História The virgin wife - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Justin Bieber
Personagens Barbara Palvin, Justin Bieber
Visualizações 73
Palavras 1.206
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente até que enfim postei . Eu tinha que postar ontem mas o capítulo simplesmente apagou !!!
Então postei agora ..

Favoritem
Favoritem.
Favoritem

Comentem
Comentem
Comentem.
..


Amo vcs 💓 obrigada pela atenção!!!!!!

Capítulo 3 - I' m going to marry her! ( vou, me casar com ela)


Fanfic / Fanfiction The virgin wife - Capítulo 3 - I' m going to marry her! ( vou, me casar com ela)

             The  virgin  wife

          ( A esposa virgem )


Olhando para a entrada , Justin viu um homem  de Edward. Como não o tinha notado ? Claro, distraira-se com a criança e com demostrações​ amorosas. Abafando a raiva , pôs a caneca na mesa e derigiu-se ao estranho 


Finalmente já fazia um ano ,que Hexham invadirá a propriedade vizinha de Belvry e ,até agora , agora o destino das terras  do desgraçado continuava sem solução.


Na opinião de Ryan , Edward decidirá em favor de Justin, passando a propriedade para Belvry com indenização. Justin entretanto não confiava nos reis e príncipes, graças às experiências adquiridas na aventura chamada Guerra Santa.Ele nao se se surpreenderia se Edward confiscasse a propriedade de Hexham para a coroa .


Nao se importaria, Hexham não tinha prole,portanto de uma forma ou de outra as terras deixariam para sempre sua linha hereditária. Isso constituia uma pequena satisfação para Justin, pois era a única vingança que lhe restava.


_ O senhor é Justin Bieber, o barão de Belvry? - o mensageiro do rei indagou.


_ Sou - confirmou Justin.


_  Trago-lhe uma mensagem de seu soberano. Justin fez um gesto​ para sentar-se no banco ao longo da mesa. Nesse instante, percebeu o olhar ansioso de Madison. Ela é o marido não escondiam a vontade de também ouvirem a novidade. Isso o surpreendeu.


_ Posso oferecer-lhe uma bebida? - perguntou Madison ao mensageiro.


_ Aceito, sim , minha senhora . Mas a mensagem e curta. Nao prefere ouvila primeiro? - indagou ele olhando para Justin e para os outros dois.


Irritado, mas querendo terminar logo a questão, Justin dirigiu um olhar interrogativo ao cunhado. Este o respondeu com outro de advertência. Com os braços nos ombros na esposa, Ryan o fez sentir que devia algo a Madison por seu trabalho em Belvry. Tenso , Justin a sensação de que apesar das demonstrações de amizade de Ryan os dois chegariam as vias de fato .


Justin, entretanto cedeu. Afinal, o assunto nao tinha muita importância para ele. Não havia mal que eles ouvissem a notícia .


_ Está e minha irmã, e seu marido,  o barão de  Montemorency , o senhor já o conhece .


_ Minha mensagem e referente a posse da propriedade adjacente a Belvry e pertencente ao falecido barão Hexham.


Justin concentrou a atenção no mensageiro. Este pos-se a ler o decreto real, no qual Edward demonstrava a vontade de solidificar a lealdade dos súditos através de laços matrimoniais, sempre que fosse possível. Esta bem, pensou Justin - termine logo a leitura!


_ Como descobriu-se a existência de uma sobrinha de Hexham, portanto sua herdeira, é nossa vontade que o senhor se case com Angel Hexham​, reunindo as duas propriedades e sendo senhor de ambas.


Embora o homem continuando a ler , Justin não presto mais atenção. Hexham tinha uma parente viva . A informação reavivou a raiva adormecida, enchendo o vazio da alma com renovado propósito.



_ Ela vive a anos num convento, protegida das maldades do mundo. Deve ignorar tudo a respeito da malícia dos homens e de sua brutalidade. Aí Ryan , o que acontecera a ela nas mãos de Justin?


_ Seja otimista Madison.


_ Vou tentar e rezar muito por ela, que Deus tenha piedade da pobre moça.


Justin afastou-se de Dunmorrow sem olhar para trás. Nada prendia lá, mas algo o esperava a frente embora fosse um homem destemido, mantinha uma boa escolta para acompanhá-lo em viagens.. parando apenas para pedir informações sobre o caminhodo convento, ele ia em busca da noiva.


