História The Unfinished Work - Capítulo 2


Escrita por: ~, ~Hey_Usagi e ~Pyxidis

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adultério, Sequestro, Shoujo
Exibições 19
Palavras 1.181
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Ainda não temos um dia certo para postar, pois nós três que estamos fazendo essa fic temos nossas fic solo além de estudar pra não rodar esse ano 😂😂😂

Capítulo 2 - Perseguida.


Fanfic / Fanfiction The Unfinished Work - Capítulo 2 - Perseguida.

Eram oito horas da manhã e meu marido me cutucou para acordar como de costume, hoje eu enrolei um pouco pois fazia duas semanas que eu não conseguia dormir e Henry como o ótimo marido que sempre foi, não tinha percebido nada.

Levantei da cama cansada e fui no banheiro fazer minha higiene matinal, me olhei no espelho e me assustei com minha própria imagem, meus cabelos pretos normalmente lisos estava todo inosado e meus olhos azuis tinham enorme manchas roxas envolta.
--Parece que levei uma surra.-- Murmurei.
Depois de conseguir arrumar meu cabelo passei maquiagem no rosto para esconder minhas olheiras, coloquei um vestido soltinho lilás e uma sapatilha preta, sem joias e sai para trabalhar.

O motivo de eu não conseguir dormir é que eu descobri que meu marido tinha uma amante, eu o amava demais e quando tentei tocar no assunto ele me deu um tapa na cara e disse para eu nunca mais duvidar de sua fidelidade.

Mas eu sabia e conhecia a vadia, minha melhor amiga e só de pensar nela olhei para meu pulso onde tinha uma pequena tatuagem com um S e M num coração, uma representação de nossa amizade.
-- Como eu fui boba-- pensei.

Depois de terminar de me arrumar saí em direção ao ponto de ônibus.
Desci do ônibus em frente ao shopping Hollywood onde eu trabalho em uma loja de cosméticos chamado Quem Disse Berenice?

Eu trabalho das 8hrs até 12h30min, fazia um intervalo para almoço de 12h30min até as 14hrs.

Durante meu intervalo passeio pelo shopping, como em alguma lanchonete, passo em uma livraria tomo um café lá e leio um livro. Por causa de meu marido que não gosta muito de ler e nem que eu leie eu fiz uma conta na livraria assim durante o resto do meu tempo venho tomar café e ler, depois disso volto a trabalhar.

Quando chega 21hrs eu vou para casa. Estranhei meu marido estar em casa, então fui tomar um banho e depois preparar o jantar.
Durante o banho pensei comigo mesma.

-- Ele nunca está em casa essa hora, oque será que ele quer?

Sai do banho e fui para cozinha preparar a comida.

-- Boa noite querido, como foi seu dia? -- Perguntei fingindo uma voz carinhosa para aquele homem que um dia amei.

-- Foi ótimo,  obrigada por perguntar.

"Ele nem perguntou como estou, que ótimo marido que eu tenho" pensei.

-- Vou fazer seu prato preferido querido e de sobremesa temos sorvete. -- Que tal?

-- Que tal sairmos hoje ? Sabe.. Jantar fora. Faz tempo que não passamos um tempo assim.

"Sabia!!" pensei.

--Claro, por que não? Vou me arrumar, em cinco minutos estou pronta.

Fui para o quarto peguei um vestido preto de renda que marcava minhas curvas--sempre que eu usava algo que escondia meu corpo ele berrava comigo sobre não estar casado com um freira--  coloquei um salto dourado, uma gargantilha e um par é brincos também dourados e após passar um pouco e maquiagem fui para sala onde ele já estava me esperando.

--Vamos?

-- Vamos e... você está linda.

-- Obrigado, querido.

Henry me levou até o carro e abriu a porta para mim -- estranho? Não, isso é muito estranho.-- e antes de entrar fez uma ligação.

--Onde vamos querido?

--Vamos ao Dinners, tem um amigo que quer lhe conhecer.

--Um amigo?

-- É. Você verá.

-- Tudo bem.

Depois de 10 minutos chagamos ao Dinners e fomos levados à uma mesa onde já tinha alguém.

Ethan:

Estava deitado na cama esperando o dinheiro de Henry cair na conta e a mensagem com o horário diário de sua mulher quando o telefone toca, era Henry, Eu atendo e escuto ele me dizendo para ir ao Dinners conhecer sua mulher e desligo suspirando calmamente. Me levanto da cama colocando uma roupa qualquer que estava no chão para sair - jaqueta de couro, uma blusa cinza, calça jeans e um coturno - e pego minhas chaves saindo e indo para a moto.
Chegando no Dinners estaciono a moto e entro me sentando em uma mesa qualquer para esperar os dois que logo chegam e a Mary me cumprimenta.

--Olá, sou a Mary.

-- Olá, sou o Ethan.

--Ah, olá também Henry

Meu marido me fez sentar de frente para o homem e depois pediu licença pois teria que fazer uma ligação.

Sem saber oque fazer eu tentei iniciar uma conversa.

-- E então Ethan, oque você faz?

-- Eu resolvo os problemas das pessoas.

-- Deve ser legal, mas isso não lhe deixa louco? É tipo oque, um psicólogo?

-- Não, é simples, depois de muito tempo você se acostuma. Isso, tipo um psicólogo.

-- Estudei psicologia antes de me casar com Henry, mas então ele me proibiu de estudar -- disse com raiva-- só trabalho por que é em uma loja de cosméticos então ele não fica com ciúmes, pois a maioria das pessoas que vão lá e mulher ou gays.

Ethan me olhava estranho.

Algo como um olhar assassino, como se ele quisesse me matar.

Mas não tinha raiva, apenas um olhar frio e cada movimento que eu fazia era acompanhado por um olhar dele.

--Henry é mesmo do tipo controlador, era esperado. Você trabalha em alguma loja de cosméticos perto daqui ? Quem sabe a gente pode marcar uma tarde pra tomar um café.

-- Não sei, Henry é muito ciumento -- tremi só de lembrar da última vez, dos roxos em minha pele -- Mas sim é no shopping a duas quadras daqui na loja Quem Disse Berenice.

-- Eu imagino, ele faz bem esse tipo. Ah, conheço essa loja, uma amiga minha ia lá, quem sabe um dia apareço

-- Claro, quem sabe não te faço um desconto para perfumes masculinos para você arrasar com as mulheres.

Depois disso dei uma risada e Henry voltou de sua demorada ligação.

Ethan revira os olhos pra mim.

- Seria ótimo.

Então ele desvia o olhar para onde Henry tinha sumido na hora em que ele estava voltando.

- Então, adorei a companhia de vocês por agora mas vou ter que me retirar, tenho que garantir alguns pagamentos que ainda não apareceram na minha conta e preparar outras coisas para um novo cliente.

Ethan levantou deu um breve sorriso para nós e sai de perto da mesa em rumo ao estacionamento.

Eu e Henry não nos falamos e depois de comer fomos para casa dormir.

O outro dia foi o pior dia da minha vida.

Sabe quando você tem a sensação de estar sendo seguida, mas não vê ninguém?

Era assim que eu me sentia.

Na hora do almoço Ethan apareceu tomamos um café conversamos um pouco sobre o meu dia a dia, o horário do meu trabalho, que horas eu pego e que horas eu solto do serviço e oque eu durante o almoço.

E depois voltei a trabalhar.

As 21hrs quando estava quase na parada de ônibus senti alguém me agarrar.

E antes que eu conseguisse gritar colocaram um pano em minha boca com cheiro de ervas e desmaiei.


Notas Finais


Esperamos que gostem. 😙😙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...