História Threesomes - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha
Tags Colegial, Hentai, Naruhina, Naruhinasasu, Naruto, Romance, Sasuhina, Sasuhinanaru, Sexo A Três
Exibições 194
Palavras 2.543
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


O que é uma festa sem confusão? E se a confusão se der início começar antes mesmo da festa ter início? O que é um aniversário sem momentos nostálgicos? Relembrar é viver, e o que não vai faltar no capítulo de hoje são lembranças.

Centralizado e itálico: flash back.
Negrito: voz do outro lado do telefone.

Leiam as notas finais!

Capítulo 14 - Surpresa?


THREESOMES.

∙ ∙ ∙ ∙ ∙ ∙ ∙ ∙ ∙ ∙ ∙ ∙ ∙ ∙ ∙ ∙ ∙ ∙

∙∙∙ Surpresa?

Narrador.

– Vocês vão me matar de curiosidade. – Bufou a morena, com os olhos vendados, tentava ao máximo enxergar alguma coisa, mas nada só o breu, Naruto dirigia com atenção ao volante, mas não aguentando caindo no riso em alguns momentos, Sasuke permanecia ao lado de Hinata, provocando-a, fazendo com que ela ficasse ainda mais frustrada com tanto mistério.

– Irá valer a pena, passarinho. – Ele sussurrou em seu ouvido com sua voz embarga ela sentiu um arrepio com seu hálito quente tão próximo de seu pescoço, ele mordeu o lóbulo de sua orelha fazendo-a gemer baixinho e a beijou com delicadeza envolvendo sua língua em um beijo malicioso.

Quando se soltaram ela revirou os olhos, ainda aborrecida.

– Quando eu vou poder saber? – Esbravejou curiosa e aborrecida, cruzando os braços como uma menininha fazendo o Uchiha apertar sua bochecha, ela rosnou.

– Logo, logo. – Gritou o loiro de olhos safira atrás do volante, ela apenas cruzou os braços descontente.

Seu dia começou péssimo, era seu aniversário e isso por si só já era motivo para não ser um dia bom, nunca gostou muito daquela data desde que sua mãe morreu.

Ao lado dela sempre teve o que era mais próximo de felicidade e plenitude na terra naquele dia, era acordada com seus beijos e abraços carinhosos, a ouvia cantar com sua voz desafinada, mas esforçada canções de felicitações, ela fazia questão de escolher uma roupa bonita para saírem, desde o sapato, a meia ou o laço que ela colocaria nos cabelos, quando criança ia ao parque, sua mãe a deixava brincar em todos os brinquedos até perder o folego, conforme foi crescendo trocaram o parque pela sorveteria da cidade sentavam nos bancos altos, Hinata sempre gostou de acompanhar seu crescimento comparado a altura em que seus pés alcançavam o chão, desde que ela se foi nunca mais voltou lá, e quando voltavam para casa um bolo colorido cheio de chantili a aguardava, as velas eram coloridas cada ano uma cor diferente, mas quando ela se foi um vazio ficou um vazio difícil de ser preenchido e mesmo com as tentativas de seus amigos para alegrarem o dia seu pai conseguia estragar de alguma maneira com suas palavras rudes ou seu alcoolismo. Era terrível.

Mesmo quando começou seu relacionamento com Kiba seus aniversários foram monótonos e entediantes, ele nunca foi o homem mais romântico que se tem notícia na história da humanidade, sempre foi um pouco bronco, não que ele fosse de todo mal, só que dar um presente acompanhado de um buquê de rosas era seu jeito de dizer, “Você é especial para mim, feliz aniversário” e normalmente eram essas mesmas palavras que acompanhavam o cartão de brinde da loja que ele raramente assinava ou colocava uma data.

Houve momentos em que se questionou o porquê de estar com ele, mas não precisou ir muito longe para achar uma resposta.

Quando Naruto simplesmente ignorou tudo o que aconteceu entre eles, nenhuma outra pessoa foi capaz de curar o sentimento de rejeição e esquecimento com exceção de Kiba, ele sempre foi um amigo presente, mas que de amigo não tinha nada, pelo menos da parte dele, já que na primeira oportunidade que teve viu nela uma chance de conquistar o coração da morena, a solidão e mágoa a fizeram cair nos braços dele, “Hinata, Hinata você sempre caindo nos braços do primeiro que aparece, parece um padrão”, refletiu ao lembrar-se de Gaara.

Gaara.

Ele tinha algum segredo e ela iria descobrir, ainda não estava pronta para contar aos meninos sobre o que aconteceu ou o que estava acontecendo, mas com a consciência limpa de qualquer culpa seguiu adiante.