Não se prepara com sua aparência ela podia ser velha, jovem,feia ou bonita o importante era ser do sangue de Hexham. Ansioso por alcançar o destino, Justin forçava a comitiva a prosseguir depressa. Paciência e disciplina , duas de suas qualidades, estavam esquecidas .


_  Para onde vamos? - perguntou uma voz profunda e melodiosa.


Justin relançou os seus olhos para o homem a seu lado m este usava uma túnica larga e longa,pois como vários outros do grupo, desdenhava a cota de malha dos cavaleiros.


_ Darius!


Perdido em pensamentos, Justin não tinha percebido a aproximação do companheiro, Darius tinha a habilidade de aparecer de repente. Era também temido pela precisão​ de seus golpes. Justin o admirava por essas qualidades que os havia salvado varias vezes quando guerreavam  na Terra Santa.


Apesar de ser também chamado de sírio Justin não fazia ideia de onde ele nascerá . A variada população da Síria contava com grupos armênios, muçulmanos, judeus, italianos e francos que conviviam com uns poucos germânicos e escandinavos.


O nome Darius era egípcio e Justin podia imaginar o homem alto e moreno como descendente de um faraó poderoso. Ele tinha uma postura nobre e uma autoconfiança que não poderia ter surgido nas sarjetas. A pele dele era de um dourado profundo , mas clara o suficiente para indicar misturado de sangue . Justin refletia se Darius não seria capaz filho bastardo de algum sultão, ou talvez de um cavaleiro que houvesse violentado uma das mulheres nativas no ardor das cruzadas . Nunca havia perguntado e Darius não oferecerá explicações.


Desde o encontro tumultuado dos dois, varias anos antes ,eles mantinham um acordo tácito: nada de indagações sobre o passado. Ao voltar para Bretanha, Justin trouxera o homem, que havia se tornado quase tão chegado quanto um amigo , e lhe passado o mínimo necessário de informações. Eles não haviam prestado juramento algum nao faziam planos para o futuro e não julgavam mutuamente.


_ Estamos indo a um convento . trata-se de um lugar sagrado para mulheres- explicou Justin​.


_ As mulheres vivem lá sozinhas?!- perguntou Darius perplexo com o conceito estranho .


_ Vivem . Elas juraram fidelidade a Deus .


_ O que vamos fazer lá ? Acho curioso que permitam a entrada de homens em tal lugar.


_ Estamos indo em busca de uma parente de meu inimigo,a herdeira de Hexham. Finalmente, vou poder me vingar , Darius .


_ Essa parente e santa ?


_ Não, mas vive lá com as que são - respondeu Justin. Percebeu que Darius relaxou a expressão. Embora o companheiro não professasse religião alguma , respeitava os lugares sagrados , tantos cristaos como mulçumanos.


_ Sei  . E o que você pretende fazer com ela? - o sírio quis saber .


Justin não respondeu logo , pois ainda refletia sobre planos . O futuro, tão vazio até pouco antes , agora oferecia possibilidades sem fim . Oprimido pela morte e pelo vazio de longos meses seguintes, ele ansiava pela recompensa imediata .


_ Vou deixá-la sofrer como Hexham fez comigo - respondeu finalmente.


_ Esvair se em sangue sob o sol escaldante do deserto ?!- Justin ignorou o sarcasmo do companheiro . Não queria lembrar dos dias sofridos e das noites geladas ao relento. Nem do ano vagaroso de recuperação.


_ Nao . Vou descobrir do que ela mais gosta e priva-la disso como Hexham tentou fazer comigo. Também descobrirei o que ela mais teme e a farei enfreta- lo . Vou atormenta-la e sentir prazer com isso . Executarei minha vingança.


Faz-se silêncio, mas Justin sentiu o olharde Darius sobre ele . Sabia que o companheiro tinha profundo respeito a mulheres. Provavelmente, ele não lhe aprovará os planos, mas não interferiria .


Por algum tempo, nenhum dos dois falou , então Darius abaixou o olhar .


_ Você vai ao convento para mata-la ? - perguntou, Justin sorriu.



_ Não . Vou para me casar com ela!







Notas Finais


Pessoal me desculpem pela demora mas aqui está um capítulo enorme .


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...