História Thorki ts1 - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Nórdica, Thor
Personagens Fandral, Frigga, Heimdall, Lady Sif, Loki, Odin, Personagens Originais, Thor
Tags Amor De Irmãos, Drama, Fanfinc, Gay, Loki, Marvel, Romance, Thor, Thorki, Veneno, Yaoi
Exibições 126
Palavras 4.876
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas da Autora


Boa leitura a todos!

Capítulo 16 - Capítulo 16.


Andando despreocupados pelos corredores do palácio, os três magos conversavam sobre assuntos do decorrer do dia, quando uma mulher visivelmente fora de si, surgiu vindo do nada e correu na direção dos três que não tiveram tempo de fazer nada a não ser ver ela trombar com Aminä que caiu ao chão junto com ela pelo choque entre as duas. Balder e Karl, foram em direção as duas para lhes oferecer ajuda para se levantarem, mas enquanto Balder levantava  Aminä, Akira empurrou Karl que lhe estendia a mão, e saiu em disparada para longe dos três que ficaram sem entender o porquê daquela mulher estar tão agitada daquele jeito.


- CUSTAVA OLHAR POR ONDE ANDA SUA DOIDA?!
-  Aminä bradou enquanto a outra adentrava outro corredor. 


- Deixe a moça! Vai ver tevê um dia ruim.
- Karl diz a amiga enquanto continuava a seguir na direção que estavam. 


- Sorte a dela de termos coisas mais importantes para fazermos agora! 
- fala emburada para a diversão dos outros que começaram a ri.
- Eu não vejo graça. 


- Não é pra tanto, não acha?
- Karl fala enquanto tomava o braço esquerdo dela entre o seu. 


- O máximo que podia acontecer
era você quebrar uma unha! Então deixe a moça com os problemas dela e vamos tratar de resolver os nossos! 
- Balder diz sorridente andando ao lado dos dois.   


♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡


Em seu quarto, Thor se arrumava para o jantar de logo mais, debaixo de olhares furiosos de um moreno visivelmente irritado que estava sentando em sua cama.
Loki queria muito fazer a si mesmo o que fez com Akira minutos atrás para poder sair daquele quarto e ficar bem longe do irmão, por estar furioso com ele não só pelo seu arrependimento de ter ficado lhe fazendo companhia todo o tempo, mais também por ele o ter trancado em seu quarto a força.

Thor terminava de arruma suas vestes diante do espelho, enquanto fitava o menor pelo reflexo do espelho, constatando com pesar que ele ainda parecia estar furioso consigo. Ele não sabia o que Akira havia dito a Loki para o deixar tão irritado com ele, e temia ao pensar que além das mentiras sobre a festa, ainda estivesse inventado coisas que podecem tê-lo deixado com ciúme, mas se questiona-se o menor e ela não estivesse dito nada, Loki poderia pensar que  ele estava escondendo aquilo dele.Então tratou logo de terminar o que estava fazendo, e foi até ele ficando de pé a sua frente enquanto ele o fitava com atenção. 

O loiro não sabia o que dizer para aquele cabeça dura parar de dar ouvidos as bobagens que Akira certamente havia dito a ele, mas teria que ao menos tentar já que queria muito que aquela noite terminace em grande estilo.


- Será que agora podemos ter uma conversa de homens maduros e civilizados? 
- Thor o questiona cruzando seus braços enquanto o fitava seriamente. 


- Uma conversa civilizada....com você? 
- Loki se levanta o fitando em desafio.
- Impossível! 


- Você também não age como uma pessoa madura, muito pelo contrário já que você têm que ser muito ingênuo para acreditar no que cobras venenosas dizem. 


- Não quero recomeçar essa discussão.
- fala cruzando os braços também.- E acho melhor não tentar me
manter trancado em um quarto de novo, pois você deve se lembrar muito bem o que aconteceu da última vez! 


- Loki? Você realmente esta com raiva de mim? 
- lhe pergunta indignado.
- Porque me custa acreditar que depois de tudo que fiz por você, que passamos juntos, você prefira acreditar em besteiras que não fazem sentindo, do que em mim. 
- ele se aproxima ainda mais do menor e passa seus braços em volta de sua cintura. 
- Mesmo que isso fosse verdade, eu é que devia estar furioso com você por supostamente ter estragado meu aniversário, não acha? 


