História The Worst Memory - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Cameron Dallas, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Ação, Drama, Ficção, Horror, Mistério, Terror, Universo Alternativo, Zombies, Zumbis
Exibições 39
Palavras 1.686
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Canibalismo, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - The Small Role


Chegando à escola, o sinal ecoou, não dando tempo de eu encontrar e nem de conversar com os meus amigos, fora que também significava infelizmente que era hora de ir para sala de aula (obviamente). Indo para sala vi vários casais "se pegando" na parede ao lado dos banheiro feminino e masculino, (que nojo), e por um breve momento tive uma vontade enorme de vomitar na cara deles. Ao Sentar-me em minha carteira, dei uma pequena olhada em volta, e percebi que a sala estava mais lotada, que nas duas últimas semanas. O meu palpite é que tinha acabado o campeonato de futebol da escola, e os alunos que praticavam esse esporte voltaram as suas antigas rotinas. Quando coloquei o meu caderno embaixo da mesa, vi que tinha um papelzinho branco, um pouco amassado e escondido, porém visível, com um número de telefone, e uma assinatura completamente desconhecida por mim "Zn". Que diabos é "Zn"? Olhei pra trás para ver se alguém era suspeito, e dei de cara com um cara, incrivelmente sexy, sem exagero, parecia um deus grego mitológico, que homem maravilhoso, cadê o meu fôlego? Sumiu.
- O que posso ajudar? - sorrio com o canto dos lábios, como se já soubesse o que eu iria dizer.
- É seu esse número? - perguntei indiferente mostrando o papelzinho.
- Sim.
- Por que colocou o seu número embaixo da minha mesa? - encarei-o como se estivesse aborrecida, mas cá entre nós, não estava nem um pouco - O que é "Zn"?
- Porque você é bonita, eu uso essas siglas porque meu nome é Zayn, e também porque dá um ar de mistério. - eu sabia! (o grande filhinho de Lilian, eu sinceramente achava que fosse um nerd, pelo fato de minha mãe aprovar esse relacionamento, não um cara extremamente atraente como o Zayn) fora que ele me olhava como se visse a minha alma, aquilo me assustava um pouco, mas eu admito, eu gostava.
- Você coloca o seu número embaixo da carteira de todas as garotas que você acha bonita?
- Na verdade, você é a primeira. -rio maliciosamente.
- Aé, e por quê?
- Você faz muitas perguntas.
Foi então que a "queridíssima" e atrasada Srta. Brettway entrou na sala, e foi exatamente por causa disso, que eu não tive mais tempo de falar algumas "coisinhas" pro Mrs. Malik (acho que era esse o sobrenome dele).
A Srta. Brettway dava aula de história e geografia, mas para a minha sala (ainda bem) ela só dava de história, não gostava das aulas dela porque ela gritava muito, imagina essa mulher segurando um microfone, iria estourar os tímpanos de todas as pessoas do mundo (hipérbole detectada), quando a aula acabou, me virei para trás para falar com ele, mas ele tinha desaparecido, o mais estranho, é que eu não o vira sair (e eu sou bem atenta a quem entra e quem sai da sala, mas tudo bem, vai que ele era parente do gasparzinho).
Na hora do intervalo, encontrei o Dante conversando com um garoto um pouco mais alto que ele, com olhos castanhos muito bonitos e cabelos maravilhosamente loiros, pelo comportamento completamente visível de Dante e do tal cara, os dois estavam interessados um no outro. Antes de interromper o joguinho de flertes dei uma tossidinha um tanto escutável.
- Com licença, sem querer atrapalhar, mas atrapalhando mesmo assim, preciso falar com você Dante, agora. 
- Não pode ser daqui a pouco? Estou em uma conversa importante. - deu um sorrisinho quase imperceptível pro garoto que estava a sua frente.
- Não tem problema, podem conversar, quando quiser é só me procurar Dan. - piscou pro Dante e saiu (chamou ele até pelo apelidinho).
- Esse homem - disse suspirando ao observar ele sair.
- Quem é ele? 
- É o Ross, sabe Pola, eu ainda vou me casar com ele! - suspirou mais alto.
- Eu shippo. -gargalhamos.
- Então... Porque me procurou?
- Acho que estou errr... Apaixonada. –disse por fim.
- Ah, cala essa boca, você nunca se apaixona. – olhou-me com desdém.
- Isso não é verdade, eu senti borboletas voando na minha barriga.
- Coisa clichê - gargalhou.
- É sério! - afirmei.
- Está bem, então quem seria?
- Um garoto chamado Zayn, que senta atrás de mim na aula de história.
- Nossa, é ele? Polarya, ele entrou hoje, repito hoje, e já está na turma dos populares, repito na turminha babaca da Alyssa Davis, todas as garotas estavam dando em cima dele hoje de manhã, inclusive, ele ficou com uma ruiva tingida, com pernas longas e cabelo alisado.
- Ela é feia? - perguntei esperançosa, afinal, se ele gosta de garotas feias, imagina de garotas bonitas como eu, sem querer me gabar.
- Infelizmente, é muito bonita.
- Mas você acabou de citar vários defeitos dela! –esperança se foi.
- Só pra tentar rebaixar o nível um tanto alto de beleza daquela mulher.
- Agora virou hétero Dante?
- Cem por cento homossexual minha querida, cem por cento.
- Você acha que eu teria alguma chance com o Zayn?
- Não sei, ele chegou a falar com você?
- Sim, mas fui eu quem puxou o assunto. Embaixo da minha carteira tinha um papelzinho branco com um número de telefone, perguntei se era dele, e ele disse que o colocou lá porque me achou bonita.
- É pode ser que ele tenha te "paquerado".
- Sério?! - dei alguns pulinhos de felicidade, mesmo não me entendendo completamente, será que foi a mãe dele quem pediu pra ele colocar o papelzinho embaixo da minha mesa? Será que tudo isso foi armado pela minha mãe? E será que era exatamente isso que a minha mãe queria que acontecesse? Essas perguntas começaram a se juntar na minha cabeça, e eu parei um pouco de pensar sobre isso e decidi mudar completamente de assunto.
- Cadê a Kaia e a Crista?
- Kaia faltou e Crista saiu mais cedo.
- Por quê?
- Kaia não sei, Crista passou mal.
- Por que eu sou sempre a última a saber dessas coisas?
- Eu não sei, só fiquei sabendo porque me fofocaram, fora que eu acho que a Kaia anda bastante distante da gente nos últimos dias, e eu não consigo saber o porquê.
- Eu também percebi isso.
Depois disso, decidimos ir comprar algum lanche, e ir ao banheiro, fiquei um bom tempo dando voltas no enorme pátio da minha escola, mas nada de Zayn.
Foi então que o sinal ecoou novamente informando o encerramento do nosso intervalo, o que era uma merda porque a próxima aula era de física, e eu não suporto física.
Quando as aulas finalmente acabaram, saí a procura de Dante que acabou desaparecendo no meio da enorme multidão de alunos que tinha no corredor. Quando estava quase saindo da escola, me esbarrei com um garoto.
- Desculpa. - falamos em uníssono, quando levantei os olhos, vi que era o Zayn.
- O que acha de sairmos um dia? - me encarou como se eu fosse obrigada a dizer que sim.
- Acho inoportuno. - dava pra ver o sorrisinho de "bad boy" dele de longe.
- Aé? Mas sabe o que eu acho inoportuno? Você não querer sair comigo.
- Está me obrigando a sair com você? -perguntei sarcástica.
- Não.
- Mas é o que parece.
- Pense como quiser, só acho que eu como homem, devo correr atrás dos meus objetivos. - deu uma piscadela e saiu como se nada tivesse acontecido, então eu era um de seus objetivos? Zayn mexia comigo, mas eu não conseguia tirar algumas coisas de minha cabeça. Não parava de me perguntar se ele realmente queria algo comigo, ou se ele estava fazendo isso porque estava sendo obrigado por alguém, eu realmente sentia algo por ele, mesmo sendo precoce, até porque eu conheci ele hoje. Achava estranho a minha mãe apoiar um relacionamento com ele, achava estranho tudo que estava acontecendo, estou cheia de dúvidas em relação a isso, não quero ser magoada, mas pela primeira vez, quero ser amada, quero que alguém me ame, quero  que alguém me de carinho e afeto,  não sabia se o Zayn era o cara certo, talvez eu estivesse pensando nisso rápido demais, afinal nem conheço as intenções dele. Parece bobo, mas eu não sei qual é a sua cor favorita, ou se ele gosta de animais, talvez eu devesse  aceitar o seu convite, sair com ele pode até ser uma boa ideia.

