História The Vampires (Hiatus) - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Interativa, Vampires
Exibições 99
Palavras 2.211
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


GENTEN, QUERIA AVISAR QUE A PARTIR DE AGORA TUDO SERÁ NARRADO EM TERCEIRA PESSOA.
A HISTÓRIA É LOUCA? É!
EITA PORRA AGORA COMEÇOU.
BOA LEITURA <3

Capítulo 8 - 8 - Violetas


Fanfic / Fanfiction The Vampires (Hiatus) - Capítulo 8 - 8 - Violetas

P.O.V Narrador on.

Silêncio, não se ouvia nehum ruído que fosse, dispostas amarradas em cadeiras em círculo estavam sete garotas comuns, os sacos sobre suas cabeças tampavam toda a visão sobre o lugar onde se encontravam, mesmo que não houvesse os sacos tampando as suas cabeças não veriam nada mesmo, estavam desacordadas.

De repente ouve-se passos, eles param assim que o desconhecido chega ao centro do círculo de cadeiras. Os olhos violetas do homem que se encontrava ali, de pé brilhavam no escuro, era a única coisa que podia se ver naquele lugar.

Uma por uma as sete vítimas acordam, porém o silêncio ainda permanecia, na cabeça das garotas passavam coisas horríveis sobre o que havia lhes ocorrido, não conseguiriam falar nem se quisessem. O homem misterioso de olhos violetas acende uma vela, era o suficiente para ver seu rosto, era um homem bonito, alto, com os cabelos claros e traços faciais bem desenhados.

Percebendo que elas haviam acordado ele retira os sacos da cabeça das meninas, revelando rostos assustados e pálidos, isso provoca um riso sarcástico no homem misterioso, é tão bom vê-las assim, com o seu orgulho ferido, devia fazer isso mais vezes.

As garotas se entreolharam se perguntando o que caralhos estava acontecendo, com certeza aquele homem era um serial killer e iria mata-las da forma mais dolorosa possível, ficaram ainda mais apavoradas e convictas dessa teoria quando viram os instrumentos a sua volta, pendurados em ganchos na parede encontravam-se machados, correntes, facas de diversos tamanhos e todo o tipo de instrumento de tortura que possa se imaginar. Coragem era o que elas precisavam, porém lhes faltava isso, vendo que ninguém falaria nada uma delas resolveu arrumar a coragem que lhe faltava, afinal ela iria morrer de qualquer jeito.

- #Q-quem é v-você? – As outras garotas olharam-na assustadas, essa garota está querendo morrer mais cedo por acaso?

- Que bom que perguntou Yumi, eu sou Viktor. – Diz o homem fazendo uma reverência.

- #C-como v-você sabe o meu n-nome?

- Eu sei tudo sobre você – A garota solta um sorriso sarcástico.

- #Duvido. – É oficial, ela está querendo mesmo morrer.

- Own, por que você duvida? Eu sei tudo sobre todas vocês, sei por exemplo que você foi estuprada pelo seu padrasto e por causa disso sua mãe começou a se drogar, e hoje, você vive com seus pais adotivos. Estou certo Yumi? – Os olhos da garota se encheram de lágrimas e um sentimento de ódio a invadiu. – Também sei que a Min Soo tem um pai alcoólatra e uma mãe ausente, já a Taegeuk é odiada pela família toda, a Park Mee viu sua mãe se suicidar na sua frente e desde então tem trauma de sangue, a Alaska tem um pai violento que sempre bate nela e na mãe, a Sasah Kwon foi estuprada pelo irmão e teve a mãe assassinada pelo próprio pai e também sei que a Aninha foi estuprada pelo pai quando era menor, estou certo garotas?

Cada uma das garotas presentes ali sentiram as lágrimas chegarem aos olhos quando o passado delas foi revelado, ouvir isso de uma forma tão fria doía, muito. Isso rendeu a resposta a Viktor, ele estava certo com toda a certeza.

- #O QUE VOCÊ QUER COM A GENTE? – Yumi explodiu, não que isso fosse uma coisa anormal na vida dela, muito pelo contrario, mais não era muito inteligente gritar com um homem que sequestrou ela e mais sete garotas e era provavelmente um assassino.

- Pra que todo esse estresse Yumi? Eu apenas quero uma troca de favores, vocês me ajudam e eu ajudo vocês.

- #Fala logo o que você quer.

- Bom, vocês vieram de lugares diferentes do mundo, Itália, Coréia, Brasil, Tóquio, Rússia, Estados Unidos e França, não tem nada em comum fisicamente nem emocionalmente, a única coisa em comum que todas vocês tem é o desejo de mudar a sua realidade.

- °A onde você quer chegar?

