História Thirteen Days Out. - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Suho
Exibições 22
Palavras 1.962
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu sou uma pessoa muito criativa com esse tipo de coisa, só colocar uma música e eu já penso em algo incrivel com ela e foi nisso que deu esse cap., espero que gostem, porque eu não manjo nada de dança e nem de sensualidade (apesar de me encherem o saco uma vez por mês dizendo "hey, você é sexy"), mas enfim, espero que goste.


Boa Leitura~ :3

Capítulo 17 - Painkiller.


 

Todos os dias que eu chegava do trabalho o via dançar à frente do espelho, ele nem ligava da minha presença o observando, por mim estava ótimo, eu poderia ver como o seu corpo se mexia a cada passo, analisar cada curva e almejar elas, pois Min Seok é assim, cheios de curvas e o jeito sedutor no olhar, que te faz quase implorar para beijar o seu corpo, em cima de lençóis de cetim, uma fantasia repetitiva da minha cabeça, ter aquele corpo e enquanto ele dançava na frente daquele espelho novamente, eu resolvi fazer algo que nunca imaginei, me levantei da poltrona e fui até o mais velho, o mesmo percebeu a minha presença desligou à música.

–Me deixa dançar contigo– Sussurrei rente ao seu ouvido, ele rio anasalado.

–Você nem ao menos sabe dançar–Debochou.

–Me ensina como você quer que eu dance, que eu danço– Respondi simples e mesmo que ele tenha todos os cortes, eu sou insistente, ele me analisou de cima a baixo e logo rio, levando a sua mão até a caixa de som, apertando o play.

– Espero que saiba tocar– Sussurrou.

Achei que meu coração fosse quebrar, pois isso mata lentamente

Nem todo mundo precisa de espaço (oh não)

Você é o que o médico receitou, engoli o comprimido

Nunca amei assim (oh não)

Você me levanta e vai mais alto

Você enche meu copo de desejo

 

Ele pegou em minhas mãos e colocou em sua cintura, logo suas mãos foram parar nas laterais das minhas coxas e seu corpo deslizou pelo meu, se esfregando propositalmente em algumas partes, ele só parou ao estar agachado, mas logo voltou a subir rebolado até parar em uma certa parte, apoiou as mãos no espelho e começou a impulsionar o seu quadril para trás, fiquei meio surpreso, mas resolvi entrar na sua brincadeira.

Baby, estou me sentindo como antes

Você me deixou melhor, fique aqui, é sério

Você me cu-cu-cu-curou, meu analgésico

Você me cu-cu-cu-curou, meu analgésico

Baby, estou me sentindo como antes

Você me deixou melhor, fique aqui, é sério

Você me curou

Você me curou

 

Puxei o seu corpo, fazendo suas costas colarem em meu peito e com as mãos em sua cintura, a movimentei de um lado para o outro, direita e esquerda, no ritmo da batida, ele riu e continuou, mexendo os ombros do mesmo jeito que o quadril e eu o imitei, logo ele passou as mãos pelos seus cabelos e rebolou devagar e assim que a batida ficou um pouco mais violenta, ele se virou bruscamente, encostando as costas no espelho, espalmou a mão em meu peito e desceu lentamente até o chão, mas assim que subiu seu rosto estava em uma área perigosa, mas logo que voltou a ficar de pé se afastou

Tive que virar a página para vir até você

Amo como você entorpece a minha dor (oh yeah)

Mas todos os enfermeiros me salvaram, cadê o suco?

Que te deixa louca (oh yeah)

Você me levanta e vai mais alto

Você enche meu copo de desejo

E a dava um passo de cada vez, meu olhar seguia o seu quadril inquieto e eu o seguia pela aquela sala, ficando bem próximo, ás vezes próximo o bastante para que a minha pélvis roçasse em seu quadril, e assim se virou novamente, colocando o dedo sobre o meu peito novamente, me fazendo ir para trás, entrando no corredor

Baby, estou me sentindo como antes

Você me deixou melhor, fique aqui, é sério

Você me cu-cu-cu-curou, meu analgésico

Você me cu-cu-cu-curou, meu analgésico

Baby, estou me sentindo como antes

Você me deixou melhor, fique aqui, é sério

Você me curou

Você me curou

 

Ele se afastou um pouco de mim e começou a fazer movimentos pélvicos, enquanto suas mãos passeavam do peito para o meio das pernas, assim logo colocando as mesmas na cintura e seu corpo ia para a direita e esquerda novamente, eu só seguia os seus passos, coloco se ele estivesse à frente do espelho novamente e logo a música chega a parte de um piano, ele puxa a minha gravata e me traz para perto de si, assim que se encosta na parede.

