História The Twin Sister 2.0 - Norminah - Capítulo 40


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Dinah Jane Hansen, Normani Hamilton
Visualizações 470
Palavras 7.906
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 40 - (Cap 40) CoverGirl


Fanfic / Fanfiction The Twin Sister 2.0 - Norminah - Capítulo 40 - (Cap 40) CoverGirl

Dinah Jane

 

Ashlee saiu abraçada junto a mim do restaurante, a mesma fez questão de dirigir, eu não estava em condições, me sentia horrível por tratar a mulher que eu amo tão friamente, me sentia mal por ser tão cruel, na verdade não tem nenhum argumento para descrever o que verdadeiramente eu estava sentindo. Sei perfeitamente o quanto Normani está se esforçando por nós, está sendo paciente, mas para mim isso é pouco, não é o suficiente. Eu quero saber até onde ela suportaria por nós duas.

 

Quando chegamos em minha cobertura, me senti aliviada, pedi para Ashlee ficar comigo, não queria ficar sozinha e me sentir ainda pior, a mesma me compreendia, não me julgava em nenhum momento por minhas atitudes.

 

Assim que entrei em meu quarto, arranquei a roupa da academia, que usava, com pressa, quase rasgando. Eu sentia o cheiro de Normani em todos os lugares e isso me desesperava. Entrei debaixo do chuveiro, deixando a água quente na temperatura ideal em que meu corpo pudesse suportar, peguei a bucha, esfregando com força em meu corpo, tentando tirar toda amargura que estava sentindo.

 

Eu poderia continuar com isso ou colocar um ponto nessa história toda. Deixei um grito ecoar pelo banheiro tentando aliviar toda minha tensão. A água que escorria em meu corpo, fazia minha pele arder. Enquanto esfregava meu corpo, com força, era impossível não me lembrar das vezes em que tomei banho com Normani, momentos em que nosso tesão uma pela outra proporcionou cenas de muito erotismo, o que fazia com que eu me esfregasse com mais força, deixando minha pele completamente vermelha.

 

Eu sentia muito a falta dela, eu precisava do seu toque, seu desejo, seu amor, se é que eu poderia pensar assim.

 

" AMOR " tão bom e complicado ao mesmo tempo, na verdade quem complicava tudo éramos nós. A saudade que eu sentia de tudo isso me consumia, me deixava inquieta, a beira de um ataque de nervos. Eu me enrolei na toalha e saí do banheiro.

 

Fui até meu closet e peguei a primeira lingerie que vi pela frente, o que não deixava de ser maravilhosa, tenho fascínio por lingeries, sou completamente apaixonada por elas, são meus mimos. Me olhei no grande espelho, exibindo meu corpo escultural e por um breve momento me permitir sorrir maliciosa, só de imaginar o estrago que Normani faria ao me ver assim, usando essa belíssima lingerie de renda rosa com um lacinho delicado na parte de trás... parecia tão ingênuo mas eu sei que por trás dessa minha ingenuidade tem sensualidade, que eu sabia o quanto a negra adorava.

 

O sutiã realçava meus seios, os deixando ainda mais atrativos, vesti um finíssimo robe, que ia até a altura dos joelhos, amarrei o fino cordão em volta da minha cintura, com um no bem apertado. Olhei em volta do meu grande closet e suspirei ao ver as coisas de Normani perfeitamente organizadas, como ela gostava, e isso, de um certo modo, me deixava com esperanças, pois se até agora não veio buscar significa que não tinha desistido totalmente de nos, não é mesmo?

 

Deslizei meus dedos pelos finos vestidos da morena, que estavam organizado por cor, Normani é uma mulher absurdamente bela, elegante e sensual, ela sabia perfeitamente disso. Reprimi a vontade de me abraçar a um de seus vestidos e de sentir seu aroma, ainda colados sobre os finos e caros tecidos, isso seria muita loucura, não é?

 

Enquanto descia as escadas senti um cheiro forte e incrivelmente maravilhoso de café, vindo da cozinha. Caminhei cautelosamente e ouvi uma música ecoar, parei me encostando no batente da porta de braços cruzados e um sorriso quase rasgando meu rosto. Ashlee não havia notado minha presença, com isso podia assistir, de camarote, o espetáculo de mulher que era Ashlee Kordei. Estava com os cabelos molhados, denunciando que acabara de sair do banho, usava uma calça de moletom da Adidas, que vestia perfeitamente bem em seu corpo, chamando atenção para a cintura perfeita, e o cropped branco deixava a mostra sua barriga lisinha. Ashlee cantarolava animadamente, com seu sotaque latino maravilhoso, Maluma - Felices los 4, seu corpo embalava o ritmo da música, que por sinal era maravilhosa:

 

Apenas sale el soy y tú te vas corriendo

Se que pensarás que esto me está doliendo

Yo no estoy pensando en lo que estás haciendo

Si somos algo y así nos queremos...

 

Si conmigo te quedas

O con otro tu te vas

No me importa un carajo

Porque sé que volverás...

 

Si conmigo te quedas

O con otro tu te vas

No me importa un carajo

Porque se que volverás...

 

Y si con otro pasas el rato

Vamos a ser feliz, vamos a ser feliz

Felices los 4

Te agrandados el cuarto...

 

Y si con otro pasas el rato

Vamos a ser feliz, vamos a ser feliz

Felices los 4

Yo te acepto el rato...❤

 

Uma felicidade me atingiu ao ver minha amiga tão descontraída assim, sua presença, sem dúvida nenhuma, me alegrava. Tobias era um homem de muita sorte por tê-la em sua vida e chama-la de sua. Ashlee era maravilhosa, se importava muito com o bem estar de todos e as vezes acabava se esquecendo dela mesma.

 

Assim como sua irmã, Ashlee é uma latina maravilhosa, a negra rebolava, me deixando admirada com seu gingado e perfeição ao executar os passos de dança. Coloco as mãos na boca tentando segurar o riso, Ashlee se vira para pegar algo em cima do balcão quando notou que eu a observava, sorri largo para ela, que arregalou os olhos completamente sem graça, pegou o celular fazendo a música parar:

 

-Uė...porque desligou? estava adorando a música, principalmente a dança. - a negra pega o pano de prato de cima do balcão e joga em mim.

