História The Vampire Cookie - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Youngjae, Yugyeom
Visualizações 58
Palavras 3.590
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


FALA POVO BONITO!!!

Eu atrasei esse capítulo? Talvez, mas eu só quero dizer uma coisa, me perdoem e por favor não me matem, é que eu estava com um bloqueio de criatividade enorme e ainda por cima eu tive que reescrever essa história três vezes e de última hora por um problema que agora já foi resolvido, então se eu demorei pra postar esse capítulo eu peço desculpas, por favor não desistam de mim, eu amo vocês meus biscoitos, vamo que vamo que ainda tem muito capítulo pra fazer, espero que gostem desse e se encontrarem erros eu peço desculpas, bem, sem mais delongas, obrigada pela paciência e curtam o capítulo.

Boa leitura <3

Capítulo 5 - Dreams


Fanfic / Fanfiction The Vampire Cookie - Capítulo 5 - Dreams

 [Jungkook] [23:58] 


Minha cabeça está doendo, estou cheio de marcas e arranhões espalhados pelo meu rosto e corpo que eu nem sei como surgiram.


O que houve? 


Estou tão confuso.


Nada parece muito claro.


 Depois de um tempo minha visão melhorou. Pelo que eu consigo ver eu estou perdido numa praça, mas não consigo ver muito bem em qual parte dela. 


Não sei o que está acontecendo, mas eu consigo ouvir uma voz preucupada se aproximar de mim.


Um garoto de cabelos verdes e olhos escuros me apareceu e me olhou com receio de algo grave ter me acontecido, mas não consigo ver ele muito bem, me sinto tonto.


Depois de um bom tempo tentando focar em seu rosto com uma certa dificuldade pela minha tontura, eu consegui ver quem era.


Era Min Yoongi.


O que ele está fazendo aqui?


O que eu estou fazendo aqui?


—Você está bem Kookie-ah? Se machucou? —Ele falava com uma certa preocupação enquanto examinava meu rosto.


Yoongi-hyung.


Não sei como e nem porque está aqui.


Mas é tão bom te ver.


—Apenas alguns arranhões. —Indaguei me sentando em um banco — Não precisa se preucupar. —Falei com um sorriso de canto.


Odeio essa timidez.


E odeio mais ainda quando ela fica atacada perto dele.


Até os tomates sentem inveja de mim.


—Você tem um machucado bem feio nessa sua testa. Deveria ser mais cuidadoso sabia? —Ele dizia com uma cada brava de repreensão enquanto se sentava ao meu lado. —Mas pode confiar que eu tenho um plano infalível pra isso. —Ele sorriu com uma certa malícia e no mesmo instante eu desconfiei com medo do que poderia ser.


Plano infalível?!


Que plano é esse?! 


Nunca se sabe o que esperar vindo do Yoongi.


—Devo ter medo? —Perguntei receoso.


Ele riu.


—Claro que não seu bobo. É uma técnica infalível que só os maiores mestres conhecem e que foi passado através dos séculos para várias gerações. —Dizia brincalhão.


Depois eu é que sou bobo.


Esse Yoongi é uma graça.


—E qual é essa técnica senhor dos planos infalíveis? Posso saber? —Arqueei uma sobrancelha curioso e resolvendo fazer parte dessa brincadeira.


Agora ele me despertou curiosidade.


—É muito simples Kookie-ah. —Ele disse com uma voz doce aproximando lentamente sua boca do meu ouvido e completando em um sussurro: —É só dar um beijinho... que sara. —Falou tocando em meu rosto com uma das mãos e em seguida depositando um gentil beijo na minha testa. —Viu só? Deu certo Kookie —Falou se afastando de mim depois daquele ato totalmente carinhoso e protetor.


Ele sorriu orgulhoso.


Eu corei de forma imediata.


Por que ele faz essas coisas comigo?


Como ele consegue me deixar com tanta vergonha a ponto de me igualar a um tomate?


Aish. Que confuso. Eu não sei porque sinto essas coisas estranhas perto dele, afinal somos só amigos, e na verdade eu apenas queria sua amizade não é? 


Somos apenas amigos.

 

Então por que eu sinto que por dentro o seu afeto e forma de agir tem haver com algo bem mais forte e intenso do que um simples carinho de amigo?


Que confuso.


Eu não consigo entender.


