História Through the Legends - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Aiden, Alan Deaton, Allison Argent, Araya Calavera, Bobby Finstock, Breaden, Chris Argent, Cora Hale, Corey Bryant, Danny Mahealani, Decaulion, Derek Hale, Enis, Erica Reyes, Ethan, Gerard Argent, Hayden Romero, Isaac Lahey, Jackson Whittemore, Jennifer Blake, Jordan Parrish, Kali, Kate Argent, Kira Yukimura, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Marin Morrell, Mason Hewitt, Melissa McCall, Meredith Walker, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Natalie Martin, Personagens Originais, Peter Hale, Rafael McCall, Scott McCall, Sheriff Noah Stilinski, Theo Raeken, Vernon Boyd, Victória Argent
Tags Beacon Hills, Crystal Reed, Dylan O'brien, Holland Roden, Lobo Adolescente, Mccall, Supernatural, Teen Wolf, Tyler Posey, Vanessa Hudgens, Werewolf
Visualizações 77
Palavras 6.142
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Super Power, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Desculpa a demora gentee

QUERIA AGRADECER IMENSAMENTE A TODOS OS COMENTÁRIOS E FAVORTOS ☺
VOCES SÃO DEMAIS ♥♥

Links nas notas finais, boa leitura ♥

Capítulo 5 - The Hunter


Fanfic / Fanfiction Through the Legends - Capítulo 5 - The Hunter

 Essa semana foi uma das mais corridas da minha vida, com a chegada de Kate Argent nós tivemos que tomar mais cuidado, Derek foi baleado por uma bala de acônito e por pouco não morreu. Naquela mesma noite ele nos levou para conhecer o seu tio Peter, o único sobrevivente do incêndio que um caçador provocou na casa dele. Fiquei com pena dele pois o cara é um vegetal, não fala, não anda só respira. Deve ser horrível só existir sem poder nem mesmo se matar. Já fazem duas semanas desde que eu vi o tal Alfa pela última vez, às minhas feridas se curaram rapidamente graças a aquele chá que Derek me deu.

 Scott está cada vez mais próximo da Allison, sei que ela é minha amiga mas tenho medo da família dela, principalmente depois de todas as histórias que Derek me contou sobre os caçadores e suas maneiras de matar um lobisomem. Fora isso tudo vai bem, estou conseguindo me controlar mais, Scott está cada vez melhor no lacrosse e sem nenhum incidente por enquanto. Jackson está muito estranho, esses dias vi ele conversando com Scott e insinuando que ele toma algum tipo de medicamento pra ficar tão bom de uma hora pra outra. Falei com Lydia sobre isso e ela disse que é só o ego ferido dele por estar sendo superado por outro jogador. Sou amiga da dela a anos mas acho que nunca vou entender sua relação com o Jackson, ela merece coisa melhor mas está agindo cada vez mais como ele, ficando metida e muito ignorante. Eu tento relevar isso e só me concentro em achar esse alfa, eu saio várias vezes a noite o procurando mas nunca encontro nada.

Tem alguns dias em que Scott some e depois volta pela madrugada, quando eu pergunto o que está acontecendo ele foge da minha pergunta e muda de assunto. Mas hoje não vai mais ser assim, quando eu ver que ele saiu do quarto vou segui-lo e ver o que ele tanto faz sem mim.

 Eu já havia terminado meu trabalho faz tempo, mamãe estava em mais um de seus plantões noturnos no hospital e Scott está no quarto provavelmente falando com a Allison por mensagens, consigo ouvi-lo digitar muito e assim que ele para eu ouço o barulho da janela ser aberta e depois um silêncio, me levanto da cama num pulo e visto meu tênis preto e um casaco azul, saio correndo do meu quarto e o vejo correr pelas ruas, me preparo e pulo a janela com facilidade correndo atrás dele e tomando cuidado para que ele não me veja. Correr é bem melhor do que dirigir, se não fosse tão estranho eu iria correndo pra escola mas chegar suada seria chato e fedorento. Eu ainda estava atrás do Scott mas o perdi de vista entre alguns prédios, paro para respirar e procuro por todos os lados vendo uma sombra no terraço de um prédio pequeno, tomei impulso e subi na escada, quando chego no terraço consigo ver luzes das sirenes e Scott conversando com o Derek. Então é isso que ele faz, saí com o Derek por aí enquanto eu fico em casa sem fazer nada. Me aproximo dos dois devagar e fico atrás de um tubo, concentro minha audição e consigo escutá-los.

- Está começando a entender? - Derek fala olhando pra baixo.