- E é assim que você esta agora não é? 
- diz desviando seu olhar.


- Não seja bobo, irmão! Não estou com raiva e sim triste por você esta me tratando desse jeito. 


- Eu não queria fazer isso, mas por que você teve que fazer o que fez e depois voltar atrás? 
- Loki lhe fita com os olhos cheios de água enquanto começava a dar leves socos do peito do loiro. 


- Então foi isso que ela disse a você? 
- Thor lhe segura com mais firmeza impedindo sua "agressão".- Eu admito que esse foi o pior aniversário que já tive, mas não por não ter havido festa ou presentes materiais, e sim porque você estava ardendo em febre em meus braços sem que eu pudesse fazer nada para ajudá-lo. 
- ele falava enquanto fitava o par de olhos verdes que os fitavam de volta. 
- Só o quê quero que você entenda, é que hoje minha maior alegria foi ver você assim, bem e recuperado! 

O loiro secou suas lágrimas e tentou beija-lo, mas Loki não permitiu.


- Abra a porta! 
- ordena enquanto tentava evitar o contato que mantinha com o loiro.


- Quando vai parar com essa bobagem? Loki acredite em mim, não nela! 


- Eu não queria ter causado tudo isso! Mas....
- Thor interrompeu irritado. 


- Tudo isso o quê? Por que você adora fazer tempestade em copo d'agua? 
- o questiona enquanto o mantinha firme junto a si.
- Loki pare já com isso, antes que eu perca a paciência com você! 


- E vai fazer o quê? Quebrar meu pescoço como ia fazer com aquela serva? 
- Loki questiona entre dentes. 


- Tinha motivos para fazer isso com ela, e não duvide que eu faça isso com qualquer um que ouse tocar em você! 
- responde no mesmo tom.


- Quando vai entender que eu não pertenço a você, seu tolo?! 

Loki o fitava em desafio e Thor tentava manter a calma e pensar que o moreno não estava se referindo ao homem da taverna. 

- Você quer me tirar do sério não quer? Mas não vai conseguir! 
- diz soltando o menor e indo até a porta. 
- Agora vá se arrumar para irmos ao jantar que nossa mãe organizou! E se você não estiver lá embaixo na hora, venho buscar você e tenho certeza que não vai gostar disso.
- fala seriamente abrindo a porta.


Em outras circunstâncias, Loki jamais sairia dali deixando que o loiro achasse que podia mandar nele, mas não queria ter que ficar ali continuando com aquela discussão e muito menos ter que ficar ouvindo as "mentiras" do loiro. Então ele saiu a passos largos em direção a saida sem nem dar atenção ao loiro que o fitava desanimado.

Loki o deixou ali sozinho, e Thor foi até a varanda de seu quarto e ficou lá fitando as estrelas enquanto pensava nessa relação complicada que mantinha com Loki naquele momento, e parecia que por mais que ele tentasse, Loki jamais seria seu, pois sempre surgia algo vindo do nada para atrapalhar seus planos de fortalecer aquele relacionamento que nem ao menos era oficial. Mas ao mesmo tempo que pensava em como o universo conspirava contra os seus planos, também pensava que não deveria desistir de tentar conseguir o amor daquele cabeça dura, todo pra si. Então o melhor que ele tinha a fazer para continuar tentando, era seguir com a ideia de pedi-lo em namoro em meio ao jantar de logo mais.

Sabia muito bem que no estado que ele estava agora, jamais aceitaria seu pedido, mas será que sua raiva naquele momento era tanta ao ponto dele rejeita-lo na frente de todos?

Thor se perguntava isso antes de descer para o jantar e dizer a Loki na frente de todos, o seu desejo de ser seu namorado. Ele conhecia muito bem o temperamento difícil de seu amado, mas como ele só estava bravo por achar que tinha acabado com seu aniversário, então o loiro não achava que pedi-lo em namoro em circunstâncias como essas, fosse um erro grave. 

