História Thirst of Blood - Capítulo 3


Escrita por: ~

Visualizações 9
Palavras 1.962
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Saga, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


TANTANRAMMMMMMMMMMMMMMMMM TAM TAM TAMMMMMMMMMMMM, PRIMEIRO CAPÍTULO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Boa leitura amoresssss

Capítulo 3 - THE LOVE HURTS


Charlotte e Dylan estavam em frente à uma Lanchonete e discutiam qual sabor que iriam pedir.

- Quero de morango! - Charlotte diz.

- Ok, amor. - responde o garoto, indo em direção a lanchonete.

Chegando lá, eles fizeram seus pedidos e se sentaram em uma mesa. Dylan não parava de encarar Charlotte com os seus belos olhos azuis, fazendo a garota ficar intrigada e questionar por qual motivo ele a encarava tanto.

- Eu só gostaria de lhe falar o quanto eu te amo, que independente de tudo o que acontecer, eu estarei sempre ao seu lado te apoiando em tudo. - Dylan diz para sua namorada, parecendo já saber o que estava prestes a acontecer.

- Você não têm noção do quanto essas palavras me deixam animada e feliz! Eu não quero te perder nunca. Mas, por que você está falando sobre isso agora? - Charlotte pergunta desconfiada.

- Não é nada amor, eu só queria te contar uma coisa mas vamos deixar para depois. - Responde Dylan sendo interrompido pela Garçonete trazendo seus pedidos.

Após terminar de beber seus Milkshake's, eles pagaram a conta e ficaram sentados em um banco no lado de fora da Lanchonete. Nesse momento Dylan disse que precisava contar uma coisa pra Charlotte, criando um clima tenso entre os dois, ele então começou a pensar em uma forma de contar à sua namorada, mas logo depois desiste. Ela não precisava saber disso. Não agora. Então começou a enrola-lá dizendo que não era nada demais, apenas que iria fazer uma viagem pra Califórnia para visitar seus parentes distantes, e que logo logo voltaria. Charlotte não acreditou naquilo que o namorado falava, mas para evitar desavenças, a mesma apenas assentiu com a cabeça e voltou a olhar para a rua.

Charlotte estava sentindo uma sensação ruim, de que algo horrível iria acontecer, ela não sabia quando, aonde ou com quem, mas ela sabia que iria acontecer e isso a preocupava muito. Ela fez essa péssima sensação ir embora dando um beijo em Dylan e deitando sua cabeça no seu peito.

Já passava da meia-noite eles decidiram ir embora.

- Vamos pegar um atalho, se formos pela Principal vai demorar demais pra chegar no ponto de táxi. - Dylan sugere para a namorada, enquanto coçava a nuca em sinal de ansiedade.

- Você está preocupado com alguma coisa? - Charlotte pergunta estranhando o modo de agir do garoto.

- Só estou um pouco ruim por conta do milkshake, você sabe que doce não é a minha praia. - Ele fala para a loira.

- Quer dizer que você só tomou pra me agradar, Sr. Evans? - A jovem brinca com ele e começa a rir, enquanto faz uma cara falsa de surpresa.

- Ei, está me acusando?! - Dylan coloca uma mão na cintura e levanta uma das sobrancelhas.

Eles riem por alguns segundos e viram para a direção de um beco, Charlotte não conhecia muito os becos da cidade, mas sabia que Dylan sempre andou muito por eles para chegar à casa da garota.

- Você ouviu esse barulho? - Charlotte sussurra para o de olhos azuis.

- Está falando daquele gato ali? - E aponta para um gato alaranjado que estava em cima de uma lata de lixo.

- Hum, provavelmente. - Ela responde.

Dylan sabia que o fim dele estava próximo, ele tentou criar coragem para contar à Charlotte sobre tudo, sobre a MK Ultra e Gardevoir's Corporation, mas, já estava no seu limite de coragem após começar a repassar informações da MK para a GC. Ele não gostava de pensar que era um traíra da sua própria Causa e família, pois, por conta de seu amor pela loira, ele mudou, passou a pensar melhor sobre os próprios atos e se arrependeu de todas as pessoas que um dia ele já torturou, matou e vendeu. Em meio à esses devaneios, ele começa a ouvir barulhos de solas de sapatos batendo firme no chão, Charlotte parou de caminhar e puxou ele para o seu lado.

