História The Weight - Shawn Mendes - Capítulo 47


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cameron Dallas, Carter Reynolds, Jack & Jack, Mahogany LOX, Matthew Espinosa, Nash Grier, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Personagens Cameron Dallas, Carter Reynolds, Jack Gilinsky, Jack Johnson, Mahogany LOX, Matthew Espinosa, Nash Grier, Personagens Originais, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Tags Ação, Carter Reynolds, Drama, Jack And Jack, Mahogany Lox, Matthew Espinosa, Nash Grier, Romance, Shawn Mendes, Suspense, Taylor Caniff
Exibições 415
Palavras 1.562
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Mistério, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Saga, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Gente, eu sei que ontem eu prometi um capítulo, mas eu não estava me sentindo muito bem então achei melhor deixar pra hoje... e eu sei que vcs entendem isso pq vcs são uns amores 💕 Muito obrigada por ler minha história e aqui vai mais um capítulo ( provavelmente o mais maluco de todos )

Capítulo 47 - O Código



- Acorda - Shawn me sacudiu. - Seu pai está lá embaixo. 

-  Tá muito cedo, Shawn.

- São 11:45 Natalie, ele disse que você já está atrasada. Vocês vão sair? 

- Eu não te contei ontem... Na verdade, você não apareceu lá em casa quando os outros estavam lá. 

- Assim você me assusta. Aconteceu algo grave? - Ele perguntou sentando-se ao meu lado.

- Não. Eu só preciso de um tempo Shawn. 

Ele ficou pensativo por um tempo e pela sua expressão ele parecia não entender perfeitamente o que eu estava tentando dizer.

- Você quer terminar o nosso namoro?

- Não. Não é nada disso. 

- Menos mal.

- O tempo que eu preciso é para viajar com o meu pai, ele vai me ajudar com essas alucinações. Ele conhece uma clínica médica que é boa e vai me ajudar com esse problema, e também lá tem o prontuário médico de quando a minha mãe ficou lá, eles querem comparar os resultados de alguns exames que eu vou precisar fazer. Mas isso precisa de tempo.

- Você quer que eu vá com você? 

- Não precisa. A Mahogany se ofereceu para me acompanhar.

- Conheço o " se ofereceu" dela. Praticamente obrigou você a aceitar, não é? - Ele disse soltando um sorrisinho bobo. Dava pra perceber que ele não estava confortável com a situação.

- Praticamente isso. 

- Mas eu quero ir. Eu já te abandonei muitas vezes nessa semana. Não vou te deixar sozinha. Agora que o Matt me contou que havia uma garota drogada com você em um prédio abandonado, eu fiquei mais preocupado e a raiva me corroeu por dentro por eu não estar lá para saber quem é essa garota. Eu não vou deixar você ir só com a Mahogany, eu preciso estar lá com você.

- Tudo o que você quer é me ajudar? - Perguntei segurando sua mão.

- Ajudar e proteger.

 Eu não ia parar a vida do Shawn por causa de alguns exames para a minha loucura. Ele não era culpado de nada. E justo no momento em que ele conseguiu vagas para fazer abertura de eventos importantes na cidade, eu não ia deixar ele ir comigo. 

De repente veio uma idéia maluca e justa para fazê-lo ficar na cidade. 

- Se você quer apenas ajudar e me proteger, eu preciso que você fique aqui. Faça os seus eventos. E quando tiver um tempinho extra, procure saber quem é a garota que estava comigo no prédio abandonado. Matt vai te ajudar.

Ele ficou pensando por dois longos minutos e finalmente disse:

- Se é isso que você quer, eu faço. Mas enquanto você estiver lá eu quero notícias todos os dias. 

- Tudo bem. Vou mandar notícias o tempo todo. Mas agora eu tenho que ir, deixei a Lox sozinha em casa ontem e papai está me esperando. Com certeza deve estar com o pior dos pensamentos por eu ter dormido aqui . - Falei rindo.

- Avisa pra ele que você está bem acompanhada. - Ele disse dando um beijinho na minha testa enquanto eu me levantava da cama.

Eu já estava em casa e eu e meu pai combinamos que, se a Mahogany iria mesmo com a gente ela não teria que se preocupar com despesa alguma, meu pai se ofereceu para pagar a passagem,  e eu a convenci com muito esforço a aceitar.

- Nós partimos amanhã. - Meu pai disse ao sair da porta.

No fim da tarde eu e Lox ficamos conversando sobre tudo o que havia acontecido ao longo desse tempo em que eu havia mudado para aquela cidade. 

- Eu achei que nosso último problema seria ter que conviver e superar a norte da Sarah, e agora, aqui estamos,  viajando para fazer um tratamento. - Lox disse.

- Depois de tudo o que passamos, sempre imaginei que quem surtiria primeiro seria o Matt, e olha só, a louca sou eu. - Falei.

- Não é bem assim, Nat. Eu tenho certeza que tudo isso é só um mal entendido e que não tem nada de errado com você. 

- Espero que você tenha razão. 

- Acho que ouvi o Mike latir lá embaixo - Lox falou.

- Loucura. O Mike está com o Matt.

