História Time Machine - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Girls' Generation
Personagens Hyoyeon, Jessica, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Seohyun, Sooyoung, Suga, Sunny, Taeyeon, Tiffany, V, Yoona, Yuri
Tags Kookyeon
Visualizações 11
Palavras 2.106
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Crossover, Fluffy, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oieeee turo bom?
Então gente eu fiz essa fic mas eu pretendo não deixar ela muito longa, tipo não vai passar de 10 caps, é só pq se eu fosse fazer oneshot iria sair uma bíblia.
Bom eu sei que na vida real os dois tem uma GRANDE diferença de idade, mas é que os dois são meus bias então eu quis fazer essa fic com eles.
Sem mais enrolações... boa leitura.

Capítulo 1 - Capítulo I - Mudanças


Fanfic / Fanfiction Time Machine - Capítulo 1 - Capítulo I - Mudanças

Era mais um dia... apenas mais um dia em que eu teria que fazer tudo que faço todos os dias, mais um dia monótono em que eu teria que ir à faculdade, voltar para casa e fazer absolutamente nada.
O despertador tocou, o desliguei e fiquei deitada em minha cama olhando para o teto branco sem graça de meu quarto, pensando se deveria ou não ir à aula, pois a preguiça me dominava naquele momento, mas esses pensamentos foram embora quando minha mãe adentra meu quarto e abre as janelas fazendo a claridade vir de encontro a meu rosto me fazendo o cobrir com a coberta.

- Anda vai vai vai, você vai se atrasar Taeyeon.

- Omma - falei manhosa - Não quero ir hoje.

- Eu bem que deixaria se esse não fosse seu último dia de aula. - Me sentei rapidamente na cama.

- Pera, último dia de aula?

- Nós vamos em bora Tae.

- Como assim? E a senhora nem me avisou. - Falei meio indignada.

- Desculpe filha mas tinha muita coisa acontecendo, seu pai foi transferido para Seul, vamos voltar para a Coréia... ande se arrume ou vai se atrasar- ela deixa um beijo em minha testa e sai do quarto fechando a porta. 

Continuei sentada na cama olhando para a janela e pensando: "Voltar?", "Coréia?".

Pois é, não moramos na Coréia, que eu me lembre sempre moramos no Japão.

Bom eu não me lembro de meu passado, já morávamos aqui quando eu sofri um acidente, minha mãe disse que eu fiquei em coma por dois anos,- não faz muito tempo desde que acordei, faz alguns meses- o médico disse que eu poderia recuperar minha memória com o tempo, mas também tinha a possibilidade de não voltarem, minha mãe vez ou outra comenta sobre algumas coisas que fiz quando pequena mas, sempre que ela fala sobre coisas assim eu não sou capaz de me lembrar e fico frustrada, eu queria muito me lembrar mas infelizmente não consigo.

Saí de meu pequeno transe, o que parece que demorou um pouco e olhei o horário.

- Meu Deus.

Saí em disparada para o banheiro fiz minhas higienes, coloquei uma roupa, pentiei o cabelo, peguei minha mochila e desci, peguei apenas um pão para comer no caminho e saí correndo.

Chegando na faculdade estava quase na hora de o sinal tocar. Adentrei o local e fui direto para minha sala, minhas amigas estavam lá, me sentei perto delas e comecei a conversar, o sinal bate anunciando o início das aulas daquele dia.

Geralmente eu presto atenção nas aulas mas hoje não consegui me concentrar, fiquei tentando lembrar das poucas coisas que minha mãe me contou sobre mim quando eu era pequena, ela havia falado que eu tinha um melhor amigo e nós ficávamos grudados, também falou que fomos amigos até completarmos 13 anos, então ele teve que ir embora para outra cidade e logo nós nos mudamos para cá. Fiquei curiosa, será que quando eu voltar vou vê-lo? Será que se eu o ver serei capaz de me lembrar de algumas coisas?

Depois que as aulas finalmente acabaram chamei minhas amigas em um canto e contei a notícia a elas, as mesmas ficaram tristes mas aceitaram, ja que não tinha o que fazer. Me despedi delas e fui para minha casa, minha mãe já estava começando a empacotar algumas coisas.