- Eu sei que ele está matando pessoas mas eu não sei porque. - Meu irmão falou ainda olhando pra baixo, deve ser o alfa que fez mais uma vítima. - Esse não é o comportamento padrão né? Nós não saímos por aí no meio da noite matando pessoas não é? - Questionou.

- Não. - Derek respondeu seco, ele parece sempre estar bravo mas eu sei que é só uma máscara pra esconder os sentimentos dele. - Somos predadores, não temos que ser assassinos.

- Mas porque ele é? - Scott perguntou.

- É o que vamos descobrir. - Derek disse e se virou de costas, me abaixei novamente mas tenho quase certeza de que ele me viu. - O que você está fazendo aqui Scarlett? - Ele falou mais alto e eu bufei saindo de trás do tubo.

- Vocês estavam saindo para procurar ele sem mim? - Perguntei ficando na frente dele e cruzando os braços.

- Por que você veio até aqui? Não entende que é perigoso pra você? - Meu irmão disse bravo e eu revirei os olhos.

- Me poupe desse papo que sou frágil tá! Eu já lutei com ele e vocês não! - Gritei.

- É por isso que tem que ficar fora disso! Ele quase te matou e alfas não fazem isso com os seus betas a não ser que não queiram eles na alcateia. - Derek falou. - Ele não quis transformar você.

- Mas eu quero ajudar! Eu senti o cheiro dele e até fiz um desenho! - Comentei em um tom mais baixo.

- Nós não precisamos de nenhum desenho dele Scar, o que precisamos é achar ele. - Scott disse e eu bufei.

- Vamos pra minha casa. - Derek disse e Scott riu.

- Derek eu tô cansado de ficar procurando ele por aí, não me interessa mais se eu sou parte do bando dele ou sei lá o que. - Ele desabafou e parecia bastante irritado. - Eu tenho que fazer o dever, eu tenho que ir numa reunião de pais e mestres amanhã porque eu tô indo mal em química! - Gritou.

- Tá.. você quer fazer o dever de casa ou prefere não morrer? - O lobisomem mais velho ironizou. - Temos menos de uma semana até a lua cheia, ou você mata com ele ou ele te mata. - Falou bravo.

- Como assim? Ele quer que a gente mate com ele? - Perguntei com certo medo.

- Você não, já disse que ele não te quer na alcateia. - Derek falou e eu bufei. - Ele quer o Scott.

- E como você sabe de tudo isso? Como você sabe que ele quer o Scott? - Questionei não entendendo como ele entende tanto desse alfa que ele nem viu ainda.

- Porque o seu irmão me contou de todas às noites em que acordou no meio da floresta ou em algum lugar, ontem por exemplo ele veio até aqui no meio da madrugada transformado mas não sabia o que fazer, e hoje o cara da videolocadora está morto! Entendeu? Ele quer que o Scott mate por ele pra saber que ele faz parte da alcateia e assim ele se torna mais forte. - Explicou tudo aquilo e eu ri irônica.

- Você fala tudo isso pra ele e esconde de mim Scott? Achei que pudéssemos contar um com o outro! - Perguntei brava e virei as costas pra sair dali.

- Espera Scar… - Meu irmão me segurou e eu o encarei. - Não dá pra sentir o cheiro dele na forma humana para gente acabar logo com isso? - Perguntou pro Derek.

- O cheiro de um lobisomem não é o mesmo quando ele é humano. Por isso tem que ser você Scott, você tem uma conexão com ele. - Respondeu.

- Mas eu não sei como funciona isso. - Scott gritou.

- Se eu te ensinar a controlar suas habilidades você vai encontrá-lo. - Falou e Scott se acalmou parecendo pensar.

- Se eu te ajudar a encontrar ele, pode pará-lo? - Meu irmão perguntou.

- Não sozinho. - Disse e olhou de relance pra mim. - Nós somos fortes juntos.

- É mas vocês ficam escondendo tudo de mim. - Falei irritada.

- Eu não quis que você participasse disso tá legal! - Scott disse. - Eu pedi pro Derek te deixar fora disso porque fiquei com medo depois daquele dia que ele te machucou. - Completou e eu continuei com minha cara brava.

- Eu não sou feita de porcelana Scott, posso ajudar vocês e eu vou, não me importa se o tal alfa não me quer na alcateia dele. - Falei cruzando os braços.

- Tudo bem… vamos acabar logo com isso, você tem alguma dica pra me dar Derek? - Scott perguntou e o outro se aproximou.

- Lembra na sua primeira lua cheia quando você estava transformado e tomou aquela flechada no braço? - Scott assentiu. - Lembra quando estava na casa da Allison transformado e foi atropelado pelo pai dela? - Meu irmão concordou novamente. - Qual o denominador comum?

