História Till the Death do Us Unite - Capítulo 15


Escrita por: ~ e ~anahyun

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, Tao, V, Xiumin
Tags Chanbaek, Hunhan, Jikook, Kaisoo, Namjin, Sulay, Taoris, Xiuchen, Yoonseok
Visualizações 306
Palavras 2.149
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLÁ
ENTAO
Estamos super felizes que não nos mataram (amamos vcs), então ai está mais um capítulo cheiroso e lindo :3
Tenham uma ótima leitura <3

Capítulo 15 - Please don't


  P.O.V Jungkook

 

  Minha vontade de ir para a aula estava mais que abaixo de zero. Ela era igual a de ficar lá sentado na mesa do restaurante ouvindo mais uma das discussões bestas dos meus amigos. Eu havia saído do apartamento mais cedo, sem acordar Jimin. Talvez ele estivesse cansado e estressado, por isso achei melhor deixá-lo dormindo, assim ele poderia descansar a mente e acordar mais disposto. Por que eu ainda me preocupo? Nem eu sei.

  — Jungkookie. JUNGKOOK! — Acordei de meus devaneios com um Taehyung gritando em meu ouvido. — Acorda amigo, você está viajando durante o café da manhã inteiro.

  — Ah, me desculpe Tae. — Sorri pequeno. — Prometo prestar atenção, sobre o que estavam falando? Digo, discutindo?

  — Esse idiota deixou a toalha molhada em cima da cama! — Exclamou Hoseok apontando para Taehyung. — E depois ainda fala que eu que faço bagunça no apartamento, por favor!

  — Xiu querido, eu fiz um dia, você faz toda hora ok? Moral lá embaixo. — Tae botou os dedos na frente dos lábios, como quisesse que o mais velho se calasse. Apenas ri fraco de toda a situação, eram sempre motivos bestas.

  — Ok, pode começar. — Yoongi se pronunciou, olhando fixamente para mim. O encarei de volta, nitidamente perdido.

  — Começar com o que?

  — Não se faça de idiota. — Revirou os olhos. — Está na cara que algo te abalou, vamos, conte.

  Vi que todos esperavam uma resposta da minha parte, me encaravam como se eu fosse um réu em um julgamento. Me assustou.

  — N-não é nada. — Tentei mentir, mas não consegui.

  — Você não sabe mentir pirralho. — Yoongi balançou a cabeça negativamente. — Apenas bote para fora. — Ponderei por alguns instantes, eles eram meus amigos, eu podia confiar não podia?

  — Tudo bem. — Suspirei alto, vendo todos se ajeitarem melhor nas cadeiras para ouvir minha resposta. — Jimin meio que brigou comigo ontem à noite, e eu estou triste e preocupado. É isso.

  — Só isso? Você está com essa cara de cu murcho desde que nos encontramos no apartamento por causa disso? — Hoseok riu baixo. — Você tem problemas meu caro. — Bufei, ótima ideia contar, parabéns Jungkook.

  — E eu acho que sei qual o nome desse proble-ma! — Cantarolou Taehyung.

  — Sim, se chama retardo. — Completou Yoongi, recebendo um tapa meu no seu braço em resposta. — Ai caralho, desculpa.

  — Não, seus insensíveis. Não é nada disso, é algo muito mais mágico e lindo! — Ok, eu estava mais assustado ainda naquele momento, pois ele levantou da mesa dando rodopios ao redor dela, e até mesmo alguns pulinhos.

  — Tae você é estranho. Senta, vamos. — Disse puxando-o pelo braço para que sentasse logo.

  — Se eu sou estranho você é um chato ok?

  — Taehyung, termine o que disse por favor? — Pediu Hoseok ao garoto.

  — Ah sim! — Sorriu grande e ajeitou-se também na cadeira.

  — O probleminha que nosso amado Jungkookie tem meus amigos, sabem qual é? — Passou um braço ao redor do meu pescoço me puxando para perto, abrindo bem o outro braço e gritando para qualquer um ouvir.

  — ELE ESTÁ APAIXONADOOOOOOO! — Todos viraram para olhar, mas vendo que se tratava do irmão do Baekhyun, logo deixaram de dar importância.

  Graças aos céus porque eu estava mais vermelho que, que, ah, não sei o que mas era muito.

  — TAEHYUNG! — Me assustei ouvindo o tom que havia usado, então corrigi. — Tae, não fale essas coisas, mas que merda!

  — Ele tá xingando, quer dizer que é verdade! — Hoseok se animou. Não creio. — Tá apaixonadinho pelo Park, ai gente que gay.

  — Então é por isso que você está chateado hm? — Yoongi se debruçou na mesa, rindo sozinho. Pronto, agora eu estou ferrado.

  — Calem a boca. — Pedi irritado, fazendo todos se calarem. — Eu não estou apaixonado por ele tudo bem? Só fiquei assustado porque ele nunca havia sido daquele jeito comigo. Ele foi rude, grosso e gritou comigo! — Apoiei a bochecha em uma das mãos. — Eu não quero que ele fique bravo comigo, por isso eu me preocupo.

