História ThrinK(ay) - Capítulo 7


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Chanyeol, D.O, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, Tao, V
Tags Carry, Comedia, Drama, Gameover, Heterossexual, Imprevisível, Luke, Minhee, Thrink
Exibições 6
Palavras 10.188
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Beach? Bitch!


"Estou trazendo as bundas de volta 

Vá e diga a essas vadias magrelas 'eaí'  

[…] 

Pois você sabe, eu sou mais um corpo violão, 

Um corpo violão, e não um tipo flauta" 

(All about the bass - Meghan Trainor) 

 

 

 

~No capítulo anterior ~ 

- Carry, você chegou em pior hora, agora ele não vai mais nos contar. – disse Channy chateado com bico.  

- Contar o que, garoto? Credo.  

- Que MinHee terá que usar cadeira de rodas. – entra appa (n/a:  HyunSu, que pra quem ainda não lembra pelo nome,  é o pai dela, gente.) com a cara mais péssima que Tao quando está drogado.  

  

NÃO.  

CALMA.  

ACHO QUE... Dessa vez não ouvi direito.  

Eu ouvi direito?  

...Cade..ira?  

- ....WHAT?!?!  

  

 

 

 

 

Kyun MinHee  

 

Passaram-se algumas semanas após appa contar que eu realmente preciso usar a cadeira de rodas. Mas graças a eficiente (e impossivelmente milagrosa) equipe do parque que me salvou aquele dia, os ferimentos não eram permanentemente graves e eu ainda estava vivinha da Silvana.  

 

Agora estou aqui nesse corredor, sentada esperando a balofinha da Carry se aprontar ( ou fazendo  outra coisa, quem sabe) no banheiro. 

- HELLOOO? É PRA HOJE? CORRE SUA LOUCA, QUE A GENTE VAI ATRASAR!!!! 

- Hã ...Não sei se você lembra, mas a gente tá saindo mais cedo! 

- Não mais cedo se a senhora ficar trancafiada tentando fazer sei lá o que. SAI LOOGO! 

- MAS A DROGA DA SAIA NÃO ENTRAAAAAAAA PORRA, VOCÊ ME EMPANTUFOU DE DONUTS ONTEM E ENGORDEI 1 TONELADA. - berrou Carry, agora parecendo mais impaciente. 

 Oxe, ela que compra uniforme justo e a culpa é minha. 

 Ri da cena que a mais velha deve estar fazendo para caber numa saia, e acabei soltando-a em um som audível   - Sua vadia, vai rindo. Quero ver só, vou comprar um tanto de Fini pra ver se tu não vira uma bola e sai rolando pela escola. Se é que existe Fini nessa jossa de país. 

- Acho que Fini nem vende mundialmente, triste realidade. - adverti enquanto limpava uma lágrima imaginária. 

- Tudo bem, te jogo o Luke pra comer mesmo. 

Eca. 

- Eita, aquilo já deve estar comido, cuspido, mastigado, e tudo que for possível fazer com uma putinha. Vai me dar indigestão. - justifiquei enquanto escuto um bufo vindo da sala. 

- Indigestão é pouco, vai dar  intoxicação alimentar! - e logo começamos a rir por imaginar um Pepino Luke estragado. 

Por que pepino? Pois ele fez a coisa mais ridícula do mundo outro dia e... 

- GENTE EU TÔ OUVINDO TUDO, SABE. - interrompeu-me os pensamentos, a própria Miss filha do rei Lado negro da força.  

Inclua aqui uma tentativa falha de jogar uma almofada do sofá para a minha pessoinha indefesa no corredor. 

Vesgo. 

- É pra ficar bem claro que você é muito podre para a nossas barriguinhas de ricas. - indagou Carry, agora colocando a cabeça para fora do banheiro e mandando um beijo no ar para o senhor Pepino. 

Ricas. Hahahaha Que ilusão mais iludida. 

Sonhar é de graça mesmo, né.  

Ok, talvez não pra ela. Sua barriguinha é de rica, Carry, você venceu.  

Ui, Luke tá rindo e apontando pra ela, vamos parar de ser alone na mente e voltar à realidade MinHee. 

- BARRIGUINHA?!?! BARRIGUINHAA??? Barriguinha um ó. Olhem pra essas PANÇAS, suas gordas. - ousava apontar-nos e dizer isto espreguiçando-se no sofá. 

 COMASSIMQUERIDO, pança? 

GORDA O CARALHO.  

- Você tem inveja do nosso excesso de gordura, Luke. - retruquei enquanto fuzilava-o. 

- VIU, GORDURA! Confessou. 

- NÃO! ... Eu quis dizer, gostosura. - corrigi, ao mesmo tempo rindo da cara de "sei", que Luke fazia e com a Carry finalmente saindo do banheiro. 

- QUASE MORRI MAS SAÍ , PORQUE MINHA GOSTOSURA - disse apontando às coxas -  NÃO ME DEIXAVA CABER NESSE PEDAÇO DE LENCINHO QUE CHAMAM DE SAIA. 

Fiu fiu. 

-Wow, como fica sexy esse uniforme em você. Valeu à pena esse esforço todo para caber hein, lindona? - Sim fui eu, parece lebisca demais o comentário mas fui eu que elogiei, e aí? Algo contra? 

Reclama que faço o dobro. 

-Continua báh... cof cof...lofa -  começara Luke a falar, mas engasgou de verdade com a Carry lançando um olhar mais que mortífero. Parecia dizer: " se continuar, eu te dou uma bofetada que levará a encontrar tal verdadeira balofa no cu"...brincadeira, são as garotas mais gostosas dessa Palitolândia em que viemos parar. Principalmente você, Mi. - disse piscando pra mim. 

Nooossa, quem ler vai achar que nós somos um lutador de sumô, e não corpudinhas com umas gordurinhas por aí. 

Sim, aceite. Protagonistas de trama podem ter celulites também. É a realidade. 

Realmente deveríamos parecer super balofas na escola perto das barbies model de olhos puxados (porque somos gordelícia! O que foi? Eu sou gordinha de gostosura mas danço pra perder barriguinhas ok? Nada de pneus pra minha autoestima não cair, obrigada.), ainda mais porque a Carry fez questão de me comprar um uniforme apertado... Mano, nem fecha o primeiro botão da camisa. #vergonha.  

MAS CALMA QUE NÃO TEM PEITO SAINDO PRA FORA NÃO , CHESUS. Tenho cara de que? De putaquenão. 

Meu pensamento foi interrompido quando os dois encaravam minha saia que parecia curta - uns pequenos centímetros de leve - por causa da bunda. 

MALDITA. Aposto que vão xingar por estar curto. 

VAI ME CHAMAR DE PUTA AGORA, É? 

~~ Conscy invade ~~ " SUA PUTINHAAAA, VÃO TUDO TE OLHAR TORTO E NÃO VÃO SABER QUE CARRY QUE COMPROU E BLÁ BLÁ. CONTINUA PUTINHAAA. PUTA PUTINHA, BITCH BITCHÃO, QUEM É PERIGUETE PAGA MICÃO" 

Lá vem, lá vem. Conscy só abre a boca pra jogar pedrada, credo. 

Deu pra virar rapper agora também? 

Vai então compor uma música útil e manda lembranças pra grana. 

-Fiu fiu mesmo, Mi. - completou mãe Carry – Maas... Se alguém olhar pra sua bunda, coxas, decote... - o que a própria fiscal já tá fazendo né -  Anyway... como sua "amirmãe" (amiga irmã mãe), devo socar a cara do desalmado. ...Posso te socar, Lukezinho? <3 - até quem não entende de expressões, diria que o que a mais velha fazia não batia em nada com a voz de nojo e o seu beijo assoprado. 

-Eu sou bicha, eu posso. Né, meu amor? - tinha que retrucar, o Pepluke. ( pepino + luke ) 

-Foi mal gente. Talvez se numa outra vida eu fosse lésbica ou...se Luke não fosse bicha, puta... dama da noite, filho da fruta, e nós não fossemos  irmãos... até pegava, ok? -  disse rindo do meu comentário, e sendo seguida por um coro. (de risadas, gente. Oxe, quem daria  " couro na bunda" por isso, né ?... ou de ópera .. né, dã..... bugueiagora mas ok. ) 

-É mais fácil eu gostar de rosa do que isso do Luke não ser tal tal, - bitch ou dama da noite - ser realidade.  

-Puxa, assim ofende minha pessoa. - indignava Luke enquanto colocava a mão no peito e fazia um "o " com a boca. 

Nossa, assim não tem mesmo como te defender, pessoa. 

Dificulta as coisas pro teu lado não, vish. 

