História The traits I love - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Tags Ereri, Riren, Yaoi
Visualizações 205
Palavras 5.443
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi pessoal, trazendo o último capítulo desta fic que amei escrever e que me deixará saudades <3

Mas, deixando para nos vermos lá em baixo, espero que aproveitem bastante!

Capítulo 5 - Os traços que amo


Quem diria que tudo isso iria ocorrer por um deslize meu? Por ter decidido desenhar a pessoa que possui os traços mais viciantes que existem?

A partir do momento que deixei que aquelas  folhas de papel escapassem-me pelos braços, sem aperceber-me, é que realmente deu-se início a toda esta história, que honestamente nem sequer sei o quão envolvido encontro-me, deitado ao chão do meu local de trabalho e com o mesmo a agarrar-se ao meu corpo enquanto suspira com um sorriso em seu rosto e diz-me todas as palavras mais belas que poderia já ter ouvido.

‘’Isso é tão diferente para mim... imaginar que conseguiria não somente ficar, não somente desenhar... muito mais que isso, consegui tocar seu coração, e agora tenho a certeza que bem no fundo, mesmo que procure, mesmo que acabe-me por fitar demasiadas faces... é a dele que eu quero’’

-São os traços que eu amo.

 

-

 

Eram por volta de 01h:37min da manhã, a música suave tocava em um volume relativamente baixo porém audível o suficiente para que o moreno que encontrava-se a banhar-se ao box pudesse murmurar o refrão enquanto as mãos massageavam o topo da cabeça e a espuma escorria por todo o corpo, os olhos fechados   aproveitando o toque que estava a dar-se. A barriga roncou leve, assim que acabara de enxaguar e finalmente fechar o chuveiro, direcionou as mãos a toalha pendurada e tratou de enrolar em sua cintura, saindo do ambiente e sentindo o frio da madrugada que adentrava por sua janela, arrepiando o corpo e fazendo-o recordar-se que momentos antes estivera com o seu mais novo interesse.

 O sorriso ao recordar-se as palavras que lhe proferiu antes de retirar-se da sala ainda estavam em sua mente, havia por fim aceitado sair consigo. Mesmo que ao momento Eren não tivesse tanta certeza de como reagir em uma situação que fora movida completamente por desejos de ambas as partes.

Não seria conveniente simplesmente dizer que fizera por que seu corpo precisava, bom, isso também, porém sabia que seu interesse nele já era presente desde antes e pelos últimos acontecimentos que apenas fizeram com que sua vontade de conhece-lo e estar com ele fosse maior, saber exatamente que tipo de ‘’relacionamento’’ agora poderiam possuir.

Embora ainda sentisse que estava cedo para questioná-lo diretamente, também sabia que havia prometido enviar uma mensagem, e agora que sentira que o corpo estava a pedir-lhe por reforços depois de todo aquele exercitar, estava confiante em finalmente enviar, o faria enquanto cozinhava, iria comer arroz, brócolis cozido e peixe grelhado, os primeiros já estavam ao fogo, e Eren preparava-se para finalmente começar com o grelhar na frigideira já aquecendo. Antes iria enviar a mensagem que prometera, mas passou bastante tempo assim que chegara em casa a pensar onde deveria levar o outro para este encontro, não que fosse totalmente romântico, queria que fosse o mais casual possível, o problema era que ao mesmo tempo que sua mente lhe dizia que o encontro deveria ser simplista, também queria que fosse o mais perfeito possível. Já estava a atormentar-se com tais pensamentos, iria fuzilar-se caso não pensasse em algo, foi ai que acabou por tomar seu banho e sentir fome e ao perceber já eram quase duas horas da manhã. Levi provavelmente pensava que não enviaria, mas aquele nervosismo repentino foi o menos esperado.

Timidamente pegou o celular e abriu na conversa com o outro, nunca antes tivera problemas em enviar qualquer mensagem que fosse para ele e agora... depois de todos os acontecimentos... parecia tão diferente, seu coração acelerava ao digitar as palavras rapidamente e logo voltar a atenção para o que fazia antes, bloqueando o celular e sentindo o rubor lhe tomar a face.

Demorou alguns minutos mas Levi lhe respondera, neste intervalo de tempo havia terminado o peixe e faltava apenas os outros dois acompanhamentos. Sorriu ao ver que confirmava. E procurou não prolongar muito mais a conversa, dizendo apenas que estava ansioso e desejando uma boa madrugada.

