História The Vampire Wolf - O Recomeço - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Família, Ficção, Magia, Romance, Violencia
Exibições 5
Palavras 1.345
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Esporte, Famí­lia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


AVISO!!!
Sei q querem comer meu fígado com angu pois deixei vcs na mão denovo pq fiquei acho q duas semanas sem postar, então resolvi retirar minha meta q era postar um capítulo por semana, agora vai funcionar assim, na verdade não vai ter meta nenhuma vai funcionar q eu vou postar quando eu estiver espirada, então pode ter uma semana q eu posta 3 capítulos ou menos ou mais ou uma semana q eu posta nenhum capítulo. Mas espero q entendam, Boa Leitura!!!
VALEU (@_@)

Capítulo 13 - XIII


Volto para casa extasiada, " Não acredito que vou sair com Nathan Scofield ", não sei oque aconteceu, mas sei que no final da tarde ele me convidou para sair, de repente. Chego em casa e corro até meu quarto, caio pesadamente em minha cama, quando dei por mim sonhava acordada, relembrando a fim da tarde, quando Nathan me clamou para sair.

"...Me despeço de Aby com um pouco de dificuldade, já que minha barriga e bochechas doíam de tanto rir das piadas de Nathan, acabou que percebi porque a professora não deixou Nathan sentar com Stephany, ele era um desastre completo em química, ando até minha moto pensando " Aonde eu fui amarrar meu burro ", escuto a porta da frente da casa abrir, viro me e me deparo com a cena de Aby empurrando Nathan porta a fora.

- Convida ela - diz ela num sussurro auto, quando percebe que eu a estava encarando, dá um sorriso tímido e leva a mão aos cabelos, Nathan com a cara enburrada vem até mim.

- Desculpa pela minha mãe... - dizia Nathan, antes de ser interrompido por mim.

- Quantas vezes você vai se desculpar pela sua mãe?  - digo com um sorrisinho nos lábios colocando as mãos na cintura.

- Quando essa doida para de fazer eu passar vergonha. - falou a palavra "doida" auto o bastante para Aby, que estava escorada no batente da porta da frente escutar, ao escutar isso balançou a cabeça pros lados sorrindo. - Mas voltando o assunto... Está começando as festas de São Valentim é eu queria saber se você... sabe... queria ir comigo? - teve um pouco de dificuldade de me convidar,  mas ao acabar da um suspiro longo e passa a mão pelos cabelos, do mesmo jeito que Aby fazia, aquilo me pegou desprevenida, meu sorriso desapareceu, abri a boca mas logo fechei, não estava conseguindo formular as palavras direito, " Quantas vezes eu me fechei e não deixei nenhum homem se aproximar denovo e o muro que eu coloquei em volta do meu coração...", pensamentos e mais pensamentos zuniam em minha mente, mas nenhum foi conveniente o bastante para eu recusar o pedido de Nathan, enquanto eu me fechava com outros homens, com Nathan e diferente eu me abria e me sentia segura e calma e o muro que eu tinha feito em volta do meu coração, agora parecia que era feito de chocolate, que derretia mais e mais enquanto ele se aproximava de mim, quando percebi que estava pensando demais e estava demorando demais para responder.

- Sim - essa palavra saiu facilmente pelo meus lábios, nem parecia que por dentro eu estava um caos e desordem total, em resposta ele deu um sorriso de alívio. "

Passo o resto do dia em meu quarto terminando o trabalho, quando percebo que já anoiteceu, tomo um banho rápido e desço até a cozinha, chegando lá percebo que a um bilhete em cima da bancada.

Filha, tive um imprevisto com a construção da casa dos Wilson, vou voltar só no meio da outra semana, se tiver algum problema me ligue, o seu cartão está ai caso precise comprar algo. Com Amor.
Mamãe.

Esquento a comida que sobrou do almoço, depois que comi tranco a casa toda e volto para meu quarto. Com tanto pensamento que vinha e ia, eu achei que não ia conseguir dormir cedo, mas para minha surpresa só foi eu encostar a cabeça no travesseiro que eu já cai no sono, e graças ao Bom Senhor esse era dos raros dias em que eu não tinha pesadelos.

Como já esperado o principal assunto da escola era as festas de São Valentim, a escola que pra não ficar desatualizada  já vazia murais sobre a história de São Valentim e seus costumes de comemorações variadas de década a década, passo no meio de todos até chegar ao meu armário, que como previsto já estava Anna, Cloe, Lily e Adam, ao me aproximar Adam joga um monte de confete verde e vermelho para o alto.