-Foda-se sua pessoa. - Carry, curta e direta -  Enfim. Curto, puta ou não, continuo odiando essa bosta de uniforme que eu acho que só foi feita pra sensualizar ou parecer frufru. Eu realmente prefiro minhas camisetas e short. Povo fresquinho daqui, ein. - bufando, ela ainda tentava "arrumar" sua camisa também que não fechava bem. GENTE ACHO QUE ESSA ESCOLA SÓ DEVE TER PEDÓFILOS PARA TER NOS VENDIDO UM UNIFORME TÃO BITCH. 

-Afe viu! Vocês mesmo quiseram vir comigo para cá, então sem reclamações, gente! - disse entre risos, num tom falsamente brava. 

-Eu particularmente não tô reclamando não. - completou a bicha colocando um riso malicioso, deitando mais no sofá e cruzando os braços por trás da cabeça. 

Que? 

não entendi.  

.... 

Ah sim, agora lembrei que nem contei como foi a "SURPRISE MÃE DA FOCA" aparição que nosso escravinho fez. 

 

 

Luluke E(r)vaninhas 

 

E é óbvio que se é pra contar sobre minha aparição, ninguém melhor do que euzinho pra relatar, não é mesmo?  

HIHIHIHIHIHIHIHIHI 

Onde foi a última vez que apareci mesmo? É... 

Ah sim. Eu tava no avião, lutei com uma velhinha maldosa que não queria me dar bala, estava narrando minha situação e sem querer falei alto demais...  

Aí conheci um pirralhinho muito daora que achou que eu fosse louco, que eu era o Kingkong porque segundo ele (só segundo ele ) sou feio.... Aí  perguntou se eu "como mulher" (mano, quem ensina sascoisa pras crianças hoje em dia? Absurdo. Tudo bem que, era comer de comer que ele pensava mas sei que vocêzinho aí pensou sobre nheco nheco diferente também, e era mesmo sobre isso que o pai dele ensinou.)  

Mas então, é claro que como sou um filho de família ( com pai, mãe , cachorro e tudo hahah) eu disse que não comia mulher, que eu como hambúrguer então sou gay... 

E depois? 

Aaah, aí teve a treta lá que o pai piscou pra aeromoça, depois chama de vagabunda que só serve pra ser comida... e então o molequinho pergunta se ela é mesmo pra comer. 

MANO, melhor pirralhinho everr.  

E claro, saí do meu cafofo (vulgo, banheiro fedido) onde me escondia de pais que não quer um bonitão por perto de seus filhos. Ignorando esse fato, fui pegar um autógrafo com ele (o filho, claro, o pai é chuchu sem sal), mas a única coisa que recebi foi o chuchu sem gosto, vulgo, o pai do menino puxando a minha linda orelha. Tive também que pedir desculpas, "esclarecendo " (baisoubenos) tudo para o meu mini ídolozinho. 

Só porque hamburguívoros poderiam ser gays de agora em diante. 

PUXA. 

Agora vamos "fléshibecar" desde os acontecimentos que vocês perderam... 

 

~ vrum vrum flashback ~ 

  

-Estamos aqui neste momento, quase pousando na Índia. Onde os portugueses não conseguiram chegar nos séculos de Cristóvão aí, e em troca encontraram pessoas nuas vivendo na selva mais selvagemente que cachorro no cio. Que hoje chama Pobresil, cof, quero dizer, Brasil. - cá estou eu narrando com uma garrafa de microfone. ~aplausos~  

-É Coreia , tio Luke, não Índia. E isso é aula de história? Blé . 

-Valeu, coleguinha assistente. Enfim, é um país qualquer da Ásia cheio de chinguelingues, onde minhas "belas" gorduchas amigas moram agora.  VOCÊ ACREDITA que esqueceram de mim há um bom tempo, (horas) e só me ligaram pra dizer que uma delas - tipo, supernormal - caiu de uma roda gigante?!?!  E eu, como sou um ótimo amigo, perfect human, excelentíssimo ser vivo, estou gastando quase tudo de meus fundos para voltar aos braços das minhas queridas servas por amor e preocupação. Apesar de a essa hora ela já ter levado alta e vamos só tuts tutsar. 

-Que legal, tio, você quebrou seu cofrinho?! Seus pais deixaram? 

-É, eles nem ligam ( ó vida de filho abandonado). Já é meu último ano de escola mesmo, e eu sei uns par de palavras coreanas por tantos anos de convivência com essa minha amiga cabelo de fogo

-Sua amiga pega fogo? 

-Não, o cabelo dela é vermelho igual um fogo. 

-Mas tio, na verdade o fogo é azul. 

OI? 

-Fogo azul? Você nunca pintou uma fogueira com tinta? Tu num vê desenho animado? É vremelho, querido. Quando tu fala em "fáuiar" a primeira cor que vem em mente é vermeeeelho e prontoacabou. 

-É azul sim! Sabe quando você liga o fogão? É azul. - o menor pausou, e fez uma cara de quem lembrou que ainda tem lanche na mochila -  Falando em fogão, meu pai às vezes bate na bunda da minha mãe enquanto ela cozinha e diz pra ela acender o fogo dele também .  

Até soltei uma gargalhada depois dessa. 

CANTADA PIOR QUE ESSA É A DO"BRINCAR DE NU - VEM". 

-CRENDEUSPAI Como você vê sascoisa menino? Sabe, você não pode entender. São coisas de adultos, meu pequeno assistente .   

-Mas a cozinha é minha também, e eu fico espiando quando omma começa a fazer barulhos estranhos, porque quando ela faz isso significa ser homem, segundo meu pai. Quero dizer, ele não me deixa ver, mas é injusto dizer como ser homem, e já que eu vou ser um dia tenho que ver né. 

Hãm? Fazer gemer é ser homem agora?  

Esse pai dele tem um cérebro entupido de camisinha, só pode. 

Pensa em besteiras e ainda afeta esse coitado, affe. Cadê os pais que joga beisebol com os filho. 

-Seu pai diz isso mesmo? - assentiu em resposta - E ... o que você vê exatamente? 

Até calei pra saber o que vinha em seguida. 

-Ah, não dá pra ver muito porque depois eles vão no quarto, mas parece que omma gosta de apanhar só pra fazer o appa homem. E eles ficam parecendo minhoca dançante também - ele colocou a mão no queixo e arregalou os olhos com o pensamento - SERÁ QUE ... eu apanhar da omma faz dela mulher? Então eu devia bater nela de volta pra ser homem logo? QUE LEGAL e confuso tudo isso!!! 

QUÊ?  

Tu deve apanhar porque fala sascoisa mesmo. 

-....HAHAHAHAHA JÁ DISSE QUE VOCÊ  É  DEMAIS? - ai meu rim de tanto rir - você merece um troféu , OSCAR, prêmio Nobel, record Guiness, tudinho de fofura e tontice. 

-Credo tio Luke Louco... Tio...Louke  - e o molequinho desatou a rir. Não achei graça. Báh, até reviro os olhos depois dessa piadinha - Mas então, voltando pra dúvida mais duvidosa, tio Louke.... - ele suspirou duvidoso dando ainda uns risinhos - Será que o fogo dele é azul ou vermelho? 

AI BUDA. 

E eu aqui esperando uma pergunta mais decente. 

Eu rachei tanto de rir da cara dele, que soltei uma lufada maior de ar o atingindo em cheio, o que fizera o menor mostrar uma baita careta. 

UÉ . 

Nem tenho bafo, poxa. 

 

-Garoto, lembra a explicação que dei sobre mulheres serem comidas? 

Ele assentiu. -Você e todo mundo só dizem que sou pequeno demais para entender. Mas.. 

-Seu tempo de entender que esse fogo é  diferente chegará, ok? Ele não é nem azul e nem vermelho, nem verde, nem cor de cocô.  

Fez-se silêncio enquanto o menor colocava sua mão no queixo, parecendo assimilar algo. 

ÕOO BICHO TEIMOSO. 

Foi então que ele dera um pulo, e até pensei que seu pai voltou ao assento. (Ele saiu, e disse ser para "comer"... HMMMM se é que me entendem.... Ah, para, nem me olha assim. Olha essas coisas que ele ensina para o filho, e eu que sou besteirento? Mereço.) 

-Tio, acho que entendi tudo. Viu? Sou pequeno mas um gênio. - Eita, você ouviu meu pensamento sobre teu pai?  

-O que entendeu, pequeno? 

- NÃO É SÓ BATER ENTÃO! HMMM... agora faz sentido , por isso o fogo é diferente né. 

-Oi?  

-É assim, quando appa toca na omma, bate, dá aqueles amassos e beijos nojentos, ele diz que ela acende o fogo dele, certo? Então, o beijo deve ser tipo um fósforo... ou aquele botãozinho de choque do fogão. 