Tinham boas chances do menor lhe deixar falando sozinho na frente de todos por estar chateado consigo, mas o loiro nem pensava isso já que a decisão estava tomada e agora ele só tinha que ir até lá e a por em prática.   


♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡


Loki não foi ao seu quarto se arrumar para festa, ja que não queria que Thor pensasse que podia mandar nele. Por isso foi andando entre os corredores vazios sem uma direção certa.

E em um certo ponto, ele pensou ter ouvido um barulho de choro vindo de um lugar não tão longe de si, mas não deu muita atenção a isso e continuou seu caminho, só que antes de dar mais que dois passos ele ouviu de novo e decidiu ver do que se tratava. Ficou em silêncio tentando identificar a direção do barulho, e quando finalmente descobriu de onde vinha foi até lá encontrando a serva de minutos atrás, chorando copiosamente enquanto escondia seu rosto entre as mãos. 
Akira estava a menos de dois metros de distância de onde ele estava, sentada ao chão com as costas rentes a parede em um dos cantos mais escuros do corredor. 

Loki não sabia se ia até ela para tentar confortala, ou se a deixava sozinha, já que em raras as vezes que ele ficava naquele estado, odiava ter a presença de outros para assistirem seu sofrimento. Ele não sabia nem o que dizer a mulher para deixala mais calma, e também não se sentia na obrigação de fazer isso já que mal a conhecia.

Mas como aquilo tudo que ouve também foi culpa sua, então ele teve que ir ajudá-la ou pelo menos tentar fazer isso. Ele foi até ela e se abaixou ao seu lado a fazendo notar sua presença. E ao vê-lo, Akira sorrio em meio as intensas lágrimas que molhavam seu rosto.


- Sinceramente...não sei o quê dizer a você. 
- Loki sentou a seu lado apoiando suas costas na parede como ela fazia enquanto olhava a sua frente e ela o fitava intensamente. 
- Mas...acho que não deve ficar desse jeito, até porque deveria estar feliz agora! Você esta vida!
- diz rindo fracamente daquela situação que seria cômica se não fosse triste.


- Obrigada! 
- lhe disse ternamente. 
- Não só por salvar minha vida, mas também por ter vindo até mim e não ter seguido seu caminho me deixando sozinha!  


- Depois do que ouve, isso é o mínimo que poço fazer. Mas sabe? Eu não entendo porquê ele tem tanta raiva de você. 
- diz deixando de olhar a sua frente e voltando sua atenção ao rosto dela.
- Eu não a conhecia até alguns dias atrás, então não entendo de onde ele conhece você e o quê ouve entre vocês para o deixar assim.


- Você já me conhecia Loki! 
- diz pensando alto enquanto estava perdida naquelas esmeraldas que a fitavam curiosas.


- O quê disse? 


- Quero dizer que....que o senhor já me conhecia. 
- tenta reformular sua frase ao notar que sua última exalava intimidade.


- Você acabou de dizer isso, mas o que eu quero saber é de onde nos conhecemos? 


- Não se lembra porque já faz um bom tempo. Mas eu lembro muito bem do pequeno menininho travesso que corria a minha frente com um enorme sorriso no rosto! 
- diz enxugando suas lágrimas em um tom mais animado enquanto Loki a fitava ainda mais curioso.
- O senhor adorava brincar comigo! Nos divertimos bastante juntos! 


- Pensei que sempre tinha sido uma curandeira, mas pelo que esta dizendo devo entender que você era uma de minhas babás? Ou cuidava de mim apenas quando eu estava doente? Thor sempre disse que quando criança eu parecia um imã para doenças.


- Isso é verdade. Vai ver era por que seu corpo estava se acostumado com o novo ambiente.- ela fala em voz baixa pra si mesma mas Loki ouviu perfeitamente o que ela disse.


- O quê quer dizer com isso? 
- a questiona voltando a olhar para frente. 

Ela saiu de seus devaneios ao ouvir a pergunta dele, e no mesmo estante ficou paralisada ao ver a besteira que havia feito. Mal tinha cancelado seu encontro com a morte e já havia marcado outro. 


- É...é que...que eu....


-Sim? 
- Loki sentou-se de frente para ela a fitando com total atenção.

