História The two sides of love - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Abandono, Amber Heard, Drama, Ed Westwick, Gravidez, Justin Bieber, Maggie Elizabeth Jones, Romance
Exibições 25
Palavras 2.092
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá leitores e leitoras , e aqui estamos finalmente.

Boa Leitura!

Capítulo 2 - Um anjo


Fanfic / Fanfiction The two sides of love - Capítulo 2 - Um anjo

15:00 da tarde,10 de abril de 2014.

Orfanato de Charlotte, Carolina do Norte, Usa

Aquele dia havia se iniciado como todos, as governantas haviam acordado todas as meninas cedo para que fosse ao colégio, mesmo em meio a muitas reclamações elas se vestiam seguindo para o ônibus que as levava até o colégio no centro da cidade. Entre elas se encontrava Kassidy a garota magra, de olhos claros, cabelos loiros sempre presos em rabo de cavalo, ela não era como as outras tagarelas cheias de sonho ao contrário era calada, tímida e sempre estava perdida em seus próprios pensamentos.As aulas ocorreram normalmente, e após o período novamente as meninas voltaram ao orfanato para realizar seus deveres, que coincidiam em limpar, organizar, ajudar na cozinha, estender roupas, e após as tarefas faziam o dever de casa. Ai sim tendo um período para se ocupar com coisas de seu interesse, muitas delas bordavam, tricotavam para passar o tempo ou ficavam no jardim cuidado das flores que haviam por lá. Kassidy já havia gostado de fazer tudo isso mais atualmente com seus 15 anos ela preferia ficar na biblioteca e poder conhecer o mundo através dos livros, seus livros favoritos eram sempre de literatura clássicas, contos estrangeiros, e até mesmo livros sobre alguns países, lendo um recém achado que lhe agradara muito “ Orgulho e Preconceito – de Jane Austen” ela lia empolgadamente. Mas logo foi possível, ouvir as governantas chamarem as meninas coincidindo primeiramente das mais novas até as mais velhas, Kassidy fechou o livro saindo da biblioteca indo ao pé das escadas parando na varanda que separava das outras, aonde podia se ver o salão no andar de baixo ela ficou observando o movimento, e os sussurros das meninas, era dia de visita e muitos casais estavam chegando. Respirando fundo Kassidy , balançou a cabeça voltando a biblioteca pensando no passado, antes ela era como aquelas meninas que se arrumam e ficam todas felizes em dias de visitações, era uma oportunidade única e não podia ser desperdiçada , mas no final do dia eram sempre os recém nascidos , as crianças de menos de 5 anos que era levas as saladas particulares para uma possível adoção , raramente se viam meninas mais velhas que isso, terem essa oportunidade e os anos que ela havia passado ali , até sua idade atual haviam sido amargos e tristes . Sendo assim ela não corria mais para conhecer os novos casais, ao contrário sempre tinha algo diferente a fazer e naquela tarde estava interessada em continuar lendo seu livro e foi o que fez, novamente na biblioteca ela sentava aos pés da janela em banco alto e lia tranquilamente, escutando os pássaros cantarem no jardim, estava tão concentrada no livro que nem ouviu os passos tranquilos que ecoavam em direção a biblioteca e muito menos o som da maçaneta sendo aberta. Kassidy só se deu conta que não estava mais só quando escutou uma voz falar com ela, de imediato ela se levantou arrumando a saia escondendo o livro parando a frente de uma mulher alta, magra de cabelos loiros acobreados, vestida muito elegantemente e com olhos gentis, surpresa Kassidy se perguntava quem era ela, mas antes que disse algo a mesma apresentou.

— Ohh mil desculpas, não quis lhe assustar sou Molly Bieber vim conhecer o orfanato e acabei chegando a essa bela biblioteca, espero não ter lhe assustado muito.

De início Kassidy, se fez de indiferente era sempre assim que ela se portava frente a pessoas que não conhecia ou até mesmo do orfanato. — Não, me assustou só pensei que fosse uma das governantas recrutando as meninas para conhecerem os casais que vieram fazer visitas.

— Você não tem interesse em conhece-los? Quem sabe não surge boas pessoas que lhe queiram como um membro de sua família.

Kassidy deu um sorriso debochado ... — Não, minha senhora, ninguém teria o interesse em me adotar tenho 15 anos já passeia da idade de ser adotada, agora ficarei aqui até chegar o dia que me expulsaram para o mundo.