 

-Qual é Dinah, para de graça. - a negra fica com o bico maior que o mundo, eu não consigo me controlar e a provoco um pouco mais:

 

-Agora eu sei porque Tobias é louco por você, com esse rebolado, meu Deus Ashlee deve acabar com o pobre rapaz.

 

-Dinah Jane! - a negra chama minha atenção e eu acho engraçadíssimo seu desespero, tento segurar mais acabo soltando uma gargalhada-Oh...santo Deus pare com isso Dinah! - a indignação de minha amiga pelo meu comentário me fez rir ainda mais, eu não conseguia parar, gargalhei até meu corpo começar a doer a ponto de precisar me deitar no chão-Isso não tem graça nenhuma, as vezes você é incontrolável Dinah. - Ashlee revirou os olhos e balançou e cabeça em reprovação. Ri até arrancar lágrimas de meus olhos, ri até não aguentar mais e começar a soluçar. Ashlee estendeu a mão para me ajudar a levantar do chão e logo ouvi o risinho contido de minha amiga, abracei a mesma e murmurei:

 

-Você é maravilhosa, não sei o que seria da minha vida sem você. - a negra soltou uma gargalhada se afastou de mim me puxando pela mão:

 

-Vem, preparei um lanche para nos duas está lá na varanda.

 

A mesa estava farta de coisas deliciosas, café fresquinho, um chá de morango, que estava maravilhoso, frutas, pães doces, bolo de chocolate, meu preferido, tudo estava perfeito, sem contar a vista maravilhosa do sol se pondo. Olhei para minha amiga, que admirava a vista e falei chamando sua atenção:

 

-Estou sendo covarde, estou fugindo de toda essa bagunça, estou pensando só em mim, em momento algum pensei em como Normani se sentiria. - Ashlee colocou sua xícara na mesa e apoiou os cotovelo, me observava atentamente e antes de falar sorriu para mim:

 

-Não te acho nenhum pouco covarde. Um pouco assustada? Sim, com toda essa situação há muito sentimento envolvido, eu acharia estranho se você agisse com naturalidade

 

-Eu amo sua irmã e não faço idéia de como dizer isso. – falo olhando um pouco longe

 

-talvez, se você começar com um EU TE AMO NORMANI, as coisas funcionem?- ela fala antes de tomar um pouco de seu chá, eu a olho sem achar graça e a mesma sorri, voltando a por a xicara sobre a mesa – Eu te entendo perfeitamente, Dinah...olha eu posso te garantir que Normani é completamente apaixonada por você e, assim como você, também não sabe como dizer isso, minha irmã é cabeça dura e teimosa, não dá o braço a torcer, mas eu nunca a vi assim por absolutamente ninguém, nem por Zendaya. Tudo bem, eu não tenho conversado com ela esses dias, mas sei que esta magoada com isso tudo. - senti um nó se formar em minha garganta, Ashlee havia se afastado de Normani por minha causa e isso não é certo:

 

-Eu sinto muito Ashlee, imagino o quanto deve sentir a falta dela. - a negra balança e logo diz:

 

-Não se sinta culpada, não me afastei dela por sua causa, me afastei porque a dita cuja sabe minha opinião em relação a tudo isso. Poxa, eu sempre respeitei Normani demais em todas suas escolhas, mas dessa vez eu disse que iria ser diferente, eu sei a irmã que tenho e qualquer coisa errada que ela venha fazer em relação a vocês duas é ao seu lado que eu vou estar. Amo minha irmã, mas não significa que tenho que apoiar tudo o que ela faz, principalmente suas canalhices.

 

-Não fale assim dela Ashlee. - minha amiga sorri e joga um pedacinho de pão em mim me fazendo gargalhar:

 

-Esta bem senhorita apaixonada, vamos terminar esse café e arrumar toda essa bagunça.

 

-Você vai me ensinar a rebolar daquele jeito? - Ashlee me lança um olhar reprovador, não me aguento e solto uma gargalhada alta e divertida a mesma não acaba resistindo e cai na gargalhada junto comigo.

 

Terminamos nosso delicioso café, tiramos a mesa, levando as coisas para a cozinha e lavamos a louça, entre risadas e gargalhadas altas, depois conversamos mais um pouco, assistimos alguns filmes e Ashlee logo subiu para o quarto de hóspedes, disse que iria conversa um pouco com Tobias antes de dormir.

 

A noite estava fria, eu estava jogada no sofá assistindo qualquer coisa que passava na televisão mas minha mente estava completamente longe. Lá pelas nove horas a companhia tocou, fiquei assustada, quem poderia ser a essa hora?

 

Me levantei com má vontade e fui atender a porta, nem me importando como estava vestida.

 

Meu queixo caiu quando vi um entregador, com um lindo buque de rosas vermelhas nas mãos. O peguei com cuidado, completamente admirada com as flores e agradeci ai rapaz, que logo sai rapidamente. Fechei a porta atrás de mim e andei até a sala.

 

Coloco o lindo buque em cima da mesa de centro, procuro o cartãozinho e meu coração bate forte ao reconhecer a caligrafia perfeita:

 

 

 

 

Como já te disse algum tempo atrás:

 

Penso em você o tempo todo, desesperadamente com saudades, minha Hansen.

 

-Normani Kordei.

 

 

 

 

Completamente boba, releio várias vezes o cartão, desejando que a morena estivesse ao meu lado.

 

Desligo a televisão e subo até meu quarto, apenas encostando a porta. Tiro meu robe, o deixando sobre os pés da cama e me deito.

 

A cama, que antes era pequena para nossas noites de amor, agora parecia enorme e completamente sem vida sem a morena ao meu lado. Pego meu celular em cima da mesinha de cabeceira, desbloqueio e entro no whatsap e começo a reler minha última conversa com Normani. Começo a suar frio quando vejo que a mesma esta online e logo aparece que está digitando:

 

Mani ♡: Sei que você está chateada comigo.

Eu mereço.

Fui uma idiota.

 Agi super mal e me sinto péssima por isso, por fazer você passar por esse constrangimento.

Espero que tenha gostado das flores.

 

Fico olhando alguns segundos e ela continua digitando, digitando e digitando.

Ou estava digitando um enorme texto ou digitava e apagava. Quando ela finalmente se decidiu oque falar, as palavras, que ela tanto mostrava sentir, piscava diante de meus olhos.