Ele não entendia o porquê dela ter ficado tão nervosa com uma simples indagação, mas tinha que admitir que isso era uma coisa divertida de se presenciar, pois em meio ao seu nervosismo, ela fazia umas expressões engraçadas com as mãos e evitava lhe olhar nos olhos, tirando o fato de estar completamente vermelha. Ele poderia ficar ali horas à provoca-la, mas não queria que ela tivesse um ataque do coração ou coisa parecida, bem ali na sua frente. Então ele tratou logo de lhe perguntar outra coisa para tentar desvia-la de sua última pergunta que até o momento ainda não entendia o porquê de tê-la deixado assim. 

Mas como aquela mulher nunca lhe pareceu ser um poço de sanidade, então ele não deu atenção a seu comportamento estranho, e continuou a conversa. 


- E então? Não vai me dizer como nos conhecemos?!
- ele ainda a fitava com atenção a deixando ainda mais nervosa. 


- S-sim...é que...que eu estou um pouco nervosa.....e.....
- olhava para todos os lados evitando um contato visual com seu príncipe. 


- É mesmo? Nem notei! 
- lhe diz com um sorriso. 
- Nervosa por quê? 


- Por...pelo que ouve a pouco! 
- fala enquanto tentava se acalmar.
- Não é todo dia que passamos por uma situação assim.


- É verdade!


- Bom eu acho melhor responder sua pergunta, não é mesmo? 


- Sim! E agora.


- Então...eu o conheci quando o senhor tinha umas seis ou sete primaveras, foi quando tivemos uma convivência mais próxima! 
- ela já parecia mais calma e agora fitava suas orbes verdes que as fitavam com atenção. 
- Antes eu só ia a seu quarto acompanhada de minha tutora que me ensinava a tratar de nossos pacientes a base de magias simples, já que eu ainda era uma simples principiante. E como a rainha tinha total confiança nela, estão sempre que o senhor estava doente ela chamava minha tutora para medica-lo e eu ia junto com ela.


- Interessante! Continue! 


- E com o tempo para alívio de todos o senhor não ficava mais doente com tanta frequência, e isso era ótimo já que o senhor ficava assim em um período com poucas pausas e isso o deixava cada vez mais fraco e seus familiares também, já que isso era realmente preocupante! Com o passar dos anos, Asgard entrou em guerra e enquanto nosso rei estava lá, sua mãe estava aqui ajudando no auxílio dos feridos, e com isso ela passava um bom tempo na sala de cura e o senhor ia com ela! 


- Deixa eu adivinhar! Eu fazia a maior bagunça, e sobrava para você tentar me aturar! 


- Eu não diria aturar, já que nos divertimos muito nos jardins do palácio! E o senhor era uma criança muito travessa, isso eu tenho que concordar! Mas ao mesmo tempo, tinha uma mentalidade bem avançada para uma criança da sua idade, e quando não estava aprontando ou se metendo em confusão, o senhor me mostrava seus primeiros feitiços, simples mais belíssimos! 
- fala animada fitando o nada como se estivesse revivendo cada momento. 


- Se éramos assim tão próximos, então por que nos afastamos? 
- lhe pergunta a fazendo voltar a realidade.


- Bem que eu queria que isso não tivesse acontecido senhor, mas o senhor é um príncipe e herdeiro disso tudo! 
- diz fazendo um gesto de abrangência com as mãos. 
- O senhor têm seus amigos e vocês até parecem grudados um no outro que não haveria espaço pra mim. Além do mais nossa diferença de idade é notável, o quê temos em comum? 


- Quem sabe o fato de morrarmos no mesmo lugar, ou de estamos aqui juntos sentados ao chão! 
- diz divertido. 
- Ou simplesmente, nossa amizade em minha infância. Eu acho que poderíamos até não ter muito em comum em minha adolescência, mas agora acho que temos muita coisa em comum não acha? 


- Tipo o que senhor? 


- Tipo você ter tecnicamente salvado minha vida e eu a sua! 


- Esse veneno não poderia lhe matar, e enquanto ao senhor salvar minha vida, não sei nem o que dizer ou fazer para lhe agradecer! 
- ela sabia sim e seu olhar de desejo sobre ele provava isso.