  — Kookie, nos desculpe, mas você está realmente apaixonado. — Hoseok iniciou. — Por que diabos você ficaria tão triste por uma simples briga? Veja só, eu brigo com o Tae todo dia e nem por isso me abalo.

  — ENTÃO VOCÊ NÃO GOSTA DE MIM HOSEOK? É ISSO? — O garoto levantou incrédulo da mesa, colocando as mãos na cintura e se parando na frente do outro. — ACHEI QUE FÔSSEMOS AMIGOS. TUDO BEM, TUDO BEM, ADEUS. — E saiu, jogando cabelo, como sempre.

  — Ah não acredito cara. — Yoongi se levantou também, fazendo a maior cara de desgosto. — Vou lá encontrá-lo, tenho a primeira aula com ele e não estou a fim de ficar ouvindo os papinhos dos outros alunos. Vejo vocês mais tarde, e Kook. — Pausou seu olhar em mim. — Você nos deve uma explicação melhor. 

  Encarei um ponto fixo na mesa, pensando em como eu me explicaria melhor. Poxa, já havia dito tudo que havia para falar. Mas eles ainda achavam que eu estava apaixonado pelo Jimin, vê se pode?

  Pode?

  — Olha Jungkook. — Virei-me para Hoseok que ainda estava ao meu lado na mesa. — Não tem problema você estar gostando dele, não mesmo. É normal, todos sabemos disso. Só quero que saiba que qualquer coisa, estamos aqui para você ok? Pode nos contar tudo, pode chorar, desabafar, qualquer coisa mesmo. Não deixe isso sobre o Jimin te abalar, aposto que ele só tinha tido um dia ruim. — Ele afagou meus cabelos, sorrindo de imediato. O sorriso dele é contagiante, não pude evitar sorrir também. Mas meu sorriso logo murchou quando lembrei dos gritos, ainda ecoavam em minha cabeça como em um pesadelo.

  — Eu não consigo Hobi. — Chamei-o pelo apelido que havia dado a ele. — As coisas estavam indo bem, estávamos mais amigos e conversando mais. Naquele dia mesmo ele havia sido extremamente gentil comigo mais cedo, por que mudar de humor tão de repente?

  — Talvez ele viu ou sentiu algo que o deixasse mal, não sei Kookie. Mas não deve ser nada demais.

  — Nada demais? Ele quebrou o espelho Hoseok! — Esbravejei, vendo o mais velho arregalar os olhos em espanto. — Ele socou o espelho, quando o encontrei estava tão em choque que não disse uma palavra. Eu estou com medo por ele, o que de tão ruim pode ter acontecido? Eu não gosto, eu não quero o ver mal nem bravo Hobi. Estávamos tão próximos naquela noite, eu não entendo... — Baixei a cabeça, brincando com meus dedos.

  — Sabe Jungkook, acho que você agora deve dar um tempo para ele. Não sei o que aconteceu, mas ele teve um motivo, e se não quer contar, que não conte. Deixe ele se entender sozinho, será melhor. E viu. — Levantou-se e sorriu abertamente. — Você está caidinho por ele mesmo. — E saiu correndo, sabendo que eu iria atrás e foi o que fiz.

  Corremos feito loucos pelo campus inteiro, entre risadas e xingamentos, até chegar no prédio da Água. Subimos até a sala e não vi Jimin, pelo visto ele ainda não tinha chegado. Mas então escutei aqueles sons irritantemente finos vindos do corredor, e vi que Hoseok já revirava os olhos.

  Eu não olharia para aquele bando de garotas normalmente, mas algo chamou minha atenção. Elas estavam mais inquietas que o normal, estavam, animadas? Eis que, vi o motivo da animação delas.

  Park Jimin entrou calmamente na sala, sendo seguido pelo bando de desesperadas barulhentas. Meus olhos fixaram-se nele desde então. Não consegui desviar uma única vez, ele estava conversando com elas? Ele estava sendo gentil com elas?

  — Ele disse que não gostava delas. — Falei comigo mesmo, chamando a atenção de Hoseok ao meu lado, que olhou na mesma direção que eu encarava. — Ele disse que não falaria com elas, ele disse que elas eram idiotas, ele disse Hoseok!

  — Calma Kookie. — Me olhou por um instante. — Ele deve estar só dispensando elas e... — Sua fala morreu quando uma expressão de surpresa tomou sua face. Voltei a encarar o bando de garotas e me arrependi de ter me virado.

  Naquele exato momento Jimin puxou uma delas pela cintura, colando muito seus corpos. Todas as outras reagiram surpresas, e a garota que ele havia puxado soltou um grito mais como um gemido, o que fez com que Jimin sorrisse para elas. Ele sorriu para elas? Ele a segurava forte, como se gostasse. Ele estava gostando? Então, sussurrou algo no ouvido dela, que fez com que todas as outras gritassem alegres e dessem até mesmo pulinhos.

  Eu não acreditei que ele ia ficar mesmo com elas. Eu não acreditei que ele tinha me abandonado por um bando de garotas desesperadas. Eu não quis acreditar que ele havia descumprido o que tinha dito. Eu não pude acreditar que ele havia mentido.