Sabia que sua performance era bem melhor pessoalmente, e também seu interior não acalmava-se em estar a falar sem observar as reais reações de Levi, não queria pensar que estivesse a agir de maneira contrária a que realmente queria. Então, com isso, seria um encontro realmente  interessante.

 

-

 

Silêncio. Travesseiro. Cobertor. Varias viradas e trocas de lugares na cama. Variadas posições e o conforto não lhe chegava. Já estava a frustrar-se com tamanha ansiedade.

‘’Que ansiedade tão grande... não me lembro de já ter sentido algo assim antes... parece-me até que...’’

Os seus pensamentos lhe pregavam surpresas, seu corpo estava incontrolável, e por mais que tentasse fazer com que a mente lhe guiasse para os pensamentos de que não precisava estar assim, seu corpo ansiava para que as horas passassem e pudesse novamente estar diante do olhar penetrante de seu colega. Levi sabia, mesmo após aquele tão estimado momento, não possuía nada com Eren. E nem sabia o que iria ocorrer, pois, o moreno nunca havia demonstrado esse tipo de interesse nele. Certo, quando começaram a se falar duvidava das intensões dele, acreditava que queria aproximar-se por algo a mais, só que sempre manteve a distância aceitável, nunca o tocou sem permissão e tampouco o desrespeitou, também nunca o viu flertar, e nem tentar paquerar-lhe. Então devido todos estes fatos que Levi sentia aquele frio na barriga e a vontade de enterrar-se debaixo dos lençóis ao lembrar da ousadia que Eren teve. Das palavras ditas com tanta convicção e no desejo estampado em seus olhos assim que encontraram os seus.

‘’Naquele momento... como pude entregar-me de tal forma? Sem nem questionar, sem hesitar. Eu não sentia nada, não pensava em nada. Apenas nele.’’

Levi se cobriu inteiro nos lençóis, como se esquentar seu corpo o remetesse ao momento que esteve aos braços de Eren.

‘’No fim das contas... Isso não foi bom? Pensar... e sentir somente ele’’

 

-

Ao decorrer da madrugada mantiveram a mente bem ativa no acontecimento, mas mesmo depois de um tempo pensando que não seria possível dormir, acabaram por cair em sono até o horário de ir para seus afazeres que realmente não poderiam abandonar.

As emoções de ambos eram tão influentes, que, nenhum dos dois deixou que seu dia não fosse produtivo. Eren conseguiu terminar boa parte da reforma de pintura da parede o qual estava trabalhando e Levi conseguiu, por fim, desenvolver as artes finais dos seus três clientes que já haviam efetuado parte do pagamento, o que daria início a confecção. Levi estava satisfeito, embora ainda sentisse ansioso sobre o encontro, tanto, que passou mais tempo que planejava escolhendo uma roupa para levar e por fim ao escolher, decidiu que o melhor seria ao sair do trabalho voltar para casa e tomar um banho, afinal Eren o convidou para almoçar em um restaurante realmente bom, o que lhe surpreendeu pois não imaginava que Eren gostasse destes tipos de ambientes. Mas não diria nada, queria aproveitar. E assim que ouviu o celular a vibrar atendeu tentando manter a todo custo uma voz aceitável e menos ansiosa já que o coração estava a mil.

-Levi, como esta?

-Oi Eren... –clareou a garganta já que a voz quase não saía – Bem... quer dizer, estou bem. E você?

Eren riu um pouco, uma risada descontraída e leve, fazendo o frio na barriga ser mais forte –Bem também, estou à caminho do restaurante. Queria saber se não irias preferir que o fosses buscar?

-A-Ah... não é necessário, eu já vi onde é o local... pode deixar que já irei a caminho.

-Bem... então ok, estarei aguardando-te. Até mais...

-Sim... até.

O coração parecia que ia explodir, Levi estava tão corado, tão desnorteado e ao mesmo tempo encantado com aquela conversa. Poderia ser pouco, mas já fazia sentir-se assim.

-

Após desligar levantou a mão direita e o garçom que lhe acompanhou desde a chegada veio ao seu encontro, informou-o que sua companhia já estaria chegando e que por hora gostaria de uma taça de vinho tinto, enquanto aguardava. O garçom assentiu, Eren sentia-se infantil, havia chego antes ao restaurante, escolhera uma mesa reservada e na parte de cima do restaurante que geralmente era destinada à almoços mais particulares e discretos. E ainda por cima havia mentido dizendo que ainda estava à caminho oferecendo-se assim para buscar Levi que recusou, de maneira linda, mas recusou, talvez sentir o sabor do vinho em seus lábios o fizesse acalmar. Por hora, olhar pela janela para averiguar se o carro do menor chegava era mais interessante.