 

Mani ♡: Estou morrendo de saudades.

 

Meu coração se aperta dentro do peito. A Normani, como eu te amo:

 

Mani ♡: Penso em você o tempo todo minha Hansen.

Vai me perdoar algum dia?

Saudades.

 

Apenas leio as mensagens e novamente fui uma covarde, não respondi nenhuma se quer.  Bloqueei o celular, apaguei a luz do abajur, chorei, chorei e chorei mais um pouco, coloquei tudo para fora até adormecer.

 

...

 

 

 

-Sinto sua falta.

 

Fui acordada por essas três palavras em meio a escuridão do quarto. O colchão afundou quando Normani se sentou ao meu lado, inclinou-se sobre mim e me abraçou apertado entre as cobertas. Minha mente, que  ainda dormia, se despertava aos poucos. Senti sua inconfundível fragrância delicada, doce e sensual misturada com o meu cheiro.

 

-Minha Hansen... - a negra sussurrou e logo depois me beijou, cobrindo meus lábios com os seus. Toquei sua pele com as pontas dos dedos sem acreditar, sentindo sua pele quente e nua. Normani gemeu entre o beijo, se levantou mas se manteve inclinada em minha direção para não separar nosso beijo, cheio de saudade e necessidade. Se livrou das cobertas e senti minha pele arrepiar por conta da noite gelada:

 

-Mani...o que está fazendo aqui? - sussurrei entre o beijo, meu corpo precisava do dela precisava desse contato, desse toque, dessa intimidade, precisava dela, gritava por ela, implorava por ela.

 

-Shiiii...minha Hansen, eu só quero você, preciso de você, eu não aguento mais isso. - logo a negra estava sobre mim, seu corpo fervendo e completamente nu.

 

Sua boca carnuda e ardente foi descendo pelo meu pescoço, distribuindo beijos apaixonados. Suaa mãos arrancaram com força meu sutiã, para alcançar meus seios. Sua boca abocanhou meu mamilo direito e o sugou com força, me fazendo gemer manhosamente.

 

O peso de seu corpo estava apoiado em um dos braços junto ao colchão e sua outra mão estava no meio das minhas pernas.

 

-Meu Deus, que saudade. Como eu preciso de você. Por favor não me deixa. - a negra sussurrava, implorava ofegante, em meu ouvido me causando ondas de calor:

 

-Eu nunca te deixei, Normani. Eu preciso de você, como preciso de ar para respirar. - com minhas palavras, Normani agarrou meu sexo, que pulsava, e deslizou seu dedo para dentro da minha fina calcinha rendada, que essa altura estava mais que molhada. Sua língua brincava com meu mamilo, completamente sensível, deixando cada vez mais durinho e pontudo. A negra cravava os dentes de um jeito gostoso e suave na minha carne extremamente sensível.

 

-Normani... - as lágrimas escorriam em meu rosto, estava emocionada por tê-la ali. Eu pedia aos deuses, e a tudo oque era mais sagrado, para que não fosse tudo um sonho.

 

Meus sentimentos estavam sendo expostos, eu sofria demais longe da mulher que amava, longe da mulher que eu quero somente para mim, e sentindo esse seu desespero, para me ter, pude ter a certeza que a mesma sofria como eu, ou até mais.

 

 Meu mundo perdia a cor, perdia o seu caráter, sua luz vibrante, longe dela. Tê-la comigo, me tocando, me beijando, me implorando para não deixa-la, era como uma grande chuva depois um grande período de seca de calor.

 

Eu amava demais aquela mulher.

 

Os cabelos da negra roçavam em minha pele, sua boca aberta deslizava pelos meus seios, que a essa altura estavam, mais que sensível. Seu peito expandia com sua respiração profunda, completamente inebriada com meu cheiro, com minha pele quente sobre a sua. A negra abocanhou meu outro mamilo com uma força absurda, uma sucção profunda e potente, me deixando louca, uma onda de prazer e excitação se espalhou pelo corpo lubrificando ainda mais meu sexo junto ao seu dedo, que me acariciava sem pressa:

 

-Ah...Kordei por favor...não para eu preciso de você!

 

A negra foi descendo seus beijos quentes pelo meu corpo, marcando o caminho com lambidas e mordidas na minha barriga. Sem vergonha, abri minhas pernas para envolve-la , senti o hálito quente da negra na minha abertura sedenta e louca por ela. Normani pressionou o nariz contra o fino tecido de minha calcinha, extremamente molhada, e gemeu ao sentir meu cheiro, me deixando ainda mais arrepiada:

 

-Minha Hansen, eu amo seu cheiro maravilhoso de camomila... - com sua força, a negra fez aquilo que eu tanto desejava durante esses dias, agarrou a lateral de minha calcinha e com apenas um puxão a rasgou, me fazendo gemer seu nome manhosa em completa excitação:

 

-Oh...Nor..Normani...- a negra posicionou sua boca entre minhas pernas, me mantendo toda aberta para ela. Acariciava meu clitóris com movimentos rápidos e precisos. Minhas costas se arquearam do colchão e gemi bem alto, com todos os meus sentidos absurdamente aguçados devido aos seu toques, menos a visão, meus olhos estavam fechados, me concentrava em seus toques, lambidas, carícias e em seu cheiro, seu delicioso cheiro. Normani investia em meu sexo completamente trêmulo, inchado com lambidas e me penetrando de forma ritmada e viciante:

 

-Assim...assim...eu quero mais... - a negra mordiscou meu montinho de nervos e sugou com força, eu me contorcia de prazer cada vez mais,, meu ventre se contraia e os primeiros sinais do orgasmo maravilhoso se aproximava:

 

-Ai, Meu Deus! - gozei violentamente na boca da negra, que bebia e sugava tudo de mim, sem desperdiçar nenhuma gota. Minha pele suava, minha garganta estava em chamas, lutando para respirar, seus lábios beijavam todo meu sexo sensível, me sugando com força, sua língua se remexia dentro de mim com vontade, ao seu bel prazer, Me chupava em uma intensidade irresistível.

 

 A carne entre minhas pernas estavam todas inchadas, sensíveis, totalmente vulneráveis e frágeis. Seu apetite era avassalador.