  Era uma coisa boba, eu sei, mas eu senti algo como um baque dentro de mim, como se algo se quebrasse em diversas partes. Como se meu mundo estivesse caindo e se quebrando. Eu senti como se alguma coisa em mim desmoronasse e levasse tudo consigo.

  Eu já estava com lágrimas nos olhos e punhos cerrados quando Jimin se virou para mim. Ele me olhava como se me provocasse, como se dissesse explicitamente o quanto eu fui idiota. Seus olhos estavam frios, mas sua expressão era de espanto. Senti a mão de Hoseok em meu ombro, e fechei os olhos. Eu não choraria, não agora. Quando ergui a cabeça pude vê-lo.  Ele simplismente se virou, e andou com as garotas até o outro lado da sala.

  — O oppa vai ficar com a gente hoje? — Pude ouvir uma delas perguntar atônita. — Não vai ficar com aquele esquisito lá? Digo, com o Jungkook-ah? — Falou baixo mas pude ouvir, a sala estava silenciosa o suficiente.

  — É verdade Jimin, não vai ficar com o fracote lá atrás? — Um dos garotos do outro dia perguntou ouvindo a conversa. — Pensei que você fosse amiguinho dele, ainda bem. Vai que você pega essa doença dele e seus poderes acabam? — Riu, sendo acompanhado pela sala inteira.

  Não me importei com as risadas, até ouvir uma em específico. 

  Não.

  Não podia ser.

  Segui o som com a cabeça até comprovar o que havia pensado.

  Era Jimin.

  Rindo com os outros. Rindo de mim.

  Ele estava rindo de mim? Ele estava rindo com o garoto que ele disse sentir raiva? Não. Não, aquilo não podia ser verdade.

  — Jungkook... — Escutei a voz de Hoseok ao longe, mas agora isso não importava. Jimin estava rindo. E aquilo era muito mais humilhante que qualquer uma das piadas que já havia escutado. Doeu muito mais que qualquer soco que já havia recebido.

  Senti as lágrimas já molhando minha face, não pude evitar. Ele tinha prometido me proteger, ele tinha prometido estar sempre do meu lado. Por que?

  Virei-me abraçando Hoseok com toda a força possível, recebendo um forte aperto e um afago em resposta.

  — Shh... Calma. Logo eles param, não dê bola. — Falou baixo em meu ouvido.

  — Mas não são eles. É ele. É ele Hoseok. — Segurei ainda mais forte o tecido da camiseta do mais velho, que suspirou baixinho. — Ele está rindo com eles, eu não quero ver isso, não quero Hoseok. Eu não consigo...

  — Hey. — Desfez o abraço para olhar em meus olhos. — Eles já pararam, viu só? — Passou o polegar pela área embaixo dos olhos, limpando os rastros de lágrimas que ainda estavam ali. — Está tudo bem hm? Eu sei que deve ser difícil, mas tente não se importar ok? — Disse gentil, tentando me acalmar.

  — Ok. Não vou. — Respirei fundo, limpando o rosto e afirmando com a cabeça. Ele sorriu, e vendo que o professor já havia chegado, se posicionou.

  — Quer que eu fique aqui com você? — Perguntou.

  — Não, eu vou ficar bem. Pode ir. — Lhe sorri fraco, e depois de confirmar mais algumas vezes que eu estava bem, Hoseok foi para o ambiente da Terra.

  Eu não sabia mais o que fazer ou pensar. Eu estava confuso, nervoso, com medo, dúvidas, era demais para a minha cabeça. Eu só queria parar de sentir tudo isso, queria simplesmente apagar todos esses sentimentos, tudo isso que eu estava sentindo.

  Tudo que eu sentia por Jimin.

  Tudo que eu agora sabia que sentia.

  Tudo que a partir daquele dia havia ficado claro como a água, que havia ficado cada vez mais impregnado em minha mente. Eu queria apagar, mas não conseguia. Não acho que eu conseguiria se tentasse. Aquilo me assustava, era uma palavra forte demais, significativa demais.

  O amor pode ser complexo. Pode vir lento, como uma gota de água da chuva que desce pelo vidro de um carro. Ou pode vir rápido, como a própria chuva que cai sobre nós. Não se sabe como ou quando ele vem, só se sabe que está ali. E não sairá tão facilmente.

  Em tal caso, ele não iria embora. Nem que quisessem, nem que tentassem o empurrar na mais profunda escuridão, ele permaneceria ali. Aceso, intenso, forte.

  Aceso como uma vela que nunca se apaga.

  Intenso como o sentimento que permanecia pairando entre os dois.

  Forte como a ligação que mantinham. E que nunca se romperia.

  Apenas se fortaleceria.


Notas Finais


GENTE PENSEM PELO LADO BOM
AGORA OS DOIS SABEM
E CONHECEM
SEUS SENTIMENTOS
Não vamos nos prolongar muito aqui também, então até sexta-feira amores <3
:***


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...