Eu não sei explicar o que é isso porque nunca senti nada parecido antes, só sei que suas ações nada discretas fazem meu coração —Que eu jurava que não tinha —bater mais forte, ele consegue me fazer sorrir, um sorriso sincero, que me tiram da realidade.


Yoongi era uma caixinha de surpresas.


Seus olhos marcantes, seu jeito único de agir, seu senso de humor divertido, até seu gênio forte chegava a ser engraçado de vez em quando, e bem... ele podia até ser um belo demônio e pervertido as vezes, mas também era gentil, era doce, era brincalhão, se preocupava comigo e também era o dono do cabelo mais bonito e diferente que eu já vi.


Pode parecer bobo mas eu não sei explicar o que eu sinto por ele.


Como eu queria saber.


Suas ações fazem eu me sentir tão bem, me transmitem uma sensação boa embora eu nunca as retribua, ele está sempre fazendo algo capaz de me deixar corado, desde conversas e piadas até ações provocantes.


Deus, como isso é confuso.


Mas isso também me faz pensar em algo que eu não havia planejado antes. 


Será que se eu também agir, assim como ele age, eu consigo encontrar a resposta das minhas perguntas?


Será que se eu corresponder eu então finalmente consiga entender melhor o que eu sinto? Ou vou continuar confuso e sem reação como em todas as outras vezes?


Acho que vou ter que descobrir.


Se pra toda ação existe uma reação, quer dizer que se eu quiser descobrir qualquer coisa, pelo menos dessa vez eu vou ter que aderir a bela e tão preciosa lei de Newton.


Essa é a minha vez de testar.


Yoongi já agiu, agora é a minha vez de reagir.


—Eu falei que daria certo. —Yoongi falou me tirando de meus pensamentos.


Eu realmente penso demais.


—E como sabia se daria? —Indaguei.


Ele pensou um pouco e então sorriu de canto com uma resposta na língua.


—Porque dizem que um beijo sempre resolve as coisas.


Será?


—Sabe hyung... —Comecei um pouco tímido —Acho que é disso que eu preciso.


—Do quê? —Ele pareceu confuso.


Eu aproximei lentamente nossos rostos e por fim sussurrei em seu ouvido:


—De um beijo melhor.


Eu voltei o meu foco para sua boca e então calmamente eu fechei os olhos e selei levemente nossos lábios.


Um beijo.


Enfim achei a minha resposta.


Abri meus olhos e não havia mais nada ali, nem o parque, nem os machucados, nem o Yoongi, tudo havia desaparecido do nada.


Simplesmente sumiu.


Era pra eu ter uma resposta certo?


Então por que ainda me sinto confuso?


[08:34]


Acordei de repente, meu coração palpitava, eu me sentia desnorteado, estava com dificuldades pra pensar, passei a mão pelos cabelos pra aliviar a tensão, estava suando frio, a confusão parecia se intensificar cada vez mais.


O que foi isso?


Olhei em volta e notei que ainda estava no meu quarto, com as cortinas fechadas, ainda estava escuro, estava recostado na cama, encarando a porta, como se alguém fosse passar pela mesma e avisar que tudo isso não foi apenas um sonho e que Yoongi está me esperando lá em baixo na sala.


O que não aconteceu.


Resolvi encarar os fatos.


Foi apenas um sonho.


Me levantei da cama e comecei a procurar por um relógio, achei um na parede do banheiro e então vi as horas, notei que ainda dava tempo de chegar na escola, apenas suspirei profundamente tentando me acalmar e não pirar por causa de um sonho.


Preciso esfriar a cabeça.


Enchi a banheira com água quente para relaxar e então me despi e em seguida entrei na mesma, fiquei ali por um bom tempo, me perdendo em pensamentos, pensando no porque de ter sonhado com aquilo, do porque de Yoongi estar ali e o principal:


Por que fiquei triste quando vi que era apenas um sonho? Que não era real?


Eu não me entendo.


Sou a confusão em pessoa.


Que ódio de mim mesmo. —Pensei me afundando naquela banheira enquanto a água quente relaxava meu corpo.


Depois de alguns minutos eu ouvi batidas na porta avisando para eu descer e comer algo rápido antes que eu me atrase pra ir pra escola.


Nem vi o tempo passar.


Melhor eu sair logo.


Saí da banheira e peguei uma toalha que estava pendurada na porta, me sequei e em seguida a enrolei na cintura, fui até o espelho embaçado e o esfreguei para conseguir me ver de forma nítida, notei que os machucados de ontem já haviam sumido, o que era ótimo.


