História This is me now - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Manuel Neuer
Personagens Manuel Neuer, Personagens Originais
Tags Exército, Nacionalidade, Viagem
Exibições 21
Palavras 2.035
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Tudo de cabeça pra baixo


*Fevereiro, 2012 - Orlando, EUA*
O ano começou muito bem. Meu sobrinho nasceu, pois é, a indisposição que Vanessa estava sentindo na verdade era o pequeno Pedro se formando em seu ventre. O Felipe se formou na faculdade e já está de malas prontas pra ir trabalhar em Munique no escritório que meus pais tem lá.
Acabei de receber o resultado do meu exame de residência em cirurgia e passei. EU PASSEI!! Acho que nunca fiquei tão feliz na minha vida. Agora eu posso procurar um emprego melhor ou assino meu contrato com o hospital em que já trabalho, mas deixa isso pra depois, ainda tenho tempo pra pensar com calma. Vou comemorar com meu noivo primeiro, depois penso nisso.
Estacionei meu carro na frente do prédio do Dylan, peguei uma caixinha com 4 cupcakes que comprei e sai do carro saltitante.
- Boa tarde seu João - falei pro porteiro que já me conhecia 
- Boa tarde Fernanda - ele respondeu acenando pra mim e sorrindo
Entrei no elevador e apertei o número do andar do Dylan, procurei a chave que ele tinha me dado e ouvi as portas do elevador se abrirem.
Andei até a porta com o número 805 e abri a porta do mesmo vendo a cena que eu menos esperava ver.
Dylan no sofá da sala transando com uma loira.
Empurrei a porta atrás de mim fazendo um barulho tão alto que senti as paredes se moverem e os dois me olharam.
Olhei em volta e as roupas dos dois estavam espalhadas pelo apartamento. 
- Meu amor - Dylan falou vindo na minha direção
- Amor é o caralho - falei sentido meu sangue ferver e me desviei dele colocando a chave de seu apartamento no aparador ao lado da porta principal - É isso que você faz toda tarde? - perguntei encarando ele nu na minha frente
- Claro né? - a loira falou
- Cala a boca que não estou falando com você - falei apontando o dedo pra ela que estava deitada no sofá ainda
- Não meu amor - Dylan respondeu se aproximando mas coloquei minha mão na frente antes que ele encostasse me mim - Foi só essa vez, foi um deslize - ele falou tocando meu braço
- NÃO ENCOSTA EM MIM - gritei tirando as mãos dele do meu braço ainda segurando minha caixa de cupcakes
- O que você está falando Dylan? Ela já sabe de tudo, pra que vai continuar mentindo e falando que nós não transamos todos os dias? - a loira perguntou
- CALA A BOCA LORAINE - ele gritou
- Então isso acontece todos os dias? - perguntei incrédula
- Não meu amor - ele respondeu novamente encostando em mim
- JÁ FALEI PRA NÃO ENCOSTAR EM MIM - gritei - E PARA DE ME CHAMAR DE MEU AMOR
- Mas você é e sempre será meu verdadeiro e eterno amor - falou
- Me poupe Dylan, se você me amasse mesmo não faria toda essa burrada que fez. - falei apontando pra vadia que estava no sofá e pra ele que estava parado na minha frente - Vocês se merecem, vocês me dão nojo! Sabe isso aqui? - falei tirando o anel que ele me deu do dedo  e lhe amostrando
- Porque você tirou nosso anel? - perguntou
- Não existe mais nada entre nós dois! Sabe o que você faz com isso aqui? - falei colocando o objeto na altura dos seus olhos - Enfia no seu cu, ou no dela - falei apontando pra mesma que estava deitada no sofá e joguei o objeto no rosto dele
- Não faz isso Nanda - ele pediu
- Pra você é Dra. Fernanda John - avisei - Não quero mais nenhum tipo de ligação com você, me esquece! Esquece que um dia a gente já teve alguma coisa. Tenho é pena de você. Coitada da sua mãe que faz de tudo pra te ver feliz, até te ajuda a manter esse apartamento luxuoso - falei abrindo a porta novamente e saindo - Ahh! - falei entrando novamente - Acho que você vai precisar disso já que mentia que estava estava trabalhando e estava na verdade me traindo - falei pegando uma nota de 20 dólares na minha bolsa e levantando - Pode ficar com o troco - falei soltando a nota na frente dele vendo cair no chão
- Fernanda - ouvi ele gritar de dentro do apartamento enquanto eu chamava o elevador
- Já falei que pra você é Dra. Fernanda John - gritei enquanto entrava no elevador
- Fernanda - ouvi ele me chamar enquanto as portas do elevador estavam se fechando 
- Não vai atrás de mim - falei na última brexa antes do elevador se fechar completamente
Apertei o botão do térreo e sai daquele prédio em direção ao meu carro.