– Hinata? Chegamos. – Sentiu o carro, parando, levou as mãos à face para retirar a venda, mas foi detida pelo moreno. – Ainda não. – Ele segurou sua mão com delicadeza, levando-a até seus lábios dando um beijo e a conduziu para fora do carro com cuidado para o então desconhecido.

 ✿✿✿

Dois dias atrás.

– Você tem que me colocar lá dentro! – Seus olhos esmeraldas tinham um brilho de determinação feroz.

– Você vai me colocar em problemas! 

Matsuri, era melhor amiga de Sakura, cresceram juntas tendo uma à outra como companhia, Sakura sempre chamou atenção dos rapazes e isso inflou seu ego de uma maneira rejeição nunca foi um fator ao qual ela precisou lidar.

Matsuri assim como ela sempre quis fazer faculdade, só que diferente de Sakura que conseguiu “ser egoísta” e ir atrás do seu sonho, Matsuri não teve a mesma coragem, optou por administração visando uma vida confortável com a garantia de um emprego para cuidar de seus pais quando a velhice chegasse a eles.

Sakura com sua ousadia e sem medo algum do desconhecido escolheu moda, a única coisa que dava sentido a sua vida segundo ela própria, mas ao conhecer o Uchiha seu coração começou a bater por algo mais além de tecidos, estampas e catálogos.

Ele tornou-se uma obsessão, ele ser inalcançável fez daquilo um jogo intenso e ainda mais empolgante, ela nunca foi desistir do que queria, mas o que ela não sabia é que ele nunca seria dela por mais que ela pensasse que já o tivesse.

⋆⋆⋆

Ela pegou o telefone, 20h34min.

Discou e esperou que ele atendesse.

– Sasuke? Oh, onde você está, estava preocupada você marcou comigo há duas horas e não apareceu. Aconteceu alguma coisa? – Era óbvio pelo horário que ele não iria aparecer, mas ela queria uma explicação, não era a primeira e provavelmente não seria a última vez que ele agia assim, ela estava cansada, mas seus sentimentos por ele eram maiores. – Sasuke?

Me desculpe, eu não posso ir, aconteceu uma coisa – Disse a voz do outro lado da linha sem muito interesse na conversa, a jovem de olhos esmeraldas se sentia péssima, o interesse por ela estava morrendo gradativamente. – Podemos conversar depois? – Quando Sakura ia responder pode ouvir uma voz feminina ao fundo.

Sasuke, vem logo! A pipoca vai esfriar. – Sakura franziu o cenho, reconheceria aquela voz em qualquer lugar, “Hinata, ela como sempre”, revirou os olhos.

– Está com a Hinata de novo Sasuke? – Dessa vez ela não pode segurar, estava guardando isso há bastante tempo.

Não sabia que estávamos namorando para te dar satisfação, ah – ele fez uma pausa, suas palavras eram frias – é mesmo porque não estamos não seja irritante. – Sasuke desligou sem dizer mais nada, a jovem pode sentir seu coração doer, comeu mesmo sem muita vontade o jantar que preparou lasanha que era para dois, mas virou prato para um, tomou um gole do vinho que amorteceu um pouco de suas dores e pegou no sono chorando.

No dia seguinte ocultou as olheiras com uma boa dose de maquiagem, um lápis de olho preto um batom vermelho vivo, pensou em dizer tantas, tantas coisas, mas quando Sasuke veio em sua direção fingindo que nada aconteceu a beijando esqueceu-se de tudo, ou quase.

✿✿✿

Tudo começou com pequenas palavras soltas, algumas frases.

– Eu não entendo o motivo que eles ficam por tanto tempo juntos. – Sakura falava do jeito mais despretensioso que preocupado e aflito que conseguia. – Eu sei, eles são melhores amigos da infância blá, blá, blá, mas é tão injusto isso que fazem conosco. – Kiba assentia concordando com tudo, para ele era tranquilizador conversar sobre aquilo com alguém que o entendia, ou ele pensava assim.

“Foi tão fácil manipula-lo”, ela pensou com um sorriso malicioso nos lábios.

– Eu pergunto o que eles fazem, sabe, ela sempre diz, mas eu sinto que há algo a mais, entende, não sei se é meu ciúme não me deixando enxergar direito. – Sakura deslizou com o dedo indicador pelo rosto bronzeado do rapaz de cabelos castanhos, “Ele não era como o Sasuke, definitivamente não, mas não deixava de ser atraente”.

