História The Yellow House - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sherlock
Personagens Dr. John Watson, Molly Hooper, Mycroft Holmes, Sherlock Holmes
Tags Johnlock
Visualizações 96
Palavras 802
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - Nona pétala


Fanfic / Fanfiction The Yellow House - Capítulo 9 - Nona pétala

Título Oficial: 

A guerra se aproxima, meus caros.

 Os carros estavam cheios de jovens assustados, John conhecia a grade maioria, garotos chorando por cada canto do automóvel, Watson estava sendo amassado por um rapaz mais alto que ele, porém, ele não se importava com a pressão das coxas do ruivo nas suas, nem no suor descendo por seu rosto, e sim com Sherlock. A preocupação invadiu cada célula do seu organismo. 

"Vocês serão divididos em grupos de cinco pessoas. Não toquem, não falem, não façam nada." 

Um membro da guarda falou, sua voz era grave, que dava arrepios de medo em Watson.

O grupo do loiro foi o terceiro a descer, como mandava as instruções, eles saíram sem falar nada, e assim entraram no glorioso palácio. 

As cores da sua bandeira eram amarelo e azul, portanto, as cores do palácio eram essas. As paredes mesclavam de tons de amarelo pastel e azul anil, o piso era de porcelana, o que dava uma beleza ainda mais imperial no recinto, havia luxo e riqueza em todo centímetro daquele lugar.

Para a surpresa de todos, na segunda sala que entraram, eles encontram os donos do grande palácio. O Rei, impiedoso, machista e retrógrado, Rei Clarkson. E a sua rainha, amorosa, humilde e sábia, Rainha Amberly. Ambos eram diferentes, porém, todos de Illéa sabiam que ali morava amor, mesmo que o Rei não demonstrasse que fosse capaz de amar.

Todos os trezentos garotos que foram retirados da escola estavam no grande salão de festas, John rolava os olhos por todo o lugar, tentando achar um garoto amarelo no meio de todo aquele mar de pessoas.

No meio do local havia um palco improvisado, todos estavam ao redor dele. A família real estava sentada lá, preparados para o discurso.

Duas batidas no microfone. 

Uma mão macia na de John.

Um discurso de medo.

Tudo aconteceu rapidamente a partir daquele momento. O Rei aproximou-se do microfone, e Sherlock finalmente achou John no meio de tantas pessoas e guardas.

Clarkson começou seu discurso devagar, de forma calma e totalmente seca.

"Muitos ainda vivem a ilusão que o país está indo bem e que não está sendo destruído todos os dias. Não temos mais dinhero, não temos aliados, não temos como nos livrar de uma grande crise. Essa crise já foi descoberta pelos rebeldes, e a qualquer momento podemos sofrer ataques. Neste dia, vocês foram escolhidos para lutar pelo seu país, pela sua pátria. Muitos irão se ferir, alguns até morrer, mas irão morrer de forma inspiradora e gloriosa! Os que saírem por aquela porta serão sempre lembrados por serem covardes, e irão sofrer as devidas consequências." 

Illéa tinha seus grandes inimigos, os tais denominados rebeldes, fazem séculos que tentam destruir o país, porém, apenas agora estão prestes a conseguir.

O dançarino rapidamente de levantou, pronto para falar, ele sabia que não iria lutar, mas não perderia a chance de ter uma conversa com o seu rei.

"Então, isso significa que teremos que dar a nossa vida para o nosso amado país, e vocês? O senhor, irá lutar? Olhe esse garoto daqui, ele claramente nunca pegou uma arma em sua vida, nem sequer faz educação física na escola, meu rei. Irá mesmo colocar esses jovens para lutar? Sendo que a esmagadora maioria nunca matou ninguém, uns mataram, mas isso não soa importante agora." 

O Rei o olhava com um tom divertido, adora ser desafiado. Iria colocar aquele bastardo em seu devido lugar. 

"Qual é o seu nome, meu jovem?"

"Sherlock Holmes, senhor." 

O moreno deu um sorriso cínico para o mais venho, que mais nada disse, apenas se retirou rapidamente do cômodo.

O dançarino andou até o seu companheiro, pegando na sua mão, a acariciando. 

"Vamos sair daqui."

"Eu vou ficar, Sherlock." 

"Como?" 

"Diga para eles que eu os amo, e que eu voltarei. Você também, detetive. Eu voltarei por você." 

Holmes não acreditava no quê estava escutando.

"Será um treinamento duro, você pode morrer pelos rebeldes! Não pode ficar." 

"Eu posso, vá logo! Diga para eles, Sherlock!" 

O moreno ignorou as pequenas lágrimas que se formaram nos olhos do menor, ignorou o mundo ao seu redor, e seguiu para a saída. Como ele poderia escolher ficar? Ele era tão frágil, tão pequeno. Na guerra, Sherlock não poderia protegê-lo, nem se desejasse. 

Chegando em casa, ele tentou contar de forma mais pacifica e otimista para a mãe de Watson,  Holmes foi obrigado a assistí-la chorar, abraçá-la e controlar seus próprios sentimentos.

Naquela noite ele foi obrigado a mandar uma mensagem de texto para Mycroft. Era simples, mas ele entenderia. 

Proteja John Watson.

A guerra contra os rebeldes matou milhares, matou o próprio exército, matou os estudantes, dezenas deles. Entretanto, matou também o rei, essa era a única morte que valeu a pena. Já no final da guerra, após meses sem nenhuma notícia, a família Watson recebeu uma carta do governo. O dia mais agridoce de suas vidas. 



Notas Finais


Então, finalmente chegou no meu ponto favorito da história. A guerra ainda não acabou, irei dar alguns detalhes sobre ela. E também ainda tem algumas perguntas a serem respondidas.
De qualquer forma, obrigada por ler até aqui.
Desculpe os erros.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...