História The Twins Sisters - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Kendall Jenner, Kylie Jenner
Exibições 114
Palavras 1.766
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Adivinha quem tá sem nada pra fazer as 12:03 num frio de -4° nevando pra cacete e resolveu escrever pra vocês??? Isso mesmo... EEEEEEEU
Ainda tô no Canadá e estou entediada, então resolvi vir escrever pra vocês... Se ficar pequeno, me desculpem. Espero que gostem... Beijos de luz...

Capítulo 20 - New Heirp


Juliet POV 

1 ANO DEPOIS

A minha família finalmente está perfeita. Justin conseguiu arrumar um trabalho numa empresa, Ben está morando conosco novamente e agora Julie, Ryan e a pequena Liz também estão com a gente. 

Justin e eu estamos mais unidos que nunca. Finalmente eu o tenho cem por cento, ele está muito bem depois que largou toda aquela vida. Agora ele só tem olhos para mim e pro nosso pequeno. 

Resolvi levar o café da manhã na cama hoje, tenho uma surpresa pra ele e também, está merecendo por ser tão fiel, carinhoso e agora honesto. Entrei no quarto com a bandeja e ele estava todo esparramado na cama dormindo lindamente. Como hoje é sábado e ele trabalha mais tarde, acaba sempre dormindo até mais tarde. Mas resolvi acordá-lo trinta minutos mais cedo. Uma vez só não mata. 

Deitei ao lado dele na cama e comecei distribuindo beijos cheios de amor no pescoço dele. Ele estava dormindo com a barriga virada pro colchão, então aproveitei e beijei as costas dele também começando uma leve massagem nos ombros. Ele suspirou e deu um sorriso ainda de olhos fechados. 

- Bom dia - eu disse e beijei a bochecha dele.

- Como é bom ser acordado assim. O que tem hoje? Algo especial? Mais um ano juntos? Meu aniversário? - eu ri

- Não! Só quis fazer algo diferente por você. Não posso? - ele abriu um pouco os olhos

- Sempre que quiser. - ele bocejou, deitou de bruços e se espreguiçou - que horas são?

- Nove e meia. - ele deitou de lado de fechou os olhos novamente - desculpa se te acordei mais cedo, é que, eu queria fazer uma surpresa. - ele sorriu.

- Amei a surpresa. Obrigado. 

- Mas eu ainda não disse nada. - ele me olhou meio sem entender.

- A surpresa não eram os beijos e a massagem? 

- Também! Só que tem mais. - saí da cama e peguei a bandeja.

- Café da manhã na cama? - ele sentou e passou a mão no cabelo - eu realmente devo ter te dado um belo orgasmo ontem pra estar merecendo tudo isso. 

- Não estraga o momento por favor. - ele riu. - pode comer

- Não vai comer comigo? 

- Não! Essa bandeja é só pra você. 

- Hum... Muito obrigado então. 

Ele começou a comer e eu estava anciosa esperando que ele abrisse o potinho de açúcar pra por no suco. Ele estava fazendo tudo lentamente e eu so estava ficando mais nervosa. Ate que finalmente ele abriu o potinho do açúcar e quando viu que tinha outra coisa que nao era açúcar, estranhou na hora. 

- O que é isso aqui? - ele pegou o potinho e eu pus a bandeja de lado. 

- Você não tem a menor ideia do que seja isso? - sentei na frente dele toda sorridente.

- Isso é um teste de farmácia?

- Sim

- O que esses tracinhos significam? 

- Positivo - ele me olhou com os olhos brilhando.

- Você tá grávida? - eu balancei a cabeça positivamente e ele me abraçou 

- Meu amor, você tá como outro filho meu na sua barriga? 

- Sim! E dessa vez eu não vou cometer o mesmo erro de antes, prometo. 

Ele se afastou de mim e começou a dar beijos na minha barriga. Ele intercalava entre barriga e boca. Posso dizer que nunca vi o Justin tão feliz assim. 

- Você gostou da surpresa? - eu perguntei

- E isso lá é pergunta que se faça? É óbvio que eu gostei. Outra cria minha no mundo. Eu tô explodindo em felicidade. Nossa mulher, eu te amo muito. 

Eu ri e ele deitou por cima de mim na cama me beijando. Agora seremos nós quatro. Eu, Justin, Ben e nosso mais novo filho ou filha.

Justin POV

[...]

Eu tentei, juro que tentei. Nos 3 primeiros meses foi bem fácil, mas aí eu comecei a sentir falta da adrenalina, do efeito das drogas, da sensação de dar um disparo numa arma e eu simplesmente voltei com tudo. Óbvio que a Juliet não sabe disso, não sei nem do que ela seria capaz de fazer se soubesse. Claro que me dói mentir pra ela, mas eu larguei essa vida, ela que não larga de mim. 

- Ô Justin - disse Chaz entrando no galpão - lembra do carregamento de hoje? Vai ser à meia noite em ponto. Vê se não atrasa. 

- Meia noite? - ele concordou com a cabeça - Tá! Eu estarei lá. 

- Quando a Juliet souber disso cara. Ela vai te matar.

- Me matar? Ela vai fazer pior. Sair da minha vida pra nunca mais voltar. A dor da perda será pior que morrer. 

- Então por que você não conversa com ela, cara?

- Agora eu não posso. 

- Por que não? 

- Ela tá grávida, Chaz.

- Eu não sei se digo parabéns ou se desejo boa sorte. Porque cara, você tá fodido. 

- você não tá me falando nada que eu já não saiba. Maldita hora que a Juliet engravidou. Mas que merda. - deitei a cabeça no encosto do sofá.