Só assiste. Vou dar um beijinho e vai melhorar, dar um beijinho e vai melhorar, baby

Só dar um beijinho e vai melhorar, dar um beijinho e vai melhorar

Vou dar um beijinho e vai melhorar, dar um beijinho e vai melhorar, baby

Dar um beijinho e vai melhorar, dar um beijinho e vai melhorar

Você é a melhor, você é a melhor, você é a melhor, você é a melhor

 

E agora seus movimentos eram como uma respiração ofegante, como se lutasse o máximo possível para não me beijar, pois seus lábios estavam bem próximos aos meus, espalmei as minhas mãos na parede e deslizei a ponta do meu nariz em seu pescoço.

–Você é o melhor–Sussurrei rouco e logo ele rio.

–Eu sei. –Disse risonho, e logo me empurrou, me levando para o seu quarto e me fazendo sentar na cama, logo afastando a minha perna uma dá outra, as deixando bem abertas.

Baby, estou me sentindo como antes

Você me deixou melhor, fique aqui, é sério

Você me cu-cu-cu-curou, meu analgésico

Você me cu-cu-cu-curou, meu analgésico

Baby, estou me sentindo como antes

Você me deixou melhor, fique aqui, é sério

Você me curou

Você me curou

 

Dei alguns leves tapinhas em minha coxa com um sorriso sacana entre os lábios, ele rio e logo se aproximou, se sentando naquela perna que eu havia batido e colocou as mãos em meu ombro, começando a rebolar contra a minha coxa, me fazendo perceber o quanto ele estava excitado, mordi o lábio, me controlando para não tocá-lo, ele se levantou da minha perna e logo ficou de costas para mim, logo desceu sutilmente o corpo contra o meu, senti seu quadril deslizar pelo meu corpo, até ele se sentar entre as minhas pernas, coloquei as minhas mãos sobre as suas coxas e deslizei as mesmas pela parte interna, mas antes que chegasse ao meio, foram para a sua cintura, o fazendo se esfregar contra o meu corpo, fazendo os dois suspirarem, ele me olhou de cima do ombro e levantou uma sobrancelha e logo eu entendi o recado, percebendo que a música tinha acabado e logo começado novamente, mas não liguei, pois o mais velho tinha se levantado novamente, começando a retirar as suas roupas no ritmo da música, sendo mais sensual ainda, deixando que as suas mãos apalpassem várias partes do corpo, cabelos, pescoço, cintura, bunda e coxas, mordi o lábio e abri cada botão do meu colete, logo o retirando, já percebendo que o mais velho já estavam sem camisa, retirei a minha e me levantei, indo em sua direção, o puxei pela cintura, fazendo nossos corpos se colarem de maneira bruta e ele soltar um gemido sôfrego, me fazendo sorrir daquele jeito novamente, sacana, deixei beijos demorados na área do seu pescoço, arrancando suspiros do mais velho, hoje eu beijaria cada parte do seu corpo. Minhas mãos adentraram no cós da sua calça e foram descendo a peça lentamente, fazendo meu corpo descer junto a ela, ele levantou cada pé para que eu retirasse a calça, fiz isso e joguei ela num lugar aleatório, aproveitei da posição e desci a sua cueca lentamente, expondo aquela parte para mim, roupas escondem muita coisa, conclui ao ver aquela parte do seu corpo, voltei a me levantar.