- Feliz dia de São Valentim - gritou, chamando a atenção de poucas pessoas próximas ao grupo.

- Adam, hoje não e dia de São Valentim - diz Anna, enquanto tentava inutilmente tirar o excesso de confete de seu cabelo - E sábado - fala com raiva quando percebe que sua tentativa não adiantou para nada.

- Calma ai - fala enquanto esfrega o cabelo de Anna, só que o resultado ficou pior do que antes, ele faz uma careta enquanto desiste - pelo menos tem que ter uma pessoa feliz nessa bagaça, não é ? - perguntou, mas não respondemos já que estávamos ocupados demais vendo alguém gritar enquanto passava, relutante o mar de pessoas foi abrindo lentamente, quando vi a pessoa não fiquei surpresa, Stephany e suas discípulas que quase corriam para chegar ao lado de Stephany que andava em passos rápidos, pelo rosto dela as coisas não estavam muito boas.

Com o decorrer das aulas a notícia se espalhou pela a escola toda, " Nathan tinha finalmente terminado com Stephany ", algumas pessoas ficaram felizes e outras nem tanto, as pessoas que ficaram felizes a maioria era meninas que queriam logo fisgar Nathan denovo, e o restante era das pessoas que sabiam que Nathan era a única barreira entre elas e Stephany, então concerteza Stephany começaria novamente a infernizar a vida de todos e não era so Stephany e os alunos que estavam nervosos não.

- Meu pai diz que Bill, pai de Stephany, está quase soltando fogo pelas orelhas de tão nervoso que está. - diz Anna, todos nós estávamos sentados em uma mesa do refeitório, bem afastados da mesa do meio, em que estava Stephany que colocava o pé na frente das pessoas ou fazia comentários maldosos alto o bastante para as pessoas ouvirem, quando eu e o resto da escola acho que não poderia ficar pior, Nathan adentra o refeitório,  fazendo todos que estavam no recinto se calarem imediatamente, naquele momento só podia se escutar os barulhos das pessoas em gulirem a seco seus restos de comida mastigada e os passos de Nathan pelo refeitório, ele parecia calmo enquanto se servia de comida, até as cozinheiras estavam nervosas, a atenção era só para as costas de Nathan e do olhar mortífero de Stephany em direção a ele, quando terminou de se servir,  ele olhou em volta, como se procura-se um lugar para se sentar,  quando seus olhos pousaram em mim eu soube " Aí vem merda ", ele caminhava calmamente, até chegar e se sentar ao lado de Adam, ficando de frente para mim, ele que antes encarava sua comida agora encarava atentamente a mim, sua íris castanho claro tinha quase sumido já que sua pupila estava dilatada,  então naquele momento eu percebi que ele estava nervoso, não sei o que deu em mim mas eu não queria ver ele desse jeito.

- Então e verdade que você esta arrasando corações, não é Sr. Nathan - digo tentando parecer séria, minha voz que estava no volume normal, pareceu que eu estava gritando naquele ambiente silencioso. Os outros pareceram entender o que eu estava fazendo.

- Galanteador, sempre Galanteador, não é amigo? - perguntou Adam, com um sorriso radiante nos lábios, enquanto dava tapas fracos na costa de Nathan, um sorriso daqueles era difícil não retribuir.

- Sempre - respondeu Nathan, com o mesmo sorriso radiante nos lábios, naquele momento todos da mesa conversavam de vários assuntos diferentes, oque naquele momento deixou Nathan feliz, já que seus olhos tinha um brilho intenso, e eu mesmo me permitir sorrir enquanto ele contavam piadas sem graça, quando Nathan me flagrou encarando ele, ele moveu os lábios sem emitir som, mas eu já sabia que palavras eram " Obrigado ", quando o refeitório finalmente voltou a vida, dei uma rápida olhada na mesa de centro, o mesmo tempo os olhos de Stephany encontraram os meus e sem emitir som, ela falou:
Você vai me pagar, todos vocês iram me pagar.
Então um pensamento brincalhão passou pela minha mente.

Fudeo


Notas Finais


Gente falous e se tiver gostando deixa ai nos comentários opiniões do que precisa melhorar que eu irei aprender com o erro, nossaaaaa baixou Proerd aqui.
Proerd e o programa, Proerd e a solução, lutando com as dorgas ensinando a dizer NÃO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...