História Through Time - Paradox [Cancelada] - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Chara, Flowey, Frisk, Papyrus, Personagens Originais, Sans, W. D. Gaster
Tags Ação, Blark, Blueberryxdark, Facções, Frans, Genoxhorror, Gerror, Inkxerror, Máfia, Paradoxo, Romance, Sanrisk, Sansxfrisk
Exibições 81
Palavras 1.731
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Heya!
Welp, assistir Supermax na véspera do Dia dos Mortos me deixou meio... Traumatizada
Mas pelo menos me deu uma inspiração p feels e consegui acabar esse cap :33

Feliz Dia dos Mortos, hehe
~Boa leitura

Capítulo 25 - Sofrimento


 

[Capítulo 23 - Sofrimento]

 

- Ponto de Vista: Narradora -

 

Os dias se passavam de modo quase insuportável para os membros das facções de Dark, Bryan, Ink e Error. Com o sumiço do destruidor - já que, após dois dias, a possibilidade de sequestro é bem maior ao olhar deles - a situação parece instável no lugar. O ar depressivo havia voltado e tudo parecia morto.

Era praticamente impossível dizer que Ink estava “vivo” pelo seu estado físico, emocional e mental. Depois do quinto dia ele decidiu vasculhar o quarto à procura de pistas e encontrou uma caixinha branca. Ao abrir se deparou com um anel envolto por pedras que variavam entre o azul escuro e o colorido. Ele sentiu o mundo cair naquele momento, mal queria sair do cômodo desde então.

 

Todos estavam na sala de reuniões. Os empregados e membros menos importantes estavam em seu quartos, estavam de folga por enquanto. O silêncio pairava e todos ali pareciam mortos, esperavam em silêncio a vinda dos que moravam na Alemanha; com a provável presença de Nightmare no sequestro eles precisariam unir forças.

O silêncio foi interrompido por duas baixas batidas na porta. Assim que foi aberta, o rosto neutro da garota monocromática apareceu, juntamente dos outros integrantes da Salvation. A porta foi fechada por Cross, que entrou por último e se manteve encostado na madeira, as lágrimas finas que antes caiam de suas órbitas mancharam o rosto ósseo e deixaram sua marca. Dark se levantou do lugar e, passando reto por todos os outros - incluindo a própria filha -, foi até o híbrido e lhe abraçou. Como se fosse a gota d’água, logo o garoto começou a chorar sem parar, soluços descontrolados saindo de sua boca.

Ele não conseguia entender. Por que Nightmare fez aquilo? Claro que ele não seria um obstáculo, já que depois de passarem aquele dia juntos o máximo de contato que tinham era um abraço ou outro que o híbrido dava no guardião quando este chegava de algum compromisso. Parecia… Que o queria longe. Ele não queria admitir, mas parecia que só agora a ficha havia caído. Nightmare e ele nunca tiveram nada e nunca vão ter. Ele foi apenas uma noite no final das contas.

Mas um lado seu insistia em dizer que aquilo não era verdade.

- Nós vamos achá-lo. Eu prometo. - a ruiva sussurrou em um tom de conforto, o híbrido deu um sorriso triste e apenas assentiu.

Do outro lado da sala, Blue observava a cena com atenção. Seu rosto não tinha uma expressão certa, era difícil de ler a feição do azulado. Seu irmão se aproximou e o menor apenas o fitou de soslaio, os braços cruzados se apertaram levemente contra as costelas vestidas.

- Bro… Algum problema? - o azulado não respondeu, o maior olhou em direção à dupla de híbridos e suspirou - É ela, não é?

Blue o fitou e suspirou, cansado.

- Não é a mim que ela merece. - sentenciou, fitando Cross sem expressão alguma - Ela tem alguém que realmente pode cuidar dela. E esse alguém não sou eu.

Sem deixar o irmão se pronunciar, se teleportou para fora da sala de reuniões. Dark sentiu o fluxo de magia e saiu do abraço, observando o local. Ao contrário do que pensavam, ela apenas deu de ombros pela saída do pequeno, levando Cross pela mão até uma cadeira, o híbrido se sentou e a ruiva continuou em pé, esperando todos sentarem e se silenciarem.