- Voltei a ser humano. - Meu irmão respondeu.

- E o que causou isso? - Derek perguntou novamente e eu fechei os olhos pensando, ele levou uma flechada e voltou a ser humano, foi atropelado e aconteceu o mesmo, quando abri os olhos meu irmão estava abaixado no chão segurando a mão que estava quebrada. - O que você fez?

- Já vai se curar. - Derek respondeu.

- Ainda tá doendo. - Scott resmungou e Derek riu.

- É isso que te mantém humano... a dor. - Falou e virou as costas se afastando. - Me chame se tiver alguma pista, e não se coloque em perigo. - Falou olhando pra mim.

- Doeu? - Perguntei pro meu irmão depois que Derek foi embora.

- Muito. - Respondeu se recompondo.

- Que bom, agora vamos pra casa. - Revirei os olhos e caminhei até a escada, olhei pra baixo e não é tão alto assim, tomei impulso e pulei.

- Scar! Quer morrer? - Meu irmão perguntou terminando de descer a escada.

- Foi como pular de um meio fio. - Sorri e comecei a correr de volta pra casa, eu e Scott estávamos correndo lado a lado na rua, eu estava ganhando a corrida mas ele derrepente ficou de quatro e começou a correr três vezes mais rápido do que quando estávamos de pé, sorri e fiz o mesmo, achei que seria ruim ou que iria doer mas não, eu me senti como se tivesse nascido pra fazer aquilo.


~.~

Desliguei o meu despertador e levantei da cama pronta para encarar aquele dia, fui direto para o banho e lavei meu cabelo, hoje o dia estava mais frio do que o normal então vou de calça. Saí do banho e sequei meu cabelo, peguei a roupa que havia separado e vesti (1) Calcei um tênis e peguei uma mochila com o meu material dentro, tirei o celular do carregador e o coloquei dentro da mochila descendo às escadas, quando cheguei na cozinha vi Scott e minha mãe sentados na mesa comendo waffles.

- Bom dia. - Falei deixando a mochila de lado e me sentando com eles.

- Nem dormi ainda, não sei se é bom dia. - Minha mãe disse baixo e cansada.

- Mãe você só chegou agora? - Perguntei e ela assentiu sorrindo levemente.

Eu falei pra ela pegar leve com as horas extras, você é um ser humano mãe precisa dormir. - Scott disse colocando mais cobertura de chocolate no seu waffle.

- Eu estou bem, tenho algumas horas de sono até a reunião na escola de vocês, espero que eu não precise ouvir reclamações dos professores. - Ela falou colocando a xícara na pia.

- Vai ficar tudo bem, pode dormir tranquila. - Falei e ela beijou minha testa fazendo o mesmo com meu irmão.

- Amo vocês, boa aula. - Falou já nas escadas.

- Também te amo mãe. - Eu falei junto com Scott, terminei de tomar meu café e subi para escovar os dentes, estava no meu banheiro quando Scott entrou no meu quarto com tudo. - Não sabe bater?

- Lydia viu o alfa ontem, era ela e o Jackson que estavam na locadora na hora. - Ele disse e eu terminei de escovar os dentes rapidamente.

- Você só soube agora? Como não viu ontem? - Perguntei o encarando.

- Eu não vi quem era, tinham muitos policiais. - Explicou e eu assenti pegando um gloss e passando. - Stiles me mandou uma mensagem falando.

- Tá eu vou ver como ela está quando chegar na escola, quer uma carona? - Perguntei e ele assentiu.


~.~

Estacionei o carro e desci junto com Scott, Cody passou por mim de mãos dadas com uma garota loira, acho que ela é mais velha do que a gente.

- Ele já tá com outra? - Scott perguntou.

- Eu já imaginava, terminamos mesmo então não me importo mais com isso. - Falei e continuei andando e Scott parou o encarando, encontrei Allison na frente do seu armário, assim que ela abriu vários balões saíram de lá e um cartão grande mandado provavelmente por Lydia. - É seu aniversário e você não me disse nada? - Falei a abraçando.

- Fala baixo, eu não gosto muito do meu aniversário, nem sei como a Lydia descobriu. - Falou tentando esconder os balões.

- A Lydia descobre até o seu tipo sanguíneo. - Sorri assim que Scott chegou e encarou ela, os dois estão tão apaixonados que é palpável.

- É seu aniversário? - Ele fez a mesma pergunta e ela riu.

- Só não conta pra ninguém. - Pediu, eu coloquei a mão no ombro dos dois e ri.

- Vou deixar vocês a sós, tenho química agora. - Falei e saí dali.

