História The Twin Sister 2.0 - Norminah - Capítulo 45


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Dinah Jane Hansen, Normani Hamilton
Visualizações 341
Palavras 5.935
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Música: Often- The weekend

Capítulo 45 - Ashlee: Often BONUS


Fanfic / Fanfiction The Twin Sister 2.0 - Norminah - Capítulo 45 - Ashlee: Often BONUS

Eu sinceramente estava com os nervos à flor da pele e olha que é difícil de isso acontecer, era trabalho, uma irmã gêmea, completamente desesperada por conta de um final de semana que queria que fosse perfeito, pois iria pedir a mão da sua querida, Dinah Jane, em casamento, lidar com a amiga casada e com uma filhinha, enquanto ela falava sobre seu relacionamento, que me deixava ainda mais frustrada, por saber que tinha uma vida amorosa e sexual mais ativa que a minha.

Eu entendia perfeitamente o quanto Tobias tem um dia a dia corrido, que é um homem sério, de negócios, ser tão jovem e dono de um patrimônio tão rico não era nada fácil. Eu sempre apreciei o fato dele sempre ter tempo para mim, ter tempo para nós, mas de uma semana para cá, as coisas tem desandado de um jeito que eu não estou sabendo lidar. Talvez deva ser exagero isso tudo, da minha parte, mas realmente estava me incomodando.

 Resumindo:

 Eu estava a par de tudo o que acontecia na vida das pessoas que me rodeavam, aconselhava, dava força, mas não estava sabendo o que se passava em minha própria vida, em meu relacionamento, se é que eu ainda tinha um relacionamento, para me preocupar, já que meu namorado não conversava comigo direito a uma semana.

 

-Pelo amor de Deus Ashlee melhore esse seu humor , está péssimo. - estava em uma das várias cafeteirias  de Seattle, depois de uma bela corrida com Karen

 

-Não estou de mal humor, estou apenas preocupada, eu e Tobias não conversamos muito essa semana e hoje já é Sábado, eu não sou besta Karen sei que algo esta o incomodando e ele não quer me contar e fica me  evitando. - Karen foca seu olhar em mim, me confortando como uma boa amiga

 

-Meu anjo, eu já lhe disse para não colocar coisas em sua cabeça, Tobias é um rapaz ocupado e lhe garanto que tem uma boa explicação para isso, só tenha paciência ok? - Karen diz tudo calmamente, como se estivesse falando ou explicando algo a uma criança, o que me faz sorrir.

 

-Meio impossível não pensar em nada, sendo que várias coisas se passam em minha cabeça.

 

-Ashlee, Tobias te ama e isso é nítido, aquele homem te idolatra, jamais faria algo para lhe envergonhar, muito menos lhe magoar, tenha paciência. Que tal mudarmos um pouco o assunto? Tenho que te contar como foi minha noite com Allan no Secrets Sexy Club. - Karen falava animadamente

 

-Oh meu Deus, sério que quer falar sobre isso? faz tanto tempo que não vou naquele lugar. - disse ainda mais frustrada, assim como eu e Tobias, Karen e Allan gostavam de um sexo repleto de orgias a e Secrets Sexy Club nos proporcionava muitos momentos maravilhosos, era o clube de Swing mais badalado da cidade, ouvir Karen falar de sua loucuras da noite passada me fez lembrar de minha brincadeirinha na noite passada:

 

* Flash back on *

 

Estava exausta por conta do trabalho, agradecia por já estar em casa, joguei a bolsa no sofá e tirei os sapatos de salto. Meu humor estava péssimo, passei uma noitezinha que não desejo nem a meu pior inimigo, o que me incomodava não era nem o cansaço do trabalho mais sim ele... a Tobias, sim!

 

Vou até a cozinha, abro a geladeira e pego uma garrafa do melhor champanhe,  sim a meu preferido, aquele do rótulo rosa, Moët  Chandon Rose pego uma taça no armário e me sirvo me deliciando com as bolinhas que descem em minha garganta dando uma sensação de refrescancia, estava farta de pensar besteiras, tão cansada de pensar nós outros acho que deixar de pensar um pouco no próximo apenas por hoje não é egoísmo, não é mesmo, mais sim amor próprio afinal eu mereço, frustrada decido tomar um banho, mais antes vou até meu quarto procurar uma coisa, procuro pelas gavetas e o acho mais antes ando até o aparelho de som coloco a taça em cima da mesinha ponho meu CD do Aerosmith e começa a tocar Crazy aumento o volume fecho os olhos e começo a me movimentar sensualmente ao compasso da música:

 

I go crazy, crazy, baby, I go crazy

You turn it on, then you're gone

Yeah you drive me crazy, crazy, crazy for you, baby

What can I do, honey?