– Não pense assim, qualquer um no seu lugar pensaria o mesmo, até eu penso, e nossa, céus eu me sinto tão só às vezes.

Abaixou a cabeça fingindo chorar, Kiba envolveu-a com seu braço consolando-a.

– Você é tão bonita, sabe disso, não tem que ficar a mercê de um idiota como ele. – Sakura levantou a cabeça de súbito o olhou no fundo dos olhos, dando um sorriso modesto e mordendo o lábio, revirando os olhos com suas bochechas levemente coradas.

– Você me chama mesmo bonita?

Ele confirmou com a cabeça desviando do olhar que ela lhe lançava.

 Ele tentou a principio resistir, mas com muita insistência, desconfianças e um relacionamento baseado em puro comodismo levaram a uma única coisa: traição.

O que a jovem de olhos verdes não esperava definitivamente que aquilo acabasse terminando daquela maneira.

✿✿✿

– Então é isso acabou? – Foram às únicas palavras que ela conseguiu juntar em tampouco tempo, ela podia ouvir o seu coração se partir.

– Como você mesma disse nós nunca tivemos algo realmente, então afinal não temos o que acabar. – A fama de Sasuke era merecida, mas ela não imaginava que ele pudesse ser tão frio, ela sentiu que por mais que seus sentimentos não fossem correspondidos existia algo nele por ela, mesmo que fosse uma pequena brasa, mas aparentemente não havia nada, sequer uma fagulha.

– É por causa da Hinata? – Por mais óbvia que fosse a resposta ela não conseguiu simplesmente deixar de perguntar.

– Nunca mais diga esse nome ou fale com ela novamente. – Sasuke não disse mais nada, deixando-a ali chamando seu nome algumas vezes, em momento algum ele olhou para trás ou sentiu algum arrependimento das palavras tão duras.

“Por quanto tempo um coração pode bater mesmo estando em pedaços?”.

⋆⋆⋆

– Eu não vou criar problemas para você, eu só preciso ir.

– Então por que você vai? – Sakura insistia naquela ideia mirabolante e Matsuri sabia que ela não iria desistir enquanto não concordasse ela coloca-la lá dentro do evento.

Mesmo com o auxilio da faculdade e vivendo no alojamento estudantil a garota de cabelos castanhos decidiu arrumar um emprego e viu em buffet uma excelente oportunidade de viver sem tantas privações, os eventos raramente aconteciam no período da tarde e quase sempre aos finais de semana conseguindo conciliar os estudos e o trabalho de maneira eficiente.

Lá no buffet fazia de tudo um pouco, fritadeira de salgados, garçonete, recreadora infantil apesar de odiar este penúltimo porque às crianças eram em sua maioria mimadas e insolentes, os pais fingiam não ver suas malcriações e isso a deixava irritada, mas engolia porque precisava muito do dinheiro e pela sua boa aparência recepcionista, recebendo convidados e verificando listas de convidados, por sua aparência doce e gentil alguns tentaram passar a perna, mas ela sempre agiu de maneira implacável com penetras e arruaceiros de plantão só era difícil afastar os tabloides carniceiros prontos para arrancar um pedaço de qualquer coisa ou qualquer um.

– Você acha mesmo que eu vou acreditar em você?

Sakura não queria entrar em uma festa qualquer, caso contrário não se comportaria de maneira tão insistente. Ela queria entrar penetra na festa surpresa da Hyuuga, festa organizada por Naruto e Sasuke, um dos eventos mais aguardados, ofuscando a choppada anual de medicina, não se falava em outra coisa e também pudera, Sakura tentou de tudo para jogar o nome de Hinata na lama, mas ela mostrou que gatos caem em pé, ao assumir um relacionamento com os dois rapazes mais bonitos do curso de direito, sendo um deles o herdeiro de um império cada dia mais em ascensão fazendo Sakura com seus boatos e língua afiada parecerem apenas uma despeitada e isso a consumia de raiva,  aquilo se tornou ainda mais pessoal.

As pessoas continuavam sedentas por qualquer coisa que viesse deles, os boatos não paravam, alguns fizeram até um bolão, “Em quanto tempo Hinata dará o famoso golpe da barriga no Uchiha?”, alguns diziam que ela não precisava disso, será que ela ganhou um fã clube? Ela tinha dinheiro, não tanto como ele, já outros diziam com todas as letras, “Por isso são ricos casam uns com os outros e aumentam suas fortunas”, talvez não estivessem tão errados nesse argumento, mas não era nada disso que ela queria, mas quem iria acreditar?