Ouvindo aquilo Molly ficou preocupada, se aproximando da menina a sua frente ... — Horas por que fala assim, com tanta certeza? Qual mesmo seu nome?

— Falo por que tenho experiência própria e tempo bastante aqui, para garantir o que falo ,muitas como eu quando completaram seus 17 anos foram embora sem quer ter tido uma outra chance na vida. Sou Kassidy, Kassidy Evans.

— Prazer em lhe conhecer Kassidy, fico extremamente perplexa em escutar o que me diz isso é injusto não deveria ser assim. Mas vejo que é e lamento muito, mas pelo que percebi você lia um livro e o mesmo se encontrava bem interessante, você estava perdida nele.

Surpresa, Kassidy concordou ... — Sim, sim o livro é perfeito é de Jane Austen acabei de encontra-lo e me apaixonei só com as primeiras linhas. Dizendo isso ela voltou até o banco tirando o livro de trás das almofadas, mostrando a Molly que sorriu pegando o exemplar observando-o.

— Ahh sim, me lembro deste livro li ele a muito tempo atrás e confesso que Jane é uma das minhas escritoras favoritas tem muito bom gosto Kassidy. Mas me fale de você, como veio parar aqui e a quanto tempo?

O sorriso de Kassidy, se desfez não gostava do passado ele sempre fora doloroso e tinha pesadelos com ele sempre, dando as costas a Molly ela se sentou em uma das cadeiras por lá sentindo que a mesma a observava atentamente, que até fez o mesmo sentando frente a ela na mesa.

— Estou aqui dês dos meus 2 para 3 anos, minha mãe me abandonou ela não tinha muito interesse em ficar comigo e preferiu me abandonar, após me enganar com doces e interpretação que me amava, mas no final me deixou aqui e aqui estou todos esses anos.

Molly ficou ainda mais surpresa, com que ouvira como alguém abandonaria uma criança, mas cada um tinha seus motivos, mas para ela motivo algum daria esse direito a alguém, ela também era mãe e amava de corpo e alma seus dois filhos. E ali sentada conversando com Kassidy esse sentido maternal se intensificava comovendo-a a todo momento, as duas conversaram por horas já que Molly contava a Kassidy suas aventuras literárias, um pouco de sua vida o que fazia e questionava a ela se a mesma estudava se ia bem nos estudos, e quais eram suas matérias favoritas. No final da tarde as duas seguiram, para o andar de baixo afinal já havia passado o horário de Molly ir embora, se despedindo de Kassidy ela seguiu até a diretoria do orfanato queria falar com a diretora precisava saber mais sobre KASSIDY EVANS.

22:00 da tarde, daquele mesmo dia

Residência dos Bieber

Molly havia chegado com a pasta que continha o nome de Kassidy e tinha se encaminhado até seu escritório se trancando por lá, ela examinara tudo que continha na pasta ainda intrigada pelo sentimento que a invadia de saber mais sobre a jovem que acabará de conhecer naquele orfanato. Após analisar todos documentos ela finalmente, saiu de seu escritório indo ver se o jantar se encontra pronto, se deparando com Charles seu filho mais velho, confirmando que jantar estava a ser servido os dois se reuniram na sala de jantar.

— Aonde esteve, o dia todo mãe? — Estive conhecendo novos lugares, novas instituição sabe que um dos meus trabalhos e ajudar quem precisa então fui fazer isso. — Sim eu sei, fica bem mais na rua. Mas já me acostumei ... — Não fale assim Charles, invista de antes estou bem mais presente em sua vida. E estou feliz e ansiosa pelos resultados que obtive no dia de hoje. Conheci uma jovem adorável ... — Conheceu uma jovem? Aonde?  — Não posso dizer ainda, mas tenho certeza que irá adora conhecer ela também. Não sei, de certo ponto ela me lembra a mim mesma quando mais nova.

Charles olhou a mãe surpreso, havia algo em seu olhar algo de novo o qual ele ainda não tinha presenciado.

23:30 da noite, daquele mesmo dia

Orfanato de Charlotte

Kassidy estava, se parando para ir dormir mas refletia sobre o dia totalmente incomum que havia tido, saindo do banheiro sua atenção foi chamada por uma das governantas.

— Menina, Evans!

Ela se virou vendo um rosto conhecido de muitos anos, se aproximando da mesma ela a questionou ...  — Sim senhora?

