História The Walking Dead - Odeio Amar Carl Grimes - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Tags Carl, Dead, Serie, Walkers
Exibições 413
Palavras 1.616
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Survival, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


OOOI WALKERS!!
Achei q não conseguiria postar hj.... mas, consegui! Kkk Espero q gostem do capítulo.
Desculpem se tiver erros de digitação...
BOA LEITURA! ♡♡♡♡♡

Capítulo 22 - Não tive coragem


         
        Continuação.....

     - C-Carl... o que você está fazendo com o meu diário? - Perguntei apavorada. Temia que ele pudesse tê-lo lido.
     - Quantos zumbis você já matou? - Perguntou novamente com o tom mais preciso. Não entendi aonde ele queria chegar.
     - Carl.... - Dei três passos na direção dele.
     -  Não se mexe! - Gritou balançando o diário em sua mão. - Ou eu jogo isso na fogueira! - Ameaçou me forçando a parar, meu coração deu um pulo.
    - Não! Não por favor! - Supliquei.
    - Ok, então responda as perguntas com sinceridade e o seu diário ficará a salvo! - Falou. O que ele quer?
    - Tá... ok. - Aceitei, era isso ou meu diário viraria pó.
    - Quantos zumbis você já matou? - Perguntou sério, aonde ele queria chegar com isso?!
    - N-não sei... vários! - Respondi apreensiva, meus olhos vidrados no diário.
    - Quantas pessoas você já matou? - Essa pergunta me deixou aflita.
    - Eu já disse antes, só matei uma....
    - RESPONDE A VERDADE! - Gritou tão auto que me fez dar um pulo de susto. Ok, acho que ele leu o diário.
    - EU NÃO SEI! SATISFEITO? NÃO SEI QUANTAS PESSOAS EU MATEI! - Berrei já chorando.
    - Por que?
    - Porque não me lembro. - Respondi soluçando.
  Ele baixou a mão e veio na minha direção.
    - Toma. - Me estendeu o diário, peguei-o rapidamente.
    - Você...
    - Sim. Eu li. - Confirmou antes que eu terminasse a pergunta, me senti como se tivesse levado uma facada pelas costas. Eu nunca o perdoaria. - Li tudo. - Acrescentou.
Então era por isso que ele não saía mais do quarto, estava trancado lendo minha vida!
    - Eu te odeio Carl. - Levantei a cabeça pra ele e o encarei com o mais puro ódio. E então, num impulso, lhe dei um tapa na  cara.
    - Não devia ter feito isso! - Gritou e pulo em cima de mim me derrubando no chão, ele ficou por cima de mim e segurou com força meus braços a cima da minha cabeça. Tentei me soltar mas não consegui.
     - Olha só Thaylor, eu vou te dar uma chance de se explicar, pra tentar me convencer de que você não é perigosa!
   "Peraí, ele vai me dar uma CHANCE de me explicar? Ninguém que tenha realmente lido o diário faria isso, a não ser que..." meu coração deu um pulo, talvez ele não tenha realmente lido! Mas eu tinha que ter certeza.
    - O que você quer que eu fale Carl?! - Gritei tentando me soltar. - Quer que eu conte como me senti quando roubei os mantimentos do meu primeiro grupo?!
   Ele me olhou confuso.
   - O que?
   - Tá legal, eu conto! ME SENTI A PIOR PESSOA DO MUNDO! Mas não pode me julgar, eu SÓ tinha onze anos!
  Ele saiu de cima de mim, peguei meu diário do chão e me levantei também, ficando de frente pra ele. Carl me olhava meio confuso e atordoado. O que será que ele esperava ouvir?
    - Carl, não conta pro Rick por favor! - Implorei fingindo arrependido. - Promete!
    - T-tá... eu prometo. - Concordou, ele ainda me olhava meio abobado.
  Senti um alívio no peito, ele não tinha lido meu diário, agora tenho certeza.
    - Por que leu o meu diário?! - Ralhei. mesmo sabendo que ele não tinha lido, eu fiquei com raiva por ele ter ficado esse tempo todo com ele.
    - Por causa da Skyler. - Ele disse se sentando no tronco caído. Senti um ódio me invadir.
    - Como assim por causa da Skyler? - Perguntei me sentado ao lado dele.
    - A umas duas semanas ela foi lá em casa, e disse que contaria a verdade sobre quem era você, e começou a contar umas coisas estranhas. - Falou encarando o chão, ele estava sem graça.
    - Que coisas estranhas ela contou? - Perguntei apreensiva.
    - Disse que você era uma assassina, que matou duas garotas da sua escola e falou que você foi internada num manicômio por ter matado sua meia-irmã de dois anos... Julie.
    - Que absurdo! - Fingi indignação, mas por dentro eu estava sentindo ódio da Skyler, como ela teve a coragem?!
    - É... ela disse que você é doente, que você tem algum tipo de "distúrbio mental". - Contava ainda encarando o chão.
    - MENTIRA! - Gritei de repente, que raiva daquela infeliz! - Ela que é doente mental! A Skyler inventou tudo isso, ela nem teve nenhuma filha além da Emma!
    - É, agora eu sei que é mentira. Mas não se preocupa, ninguém acreditou nela.
    - Menos você, não é? - Falei com certa decepção.
  Ele finalmente me olhou, seus lindos olhos azuis refletiam a luz da fogueira.
    - Eu sinto muito, muito mesmo. - Falou me encarando envergonhado. - Me desculpa.
    - Não sei se posso te desculpar Carl. Você desconfiou de mim e ainda leu o meu diário!
   - Eu não li o seu diário! - Confessou.
   - Sério? - Perguntei fingindo surpresa.
   - Sim. Eu não consegui ler, não tive coragem. A única coisa que li foi "este diário pertence a Thaylor Cristhin". - Falou fazendo uma voz engraçada. - Mas eu tinha que saber se você era mesmo inocente, eu passei duas semanas tentando pensar num jeito de descobrir a verdade sem precisar ler o diário, eu nem dormia. - Então era por isso que ele estava com os olhos vermelhos. - E então, ontem eu tive a ideia de te confrontar.
    - E bela ideia. - Ele realmente teria conseguido arrancar a verdade de mim, mas eu fui mais esperta. - Conseguiu me assustar.
   - Desculpa, mas eu tinha que saber.
   Ficamos em silêncio por um instante antes do Carl me deixar tença ao fazer uma pergunta.
   - Thaylor... por que que quando eu te perguntei "quantas pessoas você já matou" e o "Por que", você respondeu que não sabia porque não lembrava?
   Fiquei calada, não sabia o que responder. "Isso Thaylor, sai dessa agora!" !
    - Thaylor?
    - F-foi... foi porque... - Eu tentava pensar numa resposta. - ... eu me referia aos zumbis, afinal, eles são pessoas. E eu já matei tantos que até perdi a conta, impossível lembrar.
   Ótimo... acho que me safei dessa.
    - Carl, como tinha certeza de que eu conseguiria te achar aqui na floresta? - Não pude deixar de perguntar.
    - Pela luz da fogueira. - Respondeu fazendo uma cara de "não é óbvio?".
    - Ah.. é claro.
   