Fui até o meu quarto e encarei o guarda roupa que estava cheio de pijamas, deveria ter no máximo umas quatro ou cinco peças de cada camiseta e calça que davam pra usar fora de casa sem parecer um esquisito.


Estou chegando a conclusão de que preciso ir no shopping comprar roupas novas, mas se eu for fazer compras eu vou ter que me socializar e encarar as pessoas, então é melhor eu deixar as coisas assim mesmo.


Não sou obrigado a nada.


Peguei uma larga camisa listrada e uma calça preta rasgada nos joelhos, eu gosto desse tipo de visual, preto e branco básico, aproveitei e fui até o banheiro, ajeitei meu cabelo do contra e em seguida eu saí do quarto descendo as escadas em direção à cozinha parar tomar meu café da manhã.


Ao chegar lá meus pais estavam sentados à mesa tomando café, minha mãe assim como eu também gosta de frutas e pães doces, enquanto meu pai se serve apenas de uma xícara de café já que em sua própria opinião o gosto de sangue não é o mais apropriado para a parte da manhã.


Assim que notaram a minha presença eles pararam o que estavam fazendo para me cumprimentar, já que eu descer para o café é um acontecimento meio raro e inusitado.


—Bom dia querido —Falou minha mãe com um sorriso puxando uma cadeira ao seu lado para eu me sentar e me unir a eles.


—Como foi seu primeiro dia? Gostou da escola? —Começou meu pai de forma simples enquanto bebericava seu café.


—Foi legal. A escola é bonita.... —Disse simples pegando uma maçã bem vermelha e dando uma mordida na mesma.


—Que bom que você gostou do seu primeiro dia querido. Fico feliz por você.—O sorriso da minha mãe se alargou.


Não foi bem isso que eu disse.


Não foi o melhor dos dias não.


Mas não posso negar que também foi pelo menos um pouquinho... divertido.


—Aconteceu algo em especial por lá filho? —Perguntou meu pai curioso.


Então...


Tirando o fato de que eu arranjei briga com o maior valentão da escola assim que cheguei naquele lugar, dei a louca do nada, quebrei a sala de artes, passei a tarde toda na enfermaria, fiz dois amigos muito loucos e quase beijei um garoto, não aconteceu nada.


Mas tipo super normal tudo isso.


Quem nunca fez isso no primeiro dia de aula certo?


Muito comum.


Não foi nada demais.


—Não aconteceu nada. —Falei engolindo em seco. —Nada em especial.


O sorriso deles se enfraqueceram um pouco, dando forma à uma expressão neutra.


Me senti mal.


Não quero contar que arrumei confusão bem no meu primeiro dia.


Melhor deixar isso pra lá.


—Você conheceu alguém pelo menos? —Meu pai continuou pousando a xícara na mesa. —Conseguiu fazer amizades? 


Eles pareciam realmente interessados em saber sobre como foi ontem.


Fiquei pensando se deveria falar sobre Yoongi e Hoseok.


Não sei se é uma boa idéia.


Mas pensando bem, acho que não faz mal contar.


Acho que é bobeira ter que esconder que eu tenho amigos.


Yoongi e Hoseok são gente boa.


Não faz sentido esconder.


Até porque eles vão descobrir mais cedo ou mais tarde mesmo.


Melhor eu não ficar enrolando.


—Eu fiz dois amigos. Só isso. —Disse simples e senti uma certa animação tomar conta do ambiente no mesmo instante.


Pelo menos por parte da minha mãe.


—Que ótimo querido. —Ela falou com um sorriso largo. —Fico feliz que tenha feito amigos. Espero conhecê-los logo. Saiba que eles são muito bem vindos aqui. Eu vou adorar recebê-los. Traga-os quando quiser.


Meu coração gelou com a idéia.


Acho que não foi uma boa idéia.


—Deixa o garoto em paz querida. Ele acabou de fazer amigos. Ainda deve se sentir inseguro e um pouco tímido. Dê tempo a ele, tenha calma. Quando ele se sentir a vontade para trazê-los aqui com certeza nós iremos recebê-los de braços abertos. Até lá nós iremos esperar. —Falou meu pai.


Minha mãe fez um bico mas mesmo assim concordou.


—Obrigado pai —Suspirei aliviado.