Destravei o mesmo e entrei, coloquei a caixa com os cupcakes no banco do passageiro e sai dali. Parei em um estacionamento mais à frente e permiti que todas as lágrimas que estavam pressas e se manifestando em forma de raiva fossem liberados. Chorava e não conseguia controlar aquilo, ODEIO chorar desse jeito. Na verdade odeio chorar de qualquer jeito e principalmente se for na frente dos outros. Peguei um dos cupcakes e comecei a comer deixando que todas as minhas lágrimas caíssem. 
Controlei minhas lágrimas e dirigi até meu prédio que fica perto da casa dos meus pais e dos meus irmãos, passei na frete dele e vi que o carro do idiota já estava ali na frente. Dirigi mais um pouco e cheguei na frente do prédio do Felipe. Estacionei e peguei minha caixinha de cupcakes e desci.
- Oi Junior, meu irmão está em casa? - perguntei pro porteiro
- Está sim! Ele e a Talita estão
- Ok! Obrigada - agradeci e fui em direção ao elevador
Observei um papel na parede sobre o exército americano e peguei o papel jogando entro da minha bolsa.
Entrei no elevador e segui até o andar do meu irmão, afundei o dedo na campainha e nada. Apertei novamente e permaneci com o dedo ali.
- JÁ VAI - ouvi ele gritar e parei de apertar
Logo a porta abriu e ele me olhou surpreso
- Oi maninha - ele falou me abraçando e sorrindo 
- Oi mano - respondi entrando e ouvi ele fechando a porta - TATA - gritei por ela e a mesma saiu da cozinha, era tão bom e legal ver minha melhor amiga e meu irmão juntos, eu amava ver eles dois
- Oi doida - falou me abraçando e sorrindo
- Porque está aqui? - meu irmão perguntou enquanto eu me jogava no sofá dele pegando mais um cupcake, agora só tinha mais um na caixa
- Preciso de um favor seu
- Qual? - perguntou confuso
- Deixa eu ver isso aqui antes que queime - Talita falou e voltou pra cozinha
- Quero que vá no meu apartamento e pegue a chave de lá com o Dylan, ele está lá. E aproveita e avisa que eu já falei que não quero ver ele nunca mais na minha frente - pedi dando uma mordida no cupcake
- Porque quer que eu pegue a chave do seu apartamento com ele? Achei que você tinha a do dele e ele do seu - perguntou sem entender
- Eu e ele terminamos - falei observando meu cupcake - Não quero ver ele na minha frente nunca mais, avisa isso pra ele de novo por favor - pedi 
- Porque vocês terminaram? - perguntou sentando do meu lado
- Ele me traiu - falei mordendo meu cupcake
- QUE? - Felipe praticamente gritou no meu ouvido
- Aí Felipe - reclamei - É, ele me traiu - falei novamente - Agora preciso que você faça o que eu te pedi - pedi comendo o resto do bolinho 
A vontade de chorar já estava voltando e eu odiava isso, não gosto de chorar na frente de ninguém isso faz as pessoas me acharem uma fraca e ter pena de mim.