Assenti que estava entendendo seu raciocínio. Ele quer falar faísca.  

-Prossiga, Wótison. 

-Pois então isso significa que por causa dos "melomelo", o appa "acendeu". E ele vai tá pegando fogo. 

Não é que ele manja dos assuntos? 

Só tem 7 anos e entende a porra toda.  

Imagina quando aprender a... nheé. 

Que mundo precoce, tsc tsc. CADÊ A INFÂNCIA??! OS BEN10, TV GLOBINHO, BRINCAR NA RUA!? 

... 

-Aí, - voltando a prestar atenção porque o Watson tá resolvendo o caso - a omma que tá sendo tocada pelo appa que tá com fogão ligado, cozinha ela e depois ele come. MEU DEUS, NÓS SOMOS CANIBAIS?! Eu vou ter que comer minha marida no futuro? Eu... eu... não quero que omma morra!!! A-AS MULHERES DO MUNDO VA..I TUDO MORRER ASSIM!!! 

-Hã... 

....O pior vem depois: o berro e lágrimas. 

MANO DO CÉU, deveria ter desconfiado que você tava indo muito bem para alguém de 7. 

 

-Pare de chorar, você entendeu errado. 

-Mas... é isso que acontece... não é? - perguntou-me entre soluços. 

-Olha, o fogo que acende quando duas pessoas - ou mais se quiser, mas isso deixa só no meu pensamento porque não queremos piorar o caso - estão fazendo amor, ou se tocando, é quente mas é um quente igual banho. 

-Um quente bom? Sem fritar? Cozinhar? Matar? 

-É. O corpo dos dois ficam quentinhos, principalmente aqui embaixo. - e apontei ali. 

-...Meu pingola? 

Cuspi toda saliva e ar que deveria ter no meu corpo. 

 

PINGOLA. HAHAHAHAHAHAHA adorei 

-Enfim, isso. E o resto só vai entender quando tiver a idade do tio aqui. 

-Mentira, porque você é velho mas não entende nada. Você tem cara de virjão. 

Até engasguei. 

-O-o que? Virjão, que ofensivo.  

Eu só sou puro, anjo, livre, e que cuida do corpitcho longe das pessoas safadas que querem me possuir, tá. 

Me deixa ser encalhado que tô saudável. 

-Meu pai que disse. "Aposto que esse moleque nunca comeu uma mulher", - disse numa tentativa falha de imitação engrossando (ou não) a sua voz - e eu contei que você não comia mesmo, que era só hambúrguer, e então ele contou que isso chamava virjão. Olha, não fica triste porque eu também sou. Porque não quero comer ou cozinhar mulher com fogo quentinho de banho que sai do meu pingola , tipo xixi, que você me explicou. 

Bati na minha própria  testa e suspirei. Eu iria explicar algo mas ele me interrompeu. 

-Então você nem deve saber se o fogo dele é azul ou vermelho. Que virjão burro. 

 

MEREÇO ISSO NÃO.  

O FOGO É DA COR DO MEU C.**** beep**** 

 

~ one eternity later ~   ( quando finalmente não havia  "sexo" no assunto de uma conversa com um garoto de 7 anos )  

 

-Que legal, você tá indo pra Seoul? Então a gente pode se ver de nooovo? 

-Só o destino sabe, eu estarei sendo levado pelo vento. Adiós, mi amigo... 

-...Byun. Eu me chamo Byun, ok? Tchau tio Louke virjão, magrelhinho que é levado por vento e come hambúrguer. 

.... 

Tá. 

Nem me deixou despedir com estilo. 

 

Finalmente levantei minha bunda que ficou quadrada e passei por aquela coisa que parece um túnel para sair do avião (que deve ser só uma ponte coberta... ou deve ter um nome pra isso... tanto faz), aí caminhei pra um treco do aeroporto ...e para minha tristeza, não havia ninguém me esperando enquanto segura uma plaquinha com meu nome. (como sempre vi em doramas ou filmes......  que? tá olhando feio assim por quê? não posso assistir esses gêneros chiclete baballoo? Só queria uma recepção amorosa tá.) 

Ó VIDA TRISTE. 

Ainda tive que me virar pra conseguir o endereço do apartamento da Carry. 

Mas como sou mais que um gênio, tive uma brilhante ideia de dizer  que o cd da Avril que ela comprara mês passado chegou nos EUA. E que eu ia mandar (meio devolução) pra ela na Coreia, então a viciada falaria onde mora e... voilá.  

~  Melhor plano pra conseguir endereço de bobas ~ ( coro angelical no fundo please. Óooh ) 

Ela passou só  o endereço, mas se eu quisesse e pedisse, aposto que diria a senha da conta bancária, do cartão de crédito, cpf, RG, faltava passar o tamanho do orifício anal dela. ( que me recuso a saber mesmo) 

Depois de quase metade do dia passar comigo tentando explicar ao taxista o tal endereço, finalmente eu tava entrando num bairro (tipo condomínio) de riquinhos com casas bonitas... wow. 

Aí eu me deparo com um prédio enorme, e mal havia notado que o veículo parou. O taxista me olhava pelo retrovisor esperando algo. ( óbvio que grana, né. Esperando eu virar Batman que não) 

-O..Oh, Kimono , sr. taxista. - Acho que não saiu certo.... - Kenxana... não... Kansa.. Kamsa... Kamsahafidida. 

Ele só assentiu revirando os olhos - pequenos e abusados - e então pegou minha grana. 

 

Só me vejo fodendo na escola com esse meu coreano. 

"Sério, Luke? Nem um 'obrigado'?" 

...É... 

 Já vi que vou repetir muitas vezes esse último ano escolar. 

 

E... Chiuf, magoou. 

Ele poderia ter me dado um sorriso, uma balinha, um cu... ( de cu, a cara já me deu. É verdade.)  

Eu hein. 

Cadê o calor, o amor, o tchutchu pra todo lado? 

 

Enfim, cá estou eu né. Isso que importa.  

Tive uma batalha com o porteiro que depois de mil  fotos que mostrei de nós três no celular, - e eu explicando "SURPISE""FRIENDS"" CARRY" -  ele deixou passar sem chamar o FBI para me prender e tal. 

 Fiquei um tempão depois no hall gigante, tentando encontrar - GOSH-  uma escada ou elevador, e finalmente estou agora em frente à porta do apê. 

ÓH DIZUS CRÁIST. 

 Trancado com senha... 

Aí me fode, mano. Senha. Senha. Agora tudo tem senha. 

Se fosse chave eu até abria com grampo mas... senha...  

Bom, não cheguei até aqui pra ser derrotado por um par de letras ou números que aquela balofa escolheu. 

Isso. 

 

" S-O-U-B-A-L-O-F-A"  

Beep beep "Error 404" 

AAAh que pena. 

 

Hã... Deixa eu ver algo que ela goste... 

 " H-A-M-B-U-R-G-U-E-R" 

"Error." 

Eita, como assim?  

 

Ah, mas estamos falando da Carry. 

"A-M-B-U-R-G-U-I" 

HAHAHAHA ela não seria tão analfabeta. 

"Processing..." 

Só pode tá zoando comigo. 

"Error." 

 

ÁH BÃUM.  

 

~ depois de quase 10 minutos...~ 

  

Mano, não era o aniversário dela, o meu nome, 1234, Luke eu te amo, Luke meu amor, MinHee, Mi, Mi ama só o Luke, Eu sou chata.com.br, sou putinha Carry, Sou nega igual carê (Curry... Carry, entendeu?), Avril Lavigne... 

O QUE MAIS SERIA? PORRA. 

 

" B-L-U-E-A-L-I-E-N-S" 

 

Unlocked. 

 

Aff mano. 

 

SÉRIO? ABRI? 

ABRI! 

 

Sou um "háquer" profissional demais. (Ou não? é... não.) 

"fo dá cê" 

BEIJEM MINHA BUNDA!!!!! 

 

Tá... Vamos voltar ao trabalho. Respirar fundo... fuuuuuuuuuuu haaaaaaaaa 

 

Abri a porta devagarzinho....degavaaarzinho.... e então...  

 

PUFFFFFFFFFFFFFFF! 

 

Óh MEU BUDA.  

 

SOCORRO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! 

 

...  

 

-Não tem ninguém não! Enganei todo mundo! hahahahaha 

... 

 

-Mas...Que mundo? ... Cadê... todo ...mundo? (imagine aqui um rosto bem triste)  

 

~ fim da fita de volta volta~ 

Eu deveria continuar a contar, mas já que vai ter muito spoiler pelo meu pensamento, bora pedir a reação das negas! 