I feel like the color blue...❤ 

 

Danço sensualmente tirando a roupa do meu corpo, me sentia sexy ou era a champanhe que me deixou levemente alterada, rebolava e acariciava meu corpo com minhas mãos, deslizava sobre minha barriga subi até meus seios e os apertei gemendo manhosa.  Tiro minha lingerie e fico nua aumento ainda mais o volume dou um último gole em minha champanhe e vou até o banheiro ligo a torneira por fim me sento na borda da banheira com o vibrador...

 

Quero fantasiar...

 

Preciso...

 

Desejo...

 

Fecho meus olhos enquanto a música toma todo o banheiro abro as pernas e me entrego a minha doce imaginação, Tobias está atrás de mim e sussurra em minha orelha que abra mais as pernas para outros, sinto volúpia, prazer ao extremo quando me pede isso, minhas coxas se separam, e me abro com os dedos, oferece o que Tobias meu dono excitante e tentador me pede, sinto calor, meu corpo todo reagir a minha imaginação ousada...

 

Me toco, me acaricio gentilmente me permito sentir cada parte do meu íntimo e estou molhada, ligo o vibrador e levo ao clitóris e o resultado é fantástico, incrivelmente excitante, fabuloso e uma explosão de prazer toma conta tá de todo o meu corpo sorrio mordendo os lábios me permitindo aproveitar dessa sensação mais que prazerosa, quando vou fechar minhas pernas ouço a voz de Tobias me pede que não o faça, obedeço, estou ofegante e tomada pela paixão...

 

Deito na banheira e levanto uma perna para cada lado e com os olhos ainda fechados me exponho a quem quiser me olhar, e minha imaginação vai mais além como se homens e mulheres me olhassem, me desejassem e sinto mais prazer com isso, recostada na banheira, boto novamente o vibrador onde arde e queima o meu desejo, e novamente a voz de Tobias vem em minha mente e sussurra que eu brinque e me divirta, que o meu prazer é o seu prazer, atrevimento, desejo e tesão...

 

Meu corpo se move ardente e excitado mordo os lábios para não gritar...Tobias esta presente, Tobias me pede, Tobias me incentiva a gozar minha mente voa e fantasia uma fantasia gostosa, quero reviver esses momentos, quero senti-los de novo, adoro essa sacanagem toda essa orgia, isso tudo me atrai tanto quanto imaginei me atrai como o próprio Tobias, gemo, ofego...

 

A música soa alto, assim posso me permitir murmurar seu nome justo no momento que levanto o tronco na banheira e um maravilhoso orgasmo me estremece de prazer, delicioso, preciso...

 

Sorrio e abro os olhos devagar recuperando o fôlego, estou sozinha e Tobias esta apenas em minha mente...

 

I  go crazy, crazy, baby, I  go crazy

You turn it on, then you're gone

Yeah you drive me crazy, crazy, crazy for you baby

What can I do honey?

I feel like the color blue...❤

 

* Flash back of *

 

-Ashlee você não está ouvindo nada do que estou falando não é mesmo? - saio do meu mundo de fantasia quando ouço Karen me chamar:

 

-Desculpa Karen, estava tão perdida em meus pensamentos. - disse meio desanimada:

 

-Não gosto de ver você assim, de verdade, você sempre é a mais alegre e com um astral maravilhoso. - minha amiga tinha razão

 

-Me desculpe, se não estou sendo uma companhia tão agradável.

 

Eu me olho e vejo meu reflexo pelo vidro, minha aparência era boa, mesmo que por dentro eu estivesse me sentindo um caco, ligo o celular e depois de ver oito chamadas não atendidas de Tobias e uma mensagem:

 

" Passarei para te pegar às nove, fique bonita estou morrendo de saudade. "

 

O " fique bonita "  me faz sorrir, por mais que eu esteja chateada com sua postura esses dias não consigo agir indiferente, mais ai que esta a questão de tudo...

 

Por que?

 

Por que não posso agir indiferente, como se a sua ausência não tivesse me afetado em absolutamente nada?