- Preparada para a aula com o Sr. Harris? - Danny que é meu parceiro de química perguntou passando os braços pelos meus ombros.

- Quem está preparado para a aula de química? - Perguntei assim que entramos na sala.

- Acho que o Stiles está. - Ele disse apontando com a cabeça pro Stiles com o marcador rabiscando o livro inteiro, o olhei e ri me sentando no meu lugar ao lado de Danny.

- Cadê o Scott? - Stiles perguntou.

- Última vez que eu o vi ele estava com a Allison no corredor. - Respondi e me virei pra frente vendo o Sr. Harris entrar na sala com aquela cara de quem comeu e não gostou de sempre.

- Só um lembrete de amigo, a reunião de pais e mestres é hoje, os alunos com média abaixo de C são obrigados a ir. Eu não darei os nomes de vocês porque a vergonha e o desgosto já deve ser suficiente. - Falou e parou na frente do Stiles. - Alguém viu Scott McCall? - Perguntou alternando o olhar entre mim e o Stiles, antes que eu pudesse responder Jackson entra na sala e todos o olham, deve ser pelo que aconteceu ontem. Sr. Harris tirou a atenção de nós e andou até o Jackson. - Se você tiver que sair cedo por qualquer motivo é só avisar. - Falou um pouco mais baixo com as mãos no ombro dele, revirei os olhos.

- Vantagens sempre para os mais ricos, normal… - Comentei baixo, espero que ninguém tenha escutado.

- Vamos lá. - Falou firme novamente. - Vamos começar a ler o capítulo nove. - Mandou e eu abri o livro no capítulo nove. - Sr. Stilinski, porque não dá um descanso para o marcador de texto, isso é química, não um livro de colorir. - Stiles assentiu e largou o marcador, me aproximei mais do Danny e comecei a ler o conteúdo com ele,

- Aí Danny, posso fazer uma pergunta? - Stiles perguntou se aproximando da gente.

- Não. - Danny respondeu e eu ri.

- Vou fazer assim mesmo, você viu a Lydia na escola hoje? - Perguntou e eu o olhei brava.

- Não. - Danny respondeu novamente.

- Posso fazer outra pergunta? - Revirei os olhos e continuei lendo mas prestando atenção nos dois.

- A resposta ainda vai ser não. - Ri daquilo… Danny não está pra fazer amigos hoje.

- Alguém sabe o que aconteceu com ela e o Jackson ontem? - Stiles perguntou e eu bufei vendo que ele não iria desistir daquela história.

- Ele não quer… me contar. - Danny disse com receio.

- Mas ele é seu melhor amigo. - Stiles disse e Danny apenas sorriu de lado.

- Só mais uma pergunta. - Stiles pediu e eu me virei o olhando boquiaberta. - Você me acha gatinho? - Não consegui conter minha risada depois que Stilinski quase caiu da cadeira pra tentar ver o que o Danny fazia.

- Alguém quer dizer alguma coisa ou eu posso continuar dando aula? - Sr. Harris perguntou nos olhando, eu me recompus e neguei assim como Stiles que já estava sentado novamente na cadeira.


~.~

O sinal finalmente bateu e eu saí apressada da aula, me despedi do Danny e andei até Stiles que via alguma coisa no celular.

- Tentando falar com o Scott? - Perguntei parando ao seu lado.

- Ele não responde minhas mensagens, vou ligar pra ele. - Falou já colocando o telefone no ouvido. - Finalmente, recebeu meus torpedos?... Tem idéia do que está acontecendo? A Lydia desapareceu, parece que o Jackson tem uma bomba relógio dentro da cabeça e outro cara apareceu morto você tem que fazer alguma coisa… - Ele disparou a falar, eu fiquei olhando Derek que estava andando pelo corredor até a saída de trás da escola. - Alguma coisa! - Stiles gritou me despertando, ele ainda falava com Scott no celular. - Ele desligou? Nossa, seu irmão está cada vez mais me deixando de lado. - Stiles disse e eu ri.

- O que você está pensando em fazer? - Perguntei vendo a cara que ele faz quando está prestes a aprontar alguma coisa.

- Vamos comigo na casa da Lydia, vai que ela sabe de alguma coisa?. - Pediu e eu neguei.

- Foi mal mas eu acabei de ver o Derek sair da escola, vou atrás dele pra ver o que ele tanto procura aqui. - Falei e comecei a andar mais rápido.

- Espera.. mas como eu falo com a Lydia? - Me perguntou e eu parei o encarando.