- Bom… Todos sabem a merda que aconteceu, não preciso falar tudo de novo. A questão agora é: temos que procurar Nightmare e Dream, são nossos alvos agora.

- E qual o plano? - Bryan se pronunciou, ele parecia o mais despreocupado do grupo inteiro; Dark já estava querendo matá-lo por sua falta de empatia.

- Vamos dividir em grupos todo o pessoal da base. Procuraremos primeiro pela União Soviética, Alemanha e Polônia. Depois partiremos para o resto da Europa. O grupo que achar Error deve nos avisar e começar uma operação de resgate imediatamente.

- Bom, não é uma id-

O som de estática da televisão interrompeu a fala do chefe da Smert, atraindo a atenção de todos ali. A imagem se estabilizou e todos ficaram alertas com o que viam pela grande televisão.

 

- Mudança de Local: ??? -

*Imagem: Sendo transmitida em tempo real para a sala de reuniões da Scarlet.

*Áudio: Ligado.

 

Error continuava deitado no chão, fitando o teto. Os aparelhos de retenção de magia ainda estavam ali e ele continuava a acumular magia em seu interior. O destruidor não duvidava que quando se soltasse seu fluxo de magia estaria mais forte que o normal.

Barulhos de passos foram ouvidos e ele se levantou desconfiado. A silhueta apareceu, metade de seu corpo sendo encoberto pelas sombras, impedindo a visão de quem era diante da câmera de segurança do local. Error rangeu os dentes ao reconhecer quem estava do outro lado das grades de ferro.

- Você… Então foi realmente você quem me trouxe aqui… - sua raiva aumentou e ele sentiu sua magia se ativar, sendo travada pelos aparelhos - Se essas merdas não tivessem em mim você estaria fodido.

A risada pesada e sarcástica foi ouvida. A silhueta se teleportou para dentro da cela e um tentáculo avançou em Error, o segurando e o lançando na parede antes que o destruidor pudesse reagir. O tentáculo o prendia e ele tentava se soltar inutilmente.

Outra risada. Nightmare o observava com um sorriso doentio.

- Oh, sério? Eu não diria isso se fosse você. Alguém pode acabar levando as consequências. - respondeu, dando um sorriso travesso.

De início Error franziu o cenho, confuso. Mas logo ele percebeu o que Nightmare queria dizer com aquela frase e ele sentiu seu sangue gelar, o desespero começando a tomar conta de sua alma.

- O que você fez com ele? - silêncio - O QUE VOCÊ FEZ COM ELE? FALA LOGO! O QUE VOCÊ FEZ COM O MEU INK DESGRAÇADO?! - Nightmare riu mais uma vez.

- Calma… O pintorzinho está a salvo, não mexi com ele. Ainda. - o destruidor semicerrou as órbitas, irritado - Mas quem disse que ele é seu? Vocês não namoram nem nada do tipo; Por que ele seria teu, destruidor? - ele engoliu em seco.

Nightmare tinha razão. Se arrependimento matasse, ele já seria pó. Deveria ter deixado o orgulho de lado e dito logo tudo o que sentia. Mas não. Foi idiota, quis ‘tudo no tempo certo’ e acabou tudo daquele jeito. Ink não era dele, mesmo que quisesse que fosse.

Ele deveria ter dado aquele maldito anel de compromisso antes.

- ...Você tá certo. Ele nunca foi meu. - admitiu, abaixando a cabeça e fazendo o ex-guardião sorrir superior.

- Que bom que entendeu. Assim ficará tudo mais fácil para meu irmão. - Error o encarou confuso e Nightmare riu - Que foi, acha que Dream está aqui sem motivo? Heh. O Ink logo logo vai ser dele… E eu posso até ver se você pode ser padrinho do casamento dos dois, o que acha? - o destruidor arregalou as órbitas.

- O quê?!

- Isso mesmo que você ouviu, destruidor.