   Ficamos em silêncio, apenas admirando a lua cheia no céu repleto de estrelas.
    - São lindas, não é? - Carl murmurou olhando pro céu.
    - São. - Confirmei também olhando pras estrelas. - Fazia tempo que eu não parava pra observa-las. - comentei.
    - Eu também não. - Falou se levantando do tronco e se deitando no chão cheio de mato.  
  Me levantei também e me deitei ao lado dele, encarando o céu.
   - Thaylor, posso... te fazer uma pergunta?
   - Tecnicamente você já fez. - Zombei. - Fala.
    - Como foi que você e o Ron viraram namorados?
  Essa pergunta me pegou de surpresa.
    - Bem, ele me pediu em namoro, e como a gente se dava super bem, eu aceitei. - Respondi sem dar muita importância ao assunto, não queria falar de mim e o Ron.
    - Hum. - Murmurou meio inquieto.
    - E você e a Enid? - Não consegui evitar, eu queria saber.
    - O que tem eu e a Enid?
    - Como vocês viraram namorados?
    - O que? - Indagou virando a cabeça pra mim. - De onde você tirou isso?
    - Isso o que? - Perguntei também olhando pra ele.
    - Eu e a Enid não estamos namorando! - Senti uma sensação estranha de repente, parecia... felicidade?
   - E-eu pensei que...
   - Pensou errado. Enid e eu somos apenas amigos. - Falou. - O que te fez pensar isso?
    - Hãmm... foi só um palpite. - Menti, mas eu não podia contar que segui eles.
  Ele balançou a cabeça.

    - Carl.
    - O que?
    - Acho melhor voltarmos. Já está tarde, seu pai e os outros devem estar preocupados. - E é verdade, podem até estar nos procurando.
    - É isso ou você está com fome? - Perguntou rindo.    
    - As duas coisas, talvez. - Rimos.
  Me levantei e estiquei a mão pra ajudá-lo a se levantar. Peguei meu diário de cima do tronco e voltamos pra Alexandria.
   
                 [ .... ]

   Me deitei na cama e joguei o diário em cima da cômoda, estava exausta.
     
  Me virei pro lado e encarei fixamente a parede.
   "Não foi dessa vez que você conseguiu me ferrar Skyler, mas não vou te dar outra chance, não mesmo".


Notas Finais


Bem Walkers eu espero q tenham gostado, se puderem comentem oq acharam por favor.
Vou tentar postar o próximo cap o mais rápido possível!
Vlww e até a próxima! 😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...