 

 Não aguentei mais nenhum minuto e gozei pela segunda vez, cravando as unhas no fino lençol de cetim. A negra subiu pelo meu corpo distribuindo beijos, me fazendo suspirar:

 

-Eu não aguentava mais, estou morrendo de saudade, do seu beijo, do seu cheiro, da textura macia de sua pele contra a minha...volta pra mim, minha Hansen.

 

-Eu nunca deixei de ser sua, em nenhum momento, me perdoa, me perdoa por me afastar, me perdoa por tudo. - a negra colocou um dedo entre meus lábios me impedindo de continuar a falar e balbuciou tranquila:

 

-Shiii...por favor não vamos falar disso agora, eu só quero você, eu só quero sentir você.

 

A negra me pegou no colo e me virou de bruços, ergueu meus quadris, me deixando de joelhos. Me agarrei a cabeceira da cama, com meu rosto, completamente suado, apoiado no travesseiro. Meu corpo todo estremeceu quando senti seu hálito quente na minha bunda, meu corpo todo se contraiu ao sentir sua língua naquela região. Normani me provocava fazendo movimentos circulares com a língua naquele pontinho de prazer, estimulando aquela  entrada bem escondidinha. Meu corpo todo se rendeu as suas carícias, incrivelmente deliciosas.

 

Neste momento não existia absolutamente nada que nos impedia, nosso contato sentimental e físico era a única coisa que importava. Nossos corpos juntos, colados, pela mesma necessidade uma da outra. Eu era dela e ela era minha, somente isso importava, somente isso nos bastava.

 

Normani agarrou com força minha bunda usando as duas mãos, me mantendo imóvel. Eu estava completamente aberta e arreganhada para ela, somente para ela, em todos os sentidos, totalmente exposta aos seus beijos, cheios de luxúria, desejo, prazer e paixão:

 

-Ah...Normani... isso é tão bom..-eu gemia manhosamente, empinando cada vez mais minha bunda na direção da morena

 

-Eu sei minha Hansen, você que é maravilhosa. - a negra acariciou minha bunda e meu corpo estremeceu ao sentir que sua língua macia estava dentro de mim, entrando e saindo de um jeito delicioso. Meus dedos dos pés contraíram, minha respiração ficou mais ofegante, enquanto a mulher que eu mais amava me possuía, sem pudor, me fazendo sentir a mulher mais realizada

 

-Ah...nossa...isso... - moví minha bunda em direção a sua boca, me entregando, ainda mais, para ela.

 

A afinidade entre nós era absurda e nada se comparava, me sentia única por deixá-la insaciável de mim.

 

Minha pele fervia, queimava. Meu peito subia e descia sem controle. A negra estendeu uma das mãos por baixo de mim e começou a massagear meu clitóris com seus dedos ágeis e maravilhosos. Sentia sua unha roçar de leve em meus lábios sensíveis, me causando espasmos pelo corpo todo, de um jeito delicioso. Sua língua me deixava maluca, completamente maluca.

 

O orgasmo crescia cada vez mais dentro de mim. Normani podia fazer o que quiser comigo, me possuir do jeito que ela quiser. Enterrei a cara no travesseiro e soltei um grito, completamente carregado de tesão, e gozei sentindo um prazer único e verdadeiramente intenso, um prazer que só Normani conseguia me proporcionar.

 

-Goza...goza, minha Hansen, goza para mim!-

 

-Oh...Normani...só para você..- Minhas pernas cederam e desabei sobre o colchão macio. Normani deitou sobre minhas costas, me fazendo sentir seu corpo pegando fogo e suado sobre o meu. Sentia o biquinho dos seus seios em minhas costas. Beijou meu corpo suado com vontade, matando toda a saudade e sussurrou em meu ouvido:

 

-Minha Hansen, meu desejo é como o seu, estou completamente desesperada por você. -  A negra mergulhou o rosto entre meus cabelos, enquanto se esfregava em mim, me fazendo gemer. Ela estava molhada demais, excitada demais, sua intimidade quente e extremamente molhada esfregava em minha bunda de um jeito delicioso, empinei minha bunda dando mais acesso a negra:

 

-Oh...Dinah...meu Deus…- a negra cravou seus dentes em meu ombro, eu sentia que ela estava gozando, enquanto rebolava gostoso em minha bunda. Senti a negra relaxar o maxilar e me libertar de sua mordida, me fazendo gemer de prazer por senti-la assim, tão entregue, tão vulnerável e sensível. Seu desejo era verdadeiro e insaciável, ela se entregava para mim com vontade:

 

-Preciso de você Dinah, não desiste de nós?- ela sussurrou

 

-Nunca, nem que você quisesse - Eu me viro e nossos lábios se chocam em um beijo louco, eu os chupava com desejo, como nunca antes.- preciso sentir você!- deixei que minhas mãos percorressem seu corpo, fazendo cada centímetro da pele da morena se arrepiar com meu toque

 

-toque oque quiser, tudo isso te pertence- ela disse sem folego, encostando a testa na minha.

 

Tomei impulso e inverti nossas posições, deixei que meus lábios fossem parar em seu pescoço, o beijando e o mordendo com vontade, minhas mãos encontraram seus seios fartos, e os apertei sem o menor cuidado, fazendo a negra arquear as costas. Conduzi minha boca até seu mamilo e o suguei, enquanto apertava seu outro mamilo rijo com a ponta dos dedos. Normani passou sua perna pela minha cintura, fazendo meu sexo colar com o dela, onde habilmente rebolei, investindo no atrito que causaria nossos gemidos.

 

Minha não escorregou até seu sexo e lhe penetrei dois dedos, sem fazer cerimonia nenhuma. A morena gritou de surpresa e suas unhas cravaram da base da minha coluna, até quase em meus ombros, causando uma ardência tão gostosa que fez com que eu intensificasse os movimentos de meus dedos, que entravam e saiam de dentro dela com rapidez.

 

-Dinah...- meu nome se soltou por sua boca como uma prece.- Mais....- ela suplicou e eu não tardei em por um terceiro dedo, oque fez a morena gritar mais alto- Assim!- ela pedia enquanto seus gemidos ecoavam soltos pelo quarto.

 

Minha boca não saia de seu seio, que se encontrava completamente marcado, meus dedos entravam e saiam rapidamente e o mais fundo que podiam, o quadril da morena se movia de encontro com meus dedos, suas unhas castigavam a pele das minhas costas, e eu não iria reclamar depois, precisava disso, assim como precisava dela.