–Vem–Disse baixo, se virando e indo até a cama, essa que ele se deitou de bruços, tirei as minhas calças antes de subir na cama e fiquei de joelhos atrás de si, logo me curvando, deixando beijos pela parte inferior do seu corpo, começando pela panturrilha, subindo para a coxa, que eu não deixei só um beijo, até chegar a bunda, onde eu deixei beijos e mordidas leves, o moreno se apoiou pelos joelhos, ficando empinado para mim, logo segurei a sua cintura e comecei a simular penetrações, arrancado suspiros meus e gemidos baixos e cortados dele–Junmyeon! Anda logo! –Resmungou, neguei com a cabeça e continuei a fazer aquilo, o vendo apertar os lençóis, esses de cetim, entre os dedos, subi a minha mão pelo o seu peitoral até chegar ao mamilo, onde eu apertei e puxei, começando a esfregar aquela área com o indicador e o do meio, levei dois dedos até a minha boca, chupando os mesmos e deixando bem babados, assim que os tirei, levei diretamente até a sua entrada, ouvindo um gemido alto e cortado, deveria ser por causa da surpresa.

–Onde tem preservativo? –Perguntei baixo, começando a mexer os dedos dentro de si, ele demorou um pouco para responder, pois estava gemendo, então esticou a sua mão até o criado mudo e pegou um que estava próximo ao abajur, esticando para mim o máximo que conseguia, peguei o preservativo e abaixei a minha cueca, abro a embalagem com os dentes e desenrolo sobre o meu membro, retirei os meus dedos de dentro de si e coloquei o meu membro no vão entre as suas nádegas, o roçando ali, ele gemeu arrastado e antes que começasse a reclamar, o adentrei lentamente, o fazendo esconder o rosto no colchão e apertar o lençol entre os dedos. Fiquei um tempo parado, o esperando se acostumar, pois sua entrada se contraia com força em meu membro, me fazendo ter que me concentrar, se não acabaria me desfazendo somente com aquilo, logo ele relaxou para o meu alivio e eu, finalmente, pude me movimentar dentro de si, o estocando devagar e indo fundo, arrancando gemidos baixos e manhosos com isso, ele começou a impulsionar o seu quadril contra o meu, me intencionando a ir mais rápido, mas ao invés de fazer isso, comecei a estoca-lo com força, agora lhe arrancando gemidos altos e  cortados, logo passava a procurar a sua próstata, dando investidas mais violentas contra si, senti até seus joelhos fraquejarem algumas vezes, mas com minhas mãos em sua cintura ele não iria perder o equilíbrio, e assim que eu achei a sua próstata, lhe arranquei um grito, pois ainda estava indo forte, sendo bruto a cada ida do meu membro ali dentro, passei a arrancar mais gritos a cada estocada, tendo o seu rosto enterrado no colchão, na tentativa de abafar todo aquele barulho, uma de suas mãos desgrudaram do lençol e foram para debaixo de si, me dando uma leve ideia de que ele se tocaria naquele momento, então apenas me concentrei em estoca-lo mais rápido, o fazendo desconcentrar algumas vezes e sua mão escapava do seu membro para  buscar apoio para o seu corpo. E em um grito alto e sôfrego, ele se desfez, contraindo a sua entrada em meu membro, não conseguindo me segurar, acabei me desfazendo, dando lhe mais algumas estocadas para que finalmente me retirasse de dentro de si, me deitei ao seu lado e retirei o preservativo, encarando o teto, enquanto tentava normalizar a respiração.

–Você é o melhor –disse ofegante, rindo logo em seguida, rio também.

–Eu sei.

Abri os olhos no susto e ouvi aquela música ainda tocando.

–You fiil my cup with desire–Ouvi Sang Woo cantar baixo e logo ele me olharAh, Bom dia, Jun!Me sentei no banco e logo percebi que já estava de manhã, o carro parou e ele abriu a porta Tchau, amor, tchau, Baby Hodeu um beijo em Yong Bi que estava sentado no banco da frente e deu um beijo na minha bochecha, logo saindo do carro.

Senta aqui, JunDisse o mais velho e assim sentei no banco da frente e continuamos o nosso caminhoFinalmente vou poder trocar de músicasuspirou e trocou, colocando uma que eu gostava também, Home, Ailee.


Notas Finais


Yah! eu não consigo me desviciar dessa música, a voz deles combina tão bem :3

Obs; Painkiller, Jason derulo feat. Meghan Trainor (até colocaria o link, mas cara... não)

Agora eu poderei ir dormir de novo? talvez, foi bom ter escrito isso, final digno!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...