História Through The Lines - Capítulo 82


Escrita por: ~

Visualizações 361
Palavras 2.747
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá babes
Esse capítulo foi feito com muito amor e espero que vocês gostem.. Vocês são cardíacas????
Boa leitura <3

Capítulo 82 - Everything has changed


Fanfic / Fanfiction Through The Lines - Capítulo 82 - Everything has changed

 

Hope POV

Assim que iria começar a aula escutei um gritinho agudo no fundo da sala e quando fui me dar conta ela já se encontrava agarrada nas minhas pernas, eu queria dizer que me assustei, mas minha reação foi totalmente contraria eu estava muito feliz. Jazzy estava na minha sala, então ela era a nova aluna, ela estava tão linda, tão grande, e tão moça.

- Hope! – Ela disse com o sorriso nos lábios.

- Ah meu Deus, pequena que saudades. – Eu me abaixei a sua altura para poder abraça-la. – Esta pronta para começar seu primeiro dia?

- Sim, eu vou amar estar com você.

A aula fluiu normalmente, mas confesso que a presença da Jazmyn na minha aula me deixou um tanto quanto curiosa, agora ela era mais velha e eu tinha certeza que ela saberia me explicar tudo que eu perguntasse, terminei a aula dez minutos antes, para tentar falar com a Jazzy.

- Hey Jazz – Disse chamando sua atenção e ela veio saltitante para o meu lado.

- Eu estou muito feliz em te ver Hope, eu sempre pedia para te ver ao Justin, mas ele sempre estava ocupado. – Fiquei encantada pelo jeitinho que ela tinha, sinceramente era impossível não amar.

- Oh meu amor eu sinto muito, mas agora podemos ficar juntas e recompensar aqui na escola. – Ela assentiu.

- Eu sempre pergunto de você para o Justin, mas agora ela não deixa mais porque ele diz que a Barbara não vai gostar. – Ela revirou os olhos.

- Barbara? – Isso não era o que eu queria saber, mas por um momento eu fiquei curiosa.

- Sim, a nova namorada do Justin, ela chama Barbara, você e o Justin não são mais amigos?

- Não meu amor, eu e o Justin não somos mais amigos... Mas me conta, você agora mora aqui com os seus pais? – Tentei mudar o foco da conversa, eu não queria saber das garotas que o Justin levava toda semana para sua casa.

- Não, eu estou passando as férias com o Justin, e eu disse que queria dançar ballet e ele pediu para a babá me colocar em uma escola e ela escolheu a sua. – Ela dizia tão inocente que eu queria morde-la.

- Eu fico muito feliz em te ver aqui comigo, mas a gente precisa guardar um segredo de amigas, você é minha amiga certo? – Ela assentiu curiosa. – Você não pode contar ao Justin que eu também estou aqui com você, se não ele vai te tirar daqui. – Ela olhou assustada e negou.

- Eu juro Hope, juro que nunca vou contar para o Justin.

- Esse vai ser nosso segredo. – A abracei e ela retribuiu em um abraço apertado.

Foi a melhor maneira que eu encontrei de deixar o Justin bem longe, já havia passado anos desde que eu o larguei naquela mesa, nós seguimos em frente, muitas coisas aconteceram, mas eu prefiro me prevenir, o Justin longe é sempre a melhor opção.

Depois que a aula acabou não me contive e fui no escritório e joguei o nome do Justin e dessa tal de Barbara nas pesquisas, e nada apareceu, só alguns rumores que eles estavam juntos, mas nada certo, talvez eu tivesse certa, era só mais uma na cama do Bieber, e na próxima semana seria outra. Me dei ao luxo em pesquisar mais coisas sobre a vida dele, ele estava lançando outro cd, aparentemente ele parecia mais velho, mas seu sorriso nunca mudava, apareciam algumas matérias tituladas como “o novo Bieber” e várias outras coisas.

Emma entrou no escritório fazendo com que eu fechasse tudo correndo e ela me olhou engraçada.

- Vendo algum vídeo pornô na internet em pleno luz do dia chefe? – Ela soltou uma risada e eu revirei os olhos.

Quando eu ia responder meu celular apitou e era Candice.

