História This is a love song (Quintana, SwanQueen e Calzona) - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Glee, Grey's Anatomy, Once Upon a Time
Personagens Alexandra "Lexie" Grey, Arizona Robbins, Brittany S. Pierce, Calliope "Callie" Torres, Diretor Figgins, Emma Swan, Jane Hayward, Lacey (Belle), Mark Sloan, Mason McCarthy, Quinn Fabray, Rachel Berry, Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Santana Lopez
Tags Calzona, Lesbicas, Romance, Swanqueen
Visualizações 242
Palavras 998
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Lemon, Musical (Songfic), Orange, Poesias, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Essa ftinha é tão perfeita!!!! ❤

Capítulo 23 - Surtando em dupla.


Fanfic / Fanfiction This is a love song (Quintana, SwanQueen e Calzona) - Capítulo 23 - Surtando em dupla.

¥Narrado por Santana¥
Oi? 
Como assim eu tinha outra mãe? 
Eu ainda estava parada na porta encarando aquela mulher, ela era realmente uma bela mulher mas porque minha mãe nunca me contou? 
Minhas amigas sussuram em meu ouvido:
- Sant, acho que vocês precisam conversa.. Nós estamos indo para minha casa.. 
- Tudo bem - Sussuro para Ruby que saia levando embora Mason e Dorothy. 
Me sento no sofá. 
- Filha, eu acho que você não lembra de mim! 
- Você é a amiga da minha mãe que está nas fotos logo após minha adoção. 
- Eu não era amiga da sua mãe, nós íamos casar e adotamos você. - a loira ainda me encaravam. 
- Acho que vocês tem muito que conversar eu vou pra casa de Quinn - Digo e minha mãe assenti com a cabeça. 
Saio do jeito que estava sem celular sem nada, será que se eu tivesse outra mãe talvez eu não fosse surtada? 
Viro o caminho e sigo para longe da casa da Quinn .
Precisava pensar um pouco, aquela mulher não parecia ser uma pessoa ruim.
Logo vejo que estou em uma praia, a noite era linda então me deito na areia tentando não surta( Se é que isso era possível) ,então fecho meus olhos. 
E acordo com a luz do sol batendo em meu rosto, sorrio idiota ao perceber que tinha dormido na praia mas quando escuto um grito atrás de mim, me viro rapidamente olhando Quinn que tinha os olhos marejados e uma expressão pálida. Seu corpo estava todo machucado seu olhar não focava em mim . Eu nunca virá aqueles olhos verdes tão perdidos .
-----------------------------------------------------------------
¥Narrado por Quinn¥
Eu estava deitada em minha cama com os olhos fechados quase dormindo quando Emma entra em meu quarto com os olhos arregalados e as palavras ditas a seguir me congelam por dentro:
- Quinn, Santana sumiu. 
- Oq? - me levanto rapidamente. 
- Ela saiu de casa à três horas não está com as amigas e nem aqui obviamente. 
Eu me levanto pegando minha carteira e celular. 
- E não chamaram a polícia? 
- Só é desaparecimento depois de vinte e quatro horas. 
- Não, não no caso de Santana ela quase não saí ainda mais sozinha. 
Callie aparecia atrás da minha irmã :
- Quinn, Regina pediu para não te meter nisso.. E decidimos que você não sairá de casa até Santana aparecer. 
- E desde quando eu te obedeço? - A olha incrédula. 
- Quinn eu concordei com ela. 
Me levanto e em seguida tudo que estava na minha estante estava no chão, chuto a porta do meu banheiro, Callie Me olhava assustada então em um ataque de fúria me jogo contra a porta do meu quarto rolando as escadas, tudo fica embaçado ,o gosto de sangue aumeta assim como o cheiro, me levanto cambaleando por causa da dor e saio correndo ( ou tentando ) Pela porta de casa, pego a moto da Callie, eu tinha pegado a chave quando saí e saio pilotando a procura da latina. 
Paro em um posto para abastecer ,pego meu celular que me mostrar as horas 02:40 da manhã e inúmeras chamadas perdidas de amigas, mãe, irmã e Regina .
Logo fecho meus olhos, já tinham se passados horas que eu estava rodando e nem sinal da Santana e em alguns minutos que eu entrava na loja eu era aquela Quinn surtada novamente, vou até as partes de bebida compro uma garrafa de Vodka , um estilete sigo para a saída quando o homem baixinho me barra :
- Identidade por causa da bebida! 
- Desculpa, esqueci a identidade.. - Acho que não fui muito convincente até porque minha cara e perna machucada não ajudava muito. 
- Ah, com certeza. - Ele puxa da minha mão. - 1.90 o canivete. 
Entrego uma nota de 2 dollars pra ele que me encara piedoso. 
- Cuidado mocinha, não machuque ninguém.. 
- Não vou senhor, obrigada por se preocupar .
Ele sorri de lado e agora parecia convencido com a minha óbvia mentira, mas quem eu machucaria relativamente não era tão importante, entro em um banheiro de posto e com certa dificuldade tiro a lâmina do canivete, jogo oque restará fora. 
Em passos normal colocava a lâmina em desencontro com minha pele fazendo a mesma marcar e ficar avermelhada na mesma hora, depois de um tempo incontável, era isso , os leves arranhões agora eram marcas que tinham resquícios de sangue, me levanto meio tonta, jogo ela fora e cubro meu pulso com meu casaco, volto para a moto e sigo minha ronda, quando vejo o sol está aparecendo paro em um barzinho sujo que tinha por alí e peço um café e uma garrafa da vodka ele me vende sem ao mesmo perguntar minha idade, pego os mesmos e misturo. 
Vou caminhando devido ao álcool e a cafeína meu corpo parecia um condutor de eletricidade, eu olhava para todos os lados rapidamente, meu corpo estava dolorido e eu não sei como ainda estava de pé as pessoas olhavam pra mim de modo assustado e as mães afastavam suas criancas de mim de modo protetor, então meus pés começam a pesar e percebo que estou em uma praia .
Logo tudo para, aquele cabelo com areia agarrado atrás, então em um desespero total grito com minha voz embargada pelo choro,ela me olha assustada e corre em minha direção : 
- Porque você sumiu? Porque Me deixou?  
- Ei, Quinnie - Ela passa a mão no meu rosto com delicadeza. - Eu só saí pra pensar um pouco.. Enquanto minhas mães.. Aparentemente conversavam. 
- Mães? 
- Uma longa história.. - Ela me olha de cima a baixo. - Oque houve com você?  
- Eu achei que nunca mais te acharia.. 
Ela afaga meus cabelos. 
- Acho que temos que voltar antes que a polícia nos procure. - Ela sorri levemente e me apoia em seu ombro então seguimos para onde a moto estava estacionada.


Notas Finais


Gostaram???


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...