História The walking dead- Carl, eu te amo - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Aaron, Abraham Ford, Carl Grimes, Carol Peletier, Daryl Dixon, Enid, Eugene Porter, Gabriel Stokes, Gareth, Glenn Rhee, Maggie Greene, Michonne, Morgan Jones, Negan, Paul "Jesus" Monroe, Personagens Originais, Rick Grimes, Rosita Espinosa, Sasha, Tara Chambler
Tags Carl Grimes, The Walking Dead
Exibições 44
Palavras 1.128
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiiie!! Mais 1 capítulo. Espero que gostem!

Obigada pelos 19 favoritos!!
O proximo capítulo talvez saia quinta

Capítulo 8 - O interrogatório


Fanfic / Fanfiction The walking dead- Carl, eu te amo - Capítulo 8 - O interrogatório

Continuação 

 

   P.O.V Julie

   Acabamos de almoçar e fomos para um lugar onde servia para treinar a mira. Fizeram um círculo em volta de mim e de Daryl para a nossa "competição".

 

   -Pode começar menina. -Disse Daryl me entregando seu crossbow.

   

   Eu peguei o crossbow, e fiz igual eu fazia antes, só que tinha um pequeno detalhe, eu estava tremendo de nervoso, então não teria certeza se iria acertar de primeira.

   -Julie, para de tremer, você consegue - Eu disse em voz baixa só para mim ouvir.

   Me concentrei, mirei e atirei. 

   -Gente, Julie, você é boa. - Disse Maggie.

   -Obrigada. - Eu disse.

   Tinha acertado um pouco do lado do meio, mas para quem estava tremendo foi ótimo.

   -Por que não conseguiu acertar o meio? - Perguntou Daryl.

   -Eu fiquei nervosa e acabei errando. 

   -Bom, agora sou eu. -Ele disse.

   Daryl pegou o crossbow, fez a mesma coisa que eu, ele mirou, atirou e acertou. 

   -Não vale, eu não atiro faz anos. -Disse decepcionada.

   -Não tenho culpa se você é ruim.

   -Aé? Ok então, eu vou atirar mais uma vez e eu vou acertar, só pra você lavar essa sua boca. - Eu disse confiante e atirei. - Tomaa!!!! Acertei agora. Chupa Daryl!

   -Menos menina. Você é boa. Mas não exagera. - Ele disse.

   -Tá, eu vou pra casa, tô cansada. Tchau pra vocês.

   

   Eu estava cansada, não sei porque, mas estava. Eu fui pra casa, entrei no meu quarto e comecei a ler um gibi. 

   Eu fiquei um tempo lendo, e quando percebi já eram mais de 4 da tarde, eu fiquei com tédio de ficar em casa então decidi sair um pouco sozinha. Pulei o muro e fui andando para o lugar onde sempre fico. Eu estava quase chegando quando ouço vozes de homem, fui seguindo as vozes em silêncio até que cheguei neles e fiquei observando eles escondida. Tinha 3 caras, um deles estava ajoelhado todo ensanguentado. Eles estavam conversando, mas não parece uma conversa amigável.

   -Não vai contar onde fica Hilltop?- O cara não respondeu - RESPONDA!

   -Não 

   -O que fazemos com ele? - Ele perguntou para o outro cara.

   -Temos duas opções, a primeira nós insistimos mais um pouco para ele falar, e se ele não falar ele morre, e a segunda é ele falar, se ele falar será poupado e vai ser uma pessoa melhor, vai ser um salvado igual nós.

   -São essas as opções meu caro, agora responda! 

   A vítima não respondeu e logo depois levou um soco no rosto

   -Vamos! Negan não gosta de esperar, responda ou morra. - O cara levou outro soco.

   -Fica em... Virgínia.

   -Muito bem! Você não vai se arrepender. Se colaborar, daqui um tempo será um salvador. Agora levante e vamos!

 

   Os caras já tinham acabado a sessão de tortura, então eu sai novamente em silêncio e voltei para Alexandria.

 

   -Julie, é você - Eu estava entrando em casa quando Rick falou.

   -Sim, sou eu.