-

‘’Droga de GPS...’’

Levi bufava, o GPS de seu carro não havia lhe orientado tão bem quanto esperava, e agora estava a passar demasiado tempo dando voltas e fazendo retornos naquela avenida, passou-se cerca de 20 minutos apenas naquilo e estava nervoso com o que Eren fosse pensar quando chegasse, sabe-se lá quanto tempo ainda não passaria naquele estado?

Quando o desespero invadiu-o com tais pensamentos teve que se ver à perguntar em um bar onde era o endereço, quando o fez o olhar de um loiro realmente alto e com olhos azuis foi-lhe lançado, a que fez seu corpo sentir-se completamente indefeso, como se fosse uma isca e ele o predador que o faria cair naquelas garras. Mas para acabar consigo.

A este tempo levantou-se do banco do bar e foi até o vidro do carro que mantinha-se abaixado, e agora o olhar de Levi estava sério e seu corpo tenso.

-O restaurante fica à pouco tempo daqui, passe mais três ruas e pegue o retorno à direita. Vai conseguir avistá-lo.

-Obrigado.

Por incrível que pareça conseguiu responder adequadamente. O olhar do loiro continuou a fuzilá-lo e quando ia arrancar o loiro proferiu com uma voz baixa, mas que Levi pôde escutar.

-És muito interessante. Ainda poderemos nos encontrar, qualquer dia destes.

Nada respondeu, nem sequer olhou novamente e arrancou com o carro, não poderia acreditar que aquele homem estava a tentar intimidá-lo, seja lá o que for que ele queira, neste momento não estava nenhum pouco interessado e além do mais, o tipo dele não aparentava ter as melhores intensões.

Assim como fora orientado seguiu caminho, conseguiu avistar o restaurante e soltou um suspiro de alívio, estacionou à frente, pôde finalmente entrar ao restaurante. O coração na mão e a cabeça com a certeza que queria tudo corresse bem.

 

-

 

-Levi...

Eren levantou-se e o cumprimentou, porém a que Levi não esperava era o toque tão carinhoso em sua mão e assim que Eren levou-a aos lábios para beijá-la pôde sentir o corpo esquentar. O rosto rubro, o corpo trêmulo e todos os pensamentos voltados para o quanto estava bonito vestido daquela forma tão mais sofisticada, camisa social azul escura e totalmente abotoada, o que tornava os seus ombros bem mais perceptíveis em tamanho, e fazendo Levi recobrar-se de como eram aquelas linhas do seu corpo, usava uma calça preta e sapatos sociais também. Levi não queria, mas acabou realmente a elogiá-lo e a ruborizar-se de seguida.

- Não estas nada mal, esta roupa lhe cai muito bem.  –desviou o olhar, não queria saber daqueles olhos a o admirarem com tamanho apreço como assim que chegou. Eren sorriu, apertou mais a mão do outro e o convidou para sentar-se. O que seguiu.

-Você és quem está muito bonito.– Levi usava um blazer preto por cima de uma camisa também social,porém, branca e mais aberta, com calças jeans mesmo, e neste dia usava umas um pouco mais apertadas, o que fazia suas coxas serem muito mais perceptíveis e claro que Eren não pôde deixar de observar isso. Também pensou tolamente que talvez já o tivesse visto assim? Não lhe parecia tão estranha a imagem do mesmo vestido daquela forma, mas deixou este tipo de pensamento de lado. Desde que o viu descer do carro observou como era belo, e pensou tolamente em como perdera tempo antes. Além do mais, quando apercebeu-se que o mesmo demorava, teve tantos pensamentos, e o de caso ele não fosse era o que mais o preocupava. Seu coração apenas confortou-se quando o viu estacionar, e seus olhos vagaram por suas feições

O olhar de Eren seguiu-se da mesma forma, encantado, era algo estranho admirar ele daquela forma, era diferente e parecia mais especial. Levi logo proferiu.

-D-Desculpe-me pelo atraso, eu tive alguns contra tempos. Mas espero que não tenhas me esperado muito.