 

-preciso de você Normani, so de você- sussurrei em seu ouvido, quando senti que seu sexo esmagava meus dedos, anunciando um orgasmo próximo- me mostra que você também precisa de mim, goza pra mim, quero sentir você gozando por cauda dos meus dedos atolados em você, por causa do meu corpo sobre o seu, quero você gozando por mim- pedia enquanto a morena delirava, seu orgasmo estava tomando conta de todo seu corpo e eu estava hipnotizada com isso

 

-DINAH....- a morena gritou enquanto se derramava ao redor dos meus dedos e prontamente tomei seus lábios para mim, em um beijo sem folego, mas cheio de desejo.

 

Enquanto a beijava, comecei a massagear seu clitóris e ela manhosa protestou, pois estava bem sensível.

 

-amor...está sensível- ela pedia gemendo e tentando tirar minha mão.

 

-quem geme assim é porque esta gostando- aumentei os movimentos de meus dedos e logo Normani voltou a gemer sem parar, deixando claro o quanto seu orgasmo estava aparecendo novamente. Em questão de segundos a morena alcançou um orgasmo mais alucinante que o anterior e se desfez em meus braços.

 

Deixei meu corpo relaxar sobre o dela e afundei meu rosto em seu pescoço.

 

A morena segurou minha bunda com as duas mãos e forçou o corpo para inverter as posições.

 

Eu sabia que com ela não havia tempo para respirar, eu podia perfeitamente respirar durante o momento em que seus dedos, ou sua língua, estavam dentro de mim, ainda mais quando fazia tempos em que não nos desfazíamos uma na outra, nos precisávamos por a saudade em dia, e se bobeasse duraria a noite toda, e foi oque aconteceu.

 

 

Nos amamos intensamente noite a dentro.

 

 

Quando meu despertador tocou e eu acordei, Normani não estava ao meu lado mas eu me sentia feliz e única. Peguei o travesseiro da negra e o agarrei forte, sentindo seu cheiro maravilhoso e viciante, que eu tanto amava. Meu sorriso parecia que ia rasgar o rosto.

 

Nosso amor é único e verdadeiro...❤

...

 

Me levantei e fui fazer minha higiene matinal, observava atentamente cada detalhe de meu corpo pelo reflexo do espelho, cada marca deixada pela mulher que eu amava me fazia suspirar. Meu sorriso era de rasgar o rosto e novamente me sentia viva.

 

Coloquei uma roupa confortável e antes de descer as escadas, para ir até a cozinha, passo no quarto de hóspedes em que Ashlee dormiu, dou duas batidas na porta antes de entrar:

 

 

-Oi bom dia!!! - Ashlee estava arrumada, mexia em seu celular, quando notou minha presença olhou para mim sorrindo com os olhos vibrantes:

 

-Bom dia Hansen. Como você está? Dormiu bem? - minha amiga me olhava com um sorriso malicioso:

 

-Eu estou me sentindo ótima, dormi super bem. - sorri largo e Ashlee me observava atentamente a tudo:

 

-Me lembre de perguntar a Normani que tipo de vitaminas ela toma.

 

-Hã...como assim? Não entendi?

 

-Sinceramente, não aguentaria passar mais uma noite no quarto ao lado do de vocês. Eu ficava pensando “agora elas cansaram” e logo depois começava tudo de novo, dava para ouvir o gemidos de vocês a quilômetros. - fiquei sem graça senti meu rosto queimar e Ashlee solta uma gargalhada alta.

 

-Você deveria ter colocado fones de ouvido, e já deveria saber que isso iria acontecer, pensa que não sei que está por trás disso? - Ashlee encolheu os ombros como se sentisse culpada por algo:

 

-Me desculpe, conversei muito com Maps e aconselhei a ela vir aqui, achei que seria bom para vocês duas.

 

-Não precisa se desculpar, você só fez o que eu não tive coragem, e foi maravilhoso, mas quando acordei ela já tinha ido embora. - Ashlee me olhou sério e antes de me responder pensou um pouco:

 

-Ela precisou sair cedo, resolver algumas coisas , por falar nisso eu preciso ir Dinah, vou me encontrar com Normani ela pediu minha ajuda para algo de extrema importância, prometo que volto a tempo para nos arrumamos para a grande festa. - Ashlee rapidamente pega sua bolsa, guardando seu celular, antes de sair me dá um beijo no alto da cabeça e sai sem me deixar falar nada, me deixando com cara de boba sem entender absolutamente nada. Achei estranho sua atitude, as duas não se falavam a dias e hoje isso assim tão de repente. Tentei não pensar nisso, afinal, hoje era o grande dia da festa de lançamento da revista onde eu Zendaya somos capa. Por um instante me senti mal, como Normani e eu não estávamos muito bem, duvido muito que ela se lembre.

 

Quando cheguei até a cozinha sorri Ashlee havia deixado uma mesa de café da manhã maravilhosa. Enquanto tomava meu café delicioso, checava meus emails e meu coração disparou, a ponto de quase sair pela boca, quando vi um email de Normani. Não fazia muito tempo que havia enviado, ela sabia que iria ver, a mesma sabia que eu olhava meus emails todos os dias pela manhã:

 

De: Normani Kordei

Para: Dinah Jane

Assunto: Pensando em você ♡

 

Não tem noção do quanto acordei feliz essa manhã, estar ao seu lado é tudo o que preciso para me sentir bem.

 

Tenha um ótimo dia!!!

 

...

 

Estava quase no horário da festa e nada de Ashlee chegar, havia mandado várias mensagens, ligado várias vezes e ela me ignorou absolutamente o dia todo, logo hoje, um dos dias mais importantes para mim e ela sabia disso. Como era Ashlee quem cuidava de toda minha agenda de compromissos, ela havia marcado horário para nos duas em um SPA e como a mesma pensa em absolutamente tudo, marcou a sessão para ser feita em minha cobertura, o que achei maravilhoso, um pouquinho de mordomia e cuidados com a aparência não fazia mal a ninguém, uma pena Ashlee não ter desfrutado disso tudo, já estava começando a ficar preocupada.

