História They Don't Love Like I Love You - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~MaryBaggio

Postado
Categorias A Seleção, Winx Club
Personagens America Singer, Maxon Calix Schreave, Rainha Amberly, Rei Clarkson, Valtor
Tags A Seleção, América, Amexon, Amor, Bloom, Clube Das Winx '-', Marion, Maritel, Maritor, Maxerica, Maxon, The Selection, Valoom, Valtor, Varion, Winx Club
Exibições 13
Palavras 1.326
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Super Power, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá, perdão pela demora! Mas, recentemente estava sem tempo e a internet esta péssima. Mas, espero que gostem!

Capítulo 6 - Whatever


-O que é, porra? -Perguntei irritada.

-Nossa, que agressividade. Não me convida pra entrar? -Ele perguntou. 

-Não. O que você quer? -Perguntei.

-Marion, precisamos conversar. -Ele respondeu.

-Oritel, vai tomar no cu. -Respondi e bati a porta na cara dele, mas depois senti um forte arrependimento e abri.

-Marion sendo Marion. Andar com seu amigo novo está de deixando agressiva. -Ele respondeu.

-Ahh! Oritel desculpa, mas não hoje. -Fechei a porta e ele colocou o pé. 

-Marion, me desculpa. Eu sei que eu fui um babaca, idiota. E que não deveria ter dito que você namora o Valtos.-Oritel disse e eu o cortei.

-VALTOR! -Eu o corrigi.

-Whatever! Eu quero pedir desculpas pra você. Eu te amo Marion. E não quero perder você. -Ele respondeu.

-Esse é o problema Oritel. Você me ama. Por que não me disse isso antes? Todos sabiam, menos eu. -Respondi. 

-Marion... Isso foi um mal entendido. Somos apenas amigos, e eu nunca confundiria a nossa amizade. Você é a minha melhor amiga. E eu amo você. E estava com ciúmes de você com o Valtor. Não quero que ele roube a minha melhor amiga. -Oritel respondeu e eu fiquei confusa.

-Mas, e o nosso beijo? -Perguntei. 

-Amigos se beijam. É legal. Você me perdoa? -Oritel me perdoa. 

-Oritel. Eu adoro você! Eu não conseguiria ficar muito tempo sem você. És o meu melhor amigo. -Respondi e nos abraçamos. Ele foi embora, tomei um remédio para enjoo. E sai pela rua, para respirar um pouco de ar puro. E no meio do caminho um homem disse:

-Tá gostosinha! Te quebro no meio. -Ele disse e eu fiquei irritada.

-O que você disse babaca? -Perguntei.

-Isso mesmo que você ouviu. -Ele disse e me agarrou, e seus amigos se aproximaram. E começaram a me dar beijos no pescoço, e tentando abusar de mim. Minha única reação foi chorar e gritar.

 

-SOCORRO! ALGUÉM ME AJUDA! -Eu gritei, mas ninguém parecia me ouvir. 

 

-Solta ela. -Uma voz conhecida disse e eu fiquei aliviada ao ouvi-la.

 

-Olha o rapaz de cabelo comprido, querendo pagar de bom moço. -Um dos homens disse enquanto me segurava.

 

-Vai fazer o que? -Outro dos homens perguntou. E rapidamente Valtor o atingiu com um encanto derrubando ele longe. 

 

-O que você fez? -O homem que me segurava perguntou. 

 

-O mesmo que vou fazer com você, se não soltá-la. -Valtor disse irritado e me jogou no chão. Logo vi, Maxon se aproximando e me ajudando a levantar. Eu estava muito nervosa e chorando muito. Enquanto o Valtor "lutava" com os outros, facilmente ele venceu. E depois se aproximou para ver como eu estava.

 

-Querida, você está bem? -Ele perguntou. 

 

-Ela vai responder: Eu não sou sua querida. -Maxon disse ironizando. 

 

-Maxon, para. Não liga pra ele. É sim, eu estou bem. Obrigada. Se não fosse você, não sei o que teria acontecido. -Respondi.

 

-Agora está tudo bem. Mas, você. Não deve andar por aí, sozinha à noite. -Valtor disse.

 

-Tem razão, obrigada. -Respondi.

 

-Você pode levá-la pra casa? -Valtor perguntou a Maxon.

 

-Posso sim, obrigado por salvar a minha irmã, Valtor. E desculpe os modos Dela, meu nome é Maxon. -Maxon disse.

 

-Valtor, é um prazer. -Valtor respondeu e os dois apertaram as mãos e o Valtor se despediu dando um beijo na minha testa. 

 

Eu e Maxon voltamos juntos e ele começou a fazer perguntas e comentários vibes Oritel.

 

-Você está caidinha por ele. Nunca pensei que você ver você apaixonada. -MAXON disse. 