—Eu só espero que esses seus amigos sejam pessoas boas e direitas Jeon. Eu não quero filho meu metido com gente que não presta. Tenha quantos amigos quiser desde que eles não sejam pessoas erradas. Não foi desse jeito que eu te criei. Será que fui claro o suficiente? —Ele falou sério.


Meu estômago congelou com aquele olhar sobre mim.


Meu pai consegue me deixar apavorado com um simples olhar.


—Sim senhor. —Respondi 


—Ótimo. —Ele sorriu.


Terminei meu café da manhã e me despedi dos meus pais, fui até a sala em direção a porta principal e notei que havia um skate jogado por lá, eu ganhei ele há uns dois anos atrás mas não costumava andar muito nele, ele ficou esquecido desde então, mas pensando bem o caminho até a escola é meio longo, ele pode vir bem a calhar hoje.


Por quê não?


Vou ir com ele.


Não há nada de mal nisso.


O peguei e fui apressadamente para fora de casa, o coloquei no chão e depois de muito tempo consegui manter o equilíbrio em cima dele, comecei a deslizar aos poucos e pouco tempo depois eu comecei a aumentar a velocidade, fiquei torcendo para não dar de cara com um poste, bater numa árvore ou simplesmente cair no meio da calçada.


Mas até que eu estava indo bem.


Acho que estou ficando bom nisso.


Ao me aproximar da entrada da escola eu comecei a ver o pátio principal, cheguei a pensar aonde os outros estariam por lá, nem sei como encontrá-los, pensei se deveria procurá-los ou deixar pra lá, fora que eu ainda estou muito confuso sobre o Yoongi, com toda aquela coisa do meu sonho e do nosso quase beijo de ontem a noite, é tudo tão novo e estranho, amigos, coração acelerado, eu não consigo nem me reconhecer mais.


O que está acontecendo comigo?


Por que eu tenho que ser tão confuso?


Acabei me perdendo tanto em meus próprios pensamentos que nem vi que um outro garoto de cabelos castanhos que também estava andando de skate estava vindo à toda velocidade bem na minha direção, e o pior era que ambos sabíamos que nenhum de nós dois conseguiria desviar a tempo para não cair.


Eu retiro tudo o que eu disse.


Eu não estou indo nada bem.


Isso vai dar merda.


Naquele momento nós apenas tivemos uma rápida troca de olhares apavorados e em seguida nossos corpos se chocaram de forma bruta um com o outro, a tamanha força do impacto fez com que ambos caíssemos no chão, ficando desnorteados e com tontura.


Não sei ele mas quanto a mim, eu nem sei aonde o meu bendito skate foi parar, só sei que minha cabeça está doendo.


Vou me auto-nomear saco de pancadas do universo.


Por que não é possível.


O que será que eu fiz pra ele me odiar tanto?


Depois de um tempo, enquanto eu massageava a minha nuca dolorida, o garoto se levantou e foi em minha direção com uma cara culpada, ele estendeu a mão para mim e eu a peguei de imediato para me levantar.


—Olha... me desculpe pela batida. Foi sem querer. Eu não te vi chegando. Ta tudo bem? Se machucou? —Ele falou preucupado


Não ta muito bem não.


Prender sincero minha cabeça ta doendo até agora.


Posso jurar que to vendo passarinhos em cima da minha cabeça.


Mas como você é um fofo que está preucupado comigo eu não vou dizer isso.


Que foi? Não vou dizer nada não.


Pelo menos ele está sendo gentil.


—Não foi nada. Ta tudo bem sim. Não precisa se preucupar comigo. É sério. —Eu disse a ele e o mesmo suspirou aliviado.


Mesmo aliviado ele continuou com vergonha do que aconteceu.


Parece até eu.


—Olha... —Ele começou em um suspiro pesado —M-Me desculpa mesmo por isso, eu que estava andando rápido demais e acabei não te vendo quando se aproximou do portão, foi mesmo sem querer, eu... eu sinto muito, a culpa foi toda minha.... —Completou abaixando e pegando os nossos dois skates jogados no chão e então me entregou o meu.


É sério que ele está mesmo assumindo toda a culpa?


Me sinto lisonjeado.


Mas eu não preciso que alguém assuma a culpa dos meus erros por mim.


Afinal, eu que andei de skate igual um avestruz vesgo então ele não precisa assumir toda a responsabilidade já que por parte a culpa também foi minha.


Afinal, eu estava bem distraído.


Então ele não tem total culpa disso.