- Só fique longe daquele ogro sem cérebro para evitar que eu tenha que sauva-la novamente. E aliás, você não me disse o porquê dele ter ódio de você. 


- Para dizer a verdade, eu não tenho certeza mas acho que ele teve uma má impressão de mim e agora se recusa a ver que isso não passou de um mal entendido. 


- Que tipo de impressão....?
- lhe pergunta intrigado mas antes de obter uma resposta alguém o chama.


- Loki! 

O mereno voltou sua atenção para a pessoa que havia lhe chamado e viu seu pai parado a frente dos dois, acompanhado de sua escolta de três guardas. 

- O quê faz ai no chão? Você está bem? 


- E por que não estaria? 
- fala em tom de graça mas logo se recompõe ao ver o olhar reprovador de seu pai sobre si.


- Você deveria estar no salão de festas, só faltam nos dois para dar início a celebração. 
- Odin o olhava intrigado já que nunca o havia visto se atrasar para um compromisso mesmo que não estivesse com vontade de comparecer a ele.


- Eu já estava indo.
- diz se levantando. 


- Ainda não me respondeu direito, Loki. Você está realmente bem?  
- pergunta seriamente. 


- Sim, me sinto muito bem! 
- ele volta sua atenção a Akira antes de ir embora. 
- Até mais moça! Gostei muito de nossa conversa, e até que você não é tão chata quanto eu achava que fosse! 


- Eu acho que isso foi um elogio, então obrigada! 
- ela se levanta também fazendo uma reverência a ele e ao rei que a fitava curioso.


- Vamos Loki! 
- ordena o pai de todos dando passagem ao filho. 


- Vou ao meu quarto primeiro, pai. Depois nos encontramos no jantar.- fala já andando em direção a seu quarto.

Loki os deixou ali sozinhos, e Odin voltou sua atenção a serva que fitava seus pés e estranhava o fato de seu rei ainda permanecer ali.

- Não acho uma boa ideia você tentar se aproximar de meu filho.
- ele se põe a frente dela que parecia nervosa com a voz severa de seu rei.
- Para sua própria segurança! 


- Meu senhor eu...eu.nao...
- ela não conseguiu nem terminar sua frase. 


- Eu não digo isso por mim, mas...sei muito bem os filhos que tenho e você também já devia saber que Thor é um homem com o humor mais difícil de toda Asgard.
- ele a fitava com atenção enquanto ela continuava a fitar o chão. 
- Ele têm ciúmes de sua própria sombra, então você deve imaginar o quê ele poderia fazer se visse vocês dois em um contato mais próximo. 


- sei muito bem o quê ele faria.
- resmunga em voz baixa.


- Em todo caso, veja esse alerta como um agradecimento de minha parte, por ter cuidado de meu filho.- fala já se distanciando para ir embora. 
- Pelo pouco que percebi, ele parece estar bem como você disse que estaria ao acordar! 


- Só cumpri com meu dever meu rei! 
- disse ela a levantar sua cabeça e ver Odin se afastando com sua escolta.    


♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡


Depois de ter tomado um demorado banho de banheira, se arrumado impecavelmente, com suas belas vestes ornamentadas com seu elmo e sua longa capa verde musgo, ele usou seu melhor perfume.Até ele mesmo achou que não estava nada mal ao se olhar no espelho, Loki caminhou até a porta de seu quarto para ir aquele jantar que até lhe roubava o apetite de tanto que era a sua falta de vontade de ir até lá.

E quando ele estava quase a alcançar a saida, Thor abriu a porta de uma vez, como se o local estivesse pegando fogo.


- O quê foi agora? perdeu o juízo de vez? 
- Loki o questiona irritado.

Ao vê-lo, o loiro quase perdeu o fôlego, Loki estava deslumbrante como sempre.

- Disse que viria busca-lo esqueceu? Agora vamos! 
- o loiro segurou uma de suas mãos e saiu porta a fora o levando consigo. 


- Nossa! Você é um homem de palavra não é mesmo? 
- Loki nem tentava se soltar do loiro já que sabia que seria em vão.


