História The Younger Sister Of Sakamakis... - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Beatrix, Carla Tsukinami, Christa, Cordelia, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Richter, Ruki Mukami, Shin Tsukinami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori, Yuma Mukami
Exibições 15
Palavras 1.415
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Terceiro...


Não espere que sempre esteja tudo bem, todos temos seus dias ruins... 

( Christa Narrando )

Aqui estava eu outra vez, encarcerada para nunca mais poder reencontrar minha filha, a mesma deve ter agora 8 anos, e pensar que conseguiria fugir e observaria seu desenvolvimento. Subaru, minha pobre criança agora não passa de uma decepção, não consigo olhar o mesmo como antes... Sempre quando o mesmo olha para mim só consigo ver Karl ali. 

O tempo definitivamente ja esta passando para mim... Não gosto mais dessa vida, se é que posso chamar de vida, ultimamente tudo tem piorado e me levado para a mais profunda tristeza... 

- mamãe - chamou Subaru, ainda de costas o respondi - eu colhi isto para você! 

- deixe a em qualquer local criança - disse sem olha-lo ainda - e se retire por favor, quero ficar só! 

- sim, mamãe - respondeu o mesmo triste 

Eu não aguentava mais... 

Eu queria findar isto... 

Eu não conseguiria suportar viver assim, queria que a morte viesse logo e me levasse com ela para nunca mais voltar. 

- minha querida irmãzinha - disse a voz que tinha tanto nojo - pronta para fazermos mais herdeiros? - o mesmo segurava firme em minha cintura me causando repulsa. 

E este era meu inferno... 

Viver nas mãos de quem pensei que poderia confiar... 

( Subaru Narrando )

Já faz um certo tempo que mamãe não me encara mais e se me encara e com um olhar decepcionado e com nojo, o que será que eu fiz para a mamãe me ver assim? 

- olhem! Lá vai o filho do pecado! - ria Cordelia a outra mulher de meu pai - bastardo ! 

- não culpe o garoto, até eu mesmo já tive diversas vontades de pegar nossa irmã Christa - disse meu tio me fazendo arregalar os olhos 

Então quer dizer que sou filho de um erro, filho de um monstro? Era por isso que a mamãe tinha nojo de mim? Por que nunca me falou mamãe? Por que? 

Comecei a correr até o lago onde sempre costumava chorar e fiquei por ali por diversas horas até que senti uma mão em meu ombro. 

- por que está chorando? - disse ele com sua voz sonolenta e bem calma, Shu era o filho mais velho e mesmo que nunca tenhamos trocado uma palavra, eu o respeitava e o idolatrada. 

- descobri porque todos me odeiam - disse entre as lágrimas que não paravam de cair - então era por causa disso que sempre me olhavam torto? Por que sou fruto de um incesto? - observei o mesmo se sentar ao meu lado e observar o profundo lago que era da mesma tonalidade de seus olhos 

- acredite eu queria ser como você - disse Shu me fazendo encara-ló 

- por que? - arrisquei perguntar mesmo ja sabendo a resposta - você não acha que seria ruim ser um bastardo e filho de um incesto? 

- na verdade, isso poderia ser o de menos, porque você so deixa ouvir por eles porque quer - disse Shu com a voz sonolenta - estou me referindo a fazer o que você quer fazer sem ninguém colocar suas obrigações em 1 lugar - o mesmo parecia exausto, sempre quando eu o via ele tinha o mesmo semblante de sempre... Tédio. 

- isso eu posso concordar que é o melhor - disse sorrindo de canto e finalmente olhando para o mesmo - mas, porque me olham tão estranho? 

- você se parece muito com ele e sua mãe - disse Shu com um fraco sorriso - mas, tem mais qualidades de sua mãe do que as dele 

- então isso é bom? - disse confuso

- veja como quiser - respondeu o mesmo - vamos entrar? Logo vai chover 

Apenas confirmei com a cabeça e logo adentre com o mesmo na mansão, pensando bem acho que conversa com um de meus irmãos não era algo tão ruim quanto eu pensava. 

( Snow White Narrando )

Finalmente havíamos fugido do orfanato, corrimãos como loucos aproveitando a sensação de esta fora, mesmo que fosse por pouco tempo... 

