História They Know Evil - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Colegial, Drama, Shoujo
Exibições 11
Palavras 1.448
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem, Já vai começar a ficar bom !

Capítulo 2 - Seven Teens Part 2


Fanfic / Fanfiction They Know Evil - Capítulo 2 - Seven Teens Part 2

- Me pego novamente pensando no que fazer pra ficar tudo bem entre os meus pais. Com a cabeça baixa na cadeira sinto uma lagrima em meu rosto e a limpo rapidamente sem erguer a cabeça para que ninguém ficasse me olhando. Eu já era uma estrangeira que todos olhava, agora quase chorar na sala de aula, isso sim seria motivo de atenção.

- Ana... Ana... - a professora me chama calmamente com sua voz doce.

- Ahhh... oi professora, desculpa tava pensando aqui...

- Espero que seja na minha matéria - abre um sorriso, balançando a cabeça.

Queria que fosse - penso quase lagrimando!

O sinal da saída toca e mais uma vez salva pelo gongo.  Agora só tem mais a aula de E.Fisica, e é só ficar sentada escutando fone kkkk.

Cheguei no vestiário, tirei minha blusa social verde junto com a minha calça jeans preta. Eu era a única pessoa que usava jeans, não é proibido mas só prefiro calça do que saia - penso voando nas nuvens, sem nenhuma expressão - coloco o uniforme de ed. física, que era um simples kit de uma camisa verde com faixa branca no meio e um short branco.

Saio da vestiário, vou caminhando ate a quadra com a cabeça pra baixo e não percebo que vinha alguém. Quando escuto os passos que já estavam bem próximos ergo a cabeça e sem ter tempo de ter alguma expressão sinto um beijo na minha bochecha, quando olho para o lado vejo que era Park Jimin, o menino mais fofo e lindo da escola. Dava vontade de morder as bochechas dele de tão gordinhas, -por que to pensando isso meu deus? Por dentro fazendo expressão de assustada.

- Oi chata linda... - passou ao meu lado, abrindo um sorrio e fechando olhos.

Cara por que ele tem que fazer isso? Ele não precisava ser tão lindo, e sim um pouco menos lindo afffffff do céu.

Chegando perto da pequena entrada da quadra já vejo que estão todos la, sempre chego tarde! Dou um suspiro de tédio, pra variar a nossa comediante da turma já estava entretendo o pessoal, abro um sorriso. Misake era bem alegre, nunca a vi seria ou triste e também pra uma japa ele é bem energética. Fico pensando tudo isso enquanto estou igual uma estatua na entrada da quadra.

- De novo Ana, serio... você sempre tem que chegar atrasada na aula de E.fisica. Vem logo seu serzinho - Kesey fala me puxando pro meio do pessoal.

Ela é minha melhor amiga aqui na coreia desde quando eu cheguei em 2012.

– Calma man nossa precisa isso pra pouco - já impaciente mais sem aquela cara de brava.

 - Deixa de ser chata Ana serião mesmo - ela revirando o olho era engraçado.

- Depois a gente pode ir la pra casa cantar um pouco, creio que você trouxe seu violão né ?

– ahhhhhhhhhh... não - fala olhando de um lado pro outro como se não quisesse me olhar - mas a gente pode passr lá na minha casa pelo caminho e pegar.

- De boa, pode ser.

- Vamo?

- ehhhh... pra onde ????- digo com cara de perdida

- obviamente que pra onde todos estão.

 - Blz lets GO então - falando estilo japonês.

- Sabe... recebi um beijo ainda a pouco do Jimin - digo com a cabeça baixa e dando um leve sorriso.

 - Eu já cansei de te repetir e vou falar  de novo: Não cai na dele, isso tudo que ele faz e só por que você  é bonita, nem gostar de você de verdade ele gosta - me explica fazendo cara de tédio com irritada.

- Ta eu sei... não sou fácil e nem qualquer uma blz !? Só comentei - eu nem olho pra ela por que já tava irritada também.

- vamo chamar a Misake pra ir com a gente ? - pergunta mesmo sabendo que eu tava irritada e que eu pensava que seria só nos duas.

- tudo bem - digo fechando a cara, mas ela nem percebe.

[...]