 

E a resposta é simples e bem evidente, eu o amo, estou apaixonada por Tobias e como diz Normani: se eu não obedeço o meu coração vou me arrepender depois, então respiro fundo e contendo a relutância que há dentro de mim lhe respondo:

 

" Estarei lhe esperando, não estarei apenas bonita mais sim deslumbrante como a mulher que sou. Beijos garotão. "

 

Me arrumei de acordo como Tobias havia me pedido, bem bonita para ele. Eu estava nervosa, muito nervosa, e se ele fosse me dizer que queria por um fim em nosso relacionamento? Não, ela não faria isso em um lugar público, não é?

Coloquei um vestido preto, colado ao corpo, com uma bela venda na lateral, um corte que se ajustava perfeitamente ao meu corpo, e um decote não muito chamativo. Deixei meus cabelos lisos e soltos, coloquei um salto simples, da mesma cor do vestido, e fiz uma maquiagem leve, destacando minha boca.

Conferi se meu apartamento estava em ordem e se tudo oque precisava estava em minha bolsa, e assim desci, pois já estava na hora em quem Tobias havia dito que me buscaria. E la estava ele, me esperando na porta de seu carro, seu impotente carro, assim como ele, grande, forte, e luxuoso.

Tobias estava prontamente parado ao lado da porta do passageiro, usava uma calça social e uma camisa branca de botões, onde os primeiros se encontravam aberto, mostrando um pouco de sua pele. Sua barba estava bem feita, tudo estava impecável, do jeito que ele gostava, e eu também.

Quando ele me viu, pude perceber que ele respirou fundo e, pela primeira vez, pude constatar que não sabia se isso era algo bom ou ruim

-Acho que eu nunca vou me acostumar com a sua beleza, senhorita Kordei- ele disse, com um sorriso contido nos lábios, no momento em que fiquei frente a frente com ele

-pode apostar que eu me sinto do mesmo jeito- digo um pouco mais aliviada e logo acabando com o espaço entre nós- oi garotão- deixo minhas mãos correrem por seu peitoral e sinto suas mãos se firmarem, possessivamente em minha cintura

-oi, meu amor- ele diz, deixando que seus lábios se encostassem com os meus, em um beijo doce e calmo, diferentes dos nossos beijos repletos de luxuria, parecia, que naquele beijo, ele queria mostrar o quanto me adorava

-como você está?- pergunto alisando seu rosto, fazendo-o olhar em meus olhos

-estou....-ele olha em meus olhos, e fica me olhando por um tempo - bem...estou bem, e você?- ele pergunta desviando os olhos e beijando minha testa

-bem...-olho para ele desconfiada

-vamos?- ele se afasta e abre a porta para que eu entre

-sim, vamos- digo logo entrando no carro.

Tobias da a volta no carro e entra dando a partida, conduzindo o veículo até o fluxo de carros, todos prontos para curtir uma noite de sexta-feira.
Eu olho para o homem ao meu lado, que está quieto e posso perceber, pelo jeito que segura o volante, todo tenso e rígido, vendo ele daquele jeito, não consigo me segurar.

-tem certeza que está tudo bem?- pergunto mais uma vez e ele me olha, parando em um sinal vermelho

-sim...porque não estaria, Ash?- ele pergunta, com seu sorriso sedutor nos lábios

-Nao, nada, é só que...mal nos falamos dura te a semana...-falo desviando o olhar, focando no trânsito a nossa frente.

-me desculpe, eu tive um monte de reuniões essa semana e...-ele poe a mão sobre a minha coxa e a aperta de leve- está tudo bem, mesmo, acredite em mim- ela fala com aquele sorriso lindo, que faz todo o meu coração derreter

-eu acredito, Tobias- retribuo seu sorriso e ele acente.

Paramos em um estacionamento, ao lado de um estabelecimento pequeno, mas muito bonitinho.

-onde estamos?-pergunto analisando o local, enquanto ele abre a porta para que eu saísse

-lembra que você disse que estávamos indo a locais muito formais, que aquilo não era você, que você adorava, mas você queria ser "um casal normal"?- ele pergunta trancando o carro e segurando minha mão

-eu não quero que pense que eu estava reclamando, eu..-tento falar mas ele me interrompe

-eu sei que não, conheço você, e sei que não estava fazendo isso, estava dando sua opinião e eu aceitei sua opinião, e percebi que estávamos entrando em uma rotina, e eu quero inovar com você, então conversei com uns amigos e eles me falaram desse bistrô, pequeno, de comida simples, mas com a melhor comida da cidade, e eu só pensei o quanto minha linda namorada iria gostar desse clima leve e despojado- ele fala sorrindo e me conduzindo até a porta do ambiente, que era a coisinha mais linda.