- Você não sabe o quanto! E digo mais, sugiro que pare de me tratar mal pois eu também sei fazer isso! 
- diz puxando o menor com mais força. 


- Já que vai ser assim, então não reclame quando acordar em uma lagoa qualquer.


- Já me transformou em um sapo uma vez, lembra? Você adora me tratar mal, mais eu nunca fiz isso com você! 
- ele parou de andar e prendeu Loki entre ele e a parede mais próxima. 
- Então não me obrigue a fazer isso agora.
- ele segurou suas mãos com uma mão enquanto a outra acariciava o rosto do moreno. 


- Até porque você não é homem o bastante pra isso! 
- lhe diz com um sorriso cínico.


- Tem certeza que é uma boa ideia me provocar desse jeito? 
- ele desceu sua mão livre até a cintura do menor o trazendo pra mais próximo de si.
- Pare com isso, Loki! Para o seu próprio bem! 
- mesmo com a resistência do outro ele tenta tomar seus lábios com vontade. 


- Você pode até se achar um grande guerreiro, mas no fundo você não passa de um fraco! 
- Loki o impede de beija-lo virando seu rosto.


- Eu estava pensando em relevar seu comportamento malcriado, mas agora já chega! Chega de me  tratar como se eu fosse um lixo! 
- o loiro desceu seus beijos para o pescoço do menor enquanto lhe agarrava cada vez mais firme. 
- Eu não lhe dei motivos pra isso! 


- Deu e muitos seu mentiroso! E como eu disse antes, você vai se arrepender por esta fazendo isso!
- Loki tentava repelilo mas o loiro era mas forte.


- Não! Você é que vai. 
- Thor lhe prensou com mais força arrancando um gemido de dor e ao mesmo tempo de excitação do moreno. 
- E sorte a sua termos um compromisso agora! 


Loki queria muito jogar aquele loiro a metros de distância de si, mas ao mesmo tempo que pensava isso, sentia seu corpo chamando pelo dele e isso o excitava para sua total frustação, já que sua raiva lhe dizia para ficar bem longe dele e seu corpo clamava por mais contado.

E quando sentiu que não podia mais resistir ao loiro, eles ouviram passos bem próximos vindo em sua direção. 


- O quê estão tentando fazer? brigar ou tranzar? 
- Aminä parou ao lado dos dois com as mãos na cintura. 


- É impressionante como você sempre chega na hora errada! 
- Thor reclama a fitando de volta.


- É bom ver você também Thorzinho! Vim a mando de nossa querida rainha para chamar seus filhos desnaturados! 
- ela diz já fazendo o caminho de volta. 
- Não podem deixá-la sozinha com os convidados! 


- Já estávamos indo.
- Thor segura firme a mão do moreno novamente e volta a levá-lo consigo seguindo a maga.


- Eu persebi o quanto vocês estavam ansiosos para irem! Mas não ao jantar! 
- diz maliciosa.


- Pode me dar uma ajuda?!
- Loki pergunta a maga que para a frente dos dois.


- Claro! E você vai cooperar e solta-lo de bom grado ou.....
- diz fitando o loiro que a interrompe.


- Não se meta mais uma vez onde não é chamada Aminä! Pois mesmo com toda a amizade que tenho por você, dessa vez vou lhe dar mais que um empurrão. 
- Thor para a frente dela que bloqueava a passagem.


- Você já deu sua resposta, Thorzinho!

Ela lhe sorrir, e em segundos se desfaz no ar sob um brilho azul, levando Loki consigo. 

- VOCÊ ESTA ME TIRANDO DO SERIO, AMINÄ!!!
- bradou o loiro raivoso. 


- como se isso fosse uma coisa difícil de se fazer! 

Ele ouviu a voz dela ao longe, e seguiu o som de sua voz a passos largos.  


♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡


Os dois caminhavam em direção ao salão de festas, quando encontraram Balder e Karl pelo caminho. 

- Ai estão vocês! Estávamos a sua procura, Aminä. 
- disse Karl tomando seu braço esquedo já que Loki ocupava o direito. 
- E como você esta Loki? Pronto pra outra?!