VIS: Misake

- Realmente seu quarto é legal, meio sem cor sabe ?! - digo seria - a pintura das paredes é branca tendeu?  Ana me olha meio que: nossa to morrendo de rir. O quarto dela não tinha muita coisa, um computador de mesa, closet e um armário, era fofa a cama, a capa era de uns ursinhos.

- mas a gente vai ou não começar a cantaaaaaaaar? - a garota cantarola como um daqueles cantores de opera. - nada mal uma voz dessa pra uma chata como você Ana - a Kesey comenta quase enfartando de tanto rir. Olhando pra Kesey como se quisesse mata-lá. Ana passa o dedo na garganta em sinal de Tú Já era!

- Ta Paro né vamo logo começar essa parada - falo logo inquieta.

- mas o que a gente vai cantar? - diz Kesey com cara de pensativa. Sem ideias.

- Que tal Counting Stars do One republic? - animada diz Ana.

 - musica que foi lançada antes de eu nascer !? - kesey ri em voz alta, e logo a Ana arregala os olhos fazendo sinal com a mão pra abaixar o tom.

Eu fico só rindo daquela situação das duas igual uma retardada.

- Tão cedo vocês não vão se separar! - do nada a Ana me olha seria.

- vira essa boca pra la garota! Lembre-se que eu mal te conheço, você só ta aqui porque a unnie te chamou - fala praticamente explodindo de raiva.

- que saber pra mim já deu! - saio do quarto dela sem fechar a porta. Desço as escadas e passo direto pela Senhora Santos sem ao menos dar tchau, não conhecia ela mesmo. Resmungo o tempo todo de cabeça baixa nem tava com raiva.

VIS: Kesey

- Você não precisava ter sido tão ignorante com ela, só por que ela disse uma coisa boba.

- desculpa é que eu não quero me separar da única pessoa, fora meus pais, que já foi minha amiga de verdade - ela fala com uma Voz calma e triste.

- Tudo bem, agora eu tenho que ir. Ainda vou passar na farmácia pra comprar o remédio da minha mã.... da Jihyo.

- por que você não chama ela de mãe ela e tão legal com você?

- você sempre pergunta isso e eu vou dar a mesma reposta: eles não são meus pais, meus pais morreram blz - digo irritada - Tchau ate amanhã na escola.

 - Até - diz olhando pro lado de fora por uma daquelas janelas quadradas.

Já embaixo passo pela mãe da Ana:

- Tchau senhora Santos.

 - Mas já? Mal chegou - diz com um ar de (que pena).

- mas volto aqui amanhã depois da escola.

 Abro a porta, fecho, pego a chave do carro na minha pulseira, a chave tinha o botão que abria a porta então apertei, abri a mesma e entrei. Depois encostei a cabeça pra trás, bufei como se tivesse armazenado um montão de ar. Coloquei a chave no encaixe girei.

- vamo lá, seu dia ta só começando - digo meio triste, mas não estava assim por causa da situação que aconteceu entre a Ana e a Misake, estava desse jeito por que quando eu chegasse em casa ia volta tudo ao normal. Sem ninguém pra me entender ou pra ta do meu lado. A única pessoa que ainda me faz sentir bem é a Ana, mas não posso simplesmente roubar ela da mãe dela. Sem perceber eu já estava quase perto da farmácia.

Paro o carro bem em frente a mesma, desço e vou ate lá. Faço tudo rápido: peço o remédio, a moça me dá, eu pago e depois saio entrando no carro de novo. Agora é só ir pra casa, tocar um pouco e...

- não acredito, serio mano -  coloco a mão no rosto depois que me dou conta que esqueci o violão na casa da Ana.

Mas Deus e eu sabíamos que eu não ia voltar lá. Continuo dirigindo quando tenho que parar num semáforo que tinha acabado de ficar vermelho. Me deparo com uma borboleta marrom de manchas pretas pousada no retrovisor

- você tem sorte de poder voar, talvez eu nunca possa voar (Awake-Jin) - digo com a cabeça inclinada pra direita. Em seguida ela voa, depois olho pro semáforo e vejo que ainda tava vermelho - parece que esse momento durou minutos. Depois respiro fundo e solto o ar novamente só que dessa vez um ar mais pesado, no mesmo instante senti um aperto e um frio como nunca tinha sentido na vida.

 

 


Notas Finais


Obgrd Por vocês lerem !


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...