 

 

 Kyun Min (entupida) Hee 

Bem é issaí.   

Eu que vou contar a nossa reação de quando chegamos no apê, porque sou muito mais apta que essa bicha que só faz escândalo enquanto narra ( e na vida. Mas escândalo é coisa de putinha mesmo, normal.) 

Anyway, foi um susto danado. 

E quem iria adivinhar que essa bicha ia chegar? 

 

Nem mama voodoo vidente das catacumbas! 

Ou só uma vidente normal também... 

… Não sei, quem sabe dentista.... Eles vêem mais dentes... 

Vi dente... Entendeu? 

 

Parei, muita bosta. 

Enfim, eu preciso fazer flashback, produção? 

Ai, que preguiça mano, preciso não né? 

POR FAVOOOR 

AFFE 

 

Santa Maria das Catacumbas, deixa eu dormir sossegada ao invés de contar historinha da aparição da Josefa Macumbeira que Luke é. 

 

Não? 

NÃO?! 

"Vo" taca fogo no cu dele depois, "cês" vão ver só. 

 

~vamo que vamo com as fita de lembrança ~ 

 

-Sérioo? Sério sério sério?  - essa sou eu esticando os braços para minha omma, ainda no hospital. 

 

-É, sim, caramba. Aquieta esse fogo aí que além da cor do seu cabelo, você sabe onde tá . 

Piadinha besta.  

-Ommaaaaa mas eu quero eu quero eu QUEROOOOOO!! 

-Só se prometer que vai se comportar com essa cadeira de rodas. Minha filha, vamos ter uma "alta" provisória. Porque você sabe que vai ter que ficar voltando pro hospital, né? 

-Tá, tá, eu prometo. AGORA ME PASSA LOGO ESSE UNICÓRNIO QUE VOU CHAMAR DE LAY E LEVAR PRA CASA TODO BUNITINHO COM MINHA BIRDA, ELES VÂO SE CASAR OMMAAAAAAA!! PAM pam paraaam PAM PAM PAPAAAAAAAAAM PAM PAM PAM PAAAAAAM... ( oia, finge que isso é uma música nupcial porque tá foda essa "cantora") 

-CHEGA DE PÃO, MENINA!!!  

~ sai correndo de cadeira de rodas~ 

 

-FILHAAAAAA !!! O QUE EU DISSE SOBRE... 

 

~ CABLUF (POW, sei lá, é esses barulhos de batida) ~ 

 

-DE NOVO ESSA MENINA!!!! - Aish é aquela velhota filha duma carambola de novo!!! Da última vez que saí correndo pelos corredores eu esbarrei e derramei café quente nela, aí ela começou a estrambelhar de berros, me tacar bolinhos ( o que é bom, mas não bolinhos de jaca com gengibre e goiabada, blée, quem inventa essas coisas ruins? Tinha que ser para velhas chatas) aí ela cuspiu enquanto gritava em mim, FOI HORRÍVEL. Sério. Tem noção do bafo de onça que ela carregava? Não né. Então. Além de cheirar naftalina há 1km de distância, BÁH . E... - TÁ PENSANDO EM QUÊ?! SUA MENINA MAL CRIADA!!! VAI QUEIMAR MEU BELO ROSTO DE NOVO, NÉ. HOJE EU TENHO GOMA DE MASCAR BABADA DO MEU CACHORRO PRA VOCÊ E ... 

 

-OMMAAAAAAAAA!!!! – FUJAM PRAS CATACUMBAS!! PRAS COLINAS!!! AFE, QUE SEJA, CORREEEEE 

~ dashi run run run ~ corre e canta lá lá lá ~  

 

'CABRUF'  DE NOVO. 

 

-Oxe. Não me deixam fugir em paz e... 

*plim plim* bota aqueles som de fundo sexy com mil purpurinas e flores caindo ** 

Ou se quiser bota aquelas faveladas tipo "CHAMA O BOMBEIRO UUUUU ", PORQUE MINOSSASINHORA muita beleza numa... 

- Você está bem, moça? Moça? - até a voz é sexy...  Ele tá chacoalhando... chacoalhando a mão para que eu acorde e...  

Ah, oi, acordei.  

- Ah. Que? Oi, estou, doutor..- olho pro crachá - ...Kim .  

- Aish, não . Não sou doutor, esse jaleco, é do meu irmão. Estou vendo apenas a sensação e tal. - justificou, rindo da minha cara de sonsa. Até a risada parece uma melodia de celebridade.. 

...Xô pensamentos estranhos. 

-O-OH NOSSA, desculpe . - Sai daqui, vermelho da cara, xô. Finge que é blush. Isso, é blush.  

- Fugindo de velhinhas? Não pode sair correndo por aí com uma cadeira de rodas, moça. - ainda rindo de mim, o maior completa apontando para a velhota no fim do corredor, me procurando. EITA.  

-AISH BRUXA MÁ. - ops escapou - E-Eu preciso corr...  fugir, senhor Kim. Até ... sei lá quando. 

Agora que ele riu mais da minha cara.  

-Que senhor o que, devemos ser até da mesma idade. Jongin pra você, moça. E deixa que eu ajudo, vem. 

Como se eu tivesse outra opção, né. A velhinha já  estava tão perto de me encontrar... Mas Jongin ( aaah, até o nome ... Afe, isso é baba na minha consciência? Eca, xô, credo )  pegou a minha cadeira e virou-nos de costas, caminhando em direção ao jardim do hospital como se fossemos um médico que empurra um paciente qualquer para passear. 

Escapamos! Uhu! 

Virei para ele que finalmente parou num canto do jardim, - pausa de olhares e checando se não vem mesmo velhas bruxas -  que olhou para o meu rosto e desatou a rir.  De novo. 

- O que fiz dessa vez? - perguntei quase revirando os olhos de tanto que ele ri da minha cara.  

-Não é de você não. - disse recuperando o ar pós risada - Essa velhinha, parece que mora aqui de tanto que interna. Eu a vejo desde pirralho! Sempre que vinha ao hospital brincar ainda quando meu pai estava vivo... - pausou, colocando de repente seu dedo em meus lábios  - nem ouse dizer que sente muito. Tire esses seus olhos esbugalhados, mocinha. - e apenas assenti em resposta, o que o fez prosseguir- Então , eu já aprontei tanto com ela. Parece que ela não rejuvenesce, mas nem envelhece. Sempre igualzinha. Chicletes e dentaduras babados, bolinhos horríveis espalhados pelo corredor.- terminou rindo mais ainda. Agora o acompanhei e assenti novamente, em conclusão. Era essa a diversão da bruxa, sempre fora então .  

- Juro que você de jaleco assim nunca pareceria um garoto que apronta, Jongin. Ou ao menos não a ponto que faça a senhorinha lá perseguir. 

Ele riu enquanto assentia - As pessoas sempre me veem mais maduro e velho do que sou. Mas ela nunca mais me perseguiu desde meus 12 anos, só você a grandinha maluquinha mesmo. - sorriu docemente me analisando - Aliás, e você? Como conseguiu essa cadeira? 

Aigoo, eu não vou contar que caí de uma roda gigante, né.  

- É uma longa... - lá vai o dedo de novo . 

Mas agora ele não fez sinal de silêncio, ele colocou a ponta do seu dedo no vão dos meus lábios entreabertos, e tocou descaradamente  ( bleargh) a minha língua antes de eu me afastar de olhos mais arregalados possíveis. Claro,  o que fez o maior gargalhar - de novo - da minha expressão . 

-Nada de " longas histórias", ou você não vai querer saber qual vai ser o próximo motivo para eu te deixar de olhos assim, moça ruivinha. -  como ele fazia/ falava coisas assim na maior inocência e naturalidade?  

Eu já disse que meus olhos estão enormes né? (O que deveria ser um milagre) 

Okay. Respirei fundo, para conseguir assimilar o que aconteceu aqui, mas isso foi interrompido quando ouvi uma voz me chamando.  

-MINHEE ESTOU TE CHAMANDO HÁ SÉCULOS, OLHA LOGO PRA CÁ!!! - Oh. Era Channy, o elfudo - Ah finalmente. - completou, abaixando os braços que me acenavam há.. Não sei quanto tempo. 

-OI CHANNIE, JÁ VOU! - virei para trás para dar tchau ao doutor - não doutor - esquisito, mas ele não estava mais lá . - Ué. 

- O que fazia aqui sozinha, garota? Você não pode sair correndo com um unicórnio na mão por aí  e... 

-Você não viu? - disse enquanto Channy já me empurrava para o interior do hospital e eu olhava para os lados – O "médico" que tava comigo? 

- Que médico? 

-Quando você me gritou. 

-Só vi você de costas... não reparei... 