O lugar era decorado de maneira simples, mas elegante, era um lugar romântico e acolhedor, com um clima tão gostoso. Havia poucas mesas no andar de baixo, com um bar no canto. Uma linda escada de madeira levava até o segundo andar, e foi para lá que Tobias me conduziu. No segundo andar, continuava com o mesmo ambiente calmo, mas a varanda, com uma vista maravilhosa de Seattle, me fez perder o fôlego.

-nossa- eu falo ao olhar a vista que a varanda nos proporcionava

-lindo não é?- ele pergunta puxando a cadeira para que eu me sentasse em uma das mesinhas na varanda

-muito...-eu falo encantada, enquanto me sentava

-tenha em mente, que não é tão lindo quanto você, Ashlee- ele fala baixinho em meu ouvido, fazendo todo meu corpo se arrepiar.

Tobias se sentou a minha frente e tomou a frente, fazendo o pedido ao garçom, coisa com a qual eu já estava acostumada, meu homem adorava se mostrar firme em suas decisões e eu amava seu bom gosto para comida, bem, não só para comida.
Depois que o garçom se foi, com nossos pedidos anotados, Tobias me encarava do outro lado da mesa, mas algo estava diferente, eu podia sentir.

-tem certeza que está bem?- pergunto para ele, tomando um gole do vinho que acabará de ser servido em nossa mesa

-Tenho. Me conta como foi os preparativos para a sua irmã- ele desviava do assunto, e eu pude perceber, mas okay, não iria forçá-lo a falar sobre algo que ele não queria, então, pacientemente, contei a ele cada detalhe da surpresa que minha irmã iria fazer para Dinah.

-e você acha que ela vai aceitar?- ele pergunta comendo um pouco de sua comida, que já tinha sido servida, assim como a minha.

-eu mato ela se ela não aceitar, ainda mais depois do trabalho que eu e Normani tivemos, principalmente pelo estado de nervos da minha irmã, meu Deus, se Dinah diz "não" para o pedido da Normani, acho que sou capaz de pedir demissão- Tobias me olha assustado e com uma sobrancelha levantada- okay, isso é impossível, eu não conseguiria largar Dinah, eu amo meu trabalho e amo minha melhor amiga, provavelmente que eu desse um senhor sermão nela.- falo sorrindo quando a mão de Tobias toca na minha, por cima da mesa.

-acho lindo a amizade de vocês- ele fala, com sorriso doce nos lábios, como se fosse um garotinho, mas eu sabia o quanto meu homem era crescido, masculo e viril. Meu homem.

-eu sei, Dinah é incrível, não é de se esperar que ela tenha uma amiga maravilhosa como eu- dou uma piscadinha para ele que sorri, analisando todo o meu rosto. Termino meu jantar e Tobias continua olhando para mim, do mesmo jeito.

-oque foi?- pergunto achando isso estranho.

-Sabe, Ashlee, durante toda minha vida eu fui sozinho, eu não tenho irmãos, como você tem Normani, eu não tenho amigos, como você tem Dinah e Karen, tenho colegas, meus pais sao médicos, entao, para mim sempre foi comum eu ficar sozinho, eu sabia que meus pais precisavam salvar vidas, mesmo que isso significasse ficar muito pouco tempo com o filho deles. Eu tive muitas babás, mas eu tenho orgulho do que meus pais me deram, e tento ao máximo dar o mesmo orgulho para eles.- ele bebeu um gole de seu vinho e voltou a olhar em meus olhos, logo depois de se mexer um pouco na cadeira- Por isso sempre trabalhei tanto, trabalhei por eles, mas eu continuava me sentindo sozinho, como a minha vida toda, é isso me fazia procurar incansavelmente alguém, alguém por quem eu sentisse o mesmo amor e adoração que eu sabia que meu pai sentia por minha mãe, e por anos eu vacilei, achava que a pessoa era A PESSOA, mas depois percebia que ela só estava interessada em meu dinheiro, em status... Eram vazias, e continuavam me fazendo sentir como se eu fosse vazio, e sozinho. Então, eu conheci você- meus olhos estavam marejados, e meu coração a mil, eu estava quase me jogando aos braços do homem a minha frente e o abraçando com toda a força que eu tinha dentro de mim.