—Ei... ta tudo bem, relaxa —Eu falei com uma leve risada pra descontrair —Até porque eu que estava distraído, então a culpa foi de nós dois no caso, afinal, ninguém mandou eu correr igual um avestruz sendo que eu nem sei direito como anda nesse coiso. 


Nós rimos.


Finalmente o clima tenso foi embora.


É muito melhor rir dos próprios erros que ficar se lamentando por eles.


Até por que não tem como mudar o que aconteceu.


E eu aposto que deve ter sido bem engraçado pra quem viu.


—Então quer dizer que você ainda não sabe andar direito nesse "coiso"? —Ele riu de forma leve —Não seja por isso, eu posso te ajudar se tiver afim, eu tava mesmo indo pra pista de skate, se quiser vir comigo, vai ser um prazer te ensinar. —Ele sorriu.


Que sorriso bonito.


Pode parecer estranho mas eu sinto que o conheço de algum lugar.


Mas não lembro de onde.


—Ah... Claro. Eu aceito sim. Pode ser. Quando quiser. —Falei timidamente —Se não for te incomodar. Por mim tudo bem.


Ele se animou.


—Então ta combinado. —Ele fez um sinal de joinha e alargou o sorriso. —Mas tem um pequeno problema...


Vish. Tava demorando.


—Qual? —Perguntei receoso.


Ele fez uma careta.


—Eu ainda não sei o seu nome...


Verdade.


Ainda não nos apresentamos.


—Prazer, me chamo Jungkook. E você é...? —Eu o olhei curiosamente.


No mesmo instante em que ouviu o meu nome era como se um curto flashback tivesse se passado na sua mente.


Como nas novelas eu diria.


Exatamente como nas novelas.


—Espera... Jungkook? O amigo novo do Hoseok que chegou ontem na escola?


Como ele...?


—Como sabe? —Perguntei com um sorriso confuso.


Ele fez uma cara surpresa.


Como se a resposta fosse óbvia.


—Porque já nos conhecemos. Não se lembra de mim? Eu sou o...


—TAEHYUNG! —Berrou desesperado um garoto correndo cansadamente em nossa direção —Até que enfim te achei cara. Pensei que você tinha desistido. Ta todo mundo te esperando sabia? Ficamos preucupados.


Taehyung? Ele é o Taehyung?


Deus, como não percebi antes?


Mas também, quando o conheci ele estava todo suado e desarrumado, agora ele está incrível, não falo como se fosse um amor a primeira vista, só estou dizendo que ele está realmente diferente, está bem mais bonito.


(Com todo respeito viu Hoseok)


Eu não sabia o que dizer naquele momento.


Estava chocado.


E também fiquei assustado com aquele berro que aquele garoto deu.


Garoto louco.


—Quer ficar calmo Mark? Parece que vai tirar o pai da forca! —Falou o moreno com um riso irônico —Se controle homem, respira fundo, do que é que você ta falando? 


O outro pareceu se controlar para não estapear o moreno com aquela pergunta.


—Taehyung não me diz que você esqueceu da competição. 


O moreno continuou sem entender.


—SEU TAPADO! —Mark deu um tapa na cabeça do moreno —Ta rolando agora, se tu não for logo pra pista você vai perder antes mesmo de começar, ce treinou semanas pra isso, não me venha dizer que esqueceu.


Se isso fosse um desenho animado eu diria que no mesmo instante um peso de memória caiu na cabeça do moreno.


—PUTA MERDA! —Taehyung resmungou em um grito —Eu esqueci. Mano do céu... me diz que ainda dá tempo de chegar...


Mark riu maléfico.


—Reze pra ser rápido na corrida.


Taehyung me olhou de imediato e então respirou fundo para se acalmar e manter o controle para não parecer que surtou.


Estava com a mesma expressão de antes.


Quem visse nem acharia que ele tinha dado um surto.


Mas ele surtou sim.


Eu vi.


—Quer vir comigo Jungkook? —Falou docemente 


Ir aonde garoto?


Ficou louco?


—Na competição? —Perguntei o óbvio.


—Sim. —Ele assentou —Vamos. Vai ser legal, assim a gente aproveita e no fim da competição eu te ajudo a andar de skate. O que me diz? Você topa? —Ele sorriu.


Aquilo parecia ser coisa de louco.


Mas pior do que já está a minha vida não fica, então...


—Claro. Vou sim. —Sorri tímido.


Ele deu um sorriso tão feliz que me assustou.


—Beleza. Vem comigo. 