 

Por fim eu estava admirada com minha aparência, Clarice, a maquiadora, fez um ótimo trabalho, a sombra clara e bem iluminada destacava a cor de meus olhos e a boca estava marcada apenas por um Gloss. Richard, o cabeleireiro, escovou meus cabelos loiros, os  deixando com leves ondulações, emoldurando meu rosto. Escolhi um tratamento destinado a sedução, que deixou minha pele bem macia e perfumada com fragrâncias afrodisíacas. Meu belo corpo vestia perfeitamente um macacão branco, todo de renda, com um belo decote, que se destacava perfeitamente com o delicado colar de pedras Swarovsky, escolhido pela estilista Zoe Costello, nos pés uma linda sandália Jimmy Choo.

 

 A festa seria em uma cobertura luxuosa, ao ar livre, durante o dia, e o visual estava perfeito, nada exagerado. Quando estava saindo de casa, Ashlee aparece toda apavorada me assustando:

 

-Ashlee por Deus, onde estava esse tempo todo?

 

-Me desculpa Dinah, estava com Normani e acabei me arrumando por lá mesmo, mas consegui chegar a tempo. - olhei para minha amiga da cabeça aos pés, ela estava absurdamente linda em um vestido de cetim verde musgo, com um leve casaco de seda da mesma cor, cabelo e maquiagem impecável sem falar na linda sandália de salto que usava.

 

-Poxa você deveria ter me avisado, além de me deixar preocupada perdeu um maravilhoso tratamento de SPA, que você mesma havia me sugerido a fazer- falo com ela cruzando os braços.

 

-Prometo que da próxima vez iremos juntas a um SPA. - sorri para minha amiga e saímos juntas de braços dados, quando chegamos ao Hall do prédio encontramos uma limusine a nossa espera, Ashlee me olhou perplexa:

 

-Dinah...Como Shay é exagerada quando se trata de você, não é mesmo? - sorrio sem graça para minha amiga

 

-É eu sei, eu disse que não precisava disso tudo, mas a mesma disse que eu tinha que chegar em grande estilo.- disse revirando os olhos e fazendo a morena soltar uma risadinha

 

-Bizarro! - Ashlee murmurou baixo mais o suficiente para que eu ouvisse.

 

Um rapaz desceu da limusine assim que nos viu, cumprimentando a mim e Ashlee, muito educado, e bonito com cabelos grisalhos e olhos azuis bem penetrantes, algumas marcas da idade já se fazia notar em seu belo rosto mas isso não o deixou menos atraente e tinha uma boa forma física.

 

Chegamos a festa em uma luxuosa cobertura exclusiva, assim que a limusina parou e descemos vários flashes vieram em nossa direção, Ashlee já ia fugindo mas agarrei pelo braço e disse entre dentes:

 

-Nem ouse em sair do meu lado senhorita Ashlee Kordei. - a negra não disse nada, ficou ao meu lado o tempo todo.

 

Haviam vários paparazzi no local que, em meio os flashes, perguntavam se Ashlee era minha namorada, francamente não é mesmo?  Muitos estavam a confundindo com Normani, mas a mesma fez questão de responder a todos negando a pergunta que eles faziam. Posamos para os fotógrafos, Shay já estava no local, juntamente com Zendaya e nem preciso dizer o quanto as duas estavam maravilhosas, elas logo se juntaram a nos para algumas fotos comigo, a pedido dos fotógrafos.

 

Rapidamente uma multidão de fotógrafos para em volta a um Bentley, na cor vinho, e me surpreendo quando vejo quem sai de dentro. Normani Kordei e Naya Rivera, um prato cheio para os jornalistas fofoqueiros de plantão, não pude deixar de notar o quanto minha Normani estava linda, mais que o normal. Ela usava um conjunto amarelo com o desenho de pequenas cerejas, ficava perfeita com essa roupa, senti um arrepio em meu corpo enquanto a observava. Seus cabelos estavam lisos, uma maquiagem, que valorizava ainda mais, os atributos em seu rosto perfeito, a sandália de salto alto a deixava ainda mais poderosa. Naya estava radiante como sempre, sorria o tempo todo, já Normani era notável seu desconforto, a mesma não gostava muito dessa mídia toda em cima dela, queria sair de onde estava e cobri-la de beijos imediatamente. Nossos olhares se encontraram e logo o brilho em seu rosto, e em seus olhos, se fizeram presentes ao me ver, apenas isso bastou para fazer meu corpo todo arder em completo desespero por ela.

 

O local da festa estava lindo e luxuoso, mas simples do jeito como queria.

Eu queria um ambiente que transmitisse conforto para as pessoas e acho que consegui. Havia comidas leves e saudáveis, bebidas a vontade, coquetéis de frutas, espumantes, vinhos, entre outras coisas, tudo do bom e do melhor. A grande piscina da cobertura foi coberta, dando lugar a uma enorme pista de dança. As pessoas em volta do lugar sorriam, conversavam, aproveitavam tudo de melhor que o ambiente oferecia. Haviam fotos minhas e de Zendaya distribuídas por cada canto da festa.

 

 Ashlee conversava animada com Naya e Normani, Zendaya não perdendo tempo, estava ao lado da negra que, sem se deixar intimidar com a presença daquela mulher ao seu lado, sorria lindamente e conversava com as outras mulheres. Eu admirava a bela vista enquanto bebia uma taça do melhor vinho branco, logo Karen para ao meu lado sorrindo toda graciosa, estava deslumbrante em um vestido preto, com um corte incrível, realçando seu belo corpo que com a gravidez ficou lindo, por incrível que pareça:

 

-Dinah, estou tão orgulhosa por você. - minha amiga me abraçou carinhosamente:

 

-Obrigado, não sabe como o apoio de todos vocês são importante para mim.- agradeci a minha amiga, e comadre, com um enorme sorriso no rosto

 

-Claro que sabemos, por isso estamos aqui. - sorri para minha amiga que suspirou pesado-Sinto a sua falta, Aurora também, Allan está furioso com você e com Normani, sabe disso né?

 

-Eu sei, eu sei, está tudo dividido, mas não se preocupe logo tudo vai se resolver só de tempo ao tempo. - Karen revirou os olhos em inquietação:

 

-Quando? Você e Normani tem que se acertar logo, resolver toda essa situação, vocês cada vez mais se complicam. - Agora era minha vez de revirar os olhos

 

-Por que todo mundo, do nada, resolveu opinar sobre meu relacionamento com Normani. Que saco!- solto minha frustração

 

-Desculpa Dinah, não foi por mal. - Karen disse se sentindo mal pelo comentário.