UAI, COMASSIM? SERÁ QUE O - JONGIN ERA AMIGO IMAGINÁRIO? MAS JURO QUE O SENTI NA LÍNGUA E.... 

- Hã? Quem é Jongin? Língua? VOCÊ BEIJOU UM MÉDICO?!?! - berrou assustado enquanto parava bruscamente os passos, consequentemente me freando com tudo. 

-Que? Não! - droga, falei alto demais - Era só um cochilo, e acabei sonhando lá .. Mas parecia real, sabe? Jongin era um gatinho vestido de médico que colocou a pata na minha língua enquanto... eu tomava sorvete. - bota um riso histérico aqui de desespero meu, e um suspiro de alívio vindo do Elfinho.  

Bem, tirando o sorvete e o dormindo... Eu não menti, né. 

Se bem que ele era mesmo imaginário? Que doideira. Efeito da velhinha maldosa que deve ter me lançado macumba. 

-Louquinha mesmo. A Carry alugou uma van, vamos para o shopping comer besteiras!! Vamos vamos! - disse o elfinho que agora já corria comigo pelos corredores do prédio, rumo ao estacionamento. 

 

... 

-Puxa, foi muito divertido! E aquela hora na fila do BK, em que o orelhudo dançava atrás da mulher e ela nem viu? Ripakas. - dizia Carry enquanto subíamos no elevador para o apartamento dela. 

- Ele parecia um macaquinho dançante, só que ela estava mais ocupada te paquerando que nem notou!  

-Que "me paquerava", o que! Era tu! 

- Tanto faz. Conquistamos até corações femininas agora. - continuei rindo, enquanto Carry procurava algo no bolso -Perdeu o que? 

- Chave... 

- Que chave, menina doida? 

- Ah é. - riu constrangida pela burrice - Nunca vou acostumar com isso de senha, é meio perigoso alguém descobrir né? Entra e sai facin.... 

 

.... 

 

WTF.  

- NOSSA Carry, até parece que você não tem empregada. Isso tá um chiqueiro. Olha copo pra cá , lixo de pirulitos... Tem até bolacha no chão! 

-...MEU ... DORITOS!!! PORRA.  

- oi? Você come Doritos, nem me chama, deixa largado pros ratos e baratas, e agora grita por q..? 

- Shhhh, - disse enquanto tapava (tapava de meter um tapa mesmo, estapear, anyway) minha boca e olhava ao redor  - fala baixo. 

- O que foi? Viu um alien? Se for o E.T. eu quero levar ele pra casa de bike voadora também! - sussurrei tentando procurar algo de suspeito que a Carry desesperadamente procurava com os olhos. 

- Porra, é sério . Tem alguém aqui, ou só entrou e comeu meu Doritos novinho que ganhei do carinha do mercado. MEU DORITOS DE GRAÇA. - bem, nem preciso relatar que a pessoa que mandou eu sussurrar, gritou, certo? Ela parece uma pimenta na brasa agora, que até dei dois passos para trás  - SÉRIO, SATANÁS QUE AGUARDE O SER QUE MEXEU COM COMIDA MINHA! - um segundo para recuperar fôlego - Porque essa pessoa vai deliciar meu doritos de novo, e vai ser à força. É ISSO MESMO QUE TU OUVIU!!! VOU ENFIAR FACAS NO TEU ORIFÍCIO ANAL, ATÉ TIRAR O DORITOS E TU COMER DE NOVO COM UM MOLHO MARAVILHOSO, QUE É TAMBÉM CONHECIDO COMO TEU SANGUE.  NHAM NHAM. 

... 

- Isso me deu uma agonia enorme só de imaginar. Se eu fosse a pessoa estaria cagando de medo, mas depois dessa fechava tanto meu cú que as fezes que estavam para sair, parariam lá no meu cérebro.  

Ela fitou meu rosto para rir um pouco da minha piada nada a ver, e acabei por rir junto, até me cair a ficha que o furtador de comida poderia ainda estar aqui.  

AI SOCORRO, ELE PODE MUITO BEM NOS ABUSAR E AÍ ... 

Ué. 

Cadê a Carry? 

Enquanto eu estava tendo conflitos internos, a Carry decidiu caminhar - como se não tivesse medo de ter um comedor de Doritos ladrão e talvez pervertido -  batendo os pés até o pacote largado no sofá . 

Ela é louca. 

- E ESSE MERDINHA AINDA DEIXOU SÓ FARELOS. AAAAARA PREPARE-TE PARA A MORTE, SEU PROJETO DE PESSOA NOJENTA. 

Eu já disse que ela era louca? 

... Mas sair comendo tudo... 

Até imaginei o Luke fazendo isso. ( Comigo, claro, roubar comida é igual furtar algodão doce quando o vendedor tá longe no parquinho. UM P A R A Í S O.  ~ risada maléfica ~) 

- Se não fosse da bicha estar ainda nos EUA, até diria que isso é coisa dele contigo.  

Cumassim?! Ela leu minha mente? 

- Pensou também nisso, né? Não concorda? Vocês bandigordo viviam esvaziando minha dispensa e... 

SOCORRO. PARA DE LER MINHA MENTE, XÔ.  

... 

Eu provavelmente estava com uma cara de quem viu uma assombração, porque Carry tirou a cara de carranca por segundos, para me encarar preocupada . 

- Que bicho comeu tua língua, filha? Você até parece que viu um fantasma. 

-AFE ME PERDOA MÃE, EU JURO QUE DESSA VEZ NÃO COMI NADA, NEM TIREI FOTO DE VOCÊ BABANDO ENQUANTO DORME PRA MANDAR PROS TEU SENPAI!!! Eu já parei então para de ler minha mente por favor. - tá vendo o desespero quando as pessoas te deixam vulnerável?  

- EU.. VOCÊ ... HÃM? MEUS SENPAI? PÓ CONTANDO ISSO AÍ DIREITO MOCINHA.

 Ué...

-Você  não ... tava.. lendo? 

Ela negou com a cabeça, e óbvio, a Carrancarry já voltou 100% dominando tudo. 

... um segundo de silêncio para pensar numa escapatória ... 

- Ér... Aargh - sim, estou gemendo de dor-  Onde fica s-seu banheiro? Não sei você, mas esse papo todo me deu vontade de soltar " doritos", se é que me entende. 

- Afe, filha. Vai logo no banheiro ali, que nojo. - disse enquanto revirava os olhos -  Se você der de cara com o Ladrãozinho não quero nem saber. Eu vou caçar esse merdinha até retirar os doritos, enquanto tu caga por aí . 

Ufa, me livrei da bronca. 

... Encontrar  o ladrão.  

Nem deve ter ladrão algum. Báh. 

Ainda acho que ela comeu e esqueceu. 

Coitada. 

 Ai ai, mãe Carry tá envelhecendo, caduquinha. 

- Tá bom, omma, tchau. - disse enquanto me direcionava para o banheiro com as mãos na barriga em um falso drama.  

 

Carry rumou ao quarto dela que ficava em cima da sala. Mas ela não só subia as escadas, parecia mesmo é quebrar degrau por degrau com o taco de beisebol que carregava. 

 Tenho dó do ladrão se este existir . 

Quando chegou ao quarto, me acenou em sinal de que "ele" não estava ali e continuou seu trajeto no  "segundo andar" (que na verdade é meio andar, pois é uma coisa pequena extra no apartamento, que fica acima da sala e da cozinha... Enfim.) à procura do Gasparzinho . 

Enfim2. (Não percam! Breve nos cinemas... eoq) 

Louquinha mesmo, coitada.  

 

E lá vamos nós com a cadeirinha de rodas até o banheiro porque disse que iria fazer Pou, né .  

As pessoas dizem que cagar é bom, é aliviante, é coisa de Jeová. 

Então não há hora, lugar ou pessoa certa para fazer coisa de Deuzinho, não é mesmo? 

Enquanto cantarolava uma música que acabei de inventar e nem sei de que planeta surgiu, fui caminhando até o banheiro principal . 

É bom mesmo, que vejo se faço alguma necessidade que parece ter entupido há dias. Que horrível, comer tanto para nada dejetar. ( informação desnecessária, é, mas ninguém mandou você ler tudo a partir do" necessidade") 

Quando abri a porta, senti uma baforada de calor e odor estranho de algum produto com sais me adentrarem as narinas. Mas ignorei o fato de estar quente e com cheiro estranho, já que a Carry sempre deixa a banheira cheia e bagunçada para a empregada limpar.  

 

Retirei minha camiseta e o que estava por baixo dela (não é normal cagar nua?), pois preciso relaxar para esse Pou decidir sair logo do meu corpo. 

Isso porque eu tomo Actvia. 