— Sei que já é tarde, mas precisava lhe contar. Uma mulher de renome na sociedade veio até a diretora, questionando sobre você e foi fornecido seus registros. Isso indica que alguém se interessou por você menina, mesmo depois de tantos anos.

Surpresa, Kassidy tentava organizar seus pensamentos sentindo um frio na barriga, será que finalmente era sua vez ..., mas não queria pensar naquilo daquela forma talvez fosse coincidência provavelmente a senhora que seria Molly, tivesse só interesse em saber mais dela só por causa da conversa que haviam tido. Pedindo licença ela se encaminhou até o quarto deitando em sua cama, vendo que algumas meninas já se encontravam adormecida, observando o teto do quarto ela se deixou ser positiva e pensar na possibilidade de Molly sim lhe adotar e tira-la daquele pesadelo constante.

As semanas foram longas, várias coisas eram questionadas e como Kassidy havia imaginado e até sonhado Molly sim tinha interesse em leva-la para fazer parte de sua família, no dia seguinte após se conhecerem ela voltará ao orfanato falando com diretora e em segredo iniciou todo processo de pedido da guarda de Kassidy. Mas aquele processo não era rápido nem fácil, somente 5 meses após ser iniciado que Kassidy foi convocada a dizer o que achava dessa possibilidade, e claro que ela adorava e estava ansiosa para isso, mesmo com 15 anos era bem burocrático e cansativo, envolviam a tentativa de encontrar os pais dela ou algum parente vivo e ia se arrastando.

E quando se completou um ano de tudo isso, ela já tinha seus 16 anos e após mais uma conversa com Molly uma de muitas, ela acabará de receber a notícia que tudo havia dado certo e que dentro de alguns meses viriam os papeis confirmando. Que dali em diante Molly Bieber era sua madrinha e tutora, falando em outra língua sairia os papeis confirmando a libertação dela e uma nova chance na vida e dessa vez ao lado de alguém que se parecia muito com um anjo ao seu ver.

12:00 da tarde, dia 22 de junho de 2015.

Orfanato de Charlotte

Kassidy estava contando os dias, os minutos os segundos e todas as vezes que era chamada seu coração se acelerava pensando que finalmente havia chegado seu grande dia. Naquela tarde não foi diferente , ela se encontra reunida com algumas meninas no jardim quando a governanta veio lhe chamar, tinha visitas acompanhando ela até uma das salas ela sorriu animada vendo Molly mas dessa vez ela não estava sozinha , estava acompanhada de um homem o qual Kassidy já havia conhecido era o advogado dela , sentando a mesa com eles ela se encontrava ansiosa pelo que viria escutar .

— Kassidy temos excelentes notícias, após uma longa jornada o qual se decorreu 1 ano e pouco mais dês de quando foi iniciada. Finalmente os papeis confirmando, que daqui em diante a senhora Molly é sua guardiã e madrinha legal foram enviados a mim e podemos assina-los hoje.

Um sorriso enorme brotou no rosto da menina, ela não se cotinha de alegria em saber que estava livre, mas ates que pudesse dizer algo Molly segurou suas mãos.

— Iremos assinar os papeis hoje, minha querida, mas ... bem quero lhe fazer um pedido, não irá embora comigo hoje especificamente e sim se me permitir no dia do seu aniversário de 17 anos. E digo porque, quando nos conhecemos você disse:: Não, minha senhora, ninguém teria o interesse em me adotar tenho 15 anos já passeia da idade de ser adotada, agora ficarei aqui até chegar o dia que me expulsaram para o mundo :: E isso seria agora quando você completasse seus 17 anos, e quero fazer isso como ritual de passagem ninguém vai te expulsar para o mundo você vai sair pela porta da frente ao meu lado, como minha filha seguindo para uma nova etapa de sua vida.

Escutando Molly, Kassidy não conseguia conter as lágrimas ela estava pensando em tudo e se lembrava até do que ela havia dito a ela quando se conheceram. Confirmando com cabeça enxugando as lágrimas, ela dizia com a voz abafada — Por mim tudo bem, não vejo a hora desse dia chegar.

E bem ele chegou!


Notas Finais


Owt! Que lindo ... mais um capítulo postado...

Espero que estejam gostando da fic , meus leitores queridos e sempre que possível deixem seus comentários com que estão achando , opiniões, melhorias vou adorar recebe-los.

Ahhh, mais um coisa ... Deixo o meu super SEJAM BEM-VINDOS aos novos leitores ❤

Beijokas ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...