 

-Como esta minha monstrinho? - pergunto na tentativa de mudar o foco da conversa.

 

-Esta cada dia mais linda e sapeca, acredita que essa semana Normani levou ela em um show da Disney e quando eu e Allan chegamos em casa achamos que o lugar tinha sido invadido pelo clube do Mickey Mouse?!- não consegui me segurar e cai na gargalhada, só de imaginar Normani com Aurora senti uma alegria imensa.

 

-Não ria Dinah, você e Normani estragam Aurora demais fazendo todas as vontades dela. - Karen diz indignada.

 

-Mas é claro que fazemos, ela é nossa afilhada nosso bem mais que precioso.

 

Quando digo isso vejo Normani se aproximar segurando uma taça nas mãos, Karen disfarçadamente sai, nos deixando a sós, a negra me olha sorrindo:

 

-Eu estou tão feliz por você, tão orgulhosa... Soube que foi você quem organizou tudo isso aqui, meus parabéns, não poderia estar mais perfeito. - Normani me deixa louca, seu cheiro, sua voz, seu tom ao falar comigo, tudo mexia comigo.

 

-Obrigado...Fico muito feliz em ouvir tudo isso de você – digo deixando um sorriso bobo escapar de meus lábios, a negra sorriu, mordendo os lábios, me causando arrepios e me fazendo lembrar da nossa noite juntas. Seu olhar foi parar em meu decote e neles pude ver o desejo que ela estava sentindo por mim.

 

-Você esta linda demais Dinah, minha vontade é de te beijar todinha agora mesmo. – Ela fala dando um passo em minha direção, ficando somente a alguns centímetros de mim, sorrio maliciosa para mulher a minha frente, que retribui com seu sorriso cafajeste, quando, hipnotizada, me aproximo para beijar seus lábios, Shay aparece chamando nossas atenção e nos tirando do nosso pequeno mundinho:

 

-Com licença, mas será que posso dançar com a mulher mais linda da festa? - olho para Shay e em seguida para Normani, que apertou com força a taça em sua mão.

 

-Shay, será que pode ser depois? Estou no meio de uma conversa.

 

-Não tem problema Dinah, vai curtir a sua festa - Normani diz e sai, dando as costas para mim. Eu respiro fundo com sua atitude. Shay me pega pela mão me levando para a pista de dança que tocava a música da Victoria Monét - Ready...

 

Ladies, if you're single ( single, single )

And you are here tryna catch one

Baby girl, our times is coming, there's gon'

Be someone that complements the vision...

 

So just keep your mind right and keep that

Body tight

Better do it while you're single

He's somewhere looking for you, single...

 

We gotta say ready

Gotta say ready

Oh...

 

Something like a baseball game, I'm a

Catcher in position

Focused on a ball, you know I don't wanna

Miss it

I'm ready

Oh, ready

Ready...❤

 

Shay me conduzia pela pista, suas mãos apertava meus quadris, eu me permiti em apenas curtir a música. Shay se posicionou atrás de mim, me apertando junto de seu corpo, rebolei me esfregando nela, Shay estava aproveitando desse momento e suas mãos passeavam em meu corpo, a morena colocou a boca em meu ouvido e sussurrou:

 

-Não tem noção do quanto esta maravilhosa, não tem noção do quanto eu te quero Dinah. - Me afastei de seu corpo me virei para encarar seus olhos que me idolatravam

 

-Para com isso Shay, você tem sido uma ótima amiga, não vamos estragar isso. - Shay aproximasse de mim cola novamente seu corpo ao meu me segurando firme pela cintura:

 

-Sabe que não quero ser apenas sua amiga... - a morena deixou um beijo de leve no canto de minha boca. Olhei em direção a Normani e reparei que sua respiração estava descompensada, seu peito subia e descia em nervosismo, eu sabia que estava louca de ciumes e sua vontade era de dar uns bons tapas em Shay. Naya olhou em minha direção, se aproximou de Normani, tocando seu braço, disse algo em seu ouvido e logo as duas sairam do meu campo de visão, minha vontade era de ir atrás.

 

Alguns jornalistas, vendo o clima entre mim e Shay, não perderam tempo em fazer suas perguntas desnecessárias:

 

-Senhorita Mitchell, você e Dinah estão tendo algum tipo de envolvimento pessoal? - uns dos jornalistas perguntou, Shay sorriu e sem vergonha alguma o respondeu:

 

-O evento é para divulgação da revista e a parceria entre VOGUE & COVER GIRL não vida pessoal. - sua resposta me surpreendeu, Shay e eu demos algumas entrevistas, tiramos algumas fotos e Zendaya fazia questão que Normani saísse em todas em que a mesma estava, me fazendo lembrar daquelas imagens, malditas imagens.

 

O decorrer da festa estava indo bem, tirando o fato de Normani parecer extremante zangada e eu não podia negar, eu também estava. Queria estar aproveitando tudo isso ao lado dela.

 

O dia estava se pondo, dando uma vista ainda mais deslumbrante da noite, comecei a me despedir de algumas pessoas, já estava cansada e queria ir embora, foi quando Normani se aproximou e me segurou pelo braço, deixando a tona seu ar de possessividade, que eu tanto adorava:

 

-Hansen, eu posso te levar em casa? Já estou indo embora também. - sorri agradecida pela sua preocupação eera o que mais queria, um tempo a sós com ela, e essa seria uma oportunidade perfeita, quando do ia lhe responder, Shay novamente nos atrapalha era como se me observasse o tempo todo:

 

-Não precisa se preocupar senhorita Kordei, Jordan está aguardando lá fora a limusina está pronta para quando Dinah quiser ir. - seu tom era de superioridade, vi Normani respirar fundo se controlando:

 

-OK...então eu já vou indo. - a negra sai sem dizer nada. Ashlee já havia ido,Tobias veio busca-la. O que eu mais queria era chegar em minha casa, tirar essa roupa e me jogar na cama...

...