- Já te falaram que você é uma péssima mãe? 

- Na verdade, já me falaram que eu sou uma péssima filha. - Falei descendo as escadas enquanto Lox me acompanhava.

E lá estavam os dois, Matt e Mike brincando no meu sofá. 

- Eu sei que é meio estranho o que eu vou perguntar, mas como você entrou aqui? - Perguntei pro Matt. 

Não nada pra parecer estranho, e eu não queria que soasse algo tipo " o que você está fazendo aqui?"  
Mas eu tive que perguntar, eu lembrava muito bem de ter trancado a porta com as três fechaduras que tem.

- Estava aberta. E quando eu digo aberta, eu quero dizer escancarada, do tipo que convida todos a quererem entrar. Acho que foi por isso que o Mike correu pra cá antes de mim. - Matt falou rindo. 

- Impossível. Eu passei a tranca em três fechaduras.  Quando o papai foi embora ele falou " Tranque a porta", e foi o que eu fiz. 

- Então não fez direito. Pelo que eu me lembro, eu ainda não sei atravessar paredes, ou seja, estava aberta.

Querendo ou não ele estava certo. Mas a questão era, quem abriu?

Fui até a cozinha e abri a geladeira procurando algo para beber, e para a minha surpresa tinha um jarro cheio de suco natural. 

Foi então que eu deduzi, Mary tinha passado lá à tarde. Mas era muito estanho, ela nunca chegava ou saía sem falar comigo, e também era estranho o fato de ela deixar a porta aberta.

Bebi meu suco e voltei para a sala. Matt estava deitado no sofá e Mike estava dormindo em cima dele. 

- Gente, foi Mary quem deixou a porta aberta. - Falei aliviada.

- Bom, menos mal. - Lox falou.

- Depois de tudo o que aconteceu nessa casa, eu não me assustaria se uma psicopata tivesse entrado aqui e levado tudo. - Matt falou. Por um lado era exagero, havia poucos casos de roubos naquela cidade,  mas por outro lado até que fazia sentido. 

- Chega de falar sobre o passado. Precisamos resolver o assunto daquela garota - Falei.

- Que garota? - Matt e Lox falaram juntos.

- A garota que você disse ter visto comigo no local abandonado. 

- Você lembra as características dela? Pode ajudar bastante - Lox

- Ela tinha os cabelos pretos e compridos, super gostosa, sorriso perfeito e o olhar é meio assustador - Matt falou.

Ele Estava quase babando só de lembrar da garota. Mas eu tinha a certeza de que uma garota assim nunca passaria despercebida, nem mesmo por mim. 

- Só a cor dos cabelos e a altura já bastava - Lox falou.

- Matt... Você falou " ela tinha os cabelos pretos e compridos",  por que o "tinha"?

- Simples, ela não tem mais. 

- Como você sabe? - Lox.

- Ela bateu na minha porta esses dias e estava com o cabelo um pouco mais curto, algumas mechas loiras e lentes de contato azul. 

- E eu posso saber onde encontrar ela? - Perguntei. 

Antigamente todos nós costumávamos pensar que Matt não tinha juízo. Depois disso eu tive a certeza. Se fosse qualquer um dos outros, eles teriam perguntado o que eu estava fazendo com ela aquela noite e o porquê de ela não me procurar mais. E principalmente, por quê eu não me lembrava dela?

- Ontem ela viajou. Disse que não volta mais. Ela bateu na minha porta para entregar isso para você - Matt disse tirando um papel do bolso.

Imediatamente tomei o papel de sua mão e abri. 

No bilhete não tinha nenhum recado, ou ao menos o nome da remetente.  Haviam 18 números, e eu tinha apenas 4 horas para descobrir o que era e com certeza não descobriria sem os outros.

****************

Estávamos todos na casa do Shawn tentando adivinhar o significado daqueles números. Tentamos ligar, tentamos trocar os números, colocamos de cabeça pra baixo, jogamos na internet para saber se era algum tipo de código já existente e não tivemos resultado algum. 

- Eu estou exausta. Preciso descansar, minha viagem - Falei.

- Você pode subir e deitar na minha cama se quiser. - Shawn falou. 

- Mas eu não posso sair daqui antes de saber o que essa porcaria significa - Falei jogando o papel na mesa.

- Não se preocupe, anjo, isso pode ser só uma brincadeira - Shawn.

- Ou pode ser alguém prendendo nossa atenção nesse pedaço de papel - Cam falou. E no exato momento eu levantei de onde estava e fui em direção à minha casa. 

Estava toda aberta, minhas malas, que estavam feitas encontravam-se reviradas e o resto da casa estava de pernas pro ar. E na parede, estavam os 18 números pichados da cor vermelha e embaixo de cada número estavam as letras do alfabeto correspondente aos mesmos, mas não estavam na ordem correta.

- Gente... Olhem isso aqui. - Cameron disse apontando para a parede atrás de nós. 

Estava pichado em letras maiores, mas dessa vez na cor preta.

"ELA CANSOU DE ESPERAR"


Notas Finais


Não me matem por deixar vcs curiosos, eu nasci pra fazer isso mesmo kkkkk 💕 Amo vocês ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...