História The Walking Dead - Odeio Amar Carl Grimes - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Tags Carl, Dead, Serie, Walkers
Exibições 424
Palavras 1.080
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Survival, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


OOOI WALKERS! Desculpem mesmo pela demora! Mas aconteceram tantas coisas e tal e eu fiquei sem tempo... mas agora as coisas estão voltando ao normal, e vou poder repor meu estoque de capítulos kk
Enfim, espero q gostem do capítulo!
Desculpem se tiver erros de digitação...
Boa leitura! ☆☆☆☆☆

Capítulo 24 - Prove do seu próprio sangue


Fanfic / Fanfiction The Walking Dead - Odeio Amar Carl Grimes - Capítulo 24 - Prove do seu próprio sangue


                 ~ POV THAYLOR ~

   Me levantei da cama e me certifiquei de que Emma estava dormindo. E então, sem fazer barulho, sai do quarto e desci as escadas, como não vi ninguém no andar de baixo, saí da casa.
  A noite estava fria, já devia passar das duas da madrugada. Não vi ninguém na rua, apenas um homem na Torre de vigia.

   Peguei o grampo do meu cabelo e tentei destrancar a porta, não demorou muito pra eu conseguir.
  Entrei de fininho na casa, trancando a porta atrás de mim. Estava tudo escuro e silencioso.
   Subi as escadas e passei pelo corredor procurando o quarto dela. 
  Vi um quarto com a porta entre-aberta, empurrei um pouco a porta, que rangeu. Ela estava lá, dormindo na cama, abri um sorriso de lado e tirei a faca do bolso e andei lentamente até ela, e com um golpe, dei uma facada no pulmão esquerdo dela.
    - AHHH.... - Skyler tentou gritar, mas seu grito foi abafado pelo travesseiro que precionei contra seu rosto.
    - Shh... melhor poupar o ar dos seus pulmões Sky, ainda temos muito o que conversar. - Sussurrei tirando o travesseiro do rosto dela.
   Skyler estava ofegante, tentando buscar ar. Seu sangue jorrava manchando os lençóis brancos.
   - Desculpa te acordar assim, mas eu tinha que garantir que você não fosse se levantar da cama. - Me expliquei, eu estava amando vê-la sangrar daquele jeito, ela me olhava aterrorizada enquanto apertava as mãos com força contra o ferimento.
    - S-sua... lo..louca... - Falou com muita dificuldade.
   Puxei uma cadeira e me sentei de frente pra ela.
    - Dói não é? - Falei com um sorriso cínico, eu não conseguia esconder minha satisfação. Ela soltou um uivo de dor enquanto se contorcia.
     - Maldita! - Conseguiu xingar e soltou mais um gemido.
     - Isso não precisava ter chegado a esse ponto Sky... mas você resolveu abrir a boca. - Me levantei da cadeira e comecei a andar de um lado pro outro balançando a faca em minha mão.
    - Do.... que v-você está f....falando?
    - Não se faça de desentedida! - Sussurrei chegando bem perto dela. - Você foi até a casa do Rick e contou pro grupo aquelas mentiras absurdas!
    - Não foram m-men-tiras! - Grunhiu.
    - Eu não matei ninguém Skyler! - Falei entre os dentes.
    - V-você sabe que sim... e vai se lem-lembrar do que f-fez... algum dia. - Falava quase sem conseguir.
    - Não tenho nada pra lembrar Skyler! Sabe por que? Por que não fui eu! - Gritei pra ela. Voltei a me sentar na cadeira de frente pra ela. - Você sempre tentou fazer da minha vida um inferno Skyler, estava sempre pegando no meu pé... e isso não era legal.
   Ela tentou dizer alguma coisa, mas não conseguiu.
   - Eu não sou uma pessoa má, mas eu tenho que calar a sua boca. Eu sou inocente de tudo o que você me acusou. Eu nunca deveria ter sido internada naquela hospício! Você conseguiu colocar algumas pessoas contra mim antes, mas agora eu não vou mais deixar isso acontecer de novo! - Falava tentando manter a calma, mas quando as lembranças do meu passado começaram a surgir, senti a raiva invadir meu peito. - Fala a verdade Sky, você pagou pra aquela psiquiatra dos infernos me diagnosticar como uma doente mental, não foi?
  Ela deu um pequeno sorriso de deboche que logo virou uma careta de dor. Ela se virou olhando pra mim com o ódio transparecendo em seu olhar.
    - N-não precisei pag...pagar ninguém, você é me-mesmo louca. - Sussurrou, sua voz quase inaudível.
     - Por que me odeia tanto Skyler? - Eu não queria que ela morresse sem me explicar, segurei as lágrimas de raiva e ressentimento que queriam escapar dos meus olhos.
    - Por que você... é a fi..filha da mulher que seu pai am...amava. - Respondeu e uma lágrima escorreu pelo seu rosto. - Eu te od-odeio muito!
     - Eu te odeio também Skyler. E agora eu vou ter o prazer de ver você se engasgar com o seu próprio sangue depois de tanto tempo! - Falei com desprezo.
    - E ai, todos v..vão sab-ber quem você é d-de verdade.
    - Não, eles não vão. Por que acha que convidei a Emma pra dormir comigo ontem? Você vai morrer aqui, e eu vou voltar pro meu quarto como se nada tivesse acontecido. E então, quando o efeito do sonífero que eu dei pra Emma passar, ela vai acordar e vir pra cá, e vai encontrar você como uma daquelas coisas.
    - N-não... por favor, não deixe a Emma m-me ver co-como um desses bichos! - Implorou chorando e se contorcendo.
    - Sinto muito Skyler, mas eu não estaria me vingando de você se não fizesse isso. - Lamentei com falso pesar na voz.
  Ela me fitou com puro desprezo e de repente começou a se debater e soluçar, de início pensei que ela estava apenas chorando, mas estava se engasgado. Sangue começou a sair da sua boca. Ela me olhava implorando por ajuda, mas não me movi.
   Segundos depois, ela parou de se debater, e ficou imóvel na cama, seu rosto virado pra mim e seus olhos parados vidrados nos meus.
   Me levantei da cadeira e fui até ela, peguei sua mão e não tinha mais pulso.
    - Sinto muito por isso Skyler, mas você não me deu escolha. - Deixei uma lágrima escapar, não estava chorando por ela, estava chorando por mim. Foi a primeira vez que assassinei uma pessoa assim a sangue frio.
   Peguei um lençol e amarrei as mãos dela nas grades da cama.
    Não demorou muito pra ela voltar como uma daquelas coisas. Os olhos brancos e a pele completamente pálida.
   Ela grunhia e tentava se soltar.
    - Merda! - Eu não ia conseguir deixá-la assim, então peguei minha faca e andei até ela.
    - SOLTA A FACA THAYLOR! - Me virei rápidamente pra porta e Carl estava parado ali apontando uma arma pra mim.
    Paralisei aterrorizada, isso não estava nos meus planos.


Notas Finais


Bem... espero q tenham gostado, desculpem pelo capítulo ter sido tão curto.
Se puderem comentem oq acharam por favor, vou tentar postar o proximo capítulo o mais rápido possível!
Vlw e até a próxima! 😙😙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...