encontraram seu reflexo e ela ficou meio hipnotizada, era estranho, ela parecia realmente surpresa.

–Me dê um segundo.-Disse Sasha rapidamente e saiu correndo do quarto.

–Ei...Sasha! Sasha!-Fui atrás dela, correndo pelos corredores e a mesma havia se trancado no banheiro.

Sasha Pieterse.

Meu objetivo era me desculpar, mas ao ver meu reflexo no espelho do quarto, era assustador pra mim. Já não era mais o meu físico, era tão doentio. Meu estômago se fechou em um embrulho. Senti a necessidade de correr dali e isso fiz, e Lucy me seguiu. Agora eu estava ajoelhada diante a privada e Lucy esmurrava a porta.

–Ei! Abre Sasha! Você ta bem?!-Lucy perguntava.

–Sim, sim.-Menti.-Já vou sair, pode ficar tranqüila.

Ouvi Lucy suspirar e se afastar em alguns passos, suspirei, e pus tudo pra fora.

Acho que nunca havia cometido bulimia com tanto silêncio assim.

{...}


Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado ser esse capítulo tive 5 comentário eu posta outro ainda hoje


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...