-Sem problemas... o que mais queria no fundo era que viesses, e como já estás aqui é o suficiente.

Os rostos vermelhos, os suspiros com cada flerte que seguiam com o fitar de olhos, as histórias que compartilharam e conversas aleatórias sobre todo tipo de assunto, até mesmo sobre como aqueles guardanapos eram de ótima qualidade. Parecia que eram realmente conectados, tinham uma sincronia diferente e única e ambos puderam sentir.

Ao fim, encontravam-se sorridentes e descontraídos, tudo normal, sem pressão e também sem que percebessem já encontravam-se com as mãos dadas acima da mesa, e assim que o garçom aproximou-se a chamado de Eren que decidira pedir algo de sobremesa Levi tentou soltar a mão, porém Eren o deteve.

-Gostaria de duas fatias de cream cheese sabor morango. E a conta, por favor.

Levi estava achando-se diferente, principalmente em ter uma terceira pessoa vendo aquela situação, mas Eren o segurava tão firme que não iria protestar diante do outro. Seguiu daquela maneira e quando o garçom afastou-se e os olhos de Eren voltaram-se para si pôde dizer

-P-Por que...

-Levi, perdoe-me, é só que eu...

Eren soltou a mão de Levi por uns instantes apenas para poder virá-la e na palma da mão começar a acariciar suavemente, fazendo a pele arrepiar-se e calafrios gostosos passarem pelo corpo alheio.

-Eu gosto de ficar em contato contigo... –disse quase em um sussurro e pôde ver como afetava o outro quando fez um carinho pressionando mais e o menor fechou os olhos, espasmos atravessavam seu corpo, era como se Eren soubesse como provoca-lo, os dedos ardentes a acaricia-lo tão fugazmente que conteve o arfar que desejava soltar, mas o escorrer de sua excitação era inevitável, seu rosto ardia e aquilo seguiu-se... Eren observava e sentia-se mais instigado, principalmente após ver o estado do menor, repetiria a ação caso o garçom não tivesse aproximando-se com os pedidos.

-Obrigado. – Pegou a conta das mãos do garçom e logo entregou-lhe o dinheiro necessário, vendo-o agradecer e afastar-se.

Levi nestes instantes tinha pensamentos profundos. Afinal de contas com apenas toques em sua mão pôde sentir calafrios e ondas de prazer a espalhar-se por si. Se não estivesse em um restaurante, poderia mover-se para o colo do outro e beijá-lo desesperadamente com o intuito de seguir com contatos em seu corpo. Estava assustado com tais atitudes, mas suas reações apenas pareciam instigar mais ainda Eren, que soltou sua mão e proferiu baixinho.

-Vamos comer, disse-me a instantes que gostava deste não?

-Sim...

Seguiram comendo em silêncio, mas os olhares não se desfaziam e Eren surpreendeu-se assim que vira que na última porção do doce que Levi levara aos lábios, fez com que  retirasse  lentamente o talher de sua boca e lamber devagar o mesmo, o que fazia o outro pulsar e o volume nas partes que menos poderiam manifestar-se naquele instante tornar-se mais perceptível.

-Levi...

-Sim..?

-Eu...

Levi fizera de propósito, queria ver se conseguia deixa-lo tão nervoso assim como ele fazia consigo, e obteve sucesso ao fim das contas, soltando um sorriso que fez com que Eren sorrisse de volta, entendendo o que acabara de ocorrer.

-Vamos? Temos ainda bastante horas antes de ter de ir às aulas hoje.

-Sim, podemos ir. – assentiu o maior posicionando-se para levantar-se e esperando o outro, porém ao instante que saíram viram que cada um viera em seu próprio carro, uma situação cômica, já que passar algum tempo ao carro era algo que ambos queriam.

-A-Ah... acho que teremos que combinar nosso destino aqui mesmo.

-Sim. Realmente.

-Bom, vamos para meu apartamento por hora, posso deixar meu carro e seguirmos com o seu quando formos para a aula.

Levi concordou, pensar que estariam agora em um ambiente sozinhos era diferente de antes, em sua mente tudo poderia acontecer, e por seu corpo... esperava que fosse assim.

Porém, quando chegaram e subiram apenas continuaram com conversas aleatórias, ambos divertiam-se, como se aquilo fosse a coisa mais interessante em suas vidas. Eren acreditava que era muito bom o que ocorria, estava gostando da presença do outro, gostava da maneira de falar, de sentar e estava adorando a mania de limpeza que o fez começar a organizar suas almofadas e também os sapatos na sapateira,  gostava da forma como ele sorria para si e constrangia-se com qualquer comentário feito acerca de seus atributos... gostava... gostava...

