História TWD - My best friend - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Aaron, Abraham Ford, Andrea, Beth Greene, Bob Stookey, Carl Grimes, Carol Peletier, Dale Horvath, Daryl Dixon, Enid, Eugene Porter, Gabriel Stokes, Gareth, Glenn Rhee, Hershel Greene, Lizzie Samuels, Lori Grimes, Maggie Greene, Merle Dixon, Michonne, Mika Samuels, Morgan Jones, Negan, O Governador, Paul "Jesus" Monroe, Personagens Originais, Rick Grimes, Rosita Espinosa, Sasha, Shane Walsh, Sophia Peletier, Tara Chambler, Tyreese
Tags Drama, Melhores Amigos, Terror Suspense, The Walking Dead
Visualizações 110
Palavras 578
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Presa


Atlanta 16:56

02\06\2015

- porque me trouxe logo aqui - falo me referindo a prisão lugar que eu tinha "roubado" semana passada 


- de nada por ter salvado a princesa, se você não tivesse bêbada não estaríamos aqui

- se eu não tivesse bêbada eu teria morrido - ele apenas revirou os olhos e disse

- você se lembra de alguma coisa daquele dia? - eu acho que ele fala se referindo ao beijo, ou eu fiz outra merda ?!

- sobre aquele beijo.....? - eu dizia ficando totalmente corada quando ele me interrompe

- eu sei... Sei que você estava bêbada e que não teria o feito se estivesse... Em um estado "normal", e mesmo se tivesse não passaria daquilo - ele disse com a voz triste 

Pode ter certeza que doeu muito mais em mim, eu me senti culpada e uma completa idiota.... Droga

- não que..... - eu ia responder mais eu ouço um barulho de tiro e Lidy que já havia quase dormindo no meu colo se encolhe 

- oque foi isso ?! - o loiro perguntava me entregando uma arma - mas que droga está acontecendo lá fora ? - eu levantava e pegava Lidy no colo e vou até uma janela, afasto um pouco a cortina e vejo alguns tanques, explosões, zumbis e tiros 

Fiquei assustada mais não por mim por lidy, eu realmente lembro de Catherine quando a vejo sendo atacada por um zumbi que a pega por traz. Lidy encosta sua cabeça em meu ombro já chorando 

- calma tá tudo bem, eu estou aqui - eu tentava dizer palavras confortantes para a menina - precisamos sair daqui logo, tipo agora ! - Daniel dizia e eu já preparava minha arma enquanto ele abriria a porta que por sorte os zumbis ainda não tinhas chego 

Eu saí correndo com Lidy enquanto Daniel vinha atrás me dando cobertura, quando nós saímos para fora eu não atirava em ninguém pois não sabia oque estava acontecendo e não queria matar inocentes 

Então eu vejo um ônibus com provavelmente o pessoal da prisão indo embora , eu tento achar algum carro enquanto Daniel atira nos zumbis depois de várias tentativas eu acho um e nos entramos la, eu coloco Lidya atrás e Daniel entra já dirigindo o carro e saindo dali 

Nós não sabiamos para onde ir então apenas seguimos para lugar nenhum de carro apenas para longe daquela prisão que já estava um caos mas antes parecia ser segura, nós andamos até uma hora que o carro parou, Daniel deu partida de novo mais nada aconteceu.... Droga a gasolina havia acabado então continuamos andando mesmo 

Entramos na floresta e nada achamos até que resolvemos seguir uma linha de trem onde tinham algumas placas mais nelas não continham o mapa e sim uns cartazes escrito "terminus santuário para todos" alguma coisa asaim, no momento me parecia bons então lemos as instruções de como chegar lá e seguimos a linha de trem 

Demoramos uns três dias para chegar e quando chegamos parecia bom nós ofereceram comida, agua, camas, e tudo que precisaríamos para viver mas logo nos trancaram em um vagão 

- fiquem ai, uma pena você morrer princesa - aquele verme me olhava com desejo, nojo era a única coisa que consegui pensar então falei minha última frase antes de ser empurrada no vagão : - seu babaca nojento - logo me levantei chutando e socando aquele metal 

Quando eu finalmente fui olhar o vagão haviam pessoas lá, pareciam um grupo 


Notas Finais


Oiee beijinhos comentem pfv


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...