- ali estão eles! - gritou um dos homens atrás de nos - não deixem que escapem! - a chuva parecia ter piorado, mas nossas eenergias não pois corriamos a todo vapor para finalmente sentir a liberdade que tanto sonhavamos 

Mas, nada é como planejado, afinal, o destino adora nos pregar peças principalmente com pessoas que sonhavam com esse momento... 

Em um deslize meu acabei escorregando fazendo os meninos pararem, mas eles não poderiam ficar para me ajudar, pois se fosse assim eles também voltariam e eu não queria ser a culpada por voltarmos. 

- eu vou despista-los - disse firme - vão logo! - os mesmo concordaram com a cabeça e voltaram a correr, com excessao de Ruki que me observou por poucos segundos até voltar a correr quando o chamaram - adeus meus amigos - sussurrei para os mesmos que já se encontravam bem longe 

Senti meus braços serem amarrados e logo fui colocada sobre os ombros de um de um dos homens que me colocou dentro da carruagem de volta ao orfanato. 

- e agora chefe? - disse um dos homens - os outros fugiram e só conseguimos um

- pelo menos conseguiram um - disse o homem suspirando - tragam ela de volta, há uma pessoa que quer adotar ela 

Voltamos ao orfanato e logo as empregadas me ajudaram a me limpar e a colocar meu segundo vestido para ocasiões de doação. Fui levada para uma sala onde haviam mais crianças como eu ali em fila para serem avaliadas para nosso futuro " papai ou mamãe " ou qurm sabe os dois. 

Um homem e uma mulher bastante belos adentraram o cômodo e avaliaram criança por criança até que os olhos da mulher encontraram os meus e a mesm apontou para mim. 

- eu quero ela amor - disse a mulher com um belo sorriso 

- boa escolha senhora Mickeson, ela é a nossa pequena Snow White - disse o dono do orfanato vindo até mim - venha pequena aqui conhecer seus novos pais 

Caminhei até os mesmos dando um pequeno sorriso por esta bastante nervosa, os mesmo sorriam para mim e logo falaram algo para o dono do orfanato que sorriu e nos tirou dali. 

- logo logo irá conhecer sua casa meu amor - disse a bela mulher - se quiser pode me chamar de mamãe 

- certo mamãe - sorri timidamente e a mesma sorriu junto com seu marido, meu novo pai 

Depois dos mesmos ajeitarem a papelada para minha doação fui levada para a carruagem dos mesmos. No caminho eles perguntaram se eu queria mudar meu nome, mas preferi deixar assim mesmo e logo chegamos a casa deles que era enorme bem bonita. 

Fiquei admirando tudo boquiaberta até que a mulher me apresentou os empregados que sorriam para mim, fui levada para meu quarto e logo me impressionei ao ver mais dois meninos ali. 

- filha estes são Henrique e Pedro, seus irmãos mais velhos - disse meu pai, era estranho falar pai e mãe para uma família que acabei de entrar, mas acho que posso me acostumar - sejam bonzinhos com ela ouviram? - os mesmos apenas sorriram e logo fui apresentada ao meu quarto. 

Ele tinha belos detalhes brancos com vermelho, parecia ser feito para mim... 

Uma cama grande de casal, com um colchão vermelho com travesseiros vermelhos e lençóis brancos, havia duas cômodas deixando a cama no meio; dando um ar bem sofisticado. 

Tinha uma bela penteadeira branca com diferentes joias e perfumes, ao lado um guarda roupa também branco, abri o mesmo e vi diversos vestidos de muitas cores e muitos sapatos. 

Acho que eles já tinham em mente me adotar porque tudo parecia ter sido preparado há tempos. 

- gostou minha filha? - disse meu pai 

- amei, nunca tive um quarto tão lindo, sempre coisas com outras crianças - disse sorrindo encantada 

- sempre sonhamos em ter uma filha, mas isto nunca aconteceu até que encontramos você e ficamos bem encantados com sua beleza e gentileza - disse meu pai - espero que seja feliz conosco - o mesmo me abraçou 

Então era assim ter um pai e uma mãe? 

Era assim ter uma família? 

Acho que nunca estive tão feliz em ter um família, mesmo não sendo de sangue sinto que isso para eles não importa e sim o amor que iram dar a mim. 


Notas Finais


Comentem sobre o que acharam dos capítulos e até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...