- Ok! Vou pegar sua chave e falar umas verdades pra esse muleque - ele falou levantando do sofá e pegando a chave do seu carro e saiu sem nem esperar que eu falasse algo
- Valeu - gritei depois dele fechar a porta
- Ei - ouvi Talita me chamar e a encarei - Sei que você está prendendo o choro, mas se quiser chorar sabe que vou estar aqui - ela avisou apoiada no batente da cozinha
- Ele dizia ser apaixonado por mim, mas na verdade tudo era mentira - falei pegando o último cupcake da caixa
- Ele foi um babaca e idiota por perder uma mulher incrível como você - ela falou sentando do meu lado e passando o dedo no glacê do meu cupcake
- Tinha comprado quatro cupcakes pra comemorar - falei mordendo o bolinho
- Comemorar? - perguntou sem entender
- Passei na minha prova! Agora sou realmente uma médica cirurgiã - falei
- SÉRIO?
- Qual o problema de você e do Felipe? Vivem gritando - reclamei
- Você que é muito chata - ela falou - Parabéns, sempre soube que você ia conseguir - ela falou me abraçando
- Você sabe que não gosto de abraços né? - falei e ela me soltou rindo
- Toda chata essa menina - falou rindo
Ficamos conversando e ela resolveu fazer um doce do Brasil que minha mãe tinha me ensinado já que meus cupcakes tinham acabado e eu queria doce.
Fizemos brigadeiro e sentamos na frente da TV da cozinha assistindo uma série qualquer que passava e comentando os figurinos já que a Talita é designer de moda.
- Amor! Maninha! - ouvimos o Felipe gritar entrando no apartamento
- Na cozinha amor - Tata respondeu
- Voltei - falou entrando no cômodo - Toma - falou me estendendo minha chave - Ele não vai mais te incomodar - falou me abraçando
- Obrigada - respondi - Agora vou pra casa 
Sai do prédio deles e segui pro meu. Entrei com meu carro pela garagem e estacionei. Entrei no meu apartamento e chorei, chorei como se não houvesse amanhã.
Como uma pessoa pode te jurar amor eterno todo dia e fazer isso? E ainda te jurar amor eterno enquanto está nu com outra mulher também nua no seu apartamento? Ele está achando que sou trouxa?
Abri minha bolsa e vi um cartão de crédito que ele havia me dado falando que era pra emergências, mesmo eu falando que não queria.
- Isso é uma emergência - falei sorrindo pra mim mesma
Peguei minha bolsa e o cartão e desci até o estacionamento. Entrei no meu carro e segui pro shopping. Estacionei e entrei no mesmo. Adentrei as lojas mais caras daquele lugar e fiz a maior compra da minha vida, tudo para aquele traste pagar. 
- Agora sim - falei satisfeita olhando pras minhas maos que estavam cheias de sacolas de grifes super caras
Segui pro estacionamento e adentrei meu carro colocando as bolsas no banco de trás.
- Se ele pode gastar dinheiro com aquela puta, vai gastar comigo também - aumentei o rádio dirigindo em direção a minha casa
Cheguei no prédio, estacionei o carro na garagem e segui pro meu apartamento. Adentrei e fui até a cozinha e peguei a garrafa de tequila que estava ali guardada. Peguei a mesma e bebi um pouco da garrafa mesmo. Essa é a minha amiga das decepções.
Segui até à sala e sentei no sofá lembrando de tudo ali naquele apartamento. Nossas transas, momentos fofos, risadas, tudo está aqui. Bebi mais um pouco da tequila e levantei indo até meu mural de fotos peguei todas que tinha ele e separei.
Separei tudo que ele tinha me dado, que compramos juntos e peguei todas as nossas fotos. Peguei uma caixa grande e coloquei tudo dentro.
Olhei pro relógio e já estava tarde, olhei pra garrafa de tequila e já tinha acabado.
Segui pro meu quarto e deitei na minha cama, deixei as lágrimas caírem mais uma vez e nem percebi quando dormi.


Notas Finais


E aí? O que estão achando da fic?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...