- Cheguei.

- Ah oi filha- me deu um beijo e voltou a empacotar as coisas.

- Quando nós vamos? 

- Amanhã.

- Já? 

- Sim, já vá arrumando suas coisas.

- Ok.

Fui para meu quarto e me troquei, coloquei um roupa confortável, peguei algumas caixas no andar de baixo e comecei a embalar. Tinham coisas lá que eu nem me lembrava que eu tinha- obviamente por causa do acidente- cadernos sem usar, livros que não lembro de ter lido, canetas e eu acabei encontrando umas fotos minhas de quando eu era pequena, e tinham algumas- a maioria- que tinham um menino, deve ser ele o meu tal melhor amigo que minha mãe falou, guardei na caixa com cuidado e então fui para as roupas. Peguei a roupa que iria usar, era uma calça jeans, moletom rosa e uma botina branca, deixei separado em um canto e coloquei as outras roupas em malas.

No dia seguinte acordei com o insistente som do despertador, o desliguei e fiz o que faço todas as manhãs, coloquei a roupa que havia separado e desço, vendo minha mãe na cozinha, dei bom dia e me sentei a mesa para tomar café, após isso fui para meu quarto terminar de arrumar algumas coisas. 

Depois de algumas horas já estávamos no avião indo para Coréia.

A única coisa com a qual fiquei preocupada foi com a faculdade, eu estava no segundo ano da faculdade de música e participava do grupo de dança, não sabia se ia ter que começar tudo de novo, eu realmente não queria isso, mas perguntei para minha mãe e a mesma disse que lá tinha a mesma faculdade e o dono era o mesmo, então era apenas apresentar alguns documentos e minha carteira de entrada da faculdade que eu conseguiria ir para o ano em que estou. Fiquei mais aliviada, agora conseguiria ir tranquila.

Chegando lá fomos para a nossa casa, minha mãe disse que já havia comprado a casa ha um tempo, para quando voltássemos.

Depois de algumas semanas já estava tudo em casa e eu já estava me acostumando. Hoje iríamos ver a faculdade e apresentar os documentos.

Chegamos na faculdade e fomos recebidos pelo reitor de lá, fomos para sua sala e apresentamos os documentos, então este nos levou para vermos melhor o local. 

Estávamos em um corredor e enquanto eu andava, eu sentia alguém me observando, olhei para frente e pude ver um garoto que me olhava com espanto mas ao mesmo tempo... feliz, tinham algumas lágrimas em seus olhos, parecia que ele estava emocionado em ter visto algo ou alguém, me virei para trás mas não vi nada, voltei meu olhar para o garoto, confusa, e o fitei por um tempo, ele era bonito, tinha olhos escuros e cabelos castanho escuro, pele bem clara e pude ver uma pequena cicatriz em sua bochecha esquerda.

Olhando melhor para seus olhos e sua cicatriz ele me pareceu familiar, muito familiar. Sabe quando você sente que já viu uma pessoa mas não só viu como conviveu com ela, mas não sabe se o conhece? Me senti daquele jeito.

Minha mãe me chamou e então saí do meu estado de transe e voltei minha atenção a ela que falava para voltarmos para a sala. Olhei uma última vez para o menino e agora ele fiatava minha mãe, ele tinha o olhar de quem queria ser notado, enquanto eu o olhava minha mãe se virou para ver o que tanto eu observava.

- Tae o que tanto você fica encarando? 

Quando ela se vira parece ficar surpresa, ela lança um sorriso para o garoto que parece ficar aliviado com sua atitude.

- Vamos.

Acenti e então fomos, eu não estou entendendo mais é nada aqui. Minha mãe o conhece? Por que ela sorriu para ele? Por que ele ficou tão surpreso ao me ver? E por que ele parecia que ia chorar?

Sinceramente, não entendi nada.

Voltamos para a sala do reitor e ele falou que se eu quisesse poderia começar amanhã. Ah com certeza que vou vir, preciso saber quem é aquele menino e o por quê de ele ter agido de tal maneira.

No caminho de volta para casa o carro estava em completo silêncio, se ouvia apenas o chiado do rádio que nada tocava. 