- Eu posso mudar essa realidade, posso fazer seus pais serem presentes e amarem vocês com todas as forças, posso fazer a vingança contra quem machucou-as ser a mais dolorosa possível.

- °E o que você quer em troca?

- Own, vejo que está interessada Alaska, eu quero ajuda. O meu mundo está sob ameaça, e só vocês, as sete bruxas mais poderosas do universo podem salvá-lo. – As garotas caíram na gargalhada, que homem louco.

- *Atá, e você é quem? O Papai Noel? – Park Mee não parava de rir. – Cadê as câmeras? Gente, essa foi a melhor trollagem que eu já vi na vida. – As garotas assentiram ainda rindo.

- Não é brincadeira.

- *Tá bom, olha moço, essa história não pode ser verdade por que primeiramente, se nós somos de lugares diferentes do mundo como é que a gente tá falando a mesma língua? Segundamente, esse negócio de bruxaria não existe, eu te aconselho do fundo do meu coração a começar a tomar os seus remédios certinho.

- Então vocês não acreditam? – O homem levantou um dos braços e fechou a mão lentamente, logo todos os objetos que estavam caídos no chão flutuaram, ele então moveu seu punho em um movimento circular e com isso fez com que parasse uma arma a poucos centímetros do rosto das garotas, que passaram de debochados para assustados em poucos segundos. – Isso é suficiente ou eu preciso cravar uma faca em alguém pra você entender Park Mee?

 A garota negou com a cabeça freneticamente, ele abaixou o braço e as armas caíram no chão.

- Como eu estava dizendo, cada uma de vocês representa um pecado capital, sendo Yumi a ira, Park Mee a luxúria, Alaska o orgulho, Aninha a inveja, Min Soo a gula, Sasah Kwon a preguiça e Taegeuk a avareza. Se vocês não acreditam eu posso provar, Min Soo, o que tem dentro dos seus bolsos? – Ele foi até a garota e tirou vários doces de dentro do bolso da blusa dela. – Yumi, você faz tratamento pra controlar o que?

- #A raiva.

- Park Mee, quantos vestidos importados tem no seu closet?

- *137

- Alaska, por que você tirou nota baixa na última prova?

- °Porque a minha professora quer me prejudicar.

- Sasah, por qual motivo a sua tia brigou com você da ultima vez?

- §Porque eu dormi e não limpei a casa.

- Taegeuk, qual foi a última vez que você dividiu alguma coisa com alguém?

- £Não me lembro.

- Aninha, o que você achou dos brincos da mulher que te entrevistou?

- @Ai, lindos, queria um igual. – O homem deu um sorriso convencido.

- Viram só? Vocês vão ser treinadas pelos professores mais experientes do meu reino pra combater o DarKing, depois disso poderão ir pra casa e terão suas vidas consertadas. Vocês aceitam ou não a minha proposta?

- £O que acontece se a gente recusar?

- Que bom que perguntou Taegeuk, bom, se caso isso acontecer vocês apodrecem aqui.

- *Não é assim que se negocia.

- Eu gosto de fazer do meu jeito.  – Park Mee bufou.

- #Eu to dentro.

- *Tudo bem, eu aceito. Mais que fique claro que eu só estou aceitando essa loucura porque eu quero ir pra casa.

- °Eu também.

- @Já que esse é o único jeito eu aceito.

- ¬Tá, beleza, eu aceito.

- §Okay. – Suspira.

- £E-eu não sei isso é muita loucura, até ontem eu estava trabalhando em um mercado simples e hoje aparece alguém falando que eu sou uma bruxa e tenho que salvar uma dimensão.

- §Olha, moça que eu não decorei o nome, esse é o único jeito de você sair daqui, eu sugiro que você aceite.

Taegeuk dá um longo suspiro antes de assentir com a cabeça.

- Ótimo. – Viktor faz um movimento com as mãos e as cordas que amarravam as garotas se soltam, elas logo se levantam e reclamam da dor no corpo. – Alguma pergunta? – Aninha levanta a mão. – Sim?

- @Seu nome não era Leonardo? – Ele ri e nega.

Viktor fecha os olhos e uma fumaça roxa envolve as garotas, logo elas estavam caindo do céu em direção ao chão.

Elas já estavam muito próximas ao solo, iam bater e com certeza morrer violentamente, lógico que isso era uma cilada, por que não pensaram melhor?  Sentiram seus corpos pararem a mais ou menos um metro do chão, depois de alguns segundos eles são soltos e elas vão direto ao chão de terra duro batendo com força.

Viktor apenas ri da situação enquanto elas levantam e reclamam, era realmente uma cena engraçada. As garotas olham em volta e percebem que estão em um campo cheio de grama, mandam olhares interrogativos para Viktor.