   -Carl está te procurando. - É incrível como ele fica no meu pé. Mas eu amo ele mesmo assim.

   -E você sabe onde ele está?

   -Ainda deve estar te procurando.

   -Quanto tempo faz que ele saiu?

   -Uns 10 minutos.

   -Ok, eu vou procurar ele.

 

   E se o Carl pulou o muro? E se ele foi encontrado por aqueles caras? Eu sei que não fiquei muito tempo, fique no máximo 15 minutos lá fora, mas e se nós nos desencontramos? Estava ficando nervosa só de pensar nisso então eu sentei em um banco. Fiquei pensando por um tempo, até que quando ouço alguém me chamar.

   -Julie! Julie. 

   Quando vejo era Carl do meu lado, parece que ele estava me chamando a um tempinho e eu estava aqui nervosa.

   -Oi, desculpa.

   -Tá tudo bem? Você parece nervosa.

   -Tá sim, eu só estava pensando.

   -Quer me contar o que?

   -Não é nada importante, agora porque estava me procurando?

   -Só pra passar um tempo, tava um tédio. Acho que já não é novidade.

   -Novidade é ter coisa pra fazer.

   -E onde você estava?

   -Eu... eu estava com a Enid. - Eu literalmente não sei mentir

   -Tem certeza? 

   -Sim, não confia em mim?

   -Confio, só que você falou meio insegura, mas deixa isso pra lá.

   

   P.O.V Carl 

   Julie estava me escondendo alguma coisa, eu fui na casa da Enid pra ver se ela estava lá, rodei Alexandria inteira atras dela e ninguém viu ela, ela devia ter pulado o muro, mas eu vou descobrir o que ela fez, depois da janta, porque agora eu estou com muita fome pra interrogar ela. E que coincidência, parece que a Carol leu meus pensamentos.

   -Carl, Julie. Venham jantar! - Carol gritou.

   -Vamos? - Perguntei.

   -Claro - Ela respondeu.

 

   Nós jantamos e depois da janta fomos pra casa, estava na hora do interrogatório. 

   -Julie, posso falar com você?

   -Tá, pode.

   -Vamos para o meu quarto

   -O que você quer Carl?

   -Confia em mim.

 

   Nós fomos para o meu quarto, ela se sentou na minha cama e logo depois eu fechei a porta e sentei do lado dela.

 

   -Julie, você não se encontrou com a Enid - Afirmei e ela fez uma cara de espanto.

   - Claro... que fui.

   -Eu passei na casa dela pra ver se você estava lá, e ela disse que nem te viu hoje, você pulou o muro né? Por que você mentiu? 

   -Tá, eu pulei o muro. Não te contei porque pensei que você ficaria bravo por eu não ter pulado o muro com você.

   -Mas por que eu ficaria?

   -Não sei, vai saber. Me perdoa? - Ela pediu desculpas e me beijou, ainda amo os beijos dela, eu não sei por que, mas não consigo ficar bravo com ela.

   -Tá, te perdoo. - Falei e continuei a beijando. 

 

   P.O.V Julie 

   Nós acabamos de jantar e fomos para casa, Carl me chamou para conversar no quarto dele, eu de começo achei estranho, mas depois ele me deu sua confiança. Então eu fui e ele me interrogou. Eu não falei a verdade pra ele porque vai que ele da a louca e decide ir atras desses caras, então inventei uma desculpa de imediato e parece que ele acreditou. Claro que eu tinha que me desculpar para ele ter certeza, então pedi perdão e logo depois beijei ele. Eu amo o beijo dele, nós continuamos nos beijamos, ele foi me deitando aos poucos até que ele ficou em cima de mim.

   -Carl... eu não sei se estou preparada.

   -Tudo bem, nem eu estou. -Ele disse e nós continuamos nos beijando. - Quer saber? Só te perdoo com uma condição.

   -E qual é?

   -Dorme comigo hoje? 

   -Claro, mas não vamos pra mais do que beijos ok? Como eu disse, ainda não estou pronta

   -Tudo bem. Tudo o que você quiser. - Ele disse e continuamos nos beijando.

 

Continua


Notas Finais


Continuo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...