-Tobias...-eu tento falar mas ele pega minha mão e a aperta de leve

-me deixe terminar, meu anjo- ele pede com doçura e eu balanço a cabeça concordando.- Eu conheci você e você foi, literalmente meu anjo. Porque a partir do momento em que pus meus olhos em você, eu soube, eu tive a certeza que era com você, era com você que eu queria passar o resto da minha vida, era com você que eu queria dormir todas as noites, com você que eu queria ter filhos, com você que eu queria viajar o mundo, com você que eu queria do meu lado. E cada dia que passa, no momento em que abro meus olhos pela manhã, eu tenho a CERTEZA que é você Ashlee, você é o meu anjo, era você que faltava em mim.- ele se levantou da cadeira e caminhou até mim, se ajoelhando ao meu lado, eu podia ver o seu nervosismo e o quanto suas mãos tremiam, que não estavam diferentes das minhas.- Podemos ter um gosto para sexo bem diferente de outros casais, mas eu sei que é só seu nome que existe tatuado em meu coração, em minha alma...em todo o meu ser. Eu sou inteiramente seu. Então...eu quero saber se você, Ashlee Kordei Hamilton- ele diz tirando uma caixinha de seu bolso e a abrindo com cuidado, deixando a mostra o anel mais lindo que eu havia visto em minha vida- gostaria de se tornar minha esposa, para eu amar, proteger, por toda a minha vida, e por quantas mais eu tiver, porque eu sempre vou achar um jeito de te encontrar e ficarmos juntos novamente- ele respira fundo e pronuncia as palavras com cuidado- Quer se casar comigo, Ashlee?

-eu quero, eu quero, eu quero- segurei seu rosto com ambas as mãos e ele sorriu abertamente. Senti as lágrimas descer em por meu rosto é logo colei meus lábios nos dele, lhe dando um beijo que demonstrasse o quanto eu o amava- eu quero me tornar sua esposa, eu quero passar minha vida com você e quantas mais forem possíveis. Eu te amo Tobias- colo nossas testas e ele respira aliviado.

-eu te amo Ashlee- ele fala como se recitasse uma oração.

Nos afastamos de leve e ele coloca o anel em meu dedo, finalizando com um beijo simples em minha mão.

-agora, mais do que nunca, você é minha- ele me beija intensamente, até que eu perdesse o ar em seus braços.

-eu sempre fui e sempre serei sua, garotão- deixo que meus dedos percorressem todo seu lindo rosto.- oque você acha de irmos ao lugar, que mais amamos no mundo, para comemorar isso, e você mostrar a todos que eu sou sua? Só sua?- pergunto a ele, deixando que meus lábios percorressem seu pescoço

-acho uma ideia formidável.

...

E cá estávamos nos, Tobias e eu, em nosso lugar favorito no mundo, o Secrets club, o melhor local para onde as pessoas, que curtem swing, vão em Seattle.

Tobias e eu estávamos no bar, que era bem em frente a pista de dança. Tobias tomava seu whisky favorito, com duas pedras de gelo, e eu degustava um Martini bem ao seu lado. Estávamos quietos e sorridentes, desfrutando um da companhia do outro, enquanto observavamos o ambiente a nossa volta.

-esta vendo?- Tobias pergunta bem próximo a meu ouvido

-oque?- olho para ele que prontamente põe sua mão na base da minha coluna

-ela está sentada a mesa, bem na nossa frente, do outro lado, ela não tirou os olhos de você dês de o momento em que chegamos- ele fala, enquanto sua mão passa por toda minha coluna.

Eu olho na direção que ele me fala e encontro uma mulher maravilha. Loira, pele morena, boca carnuda e posso ver que tem um corpo fenômenal, mesmo estando sentada.

- e ela está olhando para mim, é?- pergunto voltando o olhar para meu NOIVO ao meu lado

-esta sim, e sabe o porquê? Porque você é a mulher mais maravilhosa desse lugar-me ele puxa pela cintura, me fazendo ficar entre as pernas dele

-porque não mostra a ela que eu sou sua, que tal por um pouquinho de vontade nela?- falo suavemente perto de seus lábios

-aposto que ela só consegue pensar no quanto ela queria que fossem as mãos dela em você, meu anjo- ele fala, deixando que suas mãos se escorregassem para dentro de meu vestido e alisassem a parte de trás de minhas coxas.

Olhei na direção da mulher, que nos olhava minuciosamente, analisando cada movimento, com um sorriso safado, e discreto, nos lábios.