Depois de uns 10 minutos mais ou menos, cheguei em casa, e não encontrei ninguém além do ar quente que entrava e saía pela enorme janela da sala de estar (ainda bem que eu tenho um bom climatizador, se não morreria de calor). Em relação ao fato de ninguém estar em casa, o mais provável, é a minha avó ter ido fazer a sua caminhada de sempre antes do almoço, para perder calorias e enrijecer os ossos, e a minha mãe ter ido trabalhar. Deitei-me no sofá, e comecei a me lembrar de todos as coisas que aconteceram hoje, me lembrei da conversa com o Zayn, com o Dante, do suéter ultrapassado do Sr. Stalin, da Crista... Nossa eu me esqueci completamente de falar com ela, espero que ela esteja melhor.

Mensagem on
- Oi Crista, como você está?
- Oi Pola, estou bem melhor, só tive uma ânsia de vômito um tanto fantasmagórica, mas já passou. - respondeu depois de dois minutos
- Ainda bem, pode vir em casa?
- Minha mãe não vai deixar eu sair hoje por causa disso, vai que eu tenho uma recaída. – era a resposta mais óbvia do mundo.
- Sim, ela tem toda razão, melhoras mesmo você já estando melhor haha.
- Obrigada :) haha
 Mensagem off

Não tinha nada pra fazer, a lição de casa sempre fazia em sala, os afazeres de casa, não tinha nenhum que a minha mãe ou minha avó tenham pedido para eu fazer. Até que a campainha tocou, e eu não fazia ideia de quem poderia ser. Quando abri, me dei de cara com...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...