Eram tantos ‘’gostava’’ que Eren chegou a perguntar-se se realmente apenas gostava do outro mesmo, pois o gostar dele parecia diferente agora... mais intenso. Observou Levi lavar um lenço após usá-lo para limpar a poeira e os cabelos recaírem sobre a sua testa. Os olhos atentos e tranquilos... uma vontade de beijar o pescoço exposto o atingiu e assim que Levi iria falar mais alguma coisa Eren o agarrou suavemente por trás.

-Eren? ...

Eren nada respondia, pois assim que o agarrou teve a certeza de uma coisa que jamais deveria esquecer: a forma como seus corpos encaixavam-se perfeitamente e o calor dele... o completava.

-Levi... estou gostando de você...

-Oi...? – o coração acelerou, não seria aquilo uma declaração? Seria?

-Estou dizendo que gosto de você... muito mais do que antes, mais que um amigo... eu...

Levi nada dizia, apenas poderia pensar que a partir do momento que entrou naquela casa imaginava que Eren pudesse o pressionar contra uma parede e poderiam seguir com relações. Porém não o fez, e nem dava indícios que o faria embora ambos provocassem-se nada parecia que resultaria, mas agora quando o agarrou seu pensamento era de que poderiam começar com algo e ao invés disso Eren soltava palavras como se fossem uma declaração para si, não sabia o que fazer. Talvez apenas seguir seus desejos pudesse ser o suficiente?

-Eu também... gosto de você...

-Então... Levi... –Eren passou a beijar o pescoço que tanto estava lhe chamando, beijou leve e gostoso, aos poucos fez ele virar-se de frente e o abraçou a cintura, aproximou os lábios de ambos e quando estava a ponto de beijá-lo proferiu – Aceita... tentar um namoro ou... até mesmo outra coisa comigo? 

Levi sorriu, sabia que para o tempo que se conheciam poderia ser que o namorar pudesse ser o melhor, mas estava óbvio como Eren não sabia classificar nada assim como ele, porém se era para estabelecer algo, porque não aderir?

-Tudo bem... podemos usar a expressão ‘’ficar’’ por hora... mas acredito que namorar... é o que ambos queremos não?

Eren corou, sorriu e o beijou, lento e sedutor. A língua travessa a explorar a boca do menor, que cada vez mais abria a sua, o agarrava contra seu corpo, como sendo um parte do outro. E namorar ao sofá naquele momento seria bom, não?

 

-

 

O trato que fizeram era que ficariam, até conhecerem-se melhor, estavam ambos a levar tudo com calma, o receio de estragar tudo era maior que qualquer pressa. E por isso, os dois últimos meses do semestre estavam passando rapidamente, a maioria das matérias já tinham finalizado e entre as duas últimas estava a de desenho. Naquela noite seria a última aula e entrega de notas, poderiam sair assim que as recebessem. A maioria dos alunos se foram, mas Levi continuava naquele ambiente concentrado em uma folha de A2 por sobre a mesa, com uma arte que estava a desenvolver,  Eren despediu-se de seus colegas e foi rumo a Levi, curioso acerca do que ele estava a fazer.

-Já acabou as aulas, o que tanto estudas? –disse sorrindo e descontraído e Levi o olhou sem jeito. Mesmo depois de dois meses e de ter aceitado namorar o moreno, ainda era difícil de reagir a ele.

-Estou desenvolvendo a arte da gráfica. Preciso entregar amanhã de manhã e por isso resolvi fazer aqui. Acabei deixando essa para depois.

-Por que não a fizestes antes?

-Por que... ALGUÉM não parava de me agarrar e proferir palavras demasiadas eróticas enquanto eu tentava me concentrar, semana passada.

‘’E depois ainda veio com uma boca que fez-me esquecer até como era que se respirava...’’

Pensou ao lembrar da última semana que esteve na casa do outro e não conseguia dormir, não que não quisesse mas que tudo aquilo o deixou louco, sem dúvida esta semana fora a mais ativa que já teve.

-Ora...Levi, eu não tenho culpa se esse teu corpo é tão gostoso.