As mãos de Tobias passavam por toda minha coxa e bunda, me alisando e me apertando. Minha mão logo foi parar no volume de sua calça, onde o alisei por completo. Ele estava pronto para mim, pronto para estar dentro de mim e eu o segurava possessivamente. Senti seu dedo afastar minha calcinha e começar a massagear meu clitóris.

-garotao, acho que você não está conseguindo se segurar hoje- digo para ele, tirando sua mão do meio das minhas pernas e a levando até minha boca, onde chupei seu dedo que continha meu líquido

- não vai deixar que eu te toque?- ele pergunta surpreso

-quero você louco garotão- seguro seu rosto e lhe dou um beijo, e antes que ele pudesse me tomar nos braços novamente, eu já estava lhe dando as costas e indo para a pista de dança, em um lugar que tanto Tobias, quanto a loira a mesa, pudessem me olhar.

Uma música bem sexy começava a tocar em seus primeiros acordes e eu deixei que cada nota percorresse meu corpo como as ondas de um orgasmo.

I usually love sleeping all alone

This time around bring your friend with you



Comecei a rebolar meu quadril, olhando diretamente para a loira, que olhava meu corpo de cima a baixo. Eu sentia o olhar de Tobias queimando as minhas costas.



But we ain't really going to sleep at all

You ain't gonna catch me with them

Sneak pictures, sneak pictures

In my city I'm a young god

That pussy kill be so vicious

My god white, he in my pocket

He get me redder than the devil

'Til I go nauseous



Rebolo lentamente até o chão e logo me viro para Tobias, que me olha atentamente, concentradíssimo, bem do jeito que eu queria. Vejo ele balançar a cabeça suavemente, como se dissesse SIM.

She asked me if I do this every day

I said often

Ask how many times she rode the wave

Not so often

Bitches down to do it either way

Often

Baby I can make that pussy rain

Often, often, often

Girl I do this often

Make that pussy poppin'

Do it how I want it

Often, often

Girl I do this often

Make that pussy poppin'

Do it how I want it

Often

Sinto um par de braços segurarem minha cintura com delicadeza e uma boca se encaminhar até meu ouvido, cantando a musica bem baixinho



Infatuated by the fame status

She wanna ride inside the G-Class grey matic

I come around, she leave that nigga like he ain't matter

That girl been drinkin' all day, need to change bladder

She's just happy that the crew's back in town

She's 'bout to go downtown for a whole hour

If I had her, you can have her, man it don't matter

I'm never sour, I'm just smokin' somethin' much louder



Suas mãos passeam por meu corpo, enquanto eu rebolo com ela, seu corpo quente bem colado no meu e nós duas dançando da forma mais sensual possível.

She asked me if I do this every day

I said often

Ask how many times she rode the wave

Not so often

Bitches down to do it either way

Often

Baby I can make that pussy rain

Often, often, often

Girl I do this often

Make that pussy poppin'

Do it how I want it

Often, often

Girl I do this often

Make that pussy poppin'

Do it how I want it

Often



Eu olho para Tobias, que tem um sorriso safado nos lábio. Podia ver o enorme volume em sua calça, e eu sabia o quanto ele estava gostando desse showzinho.

The sun's risin' up

The night's almost up

The night's almost done

But I see your eyes

You wanna go again

Girl, I'll go again

Girl, I'll go again



Me virei de frente para a loira, que prontamente segurou minha bunda com força, me fazendo colar, mais do que já estávamos, meu corpo todo no dela



She asked me if I do this every day

I said often

Ask how many times she rode the wave

Not so often

Bitches down to do it either way

Often

Baby I can make that pussy rain

Often, often, often

Girl I do this often

Make that pussy poppin'

Do it how I want it

Often, often

Girl I do this often

Make that pussy poppin'

Do it how I want it

Often

Ela me olhava nos olhos e suas mãos passeavam por minhas costas

-oque você acha de darmos um showzinho particular para seu homem? – ela pergunta arrastando seus lábios por meu pescoço.

Meu corpo todo reagiu a seu toque e eu me arrepiei, meu deus, como era boa aquela sensação, principalmente por eu saber que meu homem estava ali, sentado, admirando outra mulher tocando em mim.

-acho que ele vai adorar, e eu também- digo sem folego pegando a loira pela mão e caminhando com ela até Tobias.

Quando chegamos a frente dele, peguei minha bebida e terminei com ela em um só gole. Me virei para os dois, que estavam se cumprimentando com um beijo no rosto.