- É só ir na casa dela e dizer pra Srta. Martin que é amigo dela, ela vai te deixar entrar e se ela não deixar fala que eu iria junto mas acabei tendo um compromisso. - Aconcelhei e ele assentiu. - Manda um beijo pra ruiva, fala que depois eu vejo ela. - Falei e saí correndo pela mesma porta que o Derek saiu a tempo de o ver adentrar a floresta, ele provavelmente vai pra casa dele.

 Andei até o estacionamento e deixei minha mochila e celular ali, vou correndo mesmo. Assim que saí do estacionamento corri pela floresta sentindo o cheiro do Derek, aqui tudo é muito parecido mas quando você segue um cheiro é como se ficasse um rastro onde eu sei exatamente pra onde ir, quando finalmente achei aquela velha casa abandonada entrei sem nem mesmo bater vendo ele sem camisa pronto pra ir pra cima de mim, mas quando viu quem era parou e bufou.

- Você não sabe bater? E o que está fazendo aqui? Os caçadores estão rondando a floresta e você não pode correr perigo. - Falou me puxando pra dentro e fechando a porta.

- Para com isso! Eu te vi na escola, o que você queria por lá? - Perguntei me soltando dele.

- Fui ver se aquele seu amigo sabia de alguma coisa sobre o Alfa. - Respondeu e pulou no batente da porta fazendo um exercício, evitei olhar todos aqueles musculos e me virei para outra parede.

- Jackson não viu nada, depois eu vou na casa da Lydia falar com ela, parece que ela não foi pra aula hoje. - Disse voltando a olhar as costas bem definidas dele, admito que quase babei.

- Faz isso e me liga se souber de alguma coisa, mas não vem mais aqui. - Falou calmo mas naquele tom bravo de sempre.

- Como você é chato, eu venho te fazer uma visita nessa casa abandonada que está caindo aos pedaços e você nem pra me agradecer. - Falei fazendo drama.

- Cala a boca. - Ele disse baixo ficando no chão de novo.

- Sabe o que é, é que você é muito ingrato porqu… - Ele tampou minha boca com a mão e me colocou sobre os ombros, correu comigo no colo pela casa, abriu a porta de um armário e entramos lá dentro. - O que foi? - Perguntei quando ele finalmente tirou a mão da minha boca, ouvi um estrondo e um cheiro de pólvora.

- Sentiu o cheiro? Caçadores. - Ele disse fazendo sinal de silêncio.

- Alguém em casa? - Um homem perguntou e meu coração acelerou, ele estava na floresta quando Scott foi atacado.

- Ah ele tá aqui sim, ele só não está sendo muito hospitaleiro. - Uma mulher falou num tom debochado, senti as mãos do Derek se apertarem na minha cintura.

- Ah talvez ele esteja enterrando um osso no quintal. - Um cara falou e eu revirei os olhos.

- Jura? Fez uma piadinha de cão? É a melhor que você tem? - A mulher perguntou com deboche. - Se quer provocar ele fala desse jeito. Que pena que a sua irmã morreu antes de ter a primeira ninhada. - Olhei pra ele que se segurava de raiva.

- Não importa o que aconteça não saí daqui, se eles te virem vão saber que tem mais alguém e vão te caçar também. - Derek me disse baixo e saiu do armário devagar.

- Não! O que você vai fazer? - Perguntei baixinho e ele fez sinal de silêncio.

- Que pena que ela uivou feito uma cadela QUANDO A GENTE CORTOU ELA BEM NO MEIO! - A mulher gritou e não deu nem tempo, Derek fechou a porta do armário me trancando lá dentro e saiu rugindo de raiva.

 - O que eu ouvi a seguir foi uma sequência de estrondos e uivos, eu sei que o Derek é forte mas eles estão em três, no meio dos gritos daqueles homens eu tentei destrancar a porta para ajudá-lo mas não consegui, foi quando o silêncio se instalou que eu fiquei com mais medo, me concentrei e consegui escutar os batimentos acelerados do Derek.

- Nossa… esse até que ficou jeitosinho, tô na dúvida se eu bato ou lambo. - A mulher falou e eu me encolhi mais no lugar. Eu não conseguia escutar mais nada, só o batimento acelerado do meu coração e o som dos passos lentos pelo assoalho da casa, eu tentei me acalmar, tentei criar coragem e sair dali para ajudá-lo mas meu medo era maior e não sei se vou sair viva daqui. Um som de choque soava dentro dos meus ouvidos algumas vezes e então eu tranquei a respiração me controlando. Me concentrei e consegui ouvir a respiração pesada do Derek e mais um barulho de choque alto, aquela mulher riu novamente e eu rosnei irritada. - Ahh… novecentos mil volts… você nunca foi bom com eletricidade né, ou com fogo. - Ela zombava, que mulher nojenta, ela ainda zomba de tudo o que aconteceu com a família do Derek. - E é por isso que eu vou te contar um segredinho, e aí… talvez a gente possa se ajudar. - Ela falou e eu tentei mais uma vez sair daquele armário sem fazer muito barulho. - É… a sua irmã foi cortada em pedaços e usada como isca para pegar você. Desagradável… e francamente um pouco massacre da serra elétrica demais para o meu gosto. Agora vem a parte da história que você pode não gostar muito, nós não matamos ela. - Eu parei o que fazia e me concentrei nos batimentos da mulher. - Acha que eu tô mentindo?