No mesmo instante ele agarrou meu pulso e correu o máximo possível até o lugar, eu tive vontade de matar ele por causa daquele puxão, mas assim que cheguei naquele lugar eu achei que eu é que iria ser morto, sério, eu juro que quando vi nitidamente aquela pista de skate cheia de badboys eu congelei na hora.


Por que foi que eu aceitei vir mesmo?


Eu quero dar meia volta.


Pelo bem da minha saúde.


Todos eles me encaravam como se eu fosse um jantar, uns com o rosto enfiado debaixo de um capuz e outros com as mãos nos bolsos das jaquetas de couro pretas.


Eu to com medo.


Parece que eles querem me devorar.


Estou sendo dramático? Talvez.


Mas eu nunca fiquei perto de tantas pessoas assim antes.


Dão um desconto.


—Até que enfim você chegou Tae. —O ruivo fez uma cara feia. —Pensei que ia desistir da disputa. Logo você que não perde uma desde que conheceu esse lugar.


Aquela voz...


Nunca fiquei tão feliz de ver aquela cabeleira ruiva do Hoseok.


Finalmente alguém nesse lugar que não está me dando arrepios.


—Desculpa Hobie. —O moreno fez uma carinha triste por ver que quase decepcionou o ruivo — É que eu esqueci da competição e também rolou uns imprevistos e...


No mesmo instante o ruivo o puxou para um selar de lábios rápido e intenso.


Nem parecia que tava cheio de gente com cara de serial killer ali.


De repente estamos em Paris e ninguém me avisou.


—Não tem problema. —O ruivo sorriu doce —Agora vê se corre campeão. Vai que é tua meu lindo! To torcendo por você!


Eles fizeram aquela troca de olhares apaixonados que nem nos filmes quando o namorado da garota vai pra guerra.


Foi meloso.


Mas também foi fofo.


—Eu não acredito que você fez mesmo isso cabeça de abóbora. —Uma outra voz chegou dando uma risada.


—Fiz sim. E foi com o maior prazer. O Kookie ta de prova. —Ele sorriu orgulhoso.


Não to entendendo mais nada.


—Kookie? —Ele me encarou e então abriu um sorriso feliz ao me ver, mas que logo mudou pra uma expressão maliciosa.


Ai senhor era só o que me faltava.


É hoje que meu coração para.


Obrigado Yoongi, por foder com meu psicológico de um jeito que eu nem consigo descrever porque sou um poço de confusão.


Muito obrigado.


Naquele momento os dois sorriram, mas diferente do ruivo que sorriu alegre e orgulhoso o sorriso daquele demônio do Yoongi era de pura malícia.


—Oi Kookie-ah. —Ele começou a se aproximar de mim lentamente, e eu posso jurar que a cada passo, meu coração palpitava tanto que chegava a doer —E aí? Como foi sua noite? Dormiu bem? Hun?


Então...


Sobre isso...


                         —X—



Notas Finais


OI POVO LINDO QUE EU AMO!!!

Ele dormiu super bem Yoongi, não foi Kookie? Conta pra ele como que foi, ele vai adorar saber.

Kakaksksks

Adoro <3

Antes de me matarem pelo atraso eu só quero dizer que isso só aconteceu pq eu perdi metade desse capítulo quando tava indo postar, ou seja, ele apagou sozinho e de última hora então euzinha aqui tive que reescrever o capítulo todo dnv ;-; eu fiquei muito bolada com isso, sério mesmo. E como se não pudesse piorar, assim que eu acabei meu celular ficou com 0% de bateria e apagou denovo. Ou seja, eu tive que reescrever 3 vezes! 3 FUCKING VEZES Y-Y.

EU SOU UMA BISCOITA MUITO AZARADA! Y-Y

Mas o show tem que continuar.

Não adianta chorar o leite derramado.

Então me perdoem pelo atraso, não foi culpa minha, prometo não ficar demorando pra postar, fora que eu tava cheio de trabalho pra fazer, tanto de casa como de escola, mas eu espero ter compensado. (Peguem leve comigo eu ainda estou me recuperando desse trauma de ter a história apagada)

Mas e aí? Gostaram do capítulo? Eu to fazendo direitinho? Lembrando que críticas e sugestões são sempre muito bem vindas, eu espero de coração estar agradando vocês com essa fic que eu amo fazer e que vocês gostam de ler.

Beijos doces pra todos vocês e até o próximo capítulo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...