Error ficou pensativo por alguns instantes, quando se lembrou de um detalhe importante. Nightmare e Dream era opostos, estavam brigados.

- O que você fez com o Dream, seu doente? - Nightmare fez como se arqueasse a sobrancelha - Eu sei que ele nunca faria isso. Esse não é o Dream. O que fez com ele? Vocês dois estavam brigados, eu sei disso.

Foi solto do tentáculo e caiu no chão sentado. O ex-guardião se teleportou para fora da cela e ficou o observando. Error preferiu não fazer nada e Nightmare deu de ombros.

- As pessoas são cegas quando estão apaixonadas. Ficam idiotas e viram presas fáceis. É simples quando se coloca o amor como uma moeda de troca, ainda mais quando esse amor não é correspondido. Dream ama o Ink. Incondicionalmente, Não preciso forçá-lo a me ajudar usando minha forma de pesadelo, ele me ajuda naturalmente. Para ele, eu mudei. Para ele, eu vou ajudá-lo. Para ele, se você morrer o Ink finalmente será dele. Eu “prometi” isso à ele, heh. - se virou de costas para a cela e saiu andando - Até nunca mais, Error Sans - e sumiu, deixando-o sozinho.

Tentou segurar as lágrimas em vão. Elas escorreram seu rosto em completa demonstração de desespero. Começou a soluçar, a aflição corroendo sua alma por completo. Ele precisava saber onde estava e sair dali. Rápido. Observou a janela com grades.

Ainda nevava

- Neve… - murmurou, pensativo - Eu estou realmente na União Soviética, mas… Onde? - suspirou, cansado - Ink… Me perdoa, meu amor. - disse em tom triste, como se alguém pudesse o ouvir.

 

- Mudança de Local: Sala de Reuniões da Scarlet -

 

A estática se fez novamente e a imagem sumiu. Ink soluçava e chorava sem parar, sendo acolhido por Paper Jam, que tentava acalmar o pai da maneira que podia. Cross, que apenas observava tudo em silêncio total, se levantou, chamando a atenção de todos.

- Coloquem todas as buscas pela União Soviética agora. Todos que estão aqui e quiserem ir estarão em um grupo só, os outros conseguem se virar. Temos que ir o mais rápido possível. Se precisarmos, invadimos o local onde ele está. Eu cuido de Nightmare.

- Você tem certeza que quer fazer isso? É perigoso e você não está em condições. - Dark se pronunciou, preocupada com o amigo.

- Olha… Eu sou o único que posso tentar. Eu sei que posso simplesmente ter sido feito de trouxa por ele, até porque o amor é cego e burro. Mas se em algum lugar, lá no fundo, o Nightmare sentiu pelo menos uma fração do que eu sinto por ele… Talvez eu possa fazê-lo mudar de ideia. Todos de acordo?

O grupo se entreolhou, assentindo logo depois. Cross foi até uma gaveta e vasculhou, pegando um papel e um lápis, indo até a mesa e estirando o papel sobre a mesma. Chara apareceu ao seu lado, invisível aos olhos dos outros ali presentes.

“Isso é suicídio Cross. Ele vai te matar.”

“...Pelo menos eu vou morrer por ele, Chara. E isso é a única coisa que importa para mim. Ele.”

- Ok… O plano é o seguinte...

 


Notas Finais


Já que é dia dos mortos...
Aproveitei para matar shipps e sentimentos :D

...An... Calma aí povo... Guardem essas facas... MONI, N FIQUE BRAVA COMIGO, OK? OK.
~pega escudo~
Dark: Tu tá muito ferrada.
Eu sei ;~;

Bom... Mas se eu morrer aí n tem a One SciFell, nem o Projeto da fic Sancest e nem o Projeto da fic que conta os Bastidores d Goldentale... entam acho que vou viver mais um pouco
Dark: Miga... Tu tá num potinho. Ce não tem muita escapatória.
Verdade... Ferrou ;~;

Welp, hora de ir se n vo morrer

~A Hug
Bye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...