- Dylan, eu estou com med... - Começou a falar para o namorado mas não teve chance de terminar.

- Ora, ora, se não é o Evans! Grandíssimo traidor da nossa Causa. - Um jovem que usava roupas totalmente pretas e possuía cabelos até o ombro falou.

- Finalmente pegamos você. Seu papai querido não queria dar ordem para a Missão, então infelizmente, nós tivemos que autorizá-la por conta própria. - Dessa vez uma garota fala, ela tinha cabelos até a cintura e eram ruivos.

- Traidor da Causa? Que Causa? Missão? Sobre o que diabos eles estão falando, Dylan? - Charlotte faz perguntas atrás de perguntas enquanto começava a derramar lágrimas, ela estava desesperada mas Dylan parecia estar calmo.

- Lewis e Clarke, sempre quebrando as regras. - Dylan debocha - Acham que vocês dois tem vantagem? Sabem que o meu treinamento é muito mais avançado que o de vocês.

- Quem disse que viemos sozinhos? - Clarke fala - Não somos tão idiotas, pelo menos não como você.

Então, um homem que parecia muito com Dylan aparece atrás do casal e olha Charlotte de cima abaixo.

- É esse o motivo de você nos entregar para a Gardevoir's Corporation? Uma garota? Sério, irmãozinho? - O homem fala.

- Charles? - Dylan parecia chocado.

- Você tem um irmão? Gardevoir's Corporation? Não existe nenhuma Empresa com o nome da minha família - Charlotte pergunta para ele e começa a se debater quando os outros dois a pegam pelos braços - O que estão fazendo? Me larguem! - Ela começa a gritar e Lewis coloca a mão sobre a boca dela.

- Sua família? Amarre a garota naquele poste. - O irmão de Dylan ordena. - Calma, você está namorando com neta da Chefe da GC? Sério isso?

- Acho que o gato comeu a língua dele. - Clarke diz e ri.

Charlotte não sabia o que fazer, as lágrimas que antes caíram já haviam se secado e as outras insistiam em cair, porém, ela não tinha mais controle do próprio corpo, só conseguia tremer.

- Por que nosso pai não veio pessoalmente, Charles? - Dylan questiona enquanto dá de costas na parede, ele estava caminhando para trás pois seu irmão estava o pressionando contra a mesma.

- Papai não quis que colocássemos um dedo em você. Disse que não era problema nosso e que ele resolveria da forma dele. - Charles fala enquanto fecha a mão - Mas ele não faria nada, você sabe, ele é frouxo. Ele é frouxo com você. Sempre foi porque você é o filho perfeitinho. - Um soco é dado no rosto de Dylan e um grito sai da boca de Charlotte - Agora eu vou te destruir, vou destruir cada pedacinho do seu corpo, parte por parte, pra você sentir a dor que eu senti todos esses anos. - Outro soco é dado porém desta vez na barriga e antes que a jovem pudesse gritar novamente, Charles se pronuncia - Se você gritar, vai ser pior pra ele.

Charlotte não estava entendendo nada, dúvidas e mais dúvidas, perguntas e mais perguntas cresciam na sua mente e finalmente ela cedeu as lágrimas.

- Você se juntou com essa garota, nossa inimiga, você é covarde, ela é covarde. - Charles dessa vez fala elevando a voz e dando socos e chutes em Dylan - Tudo isso por amor - Ele dá uma risada maléfica - Viu? Ela está chorando. Amor torna você fraco. Amor não é bom. Amor destrói. Amor é uma ruína.

- Covarde não é aquele que chora por amor, e sim aquele que não ama por medo de chorar. - Charlotte fala baixo, mas, isso não impediu Charles de ouvi-la.