- Não seria a primeira vez. - Derek disse bravo.

- Puf… fofinho, que tal você ouvir meu coração e me dizer se eu tô mentindo tá bem? - Perguntou. - Nós  não  matamos  a sua  irmã. - Falou pausadamente, em nenhum momento os batimentos dela mudaram, continuaram calmos e frios. - Você ouviu? Não teve nenhuma palpitação, só a batida compassada da mais pura verdade. - Ela falou convicta e eu bufei me encolhendo no armário. - Nós achamos marcas de mordidas no corpo da sua irmã Derek, quem será que fez isso? - Ironizou, claro que foi o maldito alfa. - Por que não nos ajudamos? Você já deve ter adivinhado desde o início que o alfa matou a sua irmã, tudo o que você tem que fazer é dizer quem ele é e nós damos um jeito nele pra você, tudo resolvido e todo mundo vai pra casa feliz. - Derek continuou quieto e eu comecei a me sentir com medo novamente, como se um alarme soasse dentro de mim avisando perigo. - A não ser… que também não saiba quem ele é… - Ela falou e começou a rir. - Pois é… adivinha quem acabou de ficar inútil? - Em seguida eu ouvi vários tiros e coisas quebrando, reprimi um grito e fiquei com a mão na boca chocada, eu só ouvia um batimento cardíaco e mais nada, depois dos tiros o silêncio passou a me incomodar. Fiquei quieta parada ouvindo aquela mulher gritar irritada, eu ouvia seus passos pesados pela casa e passaram inclusive na frente do armário que eu estava. Consegui ficar quieta e chorando em silêncio, odeio ser fraca assim mas eu estava com medo, não sei se o Derek fugiu ou se ela o matou.

 Fiquei ali quieta por mais de uma hora, ouvi a mulher acordar os seus parceiros e ir embora mas mesmo assim eu não conseguia me mover, fiquei com mais medo dela do que do alfa no outro dia, minhas pernas tremiam e eu não conseguia sair do lugar, às lágrimas molhavam o meu rosto incessantemente e eu me martirizei por não trazer o celular. Depois de mais um tempo eu ouvi passos na casa e a porta do armário foi aberta revelando um Derek assustado e ainda sem camisa, sem nem pensar duas vezes eu o abracei tentando controlar o meu choro que teimava em não parar, ele retribuiu o abraço a afagou minhas costas.

- Que bom que você não saiu daqui. - Ele disse mais calmo.

- Eu queria sair e te ajudar mas… -

- Não! Você fez bem em ficar, se você saísse ela saberia que tem mais lobisomens e passaria a te perseguir também. - Assenti o soltando e saindo do armário com a sua ajuda. - Você está bem?

- Agora sim, achei que ela tinha te matado. - Falei parando e enxugando o rosto. - Quem é essa vadia? - Perguntei andando pra fora da casa.

- Kate Argent. - Revirei os olhos. - Ela é terrível, não se engane se ela se passar por gentil, o que ela mais sabe fazer é mentir. -

- A tia da Allison, eu não reconheci pela voz. - Disse saindo da casa e só então notei que já anoitecia.

- Vamos, eu te deixo na escola. - Falou destravando o carro e abrindo a porta para que eu entrasse. - Falou com o Scott hoje?

- Não… tenho certeza de que ele está com a Alli. - Derek bufou e eu o olhei com as sobrancelhas arqueadas. - Não é só por causa da família dela que você não gosta do namoro dos dois né. - Ele riu e colocou uma camisa que estava no banco de trás.

- Não… é sim! Eu já disse que eles são perigosos. - Falou mas pude ouvir o seu coração acelerar.

- Okay…. vou fingir que acredito. - Falei e ele riu ligando o carro e dando a partida.


~.~

Assim que ele me deixou na escola eu vi todos os pais entrando para falar com os professores, ve virei e dei tchau pro Derek e ele saiu em disparada, comecei a andar pelo estacionamento até o meu carro mas levei um susto com a minha mãe aparecendo do nada na minha frente.