 

-Vai se foder, Maxon Schreave. -Respondi.

 

-Nossa, o Valtos vai embora e ela fica agressiva, ela. -MAXON disse.

 

-Maxon, não se mete. É sério, já basta o Oritel. E eu não quero brigar com você. -Respondi enquanto pulei na corcunda dele e fazia cafunés na cabeça dele, e ele ria muito dessa cena.

 

 

Para o meu azar minha mãe estava em casa,do contrario eu teria dormido até mais tarde se deixassem.

 Decidi não comentar com mais ninguém sobre o ocorrido da noite passada.

 

-Marion o seu vestido está na caixa em cima do balcão! -minha mãe disse quando me viu descendo as escadas. 

A velha nem me deixou acordar direito.

 

-Tá mãe!- eu disse esfregando os olhos.

 

-Marion?

 

Escutei a voz de Maxon na sala e logo em seguida senti um arrepio na espinha, ele podia deixar escapar a qualquer momento o acontecido de ontem, mas acho que seria impossível se sua boca não estivesse cheia de cereal.

 

-Está tudo bem? - ele pergunta. Como ainda era capaz de falar?

 

-Engole a comida primeiro Maxon!- eu disse dando um soco no braço dele torcendo para que a ficha caísse.

 

-O evento de hoje vai ser o melhor do ano! Vocês dois se comportem por Mil Dragões Azuis!- minha mãe disse por cima do ombro- Não estou afim de levar sermão da Rainha ou de qualquer um!

 

-O problema não sou eu. É o seu filho querido aqui!- eu disse apontando para Maxon fingindo não notar sua presença. 

 

-Ta vou me comportar! -Maxon disse revirando os olhos. 

Segundos depois ele chegou perto do meu ouvido e cochichou algo que queria ouvir desde o começo do dia.

 

-Recado para Marion: No rio ás 10:30 em ponto!

 

Um sorriso se abriu no meu rosto e voei em direção ao estábulo do palácio afim de encontrar Neblon pronto para uma pequena caminhada.

 

                       ...

 

Não queria ver Oritel até a hora da festa, nem America para ser sincera. Queria um tempo longe de tudo até o baile, afinal, iria ter uma longa noite. Mas ainda estava confusa com o argumento do príncipe. Ele havia me beijado, não fazia sentido. 

Amarrei Neblon à mesma árvore de sempre e caminhei até nosso ponto de encontro olhando de um lado para o outro conferindo se Valtor estaria mesmo ali.

Nada.

Sentei um pouco afim de descansar as  minhas pernas. Comecei a desistir de tudo pela demora e cheguei realmente a pensar que seria uma das brincadeiras de Maxon, mas não tinha como ele saber do nosso lugar. 

Levantei para ir embora puta da vida quando enfim a entidade se manifestou.

 

-Desculpe o atraso eu tinha que...Ta apressadinha por que? -Valtor notando minha rota de fuga.

 

-Se é pra me deixar sozinha igual uma tonta não me chame para mais nada! - respondi

 

-Calma Maionese!

 

Explodi em gargalhadas pelo erro de Valtor. Realmente não foi proposital. Ele estava confuso consigo mesmo tentando entender o que estava acontecendo, mas quando a ficha caiu ele não teve o trabalho de se segurar em algum lugar antes de cair no chão.

 

                             ...

 

Quando abri a porta de casa tive que enfrentar meu irmão tentando fechar os botões de sua roupa em frente ao espelho da sala. Maxon não passava de um adolescente como eu, mas quando o vi naquele traje comecei a achar que estava vendo meu pai, com exceção dos cabelos loiros e da cara fechada de sempre. Não dei a mínima pra ele, peguei a caixa do meu vestido e subi as escadas correndo para me preparar para o baile.

Eu até poderia fazer um tutorial de como se atrasar, porém estou muito atrasada para isso. Mas o primeiro passo é ficar a tarde toda conversando com Valtor,ou melhor, escutá-lo, afinal ele não cala a boca.

Quando terminei decidi olhar no espelho e ver o resultado. Realmente aquela não era eu mas ao mesmo tempo era. A maquiagem estava perfeita, meus olhos estavam realçados em tons claros para não tirar o foco do batom vermelho.

O vestido roxo tinha o caimento perfeito nos ombros e um decote não tão exagerado. O corpete brilhante se encaixou perfeitamente nos quadris e na cintura valorizando minhas curvas. A saia caía feito Valtores...digo...feito ondas até o chão. Meu cabelo preso em coque com algumas mechas cacheadas caídas me dava um ar nobre, mas o melhor de tudo eram as costas expostas, não estava nem aí pro que iam falar. Se seria apropriado ou não. Eu ia colocar a máscara e ia arrasar.


Notas Finais


O que acharam? Deixem a opinião de vocês. Obrigada por lerem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...