C: - Me diga que hoje você acordou consciente e resolveu voltar para nyc, eu sinto tanto a sua falta cadela.

H: Alguém acordou inspirada hoje.

C: Estarei em Los Angeles quando você menos esperar.

H: Se transforme logo em uma angel e venha morar comigo.

C: Eu mal posso esperar!

H: Eu quero você aqui em LA mais rápido possível, eu te amo x.

Candice depois que nós se formamos seguiu sua carreira de Dj por algum tempo, mas não foi por muito tempo pois logo descobriu sua verdadeira vocação, modelo, sim pode rir, mas agora ela é modelo de biquíni e vive por ai tirando fotos, para campanhas, no começo ela se recusou, mas depois ela levou como um hobby e agora é sua atual profissão, nós não nos víamos a muito tempo e eu sinto muita falta dela, talvez se ela estivesse aqui comigo eu não me sentiria tão vazia igual eu me sinto.

Ela estava sendo muito influente entre as modelos, e eu torcia muito que ela fosse chamada para o time de modelo das Victoria’s Secret, qual é? Eu acredito muito no potencial da minha melhor amiga, e eu tinha orgulho dela, sempre desejava o melhor pra ela.

{...}

Cheguei no elevador do meu apartamento e parecia que quando eu pisava lá os mesmos problemas vinham a tona tudo que não deu certo, todas minhas frustrações, minhas tristezas, e eu voltava a ser a Hope triste, depressiva e inconformada. Quando cheguei em casa vi que Nathan não estava lá como o normal, joguei as chaves em cima da mesa e sentei no meu sofá observando os quadros que ficavam na estante.

Eu e Stass no verão, Candie quando fomos viajar, fotos nossa em festas da faculdade eu e Nathan na época da faculdade, eu queria que esses momentos fossem eternos, lembro-me de como naquela época eu era feliz, e como do nada eu me tornei a pessoa que eu sou hoje. Minhas atitudes e escolhas são tudo o que me tornei hoje, e eu me pergunto, será que eu fiz a escolha certa?

Hoje eu estava me sentindo tão nostálgica, talvez eu estivesse com tanta saudade que acabava me proporcionando isso, eu gostava muito, me fazia bem, eu esquecia meus atuais/antigos problemas.

Puxei a caixa do closet e ali haviam mais fotos, eu e meus pais, com a minha avó e Stass, algumas com Candie e Nathan onde eu fazia palhaçada, e uma me chamou minha atenção, porque eu tinha aquilo ali? Eu pensei que havia me livrado de tudo dele, encontrei uma foto minha e do Justin no natal, ele me abraçava e eu sorria como se tivesse ganhado o melhor presente, que de fato havia, mas não era isso, eu estava feliz em seus braços.

Hoje eu tenho a real consciência que nosso amor foi uma coisa intensa de adolescente, mas eu era feliz, era feliz com ele, mas eu sei que hoje nós atualmente, nunca estaríamos juntos, mesmo que tivesse nossa filha, nossas vidas sempre foram diferente, e a gente achava que se engando conseguimos enfrentar o mundo, mas a vida um dia ensina que não do nosso jeito e sim do jeito certo de se fazer.

...

Quando voltei a sala encontrei Nathan sentado no sofá com um copo de whisk na mão, ele sempre fazia isso quando estava com problemas, e atualmente todo dia ele fazia isso. Depois do meu acidente e da perca do nosso filho, nossa convivência começou a ficar monótona e eu odiava tanto isso, eu tentava ser uma pessoa melhor, mas o Nathan me tratava frio, como se eu fosse apenas um móvel velho ali, isso quando ele passava o dia sem se dirigir á palavra a mim.

Ás vezes eu chorava dentro do banheiro depois que ele já estava dormindo para que ele não pensasse que eu estava novamente entrando em depressão, as vezes parecia que tudo que Nathan queria era me internar na sua primeira oportunidade.

Nathan percebeu minha presença, mas ele não ousou a conversar comigo.

- Hey Nate, como foi o seu dia? – Me aproximei para que eu pudesse ficar próximo ao seu campo de visão, ele tomou todo o Whisk e me olhou com raiva nos olhos.

- Você quer mesmo conversar de como foi meu dia? – Eu me aproximei esperando que ele continuasse.