- Que susto mãe! - Falei com a mão no coração.

- Desculpa filha, quem era o moço daquele carro? - Ela perguntou com um sorriso malicioso, revirei os olhos e destravei meu carro pegando a bolsa e o meu celular. - Não finge que não escutou, já superou o Cody?

- Não mãe!... Quer dizer eu já esqueci aquele babaca sim mas era só um amigo okay? - Ela assentiu um pouco contrariada.

- A reunião já vai começar, cadê o seu irmão? - Me perguntou e eu arregalei os olhos.

- Não sei… eu não o vi depois que as aulas acabaram. - Falei vendo várias chamadas perdidas do Stiles no meu celular.

- Como assim não o viu? Ele tem que ir comigo falar com o professor, você não precisa mas parece que ele está com notas baixas. - Ela disse irritada enquanto caminhávamos pra dentro da escola.

- Fica calma, logo ele aparece. - Tentei a tranquilizar.

- Desculpa filha mas não tem como ficar calma, seu irmão anda chegando tarde em casa e eu não sei o que fazer. - Ela disparou.

- Quando ele chegar você dá uma bronca nele então. - Ri e ela me olhou séria. - Tô brincando, eu te acompanho na reunião okay. - Ela assentiu e andamos até a sala de química onde o Sr. Harris aguardava sentado em uma cadeira.

- Boa noite Srta. McCall, eu sou o professor de química. - Minha mãe sorriu e apertou a mão dele, tão educado assim até parece que é um professor legal. - Scarlett você não precisa participar da reunião.

- É que meu irmão está atrasado, eu fico até ele chegar. - Sorri tentando soar simpática e ele assentiu meio contrariado.

- Scott está com notas muito ruins na minha matéria. - Ele começou dizendo. - Seria muito bom que ele estivesse presente agora. - Ele disse e minha mãe bufou pegando o celular.

- Vou ligar pra ele. - Ela disse e colocou o aparelho no ouvido, conseguia escutar a chamada e nada do Scott atender. - Onde você está? Vem pra escola agora. - Ela disse quando caiu na caixa de mensagens e encerrou a ligação.

- Acho que devemos começar. - Ele disse ajeitando alguns papéis.

- Claro… - Ela disse sorrindo.

- Bom… A Scarlett é uma ótima aluna, tem ótimas notas e faz bastante atividades extras como o Lacrosse e a equipe de poesias da escola. - Ele começou falando de mim  e mamãe sorriu me olhando. - Ultimamente você anda com a mente voando mas mesmo assim consegue manter os trabalhos em dia, diferente do Scott… - Ouvi um suspiro da minha mãe e abaixei a cabeça. - O Scott anda muito diferente, apesar do Lacrosse às notas dele só estão diminuindo e se ele não manter as notas altas vai ter que sair do time. Pessoalmente eu acho que tem a ver com a situação em casa… -

- Ahn… pessoalmente eu não sei o que quer dizer com ‘a situação em casa’ - Minha mãe o interrompeu.

- Especificamente a falta de uma figura de autoridade. - Ele disse e eu revirei os olhos.

- Eu sou a figura de autoridade então… - Ela deu de ombros e Sr. Harris riu um pouco sem graça.

- Desculpe… deixa eu explicar melhor, a falta de uma figura de autoridade masculina. - Ela disse e eu bufei e recebi um olhar bravo da minha mãe.

- Não concordo com isso. - Falei para o professor que me olhou desentendido.

- Confie em mim estamos bem melhor sem ele por perto. - Ela disse.

- O Scott acha a mesma coisa? - Ele perguntou com um jeito superior.

- Sim… eu acho que sim. - Ela respondeu um pouco constrangida. - Pelo menos espero. - Falou mais baixo e eu tive vontade de arrancar cada fio de cabelo desse professor idiota e machista.

- Mas ele está passando por mudanças difíceis, ele precisa de um pouco mais de atenção, uma mão que guie ele nesse estágio inicial de desenvolvimento… - Sr. Harris continuou falando sobre o Scott e várias coisas machistas que eu me segurava pra não levantar e sair daquela sala. Depois de uns vinte minutos de conversa com a minha mãe ele finalmente terminou e pudemos sair daquela conversa desagradável

- Eu não gostei desse professor, que cara mais… - Minha mãe disse irritada.

- Machista? Idiota e sem noção? É eu sei, aguento às aulas dele todos os dias. - Falei andando com ela pelo corredor.

- Mas o seu irmão vai ver, ele nem atende o celular! - Disse brava ligando novamente pro Scott. - Scott você tem que me ligar agora, seu professor ficou falando sobre o quão ruim você está nas matérias e eu nem soube o que dizer. - Ela desligou o telefone e me olhou com os braços cruzados. - Scarlett me fala onde o seu irmão está! Ela pediu.