Eren disse baixinho ao seu ouvido, fazendo-o excitar-se assim como ele também estava ao vê-lo inclinado sobre a mesa, adorava como empinava aquela bunda enquanto seu cabelo caía sobre o rosto e o suor escorria por seu pescoço devido ao nervosismo e a excitação que se seguia.

-Eren... estamos na faculdade... hm

Dizia a medida que Eren passou a acariciar discretamente seu membro por cima da calça, após passar os braços ao redor de suas costas enquanto olhava para a sala que acabara de ficar vazia, fazendo-o sorrir e rumar a porta.

-Não pensastes nisso em nossa primeira vez...

-N-Não é porque não disse que não naquele momento... que não pensei  Eren...

Disse constrangido, fazendo Eren rir e trancar finalmente a sala, olhando para ele.

-Levi... verte assim me faz lembrar daquele dia, e me lembrar dele remete-me que ainda não fiz as outras posições que encontrei em seus desenhos... que incluíam essas mesas aqui. Embora já tenha usado a imaginação, dar bom uso para as mesas de desenho é o que me instiga...

-Eren! Isso...

-Não diga nada... –dizia ao aproximar-se e novamente agarrar Levi por trás sendo mais ousado. – Vamos aproveitar...

-Hn... Eu...

As mãos travessas de seu parceiro começaram a acariciar mais intimamente Levi, não sendo tão cuidadoso e o agarrando por completo por dentro da calça, desfez-se do botão e zíper e tratou de baixa-la até as coxas, levou sua mão a nuca do menor o fazendo deitar-se por sobre o próprio desenho .

-E-Eren! Vai amassar... e...

Seu membro fora envolvido pelas mãos de seu namorado que acariciava de forma sensual enquanto soltava o ar a orelha de Levi.

- tão quente...  –proferiu enquanto os suspiros fortes davam-se início, as mãos de Eren lhe envolviam da melhor maneira que já poderia ter imaginado antes, e naquele mesmo instante sentiu a vontade avassaladora de desenhar uma cena parecida. Relutou até conseguir livrar-se de Eren que sorrindo disse –Então hoje você esta bastante íntegro. Ora... eu sei q-

-Cale-se Eren.

Levi olhava para Eren seriamente naquele instante, nestes últimos dois meses desenhou coisas que nem imaginava que fossem possíveis, fez muitas mais posições que desejava fazer com o moreno mas nunca tinha a coragem de lhe mostrar, e o pior é que ainda não tinha a coragem suficiente de desenhar com detalhes o sexo de seu namorado, pensava que um dia ainda poderia pedir para desenhá-lo enquanto o olhava mas era ousadia demais, porém mesmo entre esses dois meses terem tidos algumas relações sexuais, na última semana Eren foi realmente um insistente, o fez ficar em tantas posições e constrangeu-o tanto que agora vira a oportunidade perfeita para dar-lhe o troco em formato de recompensa para sí. Mas sua pior preocupação atingiu-lhe.

‘’Ele... iria gostar? Não iria acabar broxando à minha frente devido as ideias que estou a ter?... se eu lhe disser... ele...’’

Naquele instante, Eren percebeu que o menor estava pensativo, não conteve-se em levar os lábios de encontro e trazer sua atenção novamente em si, para assim, perguntar-lhe.

-Pode dizer-me o que tanto pensas...?

-E-Eu... –Levi relutou por alguns instantes, mas ao momento que fitou as orbes de Eren tão sensuais, a vontade de desenhá-lo imenso em uma folha de A1 e por todo e qualquer detalhe que tanto o atraiam naquele mesmo instante. Ao finalmente juntar coragem o suficiente para proferir, surpreendeu-se com o maior a sorrir para ele, como se já entendesse a que se referia.

Eren, ao decorrer destes dois meses deparou-se e sentiu na pele o motivo pelo qual Levi sempre carregava sua prancheta consigo, era devido sua vontade compulsiva por desenhar no exato momento que a inspiração atingia-lhe. Momentos os quais a conversa nada tinha haver com desenho e os quais Eren desfrutava pareciam ser os que Levi mais gostava, sempre alegava

‘’Não conseguirei mais desenhar isso se não for agora, então... por favor não se mova!’’

 E seguia-se com um Eren servindo de modelo, enquanto Levi tinha seus olhos a brilhar e seu corpo em êxtase ao desenhar e olhar para si, era mais um lado que Eren amava, e não negava de maneira alguma o quanto aquilo o excitava.  Afinal de contas, estava apaixonado.

