História Tick Tock - Norminah - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Bruxaria, Camren, Dinah, Fifth Harmony, New Orleans, Normani, Norminah
Visualizações 84
Palavras 1.717
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Misticismo, Orange, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 15 - The Girl Called Jourdan Miller


Fanfic / Fanfiction Tick Tock - Norminah - Capítulo 15 - The Girl Called Jourdan Miller

THE GIRL CALLED JOURDAN MULLER - A GAROTA CHAMADA JOURDAN MULLER.

AMBER POV.

O sorriso da moça desconhecida, nomeada de Jourdan a minha frente revela uma superioridade e uma confiança em si mesma de dá inveja. Ela possui cabelos loiros que vão até um pouco mais abaixo dos ombros, perfeitamente ondulados. Seu corpo esguio, coberto por roupas de marca e joias deixam bem claro o motivo dela ser tão cheia de si.

Jourdan caminha lentamente atravessando a porta, causando sons de toc a cada passo devido ao seu enorme salto vermelho. O seu olhar cai sobre mim e eu sinto meu corpo congelar. Seu sorriso se desmancha e ela parece se perder em pensamentos enquanto me observa, se aproximando lentamente de mim.

- Am-Amber? - ela balbucia.

- Hmm... - eu olho para baixo por alguns segundos e depois volto a lhe encarar. - Olá.

Eu posso jurar que vi seus olhos se encherem de lágrimas por alguns segundos, antes de seu sorriso um tanto arrogante reaparecer, como se lembrasse de manter a sua postura. Ela pisca os olhos rapidamente, na tentativa certeira de eliminar as supostas lagrimas que eu tenho certeza que não descem há pelo menos uma década.

- Ora, ora. - ela diz. - Se eu soubesse que era um reencontro familiar, eu teria vindo mais rápido.

Eu a olho, confusa.

Ally, que até então estava apenas observando a cena, se aproxima e fica entre mim e Jourdan, que dá uma leve risada.

- O que foi, Allyson? Acha que eu irei machucar sangue do meu sangue?

A mais alta passa por Ally e chega ainda mais perto de mim.

- Amber. É ótimo te ver depois de tantos... anos? - ela fala pensativa. – Eu sou Jourdan.

Ela estende a mão para mim. Porém, Ally me olha em reprovação.

- Não pegue, Am. - diz ela.

Tia Minerva toma a primeira atitude desde que Jourdan chegou. Ela se aproxima de Ally, colocando sua mão no ombro da mais nova.

- Tudo bem, querida. - diz Tia Minerva. - Uma hora ela iria saber mesmo.

Ally olha para mim e depois para Jourdan. Ela suspira e se afasta.

Eu fico na duvida interna entre apertar a mão estendida a minha frente ou ignorá-la.

Tia Minerva me olha, balançando a cabeça em sinal de aprovação, enquanto Ally evita qualquer contado visual comigo ou com Jourdan, preferindo fitar o chão.

Olho para a moça a minha frente. Respiro fundo e decido corresponder o seu gesto. Afinal, o que tem de mais em um aperto de mão? Pra quê todo esse alvoroço?  

Eu estendo a mão e seguro a de Jourdan.

Nesse momento, uma luz extremamente clara acerta meus olhos, me obrigando a fechá-los fortemente. Uma enxurrada de informação cai sobre minha cabeça. Flashbacks de momentos da vida de Jourdan, da minha vida, são enviados dela para mim. É como uma conexão Bluetooth, mas incrivelmente rápida. Sinto-me como  um dispositivo recebendo inúmeros vídeos, fotos e textos de um HD externo.

Eu abro meus olhos e permaneço em silêncio absoluto por alguns segundos, tentando digerir todas as informações. Eu olho de Jourdan para Ally, de Ally para Tia Minerva e depois volto para Jourdan. Meus olhos esbugalhados de espanto se tornam cada vez maiores conforme eu vou compreendendo toda a atual - e passada - situação. Perguntas que eu tive durante todos os anos de minha vida são respondidas em questão de segundos.

O silêncio preenche toda a sala. Os olhos confusos de todas estão sobre mim e Jourdan, inclusive o de Ally, que finalmente se permitiu fazer tal ato.

A moça a minha frente continua com o sorriso no rosto, não parecendo nem um pouco cansada depois de transmitir inúmeras informações para mim alguns instantes atrás. Agora eu sei que esse é seu poder e ela parece controlá-lo muito bem.

Eu engulo em seco.

- Eu... você. - eu começo. - Nós... nós somos...

- Irmãs. – completa Jourdan.

 

ALLY POV.

- Ally! – exclama Amber, no momento que chegamos ao quarto. – Você sabia disso, não sabia?!

Eu apenas concordo com a cabeça.

- Por que você não me disse? – ela pergunta, parecendo mais irritada do que confusa. – Você poderia ter me dito!

Ela começa a andar de um lado para o outro pelo seu quarto, não olhando para mim. Eu sei que ela está certa, por isso, eu apenas me sento em sua cama e a observo caminhar e falar.

- Há quanto tempo eu estou aqui? – ela pergunta. – Um mês? Dois?

- Mais ou menos isso. – respondo baixinho.

Eu nunca tinha visto Amber alterada. Ela costuma ser quieta e gosta de passar despercebida, coisa que não acontece muito aqui desde que ela chegou. Sua voz nunca alcança uma altura muito alta e ela sempre termina as frases com um sorriso tímido. A verdade é que nesse momento, eu não poderia sentir nada além de orgulho da moça raivosa a minha frente. É a primeira vez que a vejo levantar a voz e expressar o que sente, o que me faz abaixar a cabeça e sorrir levemente, tomando cuidado para que ela não veja.