- Nathan, por favor, vamos nos ajudar. – Disse olhando dentro de seus olhos esperando que ele falasse algo.

- Horrível como todos os últimos dois anos, eu odeio aquele lugar, eu não me canso de dizer que a pior coisa que a gente fez foi ir embora de nova Iorque. – Eu bufei, ele sempre odiou o fato de termos saído de nova Iorque.

- Eu sint... – Tentei falar, mas ele me cortou.

- Meu pai acha que tudo que acontece naquela merda de empresa é tudo sempre eu, tudo de ruim, eu estou cansado de carregar tarefas difíceis nas minhas costas, tudo de mais ruim sempre acaba sobrando para o idiota aqui. – Ele dizia acido com as palavras, e eu senti que ele estava falando de mim também.

- Nate. – Eu sentei do seu lado, e ele não me olhou, ele não era á muito tempo o Nathan que cuidava de mim, o meu amigo, o que estava comigo sempre. – Não queria que eu fosse um dos motivos disso.

- Hope, você foi minha ruina, você basicamente acabou com todos meus planos, mas também me fez homem. – Ele era bipolar ou o que? Aquelas palavras me atingiram que fez com que eu segurasse o choro.

- Eu nunca pedi pra você ficar, você quer dizer que se hoje estamos assim á culpa é minha? – Ele me olhou e não disse nada. – Você então deveria se culpar pela a sua péssima coordenação no volante e por ter tirado a vida da minha filha. – Disse com a garganta seca e senti meus olhos encherem de lagrimas.

- Se você não quisesse sair nada disso teria acontecido, teríamos ficado em casa e nada de ruim teria acontecido.

Me levantei com os olhos com lagrimas caindo, eu não tinha aguentado por muito tempo.

- PARE DE TENTAR ME FAZER CULPADA, EU NUNCA FIZ POR MAL, VOCÊ CUTUCA FERIDAS QUE AINDA DOI NATHAN, VOCÊ É UM MONSTRO.

- Você é um monstro por apenas pensar em você todo esse tempo.

- Nunca foi só sobre mim, é sobre tudo que aconteceu, você está livre para ir quando quiser, nós não precisamos viver assim.

- Você não é a mesma Hope que gostava de mim de verdade.

- E você não é o mesmo Nathan, o meu amigo.

Nós estávamos lavando roupa suja, isso era tecnicamente bom para, agora eu sabia e tinha certeza que o Nathan só vivia tudo isso por mim, e isso me tornava a pior pessoa.

- Você quer ir embora? – Ele respirou fundo e fechou os olhos tentando controlar os seus sentimentos.

- Não, eu só estou cansado.

- Você não esta feliz né? Então porque você não larga tudo por uns dias, quem sabe quando você voltar já saiba o que fazer? – Ele soltou uma risada. – Eu vou ficar bem sem você, prometo.

- Obrigada, mas fugir dos problemas não ajuda. – Eu sorri e o abracei.

- Mas enganar eles um pouco não tem problema. – Pisquei para ele.

Nathan além de tudo foi a única pessoa que passou por todos os momentos da minha vida, ele me viu no melhor até o pior estado, ele era a pessoa que eu tinha escolhido para passar o resto da minha vida, então eu tinha que fazer de tudo para agradar ele, até onde eu posso, eu sei que o excesso de estresse dele era por conta de muitas coisas, mas eu tinha certeza que isso seria apenas uma tempestade que estava próxima de passar

{...}

No outro dia acordei determinada que minha vida tornaria um rumo diferente, eu queria mudar, eu não queria mais ser a Hope frágil, eu queria ser a mulher independente e forte que sabia superar os problemas da vida. Arrumei o café para Nathan e sai correndo porque eu queria chegar mais cedo hoje na academia.

Quando entrei Zac me recebeu de braços abertos como toda manhã ele fazia.

- Vejo que alguém pulou da cama essa manhã.

- Vejo que alguém na sua folga transou bastante, você ainda cheira a sexo, você já tomou banho? – Eu disse zombando da cara dele.

- Você adora meu cheiro natural chefe é inevitável. – Revirei os olhos e me soltei de seus braços indo até algumas fichas encontrando as de Jazzy.