Pura enganação. Quero meu dinheiro de volta. 

... Não devolvem mais? 

Pô..u. 

 

Depois de um século de luta contra o zíper que não abria, eu finalmente me sentei, e o que acontece? 

Nada, porque continua sem nada pra sair.  

Afe viu. QUERO O PARAÍSO DE CAGAR TAMBÉM . 

DEUS ME LEVA. 

NÃO PERA.. 

LEVA MEU COCÔ . 

 

 

- Ô cocôzinho, não custa nada sair. É grátis. Eu nunca te pedi nada. 

 

Bom, se meu Poop estava mesmo vindo me dar "oi ", ele voltou todo o seu trajeto porque meu corpo congelou quando escutei uma risada.  

 

Ai. 

Meu. 

Fiofó.  

 

Não deu nem tempo de respirar pois só vi a cortina da banheira se abrir, deparando-me com um par de olhos azuis me observando tipo, nua, cagando (ou na tentativa dela), e seus lábios segurando uma risada alta.  

Sabe a vontade de jogar a primeira coisa que visse pela frente? É, a vontade estava aqui, mas o vidro entre eu, o box e o ser, impedia-me de acertar uma faca - ou qualquer arma -  goela abaixo da criatura.  

De quem? 

 

- Oi, amor da minha vida. Surpresa em me ver? - é , ele tá aqui mesmo. 

-AFE, PORRA, NÃO É HOLOGRAMA. TU TÁ AQUI ME VENDO PELADA, SEU CUZÃO.  

- AH, nem deu tempo. Já pegou essa toalinha aí, que triste. E eu nem vejo a parte de baixo. - disse o "ser-que-logo-vai-morrer" entre risos. 

Taquei um monte de sabonete (achei do lado uma sacola cheia) por cima do vidro. Pelo menos algum deve acertar. 

- OUTCH, CUIDADO!! Eu já lavei meu cabelo e sabonete resseca, chega de sabonetes. - adverteu-me enquanto fazia expressão e gestos de patricinha que só usa shampoo importado. 

Que viadinho fresco. 

 

- CAAAAARRY, O SER QUE COMEU TEU DORITOS TÁ AQUI ME COMENDO COM OS OLHOS E NÃO ME DEIXA CAGAAAAR!!! 

... 

E foi, tipo, num piscar de olhos que vi uma garota ninja parada com um rosto VERMELHAÃO DE RAIVA, fuzilando...  - é ele sim - o LUKE.   

E ela desatou a rir, mas a expressão em seu rosto continuava o mesmo. Então parecia um filme mal dublado em que a imagem não batia com o som. 

- Como... tu... Isso é  uma pegadinha? - Sacudimos a cabeça ao mesmo tempo, e ela voltou seu olhar mortífero ao Luke, tomando um tufo de ar para o pulmão e continuar a falar - Acho bom tu ter uma explicação plausível para estar banhando na MINHA BANHEIRA, INVADINDO MEU APÊ E COMENDO MEEEU DORITOS GRÁTIS. Ah, e vendo minha filha... - pausou enquanto viu meu estado de "enroladinho" numa mini toalha, depois sacudindo a cabeça em reprovação -  nua enquanto caga. 

- Eu.. Eu... - ele dizia desesperado enquanto procurava talvez, uma desculpa - vim pessoalmente trazer seu álbum da Avril! ... que ainda não chegou, era mentira, - Carry já corria em direção a ele igual aquelas cenas de terror - ...MAS CALMA, QUE VOU COMPRAR TODOS AUTOGRAFADOS QUE QUISER. FALOU? Me perdoa, só queria visitar a Mi, vir pra cá, e fazer surpresa ao mesmo tempo. Estava preocupado também.  - terminou fazendo um aegyo de beicinho ridículo . 

- É  bom mesmo que compre tudo, -  um som raivoso da mais velha entredentes ecoava no banheiro enquanto puxava agora o cabelo do ser na banheira,( isso ainda é uma bronca amigável  para Carry )  fazendo-o encarar seu rosto - SE NÃO EU NÃO ME RESPONSABILIZO POR ALIMENTAR TEUS ÓRGÃOS AOS URUBUS. Isso porque você não sobreviveria pra comer, se não enfiava teu coração cu acima.  

- Sim, senhora!  - disse e se levantou para prestar continência . 

-Que isso, fi de Jeová, ninguém quer ver como tu veio ao mundo não, que horripilante. - eu disse enquanto fazia cara de nojo, e tapava meu rosto. Até que reparei  tipo, oush...- ESPERA. MANO, VOCÊ TÁ ... 

- VERDE. VERDE E TÁ PARECENDO UM PEPINO . - completou Carry, que também reparou mesmo já virada de costas para ele.  

É esse o momento em que as amigas não quer saber do pingu feio do seu amigo, quer saber porque tem pedaços de pepino na barriga dele e o mesmo está com o corpo verde.  

MENTIRA, QUEREMOS SABER DE NADA NÃO, SÓ ESTAMOS NOS MATANDO DE RIR. 

- AI... MEU RIM HAHAHAHA ... ALGUÉM ME SOCORRE PELO AMOR DE FINI. 

- Ai, isso merece uma foto - e não sei de onde a Carry já brotou com um celular e apontava para o pepino (vulgo, menino com o corpo praticamente listrado de verde) 

- NÃO! Que foto o qu... 

~  xablau ~ ( porque esqueci como é um sonzinho de câmera)  

 - Vou até postar no meu snap... mentira, vai contaminar, deixa na pasta de vírus .  

- Hãm? Porque você  tem uma pasta para vírus, omma? 

- Ai Mi, minha filha. Longa história . 

 

-  O papo de vocês está bom, mas o Luke pepino quer tomar banho. Tipo, agora um banho sério . 

 

Eu acho que nem quero saber que banho foi esse então . 

- Já vimos qualquer pingu que tu tenha aí no meio das pernas. E vê se vai logo no banho ou eu te vendo no mercado negro pra pagar as contas.- Carry revirava os olhos e saía do banheiro. 

- É pingola, tá. - foi o que escutei dele antes de sair do banheiro também. E no fim, nem caguei.  ~ que tristeza, bota um emoticon chorando aqui, na sua imaginação ~ 

 

~ fim das lembrança louca e finalmente todo esclarecido eee~  

 

No fim das contas, soubemos que o escravinho usou a tinta de cabelo da Carry pensando ser um sabonete, e misturou com um outro que fazia espumas, esfregou tudo e manchou o corpo. 

O pepino... Bem, ele só picou achando que ficava bom pro banho. 

 Mas foi uma pena porque só durou 2 dias, a pele branquela esverdeada igual etê do planeta pepino. 

 

E gente, o papo todo tá bom mas vamos voltar para o dia em que finalmente estamos indo ao colégio? 

 

Okay? Obrigada. 

 

Depois da bagunça, decidimos que Luke vai morar com Carry porque ela é rica mesmo, (até faria moonface se eles não fossem Luke e Carry, tanto que depois de um dia ele já veio implorando socorro e querendo se mudar para minha casa) e pagou todos os álbuns com o dinheiro que sobrou já que ele não precisaria alugar casa nem nada ( até que tinha uma grana boa com ele das bolsinhas que ele girava nos EUA ) E como multa de me ver nua, (sendo um ótimo escravo) agora ele paga de motorista particular de cadeira de rodas, locomovendo-me a todos os lugares desejados. INCLUSIVE SUBIR ESCADAS. ~ risada maléfica ~  

Mas realmente é um saco ter que começar o ano letivo assim. As primeiras impressões minhas de baleia ruiva ( coreana de olhos claros ) paraplégica. 

Ah fugg eles. 

Não sei como as pessoas irão reagir, mas se o bullying brotar, atropelo cada pé de capeta que ousa gozar-me. 

Bae nos deu carona para a escola, (o que nos custou mais 15 minutos desde que a Carry que entrou na saia, porque ele "tinha que deixar o primeiro topete bonito"... resultando em muitas risadas ao Bae cristudo popopó.) Chegando lá, já pude ver um monte de menininhas babando só de olhá-lo.  

ESSAS COREANAS SÃO CEGAS OU O QUÊ? 

Uma galinha ser bonita, xessus, mereço. ( Sem falar que pareciam achar a bicha Luke bonitão também. Eu acho que a anorexia delas tira a visão também. Ó, que dó.) 

Enfim. 

Primeira fase: entrar no colégio sem causar incêndio ou tumulto.  

Concluído com sucesso.  

Portanto fomos caminhando ( vulgo, Luke me empurrando e eu rainha deslizando na minha "carruagem") até a secretaria para perguntar onde ficam as nossas salas. 

E lá vem BOMBA ATÔMICA.  