Mesmo com tanto falatório Hinata ainda não havia descoberto sobre a festa por um único motivo: todos guardavam segredo, pelo menos perto dela, não por gentileza ou algum sentimento altruísta, mas o que é uma festa sem penetras? Queriam um belo espetáculo.

Mesmo que Matsuri não fizesse parte da “turminha” ela não podia negar uma coisa, a Hyuuga de certa maneira partiu o coração de sua amiga, no fundo a jovem de cabelos castanhos nunca acreditou numa amizade genuína ali, tanto que quando apareceram juntos em tão pouco tempo não ficou surpresa, no fundo uma voz dentro de si a achava sonsa demais mesmo que em um momento ou outro não soubesse se era sua consciência ou apenas a voz a amiga de olhos esmeraldas falando dentro de sua cabeça e ela tinha que admitir, ela era boa em fazer isso.

– Seja honesta comigo – pediu pela última vez, segurou as mãos da jovem de cabelos rosa. – Eu sempre te apoiei, mas preciso saber.  

– Eu ainda não sei – soltou um suspiro de frustração – mas eu sinto que isso ainda não terminou e vai acabar lá. – Sakura parecia um pouco perturbada, sua voz era sombria, fazendo-a sentir um arrepio.

Sentiu medo pela amiga, medo do que ela era capaz de fazer caso conseguisse entrar e do que seria capaz de fazer caso não conseguisse por ela, os riscos que estava disposta a seguir por algo assim, e mesmo entendendo que a escolha foi unicamente dela se sentiria culpada, era inevitável.

Assentiu por fim, tirou a mochila das costas, abriu e entregou um saco preto para ela.

– Abra somente quando chegar ao alojamento, cuidado para ninguém ver isso. – Sakura abraçou a sacola com toda sua força, seus olhos esmeraldas brilhavam.

– Como você sabia o que eu iria te pedir isso?

– Porque eu te conheço como a palma da minha mão. – As duas trocaram um olhar confidente e um sorriso gentil, Sakura colocou a sacola dentro da bolsa e a abraçou carinhosamente.

– Depois eu te pago um milk-shake.

– Ah, por um favor como esse vou querer uns dois só para começar.

✿✿✿

Hinata teve dificuldades de andar com a venda nos olhos, para auxilia-la melhor Sasuke a pegou no colo a conduzindo até o destino esperado, colocou-a no chão e tirou sua venda, ela viu um “camarim” improvisado, não pode deixar de soltar um riso abafado pela sua mão tampando a boca.

– Eu não entendo – sussurrou um pouco confusa. Sasuke e Naruto sorriram um para o outro, se cutucando trocando um olhar cumplice um para o outro a deixando ainda mais perdida. – O que foi?

– Surpresa? – O loiro disse com um sorriso irresistível, tão cativante, pulando em sua direção dando um beijo rápido nos lábios, arrancando um sorriso bobo da jovem de olhos pérola.

– É sua festa – sussurrou o Uchiha, – e esse ano ninguém vai estragar isso.

Hinata sentiu as mãos do moreno em sua face segurando-a delicadamente e puxando-a para um beijo gentil e carinhoso.

– Meu passarinho. – Sussurrou antes de beijá-la mais uma vez.

E por de trás de alguns cabides alguém observava a espreita esperando o momento certo de aparecer ou continuar oculta agindo pelas sombras de maneira sorrateira.


Notas Finais


O que vimos hoje:

1. Ah Kiba, você foi um consolo para um coração triste, não estou dizendo que eles não viveram momentos bons, mas o "conto de fadas" não começou da melhor maneira possível XD
2. E não, a traição não foi algo "do nada", foi algo gradual e que começou por uma mistura de coisas.
3. Como vocês podem ver, pelos olhos de um terceiro personagem como a maior fofoca de UK tá podre e terrível.
Claro, tem aqueles que shippam -Q.
4. O que Sakura é capaz de fazer? Conseguimos ver que há muito ressentimento, obsessão e alguém decidido.
5. No próximo capítulo a festa realmente começara e será que veremos alguém mais?
6. Matsuri a amiga fiel, será que isso será bom ou ruim para Hinata?
7. Será que veremos mais do Gaara e enfim descobriremos se ele esconde algo ou só estamos sendo paranoicos -Q

Venham, comentem o que acharam, me amem, me odeiem, amem a história, podem criticar, venham.
Não me abandonem!!! Carência mode on -QQQQ. Cês tão acostumados e..........................é.

Beijos de mousse de limão, amo vocêss ♥♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...