 

Quando sai do banho, enrolada apenas na toalha e desejando me deitar e descansar em paz, vejo Normani parada do outro lado da porta. Perdi o fôlego e meu coração se acelerou, meu corpo inteiro reagiu a sua presença com uma onda poderosa de desejo. A negra tinha a chave do meu apartamento então isso lhe dava total acesso.

 

A negra havia trocado de roupa usava uma calça preta e um moletom da Ivy Parker, seu rosto estava limpo e livre de qualquer maquiagem.

 

-Me desculpa aparecer assim, mas não consegui ficar longe de você, de novo. - a negra diz com um tom forte na voz, entregando sua vulnerabilidade, meu corpo todo se arrepiou, meu peito expandiu em um grande suspiro.

 

-Não precisa se desculpar, esta tudo bem. - a negra me encarava de um jeito único, eu sentia meu corpo aquecer somente por estar perto da pessoa que amava, que fazia minha alma se sentir completa, era sempre assim desde da primeira vez em que nos vimos, sentíamos uma atração irresistível uma pela outra. No começo isso tudo nos confundiu mas o desejo era mútuo e absurdamente feroz de ambos os lados.

 

 Normani passou as mãos em seus cabelos alisados:

 

-Eu preciso de você Dinah, essa distância esta acabando comigo, ficar sem você, sinto a sua falta, sinto que minha vida depende de você. - Não conseguia falar absolutamente nada, ela se aproximou de mim me agarrando pela cintura e me beijou. Retribui ao seus lábios cheio de desejo e saudade, nossas línguas enfrentavam uma verdadeira luta em nossas bocas. Ela me mordia, lambia e chupava minha língua e meus lábios, eu me deliciava com suas carícias, com sua boca na minha e sussurrei entre o beijo:

 

-Eu também preciso de você Normani.- enfiei a mão por baixo de sua blusa e encontrei sua pele negra e quente completamente pronta para mim. Lambi sua boca e mordi de leve, fazendo a negra gemer

 

-Eu quero sentir o seu toque, minha Dinah- ela sussurrou contra meus labios

 

-Eu estou aqui, minha Normani.- Não precisou mais nada, a negra logo tirou suas roupas, sem tirar seus olhos de mim, arrancou a toalha de meu corpo e senti um arrepio quando nossos corpos se chocaram um no outro. Sua pele macia, deliciosa e extremamente cheirosa acabava comigo.

 

Normani era demais, absurdamente demais:

 

-Você me deixa com tanto tesão, Hansen, não suportaria mais nenhum minuto naquele lugar vendo aquela mulher tocar o que é meu. - Normani sempre tentou esconder e controlar seu ciúmes, mas era impossível isso, o que tornava seu domínio sobre mim na cama ainda mais excitante.

 

Minhas coxas sentiram o macio do colchão, enquanto fui empurrada de costas por Normani e a mesma ficava por cima de mim. Ela me puxou com um dos braços, me ajeitando melhor na cama, e antes que minha mente desse conta, sua boca já estava em meus seios, me chupava com vontade. Envolvi minhas pernas em seu corpo escultural e estiquei a mão para apertar sua bunda com força, o que fez a negra gemer:

 

-HMMM, Dinah... - apertei Normani com força em meu corpo, que mal podia se conter, arranhei suas costas até chegar em sua bunda e apertar novamente, com força. A negra foi descendo seus beijos pelo meu corpo, abocanhou meu seio sensível e pontudo com seus lábios quentes, dando leves mordidinhas na pontinha do meu mamilo, me fazendo gritar de prazer. Agarrei em seus cabelos com força, estava completamente tomada pelo desejo que ela me proporcionava.

 

Sua mão se moveu entre minhas pernas, seus dedos penetrando meu sexo. Acariciava meu clitóris, estimulando meu tesão, que crescia dentro de mim. Meu corpo todo tremia, a palma da mão da morena roçava em meu clitóris e com a ponta dos dedos acariciava sem presa meus tecidos mais sensíveis, o controle da negra era absoluto e possessivo sobre mim, ela me controlava e me dominava do jeito que eu mais gostava. Normani tirou os dedos de dentro de mim e os deslizou pelos meus lábios sensíveis, brincando com meu clitóris, de um jeito rápido enfio seu dedo novamente em mim, me proporcionando ondas de prazer e mais prazer:

 

-Oh....Normani...por favor, por favor!!!

 

-Essa bocetinha linda é só minha.- estremeci ao sentir seu dedo entrar e sair de dentro de mim, fazendo ecoar o barulho pelo quarto, que me estimulava ainda mais. Senti a respiração quente ofegante da negra em meu sexo, logo o abocanhou, me fazendo gritar e, sem vergonha nenhuma, rebolei gostoso em sua boca, sentindo meu sexo se lubrificar cada vez mais.

 

 Eu gemia, implorava por mais e ela não me negou, sua língua me proporcionava o que ninguém jamais poderia me dar. Normani abriu mãos minhas pernas e meteu sua língua com vontade na minha entrada mais que sensível, mordeu com uma certa força meu montinho de nervos, me fazendo gritar alto seu nome:

 

-NORMANI...-Minhas pernas tremeram-E-EU VOU GOZAR!!!

 

A negra, ouvindo isso, sugou com força meu clitóris e, antes de solta-lo, o mordiscou, me fazendo gozar loucamente em sua boca. Esfreguei minha buceta em sua boca com vontade e ela me lambia com desejo, sem desperdiçar nada, absolutamente nada. Eu podia ouvia os estalos de sua boca em meu sexo, estava suada e com respiração acelerada. A negra deixou um beijo de leve em meu sexo e subiu meu corpo com beijos e mordidas, me fazendo gemer manhosa. Ela me beijou nos lábios e pude sentir meu gosto em sua boca e, de fato, era uma delícia.

 

A negra puxou as cobertas e me abraçou forte, aconchegando seu corpo atrás do meu.

 

-Descansa minha Hansen.- ela sussurrou em meu ouvido

 

-Promete que vai ficar aqui comigo? que vai me abraçar a noite toda, que não vai me deixar?- peço olhando por cima do ombro.

 

-Eu prometo, vou estar aqui o tempo todo, não se preocupe. - a negra me puxou mais para si, me abraçando por trás com firmeza, com nossos corpos nus. Me senti protegida, me senti única e realizada por tê-la ao meu lado. Meu corpo todo relaxou adormecendo no calor de seu corpo ao meu.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...