Porque alguém bem filha da fruta decidiu que a gente teria um cu de sorte, então a Carry não está na mesma sala que eu e o Skywalker. ( choro de 3 litros, até pedi pra trocar Carry pelo Luke, e quase beijamos o pé da secretária, mas falou que não havia vaga e blá blá. Afe, ainda bem que não beijei chulé algum, pois seria em vão. ) 

Quando saímos, os corredores estavam bem mais cheios e haviam dezenas de pares de olhos puxados ( iguais ao meu , então não considerem isso bullying ) nos observando.  

Vá saber se é de deboche ou curiosidade. 

E claro, Carry a senhora maria hashi (pra quem não sabe: Salivadora profissa em asian bifes.. Bofes), já babava em alguns meninos. E eu, estava procurando a beleza sem sal nesses meninos que não têm um look original igual nos EUA. 

Todo mundo com mesmo uniforme, cabelo parecido, que chuchu sem tompero. 

Por fim, já vimos onde ficam as nossas classes, então fomos dar um rolê. (Chegamos um pouco adiantados pra isso mesmo) E como encontramos um jardinzinho "bunitinhu ui cuti cuti nho nho" em frente ao refeitório, fomos caminhando até lá pra respirar um pouco de ar não poluído.  

Até perceber que algumas meninas olhavam Luke ( olhavam?! Elas o comiam vivo pelos olhos! Uma delas até lambera os beiços enquanto enrolava seu cabelo "não enrolável". ), e quando notaram a nossa existência e dirigiram seus olhos para o nosso lado, fez uma expressão de nojo extrema. Igual quando sua omma decide colocar 1 tonelada de vegetais desnecessários na sua comida predileta. 

Aí tá lá sua lasanha mozão cheio de mato. NÉLASANHANÃOMAIS, RENUNCIA QUE A COISA TÁ BRABA. 

Mas então... 

Vão fugg seus fiofós suas putas, esse bixa já é nosso.  

Não seria nem ciúmes se essas não fossem damas da noite (mais que o próprio), e ele não gostasse de buça. ( mentira . Ou não? Não sei, Luke é encalhado mesmo e isso é fato.) 

Com um alívio na alma passamos pelos demônios e nos repousamos embaixo de uma árvore. O escravinho me pegara no ar para descer da cadeira e deitou-me em seu colo, com a Carry ao meu lado e ele nos fazendo cafuné gostosinho. Nham nham.  

Até que minha visão linda de matos e flores se poluem. 

Sabe aquelas cenas em que coisa podre passa e tudo se torna cinza, marrom, Pou, e podre?  

Então, o motivo era seis pares de "não-bundas" em saias curtas se aproximando. 

 E rebolando o que não têm. SIM, REBOLANDO. ~ revira os olhos ~ 

-Iiiixii, já vejo que teremos inimigas pra esfregar a cara no chão, olha isso!- Carry disse cochichando em meu ouvido, Luke apenas dando risada. 

-Carry adora perder tempo com "bétches", só pode ser.Ah, isso explica o porquê ela tanto te ama, e esfrega o seu "lindo" rosto no chão .  

-Eu... o que? "beach?" O que praia tem a ver? - Carry parou de fuzilar as bundas que estavam já mais perto e encarou o garoto confusa. 

-Não, bobinha, é "bitch".- expliquei apontando para as seis corebas com o olhar. 

-Aah, Bitch, não beach. 

-Isso, bitch. - "repetiu" Luke agora olhando para as garotas que pararam em nossa frente. 

-Vejam o que temos aqui... Uma baleia azul, e uma aleijada.... Ruiva? - após o discurso soprou uma risada nojentamente aguda e estridente - Coitada, além de aleijada é uma aberração. Uma coreana de olhos e cabelo de estrangeira, gorda e deficiente. Se acha bonita mostrando esses seios numa blusa apertadinha? E esse decote? Uma bela de uma oferecida, mesmo.- debochou a garota loira tocando de leve em meu decote, antes de eu estapear ligeiramente seus dedos. 

Quem ela pensa que é? A garota usa a mesma roupa com 3 botões desabotoados. (Para mostrar bojo) Enquanto eu sofri para tentar desabotoar todos e eu sou a puta.  

Eu lá tenho culpa de ser gorda?  ( Conscy : " Tem sim.") 

Báh. 

Meus pensamentos foram interrompidos quando uma outra garota morena (cabelo), chegou mais perto, apontando seu dedo feio à Carry que estava vermelha e aguentando para não causar tumulto no primeiro dia de aula ( nós até escrevemos essa meta em 10 blocos de notas do celular.) 

-Você fala da aberração, mas e essa orca azul desbundada que se acha por ser diferente e só ter peitos? Seu cabelo é um enfeite de desperdício em você, querida. Nem usando mil diamantes ficaria bonita. 

Awsh. 

Depois dessa eu quereria esfregar até o fiofó dela num asfalto quente igual a um ralador.  

-Eu vou arrancar a língua dessas duas e talvez dessas outras também que fazem coro de risadinhas I R R I T A N T E S, se a gente não sair logo daqui. E juro, que to me segurando à bessa para cumprir a promessa de não ir à diretoria hoje.- sussurrou Carry em nosso ouvido e assentimos.  

Nem precisava ver o rosto dela que estava um passo atrás de nós dois, para saber que ela tinha uma expressão horripilante, porque quando ela soltou a voz rouca e baixa,  as risadinhas cessaram para encarar ligeiramente a dona do sussurro. E neste momento ,vi cada face à minha frente congelarem. 

Mas isso não devia ser o bastante para a loura que me bombardeara há pouco, pois ela ignorou tudo e ousou continuar a falar. 

-Meninas, como perdemos nosso tempo com essas duas rolhas de poço? Tem um gatinho liindo de olhos claros!! – hipocrisia pura, porque há pouco ela xingava nossos olhos - Olaá, como chama? Eu sou Hwayoung. Choi Hwayoung. - Sinto que ainda vou ter que escutar muito este nome horroroso. - Coitado, você deve sofrer tanto com essas duas. - E então ela fez uma cara de espanto, e colocou a mão à sua boca - Será que você está com elas à força? Elas te obrigam a ficar junto? Venha conosco, vamos te tratar muito melhor. - E então um tom malicioso preencheu nossos ouvidos, incluindo gestos como a loira feia magrela empurrar meu corpo de leve e sentar no colo de Luke. 

OI?! 

As outras pareciam entender o recado e começaram a rodear o garoto, uma passando a mão na face, outra no cabelo, a outra sentando na outra perna e nem sei mais o que as outras duas faziam porque eu já estava revirando tanto os olhos que não devia estar enxergando. 

Tudo isso aconteceu num piscar de olhos, inclusive o ato surpreendente do nosso amigo cuspindo na cara da loira. 

ISSO MESMO. NA CARA TODA MAQUIADA DA BONECA BARBIE, O LUKE ASSOPROU UM CATARRO. ( eca baba de lulu podre, mas uhu! Haha) 

É, fez até um barulho de "pluft" do catarrão encostando na cara dela. 

Isso mesmo. 

Rgrffghhhhh...  PLUFT. 

Todas levantaram e fizeram um "Irrhh" olhando para o rosto babado (com pedacinhos verdes de brinde, uma melequeira só)  da amiga, alternando entre o escravinho e ela. 

-V-v-você... AAAAAAAH !!!!! - nem preciso dizer que a garota gritou tanto que o bairro inteiro escutou, certo? 

-Olha, bonitinhas. Se me encostarem de novo essas patas sujas de porra que vocês têm, eu não me responsabilizo como vão encontrar seus "lindos" rostinhos depois, ok? E se ousarem contar sobre isso à autoridade, eu digo que vocês ofenderam minha sexualidade oposta tocando e sentando no meu colo. E não sei se sabem, mas preconceito homossexual é crime, babys. - arrasando, Luke confessou ser gayzinho  ( mesmo sendo mentira ou não, isso provocaria rumores sobre, e ele teve uma baita coragem) mandando um kiss no ar para as palitos de dente. 

Depois dessa, elas foram caminhando para o inteiror do colégio,  a loira chorando por ter sua maquiagem arruinada, e, com um rosto cheirando a catarro. 

Por incrível que pareça, eu e Carry sobrevivemos a uma explosão, graças ao nosso escravinho eficiente. Portanto, não dirigimos palavras sobre, apenas rimos até a barriga doer e no fim, estávamos todos abraçados e cada uma selando o rosto dele. 

-Calma meninas, é tanto amor por mim que vamos acabar fazendo suruba aqui. 

É, esquecemos de que às vezes ele também tem uma boca de bunda. 

Não. Bundas invejam por tanta merda que sai da boca dele. 

