História The White Python And The Black Assassin - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias The GazettE
Tags Reituki
Exibições 54
Palavras 625
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Visual Novel, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessoas maravilindas!
Mais um capítulo dessa fanfic safadjenha.
Espero que gostem!

Capítulo 2 - You again


Voltei para minha casa ainda encontrando minha esposa e meu filho dormindo. Tirei minha roupa e tomei um banho frio. Toda vez que fecho os olhos, apenas me vem aquele rosto angelical em mente. Nunca vi tanta perfeição.

Voltei para cama e tirei um cochilo

*@*

Dia seguinte, mais uma missão. Desta vez me pagaram para ameaçar um empresário com várias dívidas. Enquanto eu ia passando por um beco, encontrei aquele garoto da noite passada. Ele estava sem a peruca e sem maquiagem alguma. Totalmente natural, apenas mostrando aquele rosto delicado e com roupas de colegial.

-Você de novo baby? O que quer? Estou indo para  escola agora. - Disse sarcástico.

-Com licença.

-Onde vai com tanta pressa que não responde minha pergunta?

-Não te interessa. - O coloquei na parede.

-Você ainda irá me amar. - Riu.

Por que diabos ele disse isso?

^+^

Parte do meu trabalho já foi concluído, voltei para minha casa, encontrando meu pequeno Keisuke engatinhando pela sala.

-Oi garotão! Cada dia que passa está ficando maior. - O peguei no colo. - Oi querida. - Beijei minha esposa.

-O que fez hoje?

-Apenas ameacei um empresário, coisa leve.

-Amor, desista disso. Pense em nosso filho. O pobrezinho não merce isso futuramente.

-EU NÃO AGUENTO MAIS OUVIR VOCÊ FALAR A MESMA COISA TODA HORA! QUAL O SEU PROBLEMA? - A segurei pelos pulsos.

-Vai me bater agora Akira? Vamos lá, me bata! ANDA ME BATA REITA!

-Papá. - Meu filho murmurou.

-Tá vendo só, nem isso você vê. Fazem semanas já que ele só fala isso. - A ignorei e fui de encontro ao meu filho.

-Oh meu pequeno!

-Papá, papá! - Disse batendo palminhas.

-Eu vou com ele até a praça. - Coloquei ele no carrinho e saí.

*~*

-Que bebezinho fofo!

-Você está me seguindo?

-De forma alguma, eu moro por aqui. - Disse alisando sua cobra.

-Tira esse bicho de perto do meu filho.

-Cher é mais simpática e verdadeira do que qualquer ser humano. Leve o seu filho de volta para casa e vamos brincar um pouquinho. - Passou a  mão em minha coxa.

-Eu nem deveria ter feito aquilo com você.

-Você não me parece nem um pouco arrependido.

-Por que você é assim?

-Eu te pergunto o mesmo.

Voltei para minha casa. Aquele garoto é maluco.

-Voltou cedo.

-Algum problema? Vou dar banho nele.

Sai de casa novamente.

"Você ainda irá me amar".

Garoto louco.

-Você de novo baby! Qual seu problema?

-Entra nesse carro agora.

Coloquei ele no banco traseiro, ficando por cima e o beijando como um animal feroz. Ele gemia, me dando mais espaço em seu pescoço. Mordiscava e chupava aquela parte entregue. Ele ria e falava coisas obscenas.

-Eu sabia que você não iria resistir. Me maltrate, me humilhe, me pune. Sou um garotinho malvado. Me pune papaizinho.

Rasguei um pedaço de pano e coloquei em sua boca.

-Calado.

Tirei suas roupas e comecei a chupá-lo. Ele gemia tão gostoso, aquilo me incentivou a ir mais fundo. Ele conseguiu tirar o pano de sua boca e novamente começou falar suas besteiras.

-Eu quero gozar junto com você. Me dê prazer, me dê tudo de si, baby. - Se virou, ficando de bruços. Ele se preparava para mim, mostrando aquela pequena entrada rósea.Eu simulava uma penetração o ajudando a lubrificar sua entrada com meu pré gozo.

-Huuuummm baby! Nem começamos ainda. Isso é tão gostoso! - Ria maliciosamente.

Só aquilo estava me enlouquecendo.

-Que delícia papaizinho! HUUUUUUUUUMMMMM!!!!!!

Não aguentando mais, me enterrei em seu corpo de uma só vez. Ele deu um gemido longo, mas mesmo assim continuei o fodendo ali, até conseguirmos gozar.

Ele tem algo que me faz sentir vivo novamente. Ele é como uma droga.

Um vício maldito.


Notas Finais


Ui que delícia!
O que acharam?
Devo continuar com essa saliência toda?
Nos vemos no próximo capítulo.
Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...