- Você sabia que a irmã do Justin esta aqui?  - Ele me olhou indignado.

- Bem no meu dia de folga acontece isso, eu fico um dia fora e acontece isso, o que será que vai acontecer hoje, ele vai dar as caras por aqui? – Ele começou a rir, e a porta foi aberta por Emma, nos cumprimentando com bom dia.

Continuei olhando as informações que continham ali, e não conhecia a pessoa que tinha vindo fazer a matricula de Jazzy, não fazia sentido nenhum, mas a Emma não era obrigada a saber que aquela pessoa não tinha vinculo com Jazzy, era só mais uma criança aos olhos de Em.

- Emma, você sabia que a aluna nova era JazmynBieber? – Ela arregalou os olhos olhando a ficha de Jazzy.

- Ah, ai meu Deus, eu não... Não dei conta que estávamos lidando com uma filha de um famoso, eu fiz algo errado? – Zac deu risada de seu nervosismo, a garota estava começando agora, ele poderia pegar leve.

- Não está tudo bem, e ela é irmã do Justin e não filha. – Eu dei risada.

- Eu nunca iria imaginar, foi uma mulher que veio fazer a matricula, o nome Katryn Rose é conhecido? – Eu neguei, voltei a olhar a ficha da Jazzy, e eu sabia que o nome da mãe dela era Erin e eu tinha certeza que era uma babá de Jazzy e nenhum parente.

- Está tudo bem hoje podemos pedir para ela trazer uma autorização de alguém da família, ela deve ser algum tipo de babá a Jazzy, isso não é um documento seguro afinal a qualquer momento ela pode ser mandada embora.

- Pode deixar que eu cuido disso Hope! – Ela sorriu aliviada e eu assenti indo me trocar para mais um dia de aula.

Senti os passos de Zac atrás de mim, e eu sabia que ele iria fazer algum tipo de piadinha.

- Uau babe eu não imaginei que você ficaria tão tranquila em saber que sua ex cunhada é sua aluna de Ballet.

- Zac... Ela é uma aluna como qualquer outra, eu realmente não me importo, eu gostaria de salvar meu casamento, no momento é meu único pensamento.

- Uhh, problemas no paraiso? – O encarei seria e ele soltou uma risada.

- Se você não fosse o maior galinha de LA poderia jurar que você é gay. – Soltei uma risada fraca e ele ignorou.

- Pois então babe me conte o que acontece. – Eu odiava com todas as forças aquele apelido, mas eu já tinha me acostumado, de novo.

- Eu acho que Nathan finalmente acordou pra realidade e agora ele acha que foi um erro nosso casamento, ele não disse com essas palavras, mas foi o que ele quis dizer e bom eu disse para ele tirar umas férias, eu não quero perder Nathan, eu quero que ele veja que tudo isso que ele pensa é um erro.

- Porra, você é perfeita, tirando a parte que você não transa a anos. – A olhei seria e lhe dei um tapa.

- Às vezes eu me arrependo do que eu te conto.

E sim, Zac não estava mentindo, minhas maiores brigas com Nathan era porque eu não ia pra cama com ele por longo tempo, mesmo depois da morte da minha filha, eu não me sentia segura com meu corpo, não me sentia preparada pra pensar na possibilidade de ter um filho.

Quando resolvemos voltar para a entrada eu me arrependi amargamente, o Zac parecia que tinha rogado uma praga, Justin estava chegando com seus óculos escuros e de mãos dadas com a Jazzy, em um ato involuntário eu voltei correndo para os vestiários contando até mil e rezando para que ele não tivesse me visto.

- O que foi Hope, viu um fantasma?

- Não, pior que um fantasma, Justin está ai na frente. – Engoli seco e ele deu risada.

- Pode deixar que eu cuido disso.

Zac se afastou indo lá na frente e eu fiquei aqui controlar meu coração que batia em ritmo acelerado.


Notas Finais


Eu falei que as coisas iriam mudar haha Como vocês podem ver o quanto esse casamento deles estão de faixada vocês vão entender mais a cada capítulo que passa.
Como vocês podem ver Jazzy é a nova aluna da Hope e o Justin já deu uma aparecida por lá o que vocês acham que vai acontecer???
Nos vemos em breve.
Xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...