- Como você ainda tem coragem de abrir essa boca? - Ele grita e dá um chute nas pernas da garota, que berra em agonia e dor.

- Não bata nela! Bata em mim, é por isso que você está aqui! - Dylan grita e empurra o irmão no chão. Os outros dois capangas tentam ajudar e cada um pega ele pelos braços deixando-o em pé.

- Larguem-me. - Charles diz - Agora! - A ruiva e o moreno largam ele e levantam as mãos em sentindo de redenção. - Você acha mesmo que vai conseguir vencer de mim? Lembre-se, irmãozinho, eu que te treinei, todo o seu conhecimento de luta foi ensinado por mim, cada passo que você der, eu vou saber me defender.

- Eu te desafio, "irmãozão"! - Diz em tom de deboche a última palavra.

Os irmãos começam uma luta, socos e chutes eram disparados, o rosto de Dylan estava todo machucado e cheio de sangue, assim como o de Charles, porém, o mais velho dos Evans parecia estar muito melhor que o caçula. Charlotte estava com medo. Ele estava lutando contra a própria família por causa dela e ela não sabia nem o motivo. Ele estava lutando pelo amor deles, pois, da mesma forma que o amor nos coroa, ele nos crucifica.

- Se renda, você sabe que não tem chance alguma, Traidor. - Lewis diz enquanto ri junto com Clarke. - Olha só ele, todo destruído e insiste em continuar de pé.

Dylan cai no chão, não suportando mais a dor de todos os ferimentos no seu corpo mas a maior dor que ele sentia era na alma. A dor de não poder defender a jovem Charlotte. Ele via a sua namorada chorando, desesperada e queria ir até ela para dizer que tudo ficaria bem enquanto enxugava as suas lágrimas, mas, ele estaria mentindo. Eles não estão bem e nunca ficarão.

- Você vai matá-lo, pare, por favor! - Charlotte cai de joelhos, suas pernas doíam e estavam fracas de mais pra suportar o seu corpo frágil.

- Essa é a intenção. - Charles diz enquanto chutava e batia em seu próprio irmão junto com os outros dois amigos.

Charlotte olhava para Dylan e se sentia horrível por ver aquilo acontecer e permanecer parada, ela podia gritar por ajuda, mas não o fez. Eles batiam nele e a cada soco, a cada gota de sangue e olhar de culpa de Dylan, o coração da jovem Charlotte era quebrado, destruído, pisado.

- Eu te amo. - Dylan diz a sua última frase enquanto seu coração ainda batia, com muita dificuldade por conta do seu estado.

BCharles saca uma arma do seu bolso, aponta pra cabeça do irmão e aponta para Charlotte.

- Você está vendo essa vadiazinha ali? É culpa dela. Ela é a culpada da sua morte. - Ele diz enquanto destrava a arma - Até a próxima vida, Dylan James Evans. - E aperta o gatilho.

Os três saem correndo deixando o corpo, já sem vida, largado ali e não trocam mais nenhuma palavra com Charlotte. A garota foi engatinhando até o corpo do namorado e colocou a cabeça dele no seu colo. As lágrimas não paravam de rolar pelo rosto dela, a dor na perna piorará mas nada disso mais importava.

- Eu te amo. - Ela disse - Eu te amo. Me desculpa, por favor.

Ela estava destruída, confusa, triste e machucada. Não sabia o que fazer ou pra onde ir. Ela tinha que deixar ele ir em paz, era apenas isso que ela tinha em seu alcance no momento, então ela o fez.

- Descanse em paz, eu juro que vou tentar descobrir o porque disso, meu amor. - Ela passa a mão pelo rosto do jovem e deixa um beijo nos lábios dele, o último beijo, e o deixou ir em paz com a Morte, a nossa predestinada noiva negra, que nos espera para uma noite de núpcias eterna. E então, ali mesmo, ao lado do corpo do seu namorado, Charlotte desmaia...


Notas Finais


Esperamos que vocês tenham gostado sz até Domingo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...