- #A onde nós estamos?

- No campo, temos que caminhar até o lugar onde será o treino de vocês.

- §COMO É QUE É?

- Isso mesmo, e já aviso que se tentarem fugir existem criaturas bem exóticas por ai. – Ele se vira e começa a caminhar, sendo seguido pelas garotas, é claro que se ele quisesse poderia fazê-los chegar ao palácio em um piscar de olhos, mas ele queria ver as garotas sofrendo.

 

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 

Já haviam caminhado por um longo caminho, todas as garotas estavam cansadas e o dia já estava indo embora.

- *Ai, eu não aguento mais, esses sapatos vão me matar. – Diz retirando os saltos.

- §Deixa os sapatos por aí então.

- *Claro que não, tá louca? É um modelo original do Manolo Blahnik, custou 11 mil euros.

- @AAH, não brinca que você tem um modelo original do Manolo.

- *Tenho 5 modelos.

- @Meu sonho sempre foi ver um desses na minha frente.

- *Se quiser eu te dou um, meu pai compra outro depois.

- @AAAAH, jura? – Diz abraçando Park Mee que assente com a cabeça.

- °Você é rica mesmo né?

- *Meu pai foi considerado o 5° homem mais rico do mundo.

- #Nossa, gostaria de conhecer a sua casa um dia, deve ser maravilhosa.

- *Qualquer dia eu te levo.

E assim as panelinhas foram formadas, Yumi, Park Mee, Aninha e Alaska em um grupinho e no outro Taegeuk, Sasah Kwon e Min Soo. Com certeza ainda vai rolar muitas brigas entre esses dois grupinhos.

Andaram por volta de mais uma hora, até avistarem um palácio ao longe, as sete garotas ficaram eufóricas ao ver o luxuoso castelo do século XVI, era realmente maravilhoso, atrás do mesmo havia uma grande floresta que cobria a maior parte da visão, o que podia se ver atrás dela era uma pequena vila bem ao longe, o que mais assustou as meninas era que tudo ali era muito simples e antigo, parecia que realmente estavam no século XVI.

Andaram por mais um grande percurso até se verem em frente ao portão do suntuoso castelo, o portão era feito de ferro e havia inscrito ao alto a frase potentia est fortis, em latim cujo o significado é poder  para os fortes. Eles foram abertos revelando grandes canteiros de violetas e bem ao centro um caminho de pedras que era dividido em três partes por uma fonte de anjo, um dos caminhos dava até a porta do palácio e os outros dois iam para a direita e para a esquerda, o tom alaranjado do fim de tarde dava aquele lugar um toque especial, parecia realmente o paraíso.

O grupo então se dirigiu até as portas do palácio que eram feitas de madeira com detalhes em dourado, Park Mee reconheceu logo do que era feito aqueles detalhes, era ouro, as portas eram gigantes e com certeza um homem só não conseguiria empurrá-las. Disposta um de cada lado da grande porta dispunham-se duas estátuas de pedra com a fisionomia de um soldado, eram de mais ou menos três metros de altura.

Viktor parou e encarou o grupo que parecia surpreso com a sua parada repentina.

- Havia me esquecido. – Ele retira alguma coisa do bolso da capa, sim ele estava usando uma capa igual a de super herói, juntamente com calças de couro e uma camisa branca. – Isso é pra vocês usarem, não pode tirar, é o que libera os poderes de vocês.

Ele entrega um cordão para cada uma, cada um continha uma pedra de uma cor sendo azul pra Alaska, preto pra Yumi, branco pra Sasah Kwon, verde pra Min Soo, vermelho pra Park Mee, laranja pra Taegeuk e roxo pra Aninha.

- Cada uma de vocês vai ser treinada por um professor que tem as mesmas habilidades que vocês possuem, porém tomem muito cuidado com eles, não são exatamente quem parecem ser. Ah, mais uma coisa, a líder do grupo de vocês é a Yumi.

- °Por que ela?

- Porque ela foi a mais corajosa e me enfrentou mais cedo. Prontas? – Ele estrala os dedos e as grandes estátuas “acordam” e abrem as portas, as garotas ficam de queixo caído com tal ato.

A porta se abre revelando um saguão de entrada perfeito, o chão era de mármore branco e havia uma grande escadaria que dava ao andar superior, era realmente perfeito. As garotas estavam totalmente desalinhadas, roupas sujas de terra, cabelos bagunçados, sapatos nas mãos, enfim, isso fez com que suas bochechas ficassem fortemente ruborizadas ao ver os 7 garotos sentados no sofá bem ao centro da sala.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...