No momento que vira Levi a relutar por dizer-lhe, sentiu-se confuso, talvez não fosse isso. Porém  ao ver a reação do outro conseguiu entender, era a mesma reação de inspiração a atingir-lhe o corpo e mente, e sabia que não passaria enquanto não o fizesse, jamais Levi havia parado um ato daqueles por causa de seu TOC, mas quando o estava prestes a fazer naquele momento, excitou tanto Eren, que já imaginava a que circunstâncias Levi o queria desenhar

-Diga... Levi... o que foi?

-Eren... – ainda incerto devido ao tom de voz do outro, não conseguiu relutar contra a vontade, mesmo que com o risco não desistiria, fechou os olhos com força e disse –Posso desenhá-lo?

Eren sorriu mais largamente por ver que seu pressentimento estava correto, e assim pôde finalmente tocar o rosto do outro e dizer

-Claro que podes...

Ainda incrédulo com a resposta do outro, Levi averiguou - M-Mesmo? n-não... esta chateado?  - a que seguiu apenas com uma risada da parte alheia.

-Claro que não... essa sua mania me deixa realmente excitado Levi. – disse e logo em seguida mordiscou o lábio inferior dele que corou fortemente.

-D-Desculpe-me...

-Desculpar-te? Por me dar prazer...? – provocou e aos poucos foi afastando-se e retirando devagar a camisa e logo em seguida desabotoando a calça de costas para um Levi incrédulo que naqueles instantes não perdera tempo e tratou de pegar a única folha de A2 que possuía e prendeu a mesa, apanhou a melhor grafite de pontas 0.5- 2B que possuía e após ver que tinha todo o necessário, levantou a vista e seu corpo arrepiou-se por inteiro.

-C-Como... podes ser tão perfeito?

Disse com o olhar mais incrédulo que possuía, e o sorriso mais obsessivo que poderia possuir manifestou-se. Eren sorria, pervertido, sensual, instigador. Era tudo isso e mais um pouco. A pose o qual encontrava-se era a melhor que Levi jamais poderia imaginar. Era tão perturbardoramente provocante que Levi sentia-se a latejar.

Um Eren totalmente despido, pernas abertas, braços apoiados ao banco atrás das costas, fazendo com que sua barrica e seus músculos do braço manifestassem-se mais ainda, e o melhor de tudo... uma ereção visivelmente e incrivelmente excitada a escorrer lubrificação e com uma glande maravilhosamente vermelha e brilhante... a visão do pecado.

Sem perder tempo, Levi pôs-se a desenhar a base daquele corpo, iria captar da maneira mais sensual possível o Eren que sempre desejou, porém suas pernas fraquejavam, parecia um sonho o que fazia, e logo teve que sentar-se para poder continuar. Eren não movia-se e sabia que ficaria assim por pelo menos mais 15 minutos, que era o tempo que o outro levava para desenhar os seus principais detalhes, dando mais atenção sempre aos olhos e corpo. Mas mesmo que ambos quisessem que aquilo fosse rápido para que não fossem pegos, Eren queria provocar-lhe mais, pois assim excitava-se também. Resolveu assim que o menor levantou a vista para si, lamber os lábios úmidos e mordiscá-los. A reação foi a esperada, Levi apertou mais as pernas e soltou um arquejo. Eren sorriu.

-Levi... por que só agora me pedes isso?

Resolvera questionar, já que antes já havia imaginado Levi fazendo algo assim, só que sabia que ele ainda não possuía a coragem para pedir-lhe, quando Levi o desenhava sempre era seu rosto e olhos os mais presentes, mas sabia que após terem mantido algumas relações Levi iria incrementar os desenhos, já que antes não desenhava suas partes talvez por não saber exatamente como eram, agora poderia o fazer sem problemas, e após naquele instante Eren ter a certeza essa certeza era mais do que provocante para si.

-I-Imaginava que poderias... como posso dizer... ahn... broxar? Caso... te pedisse isso.

Disse com uma voz incerta, já que era exatamente o que pensava, dentre outras vezes quando Eren o agarrava e o fazia gemer tanto, teve que conter-se e reprimir essa vontade por medo do outro achar estranha, e broxante. Conteve-se apenas em desenhá-lo com a imaginação para aliviar-se, mesmo que não lhe trouxesse a real satisfação. Em todas as semanas desenhou ele pelado, mas naquele momento era tudo novo, e tiraria o melhor proveito. Quando escutou Eren rir levantou a vista e arfou com a visão de Eren a tocar o membro e visivelmente o pressionar contra os dedos.