- Espera... Você não tá feliz? 

- Óbvio que eu tô feliz. Porra, um filho, com a Juliet. Mas não era pra ser agora. Não nesse momento. 

- Cara, você tá fodido.

- Você já disse isso e eu já sei disso. 


Julie POV

- O JUSTIN O QUE? - Eu gritei e o Ryan veio pra cima de mim tampando minha boca.

- Eu só te contei porque não consigo te esconder nada. Agora vê se fica de bico calado. - ele tirou a mão da minha boca.

- Não posso esconder isso da Juliet.

- Nem se meter na vida dela e na do Justin. Eles que se resolvam.

- A Juliet não pode receber uma notícia dessas agora. 

- Por que não? 

- Ela tá grávida - a cara do Ryan foi no chão.

- Justin tomou no cú.

- Eu sei disso - disse Justin entrando no quarto - e você - apontou pro Ryan - não tinha nada que falar isso pra essa coisa que você chama de esposa. - revirei os olhos 

- Eu não escondo nada dela - disse Ryan 

- Tá tá. Foda-se. Preciso de ajuda. - disse Justin - tenho uma carga importante hoje à noite e preciso que segurem a Juliet dentro de casa.

- Ela vai achar que você tá indo atrás de mulher. - eu disse

- Eu sei. Mas dêem seus pulos. Eu tenho que ir. - disse Justin

- Vou torcer pra voce voltar baleado e quebrar a cara com a Juliet, pra assim ela ficar com o Chris - deu medo da cara que o Justin fez pra mim - não posso fazer nada se o Chris é mais homem que você. Ele é como meu Ryan, faria a Juliet muito feliz. 

- Ryan... Manda sua mulher calar a boca, porque minha arma tá aqui e pela nossa amizade, eu não vou usá-la. Mas manda essa garota calar o bico antes que eu ligue o foda-se pra nossa amizade e cale a boca dela eu mesmo, mas se eu calar vai ser pra sempre. - disse Justin

- Você odeia ouvir a verdade. Mas lá no fundo sabe que minha irmã merecia algo melhor e... - Ryan tampou minha boca assim que Justin tirou a arma da cintura.

- Tá bom Julie. Acho que meu amigo babaca ja entendeu - disse Ryan ainda sem tirar a mão da minha boca.

Juliet POV

- Eu vou ganhar um irmão? - perguntou Benjamin assim que eu o contei a novidade.

- Ou uma irmã. 

- Um irmão? - eu ri

- Sim filho. - eu o abracei e nesse momento Justin entrou no quarto soltando fumaça pelo nariz, mas assim que percebeu minha presença, o humor dele mudou. Claro, quando nós estamos apaixonados, podemos estar com a raiva do mundo, mas é só ver o nosso amor que tudo muda. 

- Ficou cuidando da mamãe por mim, campeão? - disse Justin 

- Sim! - disse Ben

Justin subiu na cama encheu Ben de beijos arrancando gargalhadas altas do menino, beijou minha barriga e logo depois me deu um selinho demorado. 

- Hoje a noite eu vou precisar sair. Tudo bem pra você? - disse Justin

- Onde vai? - eu disse 

- Umas coisas no trabalho. Eu volto rápido, prometo. 

- Coisas no trabalho à noite? 

- Por que acha que eu cheguei mais cedo em casa? - eu suspirei

- Tudo bem. 

- Agora vamos esquecer isso e passar o dia todo aqui juntos. - ele me abraçou. Cheirei a camisa dele e o empurrei de perto de mim.

- O que foi?

- Onde você estava? - ele me olhou confuso.

- Tava trabalhando. 

- Ben, você já arrumou o seu quarto? - Benjamin revirou os olhos e balançou a cabeça negativamente. - pode ir fazer isso agora. - ele bufou, mas foi fazer o que eu pedi. Olhei pra Justin furiosa - ONDE CARALHOS VOCÊ ESTAVA? 

- Primeiro, abaixa a voz. Segundo, eu ja disse que estava trabalhando. 

- Trabalhando Justin? Acha que eu nasci ontem? Olha pra você. Eu conheço cada respiração errada que você dá. Acha que eu nao ia perceber que você se drogou? - ele arregalou os olhos.

- Você tá doida? 

- Sua camisa está com cheiro de cigarro. Seus olhos estão dilatados, ainda consigo ver que também está vermelho... Você me prometeu que não faria isso. 

- Foi no caminho de volta pra casa. Foi só um cigarro. 

- Seus olhos não ficam vermelhos com um cigarro.

- Eu não disse de que era. 

- Você me prometeu, Justin. 

- Eu sei, me desculpa. 

- Não! Eu não desculpo. Se eu desculpar, você vai mentir mais pra mim por saber que eu perdôo fácil.

- Claro que não, Juliet. Você já tá viajando. 

- Eu realmente deveria fazer isso. 

- O que?

- Viajar. Sumir por um tempo. Deixar você aqui sozinho. Sem ninguém.

- Você sabe que eu nunca fico sozinho. - olhei pra ele mais furiosa ainda e ele se deu conta da merda que falou - eu quis dizer que tenho Ryan, Chaz, Chris, até a chata da sua irmã.

- Você não presta. - comecei a encher ele de tapas, mas ele não revidava, só botava as mãos na frente. 

- Para Juliet. Isso tá doendo ô caralho. 

- Eu deveria matar você. - puxei a cabeça dele pra cima, pra que ele me olhasse. - mas eu simplesmente não consigo. 

Como eu já estava sentada no colo dele com uma perna de cada lado, apenas o beijei. Não vamos nos amar, eu estou com raiva, muita raiva. Vamos foder e com força.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...