- E nesse tempo todo você nem se deu o trabalho de me contar que eu tinha uma irmã! Uma irmã também bruxa e ainda poderosa! Eu... eu...

Eu respiro fundo e exclamo:

- Amber!

Essa para abruptamente e finalmente me olha.

- Você... você está rindo de mim? – ela pergunta, antes de bater o pé no chão. – Ally!

- Não! – respondo, me levantando e indo até ela. – É que.. você fica ainda mais linda quando está irritadinha e gritando comigo.

Eu coloco seu rosto entre minhas mãos, fazendo com que a loira me olhe nos olhos. Por alguns segundos, ela parece tentar vencer a batalha contra o sorriso que tenta aparecer em seu rosto, mas logo desiste, me presenteando com a risadinha baixa mais linda do mundo.

Eu beijo gentilmente sua testa.

- Olha, eu sinto muito, Amber. – começo. – Eu sei que eu deveria ter te contado antes, mas eu tive meus motivos. Eu não gostava da ideia de você ter contato com Amber. Não me entenda mal, tenho certeza que ela possui alguma coisa boa. Mas, ela era uma das melhores amigas da minha mãe, se é que a Suprema tem a habilidade de fazer amizade com outro ser humano. Eu só queria te proteger, Amber. Eu não confio nela, mas por algum motivo, Tia Minerva confia. Eu não queria que você soubesse que sua própria irmã é parceira da bruxa que faria de tudo para te matar.

Ela me olha assustada e eu percebo imediatamente que eu deveria ter cortado essa ultima frase. Ela olha para baixo.

- Não, não, não. – eu falo. – Me desculpa, Amber. Eu... eu... Só toma cuidado, okay? 

 

AMBER POV.

 

Todos estão ao redor da mesa na Sala de Reunião. Pelo tempo que estou aqui, posso dizer que esse é o lugar de encontro das bruxas do clã sempre que algo ruim ou bom acontece. Porém, a chegada de Jourdan é algo que eu ainda não consegui classificar como positivo ou negativo. Essa, por sua vez, ainda nem chegou na sala. Todas olham impacientes para Tia Minerva, que está em pé ao lado da mesa.

- Meu sonho era ser importante o suficiente para deixar todo mundo esperando na Sala de Reunião. – comenta Joy, fazendo todas ao redor na mesa rirem, menos Ally ao mesmo lado. Ela se levanta e se aproxima de Tia Minerva

- Tia... Eu não gosto muito da ideia de entregar tudo o que sabemos nas mãos, literalmente nas mãos, de uma pessoa como Jourdan. – diz ela. – Por que nós vamos fazer isso?

- Porque, gostando ou não, vocês precisam de mim. – diz Jourdan, que acabou de chegar na sala, assustando todas ao redor.

- Infelizmente, Jourdan está certa. – responde Tia Minerva. – Seja bem vinda, Jourdan. Venha, sente-se.

Ela faz o que lhe foi pedido, se sentando bem ao meu lado. Eu tento segurar o impulso de olha-la, mas ela parece me hipnotizar, jogando fora meus esforços de ignorar sua presença. Ela pisca para mim antes de dirigir sua atenção para Minerva.

- Agora que todas estão presentes, eu irei explicar o motivo da vinda de Jourdan até nosso clã. – ela começa. – Primeiro, eu quero que todas vocês me escutem com atenção e obedeçam tudo o que eu disser.

Todas concordam com a cabeça, até mesmo Ally, se endireitando na cadeira e se aproximando ainda mais da mesa.

- Jourdan está aqui para nos fazer um favor. Ela será nossos olhos e ouvidos. Irá descobrir tudo o que Merida sabe sobre Amber e nos contará. Será nosso agente duplo.

Meu coração despenca. Eu não consigo falar nada, apenas mexo a boca, sem sucesso.

As palavras de Tia Minerva parecem tapear o rosto de Ally.

- Mas, mas... Como podemos confiar que ela não está fazendo o mesmo para Merida? – ela pergunta. – Ela pode estragar tudo!

Reclamações começam a surgir ao redor de toda a mesa. A voz de Ally e Lauren são as duas mais altas e eu posso ver Tia Minerva respirar fundo. Eu me encolho na cadeira. Não há nada de bom em ser o centro da discussão de bruxas, principalmente se essa discussão seja a respeito de algo que pode me matar ou me ajudar.

- Meninas... meninas... – ela começa, em uma tentativa sem sucesso de silenciar as vozes.

Jourdan se diverte com a situação, descansando sua cabeça em uma mão e observando a cena, que está cada vez mais alta.

- Garotas, por favor... – Minerva tenta novamente.  

É aqui que a paciência de Tia se esgota. Com um movimento rápido da mão esquerda, toda a sala congela. Menos a própria Tia Minerva. Ela se levanta da cadeira.

- Eu lembro claramente de ter dito para vocês apenas obedecerem o que eu mandar. Eu vou descongelar vocês, e eu não quero ouvir uma reclamação. – ela olha para Ally. – Nem uma reclamação.

Com um outro movimento, a cena descongela. As garotas que haviam ficado em pé se sentam um pouco envergonhadas.

- Ally, eu preciso que você confie em mim. Se não pode confiar em Jourdan, confie em mim. Amber não e só importante para você, ela é para todas nós. Você precisa nos deixar cuidar dela também. 

LEIAM  AS NOTAS FINAIS


Notas Finais


A personagem de Jourdan Miller é inspirada em uma modelo norte-americana que também se chama Jourdan Miller (apenas a aparência, porque a personalidade é diferente aueh). Ela parece com a Ana Mulvoy Ten (atriz e modelo que eu me inspirei pra criar a Amber) e elas têm o mesmo sorriso aaaaaa <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...