- Achei que estava, mas mesmo me sentindo bem não consigo usar minha magia. 
- diz desanimado. 


- Isso não é normal, não é tão ruim já que se sente bem, mas...é estranho.
- Balder lhe diz andando a seu lado.


- Minutos depois de ter acordado eu a usei, e depois senti uma sensação que nunca havia sentido  antes...como se eu a estivesse esgotado.


- Sinto lhe dar mais uma péssima notícia, mas...
- Aminä lhe fala receosa. 


- O quê? 


- Não podemos ir até ele hoje, porque sua mãe impediu nossa saida do palácio até que tenhamos uma conversa com ela.


- O quê ela quer com vocês? 


- Eu até já faço uma ideia do que seja, mas não vem ao caso agora.
- diz Karl. 


- Desculpe por não termos ido, mas agente tentou! 


- Tudo bem Balder! Amanhã eu vou até lá! 
- diz sem dar muita atenção ao assunto. 


- Têm certeza que se sente bem? 
- diz a maga tocando em sua testa.- Porque eu pensei que ia ficar uma fera com a gente e ir até lá agora mesmo! 


- Minha cabeça está muito confusa esses dias, e acho que o melhor que tenho a fazer é me afastar de tudo isso, por agora! 


- Esse é um ótimo jeito de organizar as ideias! Mas não pense que isso vai livrar você de nos contar em detalhes como e quando começou essa aproximação tão romântica entre você e seu irmão! 
- ela lhe diz para o espanto dos rapazes. 


- O quê ela disse? 
- Balder e Karl falaram ao mesmo tempo fitando o moreno com espanto. 


- Nada! Agora vamos logo a esse bendito jantar, para que eu possa sair de lá o mais rápido possível! 
- diz apertando o passo.


- Ah não Loki! Você têm que nos contar que história é essa! 
- Karl lhe fala e Balder concorda.


Os quatro andavam apressados já no corredor que dava acesso ao salão, enquanto os dois insistiam para que o moreno lhes contassem, e Aminä ria da curiosidade e euforia deles que causava uma pequena irritação em Loki.

E quando eles pararam em frente as grandes portas do salão que se encontravam entre abertas, um loiro levemente irritado alcançou os quatro puxando Loki pra si, enquanto Aminä se escondia atrás de Balder e Karl. 


- Vai melhorar seu humor se eu lhe desejar feliz aniversário agora? 
- pergunta a maga atrás dos rapazes. 
- Eu não fiz aquilo por mal! 


- Depois conversamos, Aminä! 
- diz o loiro tomando o braço direito do moreno entre o seu.


- Se não se importa, eu prefiro não fazermos isso! 

Antes que Loki pudesse protestar contra o fato do loiro estar o mantendo junto a si contra sua vontade, as portas se abriram enquanto suas presenças eram anunciadas aos convidados.
Thor entrou no local trazendo um moreno visivelmente irritado junto a si, debaixo da salva de palmas que os convidados direcionavam para ele.

Os dois caminharam em direção aos seus lugares a mesa, que já estava quase totalmente ocupada, sobrando apenas os lugares mais próximos dos soberanos de Asgard. Eles se sentaram em seus lugares um ao lado do outro, ao mesmo tempo que os demais que se levantaram para recebe-los.

Sentados a mesa, se encontravam seus amigos a sua direita, a sua frente os amigos de Loki e alguns conhecidos de ambos os príncipes e nos outros lugares daquela mesa de metros de comprimento, a maioria dos nobres que moravam no castelo, chefes da guarda pessoal da família real, alguns membros de famílias reas de reinos próximos já que a rainha não teve tempo de desfazer todos os convites, e alguns moradores da cidade dourada e também aldeões que eram conhecidos dos príncipes.
E em meio a todas aquelas comidas e bebidas variadas que preenchiam todos os metros da mesa, não havia uma só coisa que Thor não amasse, ja que sua mãe cuidou pessoalmente para que fosse assim.

E quando não faltava mais ninguém e todos já se encontravam em seus devidos lugares, Odin pegou uma caneca de hidromel e ficou de pé chamando a atenção de todos para si.



...

Notas Finais


Obrigada por ler!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...