-Isso jamais aconteceria, porque o principal motivo de eu estar assim... é por que seus traços me excitam, e mal posso esperar, para tê-lo após isso... estou tão duro por ti, que nem sei como controlar meu corpo...

Engolia em seco, o corpo ansiando pelo toque daqueles músculos e da ereção que já estava mais do que passada para a folha de papel, mais alguns traços e poderia finalmente ter Eren a lhe possuir.

‘’Só mais um pouco... e... ‘’

A pressa tornou-se sua aliada, e assim que finalmente conseguiu passar tudo o que vira para a folha, retirou rapidamente o papel daquela mesa e o enrolou, prendendo com o elástico e assim indo em direção ao outro ajoelhando-se em sua frente, vendo o sorriso satisfeito em seus lábios, o incitando a querê-lo logo.

-Obrigado por isso... irei recompensá-lo da melhor forma possível...

E foi nesse momento que os lábios de Levi deslizaram pela ereção do outro, que não conteve o gemido tão prazeroso que soltou, a saliva espalhava-se por seu pênis o fazendo sugar com tanta avidez que teve que revirar os olhos e segurar a cabeça do menor, entrelaçando os dedos por seus cabelos e enfim forçando o membro na boca do outro que o pressionava tão bem. Os movimentos contínuos e aquela boca tão aconchegante foram mais que o suficiente para fazer-lhe liberar a excitação já tão desesperada por ser liberada.

-Ah... Levi...

Levi sugou o que restara de excitação pelo membro alheio e tratou de levantar o olhar, sorrindo e satisfeito com o quanto o outro estava a conter-se.

-Esperou bem... vamos agora... dar seguimento em outro lugar...?

-SIM...

A voz e o entusiasmo que ele lhe passava eram cômicos e tão agradáveis, Levi realmente gostava daquilo nele, e ao pé do ouvido pôde proferir o que pretendia.

-Onde trabalho tem umas mesas como estas... e não tem câmeras funcionando a estas horas, podemos... passar a noite por lá e... fazer tudo o que desejares...

Como um cachorrinho, Eren novamente respondeu um sim para o outro que sorriu malicioso e a tratou de juntar a camisa que estava ao chão e atirá-la na direção de Eren, que prontamente foi vestindo-se animado, e ao fim de vestir as roupas agarrou Levi pela cintura e lhe dera um beijo em sua testa, sorrindo vendo que recolheu todo o material de antes.

-Posso ver como ficou?

Levi sorriu, e retirou o elástico que prendia o desenho, abriu e após ver o olhar safado que Eren lhe lançou disse.

-Sem duvidas... esses aqui... são os traços que mais amo.

Eren não conteve a alegre risada e agarrou o menor pela mão o arrastando praticamente para fora daquele local, sabia que até o local era caminho, e ansiava demasiado pelo momento que ficariam a sós, pois, ao fim das contas, o semestre poderia ter chego ao fim, mas ainda tinham vários semestres pela frente, vários anos e variadas oportunidades, e sem dúvidas queriam aproveitar ao lado da pessoa que, naquele momento, os deixavam excitados e com a maior felicidade invadindo o corpo, pois sabiam que aquela era a maneira de ambos expressarem que no fundo... no fundo mesmo, se amavam, não somente os traços, mas sim ao todo.

E como sendo a única verdade carregada pelos apaixonados, iriam converter-se em um durante toda aquela noite, pois a declaração inesperada, e a vontade de estarem juntos, era mais que uma prova do quanto se gostavam. E assim sendo, ambos tinham pressa, pressa para amar-se, de sentirem que eram apenas um, mesmo que ambos soubessem que...

‘’O próximo semestre mal estava a começar...’’ 

-


Notas Finais


Ahh, sim, acabou. Mas não é necessário desespero, viu? Meus planejamentos futuros já estão sendo desenvolvidos, minha cabeça inspiratória não para, e assim sendo, espero imensamente que cada um de vocês deem chances aos meus outros projetos e que desfrutem como deste aqui <3 Obrigada, imensamente, a todos que acompanharam, de verdade, consegui concluir da melhor maneira que pude, e isso faz-me querer sempre continuar <3

Bjs e até uma próxima! o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...