-qual é seu nome?- pergunto para a loira, me posicionando entre as pernas de Tobias, e a loira sentando no banco ao seu lado

-Jilly, e vocês?- ela pergunta, pedindo uma dose de tequila logo em seguida

-Essa é Ashlee, minha noiva e eu sou Tobias-ele se apresentam e logo entram em algum assunto, que eu estou completamente por fora, pois estou ocupada analisando a mulher a nossa frente. Ela era realmente muito bonita, com certeza a mais bonita que entraria para a nossa lista.

Saio dos meus pensamentos com a loira sorrindo abertamente, enquanto me olhava nos olhos.

-você é linda sabia?-a loira me fala, afastando uma mecha do meu cabelo e deslizando os dedos por meu maxilar

-você também, estava aqui pensando exatamente isso- falo com calma e deito a cabeça no ombro de Tobias, ainda mantendo meu olhar fixo na loira.

-eu agradeço pelo elogio- a loira diz e desce sua mão, suavemente até meu joelho, onde faz um carinho de leve ali- vocês vem sempre por aqui?- ela pergunta, mantendo o contato visual comigo, mas eu sentia a pergunta direcionada para Tobias.

-viemos aqui quase toda semana- ele responde, sua mão alisando minha cintura enquanto a da loira começava a subir por minha perna, sorrateiramente.

-é minha primeira vez aqui, mas costumo ir a outros lugares- ela diz mas eu não estava prestando atenção em nada, a não ser na mão de Tobias e na da loira, que agora eu sabia que se chamava Jilly.

Afastei um pouco minhas pernas e vi a loira sorrir com o sinal verde que eu havia lhe dado. Eu conseguia sentir o volume de Tobias em minha bunda, firme e duro, e eu continuava mantendo o contato com ele, deixando ele muito bem posicionado entre mim. As mãos de Jilly subiram mais, arranhando de leve minha coxa, me fazendo soltar um suspiro audível para ambos, que sorriram abertamente.

As pontas dos dedos da loira tocaram de leve meu sexo e eu extremessi. Eu estava molhada, louca para ter os dois em mim, o mais rápido que pudesse, mas eu sabia que tinha que me controlar.

Novamente as pontas dos dedos da loira tocaram meu clítoris, me fazendo abrir os olhos e encará-la enquanto ela afastava minha calcinha e o sentia sem nenhuma barreira. Ela sorriu ao perceber o quanto eu estava molhada, na verdade encharcada.

-eu gostaria muito de senti-la melhor, será que você me daria essa honra?- jilly pergunta, desviando nosso olhar e o direcionando a Tobias

-só se eu puder participar- ele fala, com aquele seu tom de voz autoritário e firme

-isso não será um problema, poderei senti-lo também?- ela olha para mim e eu a olho nos olhos, sentindo a ponta de seu dedos dançando em minha entrada, me atiçando o máximo que podia, e tentando me desconcentrar

-só depois de os dois terem estado dentro de mim- consigo pronunciar, fazendo a loira sorrir vitoriosa

-porque não vamos para um local mais quieto então? quero ouvir você gemendo, quando a minha boca estiver te chupando- ela fala, sem nenhum pudor, e tira sua mão do meio das minhas pernas. Quase me fazendo implorar para que ela voltasse a me tocar.

Ela anda a passos firmes até um corredor, que levava até os quartos particulares, comigo e Tobias, que segurava firme em minha mão, logo atras.

-quarto particular...- observo baixinho, de um jeito que só Tobias ouvisse.

-ela é diferente das outras não é?- ele pergunta me olhando nos olhos

-algo me diz que vamos nos divertir mais do que o normal essa noite- sorrio e deixo um beijinho leve no canto da boca dele.

-você não tem noção do quanto estou ansioso para ver aquela boca te chupando- ele fala instantes antes de entrarmos no quarto e ele trancar a porta atras de si.

...

A loira caminhou até mim e levou seus lábios até os meus, os mordendo de leve antes de inicial um beijo lento e sensual, senti as mãos de Tobias abrirem o zíper do meu vestido e o deixar escorregar por meu corpo. A loira me tomou pela mão e caminhou comigo até a cama, onde me deitou e manteve seu corpo sobre o meu.

Ela beijou cada centímetro de meu corpo antes de descer minha calcinha e se posicionar entre minhas pernas. Olhei para o lado e la estava Tobias, nu, olhando para nos duas, com seu pau duro, enquanto se masturbava.