A MINHA BUNDA POR EXEMPLO SABE. 

-Só não falo nada porque você nos livrou de suspensões, e, confessou oficialmente de que é gay.  

-Cara, deveria ter gravado isso.- concordou Carry enquanto juntas já rolávamos de rir da cara de espanto que o menino fazia. 

-Afe, porra. Nem me toquei. Agora que vou ficar encalhado mesmo, nenhuma garota desse colégio vai me querer. Vocês me pagam, e que não cobrem por hora. 

E  foi assim que o Pepluke morreu. 

Mentira. 

 

Bem, já que depois de tudo aquilo o jardim estava poluído por hora, decidimos então entrar no colégio e fazer um belo de um nada.  

Repita comigo: Nadaaa. 

E quando eu pensei que o dia não poderia piorar, percebo que Jeová tá com o cu virado para mim. Por quê?  

Eu vou ao banheiro rapidinho e quando entro, vejo as mesmas putas (ou duas delas) quase comendo com suas bocas de piranha, um garoto ruivo artificial, e o outro, um ruivo mais fake que nota de 3 reais. ( sabe aqueles vermelhões tomate? Como diz um sábio chamado MinoZito: "cosplay de fósforo".) Mas quando vejo melhor, o fakão ( lê-se "feicão" que dá a entender que ele é feio igual a um cão mas juro que não é isso) não usava uniforme. 

~Conscy brota~ "ALGO ÚTIL QUE MINHEE CRIA GENTE, ADOREI. Chega na pessoa e diz " Nossa tu é feiemcão" Aí ela vem e pergunta o porquê, tu diz que era feikão só, melhor disfarce. Aderi. "FEIEMCÃO... FAKÃO"  

Mano Conscy, só cala por favor. Tá estragando minhas criações aí. 

Pior que isso é a cantada da lente. "Tu não é uma lente mas nóis podia ter um contato" 

ÓH, UMA BOSHTA. 

.... E gente... O que eu tô fazendo? Conscy sou eu. 

.... Me internem. 

Por favor. 

Sérião. 

..... De volta ao 'feioemcão' ou fakão: 

Além de invadir banheiro de garotas para se engolirem e pegar na bunda, - que não têm -  não usa uniforme também. ( se eu soubesse que podia viria sem, poxa ) 

Notei uma risadinha baixa ao meu lado, e era Carry. Fazendo o que? Filmando. Filmando aquela putaria.  

QUE MENINA MÁ. É por isso que te amo. 

E quando me caiu a ficha de que eles estavam fodidos, ( mais do que já pareciam quase fazer ali mesmo) eu não conseguia mais segurar a risada entalada e acabei soltando, junto à carry e Luke. 

Espera, Luke? Ah fugg. 

Estávamos ocupados rindo igual hienas da cara de susto que todos ali fizeram, e a próxima cena foi A MELHOR. 

Uma das garotas estava com a camisa aberta e de sutiã à mostra, com os lábios inchados. 

 A outra, de saia que já virou uma blusa de tanto que subiu.  

O ruivo - normal - estava com tanta vergonha que escondeu o rosto com as mãos. 

E o Prêmio de Mico do Ano vai para o Fakão!!! Que - virou rapidamente de costas e não revelou seu rosto ( um coro "aaah" de desapontamento aqui ) PORÉM, - revelou uma bunda GIGANTE com uma calça jeans rasgada que mostrava sua cueca da cor do cabelo. 

-AI MEU RIM, SOCORRO. - acabei soltando uma lufada de baba, risada,  e ar quando reparei na bunda do fakão. E foi assim, num piscar de um cu que senti minha 'cadeira sendo puxada': o fakão virando de relance para me fuzilar, os quatro partindo atrás de nós enquanto Luke me empurrava e Carry parecia que viu uma loja de hambúrgueres em uma mega promoção de tão veloz que ela estava. 

AISH, PODÍAMOS TER PASSADO UM DIA SEM ENCRENCA?  

É CLARO QUE NÃO, JEOVÁ NOS ODEIA PORQUE NÃO VAMOS MAIS À IGREJA. 

POUXA, Deuzinho. Poderia ter só jogado uma macumba pra nós morrermos de overdoce, (overdose de doce  )AO INVÉS, sabe, de nos ferrar no primeiro dia de aula. 

Mas até que era divertido correr em alta velocidade  - de cadeira de rodas - nesse corredor torto que parecia uma mini ladeira, sem precisar de um esforço, com um vento gostoso na cara, todo mundo nos olhando, e acenando... Ah oi, vocês também queriam estar no meu lugar né? Eu sei, mas esse momento brisa é só meu, e Luke, você tá vendo aquela multidão no fim do corredor, né? Porque teremos que desviar e.... Gente, escuto meu nome no além... oh, como todos me amam... Também amo vocês... 

-MIN...Heee!!! - ainda ouço a voz do além... olha, acho que já vi essa cena parecida em algum dorama que tinha porco no mato e... 

-MINHEE!!! PARA ESSA COISA, VOCÊ VAI BATER!!! - Carry gritava. Ma gente, o Luke é bobão eu sei. Só que ele não é inútil a ponto de... 

Cadê esse viado? 

-Luke? LUKE? LUKEEEEEEE?!?! - Virei meu rosto para trás, e só vejo o garoto que deveria estar me conduzindo, correndo atrás de mim.  

-TENTA PARAR LOGO!!! - A BIXA AINDA ME OUSA DAR ORDENS! COMO SE EU NÃO ESTIVESSE TENTANDO - em vão - FAZER ALGUMA PORCARIA. 

-SE EU MORRER HOJE, EU VOU TE ASSOMBRAR O RESTO DA SUA VIDA, SEU ESCRAVO IMPRESTÁVEL!! - Bem, já que estamos nos comunicando em inglês agora, não tem o perigo de eu levar bronca por chamar meu escravo de escravo, caso eu sobreviva a isso. 

E agora faltavam poucos metros para alcançar a multidão no refeitório que  saíam gritando e correndo como quando jogamos inseticida nas formigas. 

Como eu vi que as chances de parar são impossíveis de existirem, - porque as paredes do corredor estavam longe, e eu perderia meus braços se os enfiasse nas rodas que giravam rápido  ( e se for para morrer, eu preferia morrer com os braços ) - eu fechei os olhos para encontrar agora, de verdade, o meu além. 

Por que eu não morri na roda gigante mesmo? 

Acho que vocês mudaram o roteiro à toa, direção. 

Adeus, òh vida cruel. 

... 

E então vejo na minha frente o Fakão,  querendo morrer também - só pode ser isso - porque eu estava prestes a bater nele. 

Que ser doido, precisa de uma ajuda profissional, quem sabe um Jeová na vida. Já que ele me abandonou mesmo, vai com o feicão. Vá vá. 

-SAI DA FRENTE SEU DOIDO! DEIXA EU MORRER EM PAZ!!!  

- QUE MORRER, O QUÊ! GAROTA, EXISTE UM ENGATE NA CADEIRA DE RODAS QUE VOCÊ USA PRA FREAR!! PUXA LOGO! - gritou o tomatão, e quando me dei conta, estava conseguindo frear com uma alavanquinha que ficava ao meu lado.  

AAAH...  como iria adivinhar que existia um troço desses? 

NÉ?!

E fez um barulho estrondoso ( ou estridente? ) de um freio raspando na borracha do pneu, e quando eu pensei que já era o suficiente para eu parar com as mãos, soltei o freio. Mas o tonto do Fakão não saiu da frente, e - sem querer - acabei atropelando um tomate de bunda rasgada. 

Até fechei os olhos quando escutei o baque da canela dele batendo no apoio que ficava para os meus pés. 

Aush, doeu até na minha perna.  

E doeu mesmo, aigoo, que gordo. 

Quando abri os olhos, deparei-me com o ser no meu colo, e seu cabelo vermelho preenchendo minha visão... que... 

AAAAAAAAHH 

O  ROSTO... DELE... ESTAVA NOS MEUS SEIOS, QUE SABE LÁ O PORQUÊ NÃO ESTAVAM ESCONDIDOS NA BLUSA  E .. E... 

-Nham. Nham. Isso é pelo vídeo. 

Ele... ele... 

-TU MORDEU MEU PEITO, SEU FILHODUMAPUTA?!!?! 

 

-Professor Jimin, você está bem? - veio correndo uns par de garotas agora, rodeando... o... OI? Prof.. 

-MinHee, você atropelou nosso professor de Biologia!!?? - disse Luke ofegante quando finalmente nos alcançou. 

E só vi um sorriso sacana vindo do Fakão que finalmente saía do meu colo. 

Ele... nosso...o quê? 

AI. 

MEU 

BUDA.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...