- Eu o vi com a Allison antes das aulas começarem e depois ele sumiu… - Ela continuou me olhando com os olhos semicerrados. - Juro que é verdade mãe, não o vi mais.

- Okay… aqueles são os pais da Allison né? - Perguntou apontando para os dois que desciam as escadas de outra saida da escola.

- São sim. - Ela assentiu e começou a andar até lá.

- Com licença, são os pais da Allison? - Ela perguntou parando na frente dos dois, eu fiquei atrás dela e sorri pra eles. - Sou a mãe do Scott e ele também não está atendendo ao telefone. - Ela disse e o Sr. Argent emburrou a cara.

- É a mãe dele?  Perguntou arrogante.

- Engraçado diz isso como se fosse uma acusação. - Minha mãe respondeu irritada.

- Eu não diria que é uma fonte de orgulho já que ele praticamente sequestrou a nossa filha hoje. - Ele respondeu no mesmo tom irritado.

- Como sabe que matar aula não foi idéia da sua filha? - Minha mãe rebateu irritada, sei que apesar de ela estar chateada com o Scott sempre o defende independente das circunstâncias, eu me afastei um pouco e senti um cheiro familiar, olhei pra trás e Scott chegava com a Allison.

- A minha filha… está bem ali. - Sr. Argent falou diminuindo o tom e suspirando, mamãe desceu às escadas e andou até ele me puxando no caminho.

- Onde é que você estava Scott? - Perguntou quando chegamos perto dele.

- Lugar nenhum mãe. - Ele respondeu e eu revirei os olhos.

- Lugar nenhum quer dizer não na escola. - Ela disse e Scott não sabia o que fazer.

- Não foi culpa dele hoje é meu aniversário e nós pensamos… - Allison foi interrompida pela voz autoritária do seu pai.

- Pro carro. - Mandou e em seguida ouvimos um grito alto e várias pessoas começaram a correr de um lado para o outro.

 Meu olfato dizia que não é o alfa, olhei pra trás e minha mãe havia sumido, olhei pro Scott que já caminhava para longe e comecei a procurá-la, às pessoas entravam em seus carros desesperadas e algumas até voltaram para dentro da escola, me concentrei na minha mãe e então segui o cheiro dela mas paralisei assim que aquele cheiro familiar passou por mim, meus olhos brilharam e eu comecei a procurar o alfa por todos os cantos, eu estava com medo de ele machucar alguém mas preciso achá-lo. Carros buzinavam e tentavam sair do estacionamento e só causava mais confusão, ouvi um rugido distante e corri em direção a ele, vi o xerife Stilinski na frente de um carro e o motorista estava prestes a dar a partida, corri mais rápido e o puxei antes que o carro batesse nele.

- Scarlett… obrigado, tome cuidado porque… - Ele foi interrompido pelo som de tiro e o gemido de um animal, depois mais dois tiros estrondam pelo estacionamento. Todos pararam e foram andando em uma direção e eu acompanhei o xerife até ver o Argent com uma arma em mãos e um leão da montanha morto aos seus pés, não posso negar que tremi um pouco e me afastei olhando para Scott que assim como eu estava com o coração acelerado.

~.~

- Onde você estava? eu me preocupei! - Falei para a minha mãe quando estávamos todos já dentro do meu carro.

- Eu fui atrás do Scott, você saiu correndo pro outro lado. - Ela disse e eu suspirei.

- Mãe quando algo assim acontecer você tem que ficar perto da gente tá, nunca se afaste eu tenho medo que algo possa… - Scott me interrompeu.

- Fica calma Scar… já passou. - Ele disse e eu assenti dirigindo até a nossa casa.

 


Notas Finais


Link 1 -- https://www.polyvore.com/cgi/set?.locale=pt-br&id=225089457

Gostaram??
Estou pensando em incluir mais um personagem na fanfic, vocês tem algum pedido especial ou algo parecido? Algum ator ou artista que queriam ver na série que eu possa colocar aqui?
Me digam nos comentários, eu sempre leio cada um e a opinião de vocês é muito importante pro decorrer da fanfic!
É isso gente, volto semana que vem com mais um capítulo, demorei todos esses dias por causa da minha querida internet que sempre me sacaneia e para de funcionar justo no dia que resolvo postar, espero não ter nenhum imprevisto até o próximo cap.
Comentem muuitooo e favoritem a fic ☺
indiquem pros amiguinhos que gostam de Teen Wolf, me ajuda muito!
Beijinhos, amo vcs ♥♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...