Jilly lambeu todo meu sexo e começou a sugar meu clitóris, o abocanhando logo em seguida.

Soltei um gemido alto e deixei que minhas unhas se arrastassem pelo colchão. Jilly me penetrou com sua lingua, enquanto meu olhar estava conectado com o de Tobias, que não parava de movimentar sua mão em seu pau, pau aquele que eu estava louca para ter dentro de mim. Jilly chupava com muita maestria, me fazendo perder a cabeça.

Senti dois de seus dedos entrarem em mim e eu rebolava neles. Agarrei os cabelos da loira, que rapidamente subiu e me deu um beijo demorado, socando cada vez mais seus dedos dentro de mim, a medida que sentia meu sexo se contrair contra seus dedos.

O orgasmo começava a aparecer e eu comecei a gritar, gritar por aquela sensação tão maravilhosa e tão familiar. Gozei fortemente tendo noção de que meu homem me via ali, totalmente entregue a uma estranha, bem na sua frente, e aquilo foi o mais prazeroso.

A loira se levantou, não antes de deixar um beijo em minha boca, e se despiu, com a ajuda de Tobias, que passava a mão por seu corpo. Ja nua, a loira voltou para cama e se posicionou sobre meu rosto, seu sexo bem a cima de mim. Sem pensar duas vezes, a puxei pelas coxas e abocanhei seu clitóris, fazendo a loira rebolar bem gostoso na minha cara.

Seu gosto era maravilhoso, algo que eu não enjoaria tão cedo. Senti as mãos de Tobias por minhas pernas, as abrindo delicadamente e logo pude o sentir dentro de mim, me preenchendo por inteira. Ja que não podia gritar, afundei minhas unhas nas coxas da mulher em cima de mim e meti minha lingua o mais profundo que conseguia, fazendo a loira a gemer manhosamente, bem do jeito que eu gemeria.

Tobias se movimentava rapidamente, do mesmo jeito que minha língua trabalhava, uma perfeita sincronia. A loira rapidamente chegou a seu orgasmo e saiu de cima de mim. Pude ver, nos olhos de Tobias o quanto ele estava morrendo de desejo, e o quanto queria se atolar em mim, mas ele se conteve.

Ele se sentou na cama, e tanto eu quanto Jilly pensamos a mesma coisa, engatinhamos até ele e deixamos que nossas línguas passassem por cada lado de seu pau , que estava duro e quente, pulsando sobre nossas línguas. Nos revezamos em lhe chupar até que ele gozasse em nossas bocas, derramando todo seu liquido.

Sem pensar duas vezes, deitei ele na cama e subi em seu corpo, deixando que minha buceta se esfregasse em seu pau, que já começava a ficar duro novamente. Peguei a mão da loira e indiquei que ela se posicionasse nobre o rosto de Tobias, virada de frente para mim, e assim ela fez, rebolando contra seu rosto do mesmo jeito que fizera comigo. Quando ele ja estava completamente duro, sentei com vontade em seu pau e rebolei deliciosamente, puxando Jilly para um beijo enlouquecedor.

As mãos de Tobias estavam cravadas nas coxas da loira, enquanto as nossas passeavam uma pelo corpo da outra, enquanto gemiamos manhosamente, com nossas bocas coladas.

Eu o sentia todo dentro de mim, em cada centímetro, preenchendo cada espacinho e em poucos minutos nós três gozamos.
Quando já estávamos mais calmos, Jilly e eu trocamos de posições ate que os três gozassem novamente.
E de novo
E de novo.

.....


Já era de madrugada quando chegamos em casa, na verdade, no apartamento de Tobias, que subiu abraçado comigo no elevador.

Ele sempre ficava mais carinhoso comigo depois de voltavamos do secrets club. Ele cuidava tão bem de mim.

A primeira coisa que fizemos quando chegamos foi tomar um banho relaxante na banheira, onde não precisamos transar, só curtir o momento de silêncio confortável, que se estabelecia entre nós. Tobias me levou para cama, onde me cobriu de beijos e fizemos amor, com calma, bem lentamente, sentindo cada pedacinho um do outro.
Quando atingimos nossos ápices, caímos no sono, um entrelaçado no outro.

Aquele Homem era tudo para mim, tudo oque eu sonhei, ele era a pessoa com quem eu queria passar cada momento da minha vida.

Eu não podia me sentir mais feliz e completa.


Notas Finais


-oi sumida?!
vocês devem estar pensando isso
to rindo mas é de nervoser


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...