- Mãe...

- Sim?

- Você... conhecia aquele menino de hoje cedo?

- Ah, sim ele é filho de uma amiga minha.

- Ah.- agora faz sentido, parte da história, agora quero saber por quê ele parecia surpreso e com cara de quem ia chorar quando olhou para mim.

No dia seguinte, acordei antes de o despertador tocar, não consegui dormir muito bem, pois estava ansiosa, não só por ir à faculdade "nova" mas eu também queria saber sobre aquele menino que tanto me entrigou.

Me levantei, fui ao banheiro e me troquei, coloquei um short branco não muito curto, uma camiseta estampada e coloquei um tênis, peguei minha bolsa junto de meus livros e saí.

Chegando a faculdade, entrei com o cartão de entrada e fui até a sala do reitor, pois pegaria meus horários com ele. Bati três vezes na porta e ouvi um "entre" vindo de dentro, adentrei o local e ele me olhou e disse.

- Ah você é a nova aluna?

- Sim.

- Que bom que veio hoje, assim não perderia muita coisa. Bom sente-se, vou te dar os horários de suas aulas- me sentei e ele pegou uma pasta- Acredito que você já saiba das regras daqui não é?- acenti com a cabeça- Ótimo, aqui está.

Peguei o papel e ele me dispensou, fui para minha sala e quando entrei vi dois garotos, e um deles é o menino daquele dia, ele percebeu minha presença e me fitou, então me sentei em um lugar um pouco longe e logo o sinal tocou e as pessoas entraram.

Durante toda a aula senti que estava sendo observada, me virei para trás e vi aquele menino me encarando, talvez seja melhor deixar minha curiosidade sobre ele de lado, ele já está me incomodando apenas com seu olhar.

No intervalo umas meninas me pararam e falaram para eu almoçar com elas, aceitei. Comemos e conversamos por um tempo, como temos duas horas de intervalo- por ser horário de almoço- depois que saí da mesa fui conhecer a faculdade.

Estava andando "perdida" por lá e achei um jardim perto dos corredores, tinha uns bancos e algumas árvores espalhadas com flores pequenas em volta, me sentei em um banco e fiquei admirando o lugar, coloquei meus fones de ouvido, mas não muito tempo depois senti uma presença atrás de mim, me virei e levei um susto.

O que aquele menino estava fazendo lá? 

- Calma eu não sou um monstro.- fiquei calada o olhando e ele senta ao meu lado, me encara e começa a falar- Então... a quanto tempo.

- Quem é você? 

- Como assim quem sou eu? Jeon Jungkook, seu amigo.

- Amigo?

- É, não se lembra de mim?

- Não.

- Ah qual é? Somos amigos desde sempre, como você conseguiu me esquecer?

- Desculpa mas... eu não te conheço.

Depois que falei isso ele pareceu ficar meio abalado, mas não deixou transparecer muito. Deixei um suspiro escapar e tratei logo de dizer.

- Nós somos amigos?- acentiu- Desculpe mas... eu não me lembro.

- Como?

- Eu sofri um acidente enquanto estava longe, e eu não me lembro de nada de meu passado.

- Ah... bom, mas nós somos amigos.

- Somos?

- Sim.

- Como posso ter certeza? - de certa forma eu não estava tão convencida de que ele era meu amigo.

- Bom... 

- Olha desculpe mas, eu não acho que sejamos amigos.- disse já levantando.

- Mas nós somos.- Se levantou e começou a me acompanhar.

- Eu preciso ir, tchau. 

Saí de lá o mais rápido possível, ele deve ser só mais um daqueles caras que fica dando em cima de toda garota que vê pela frente, mas ele também pode estar dizendo a verdade. Fui para a sala e o sinal bateu, as aulas voltaram a acontecer e logo elas acabaram.

                         ¤¤¤

Nos últimos dois meses Jungkook tem ficado no meu pé, dizendo sempre a mesma coisa, será que ele não entende que eu além de não confiar, eu não me lembro de NADA? Cheguei mais cedo na faculdade hoje, então fui ver se ele já estava lá, e sim, estava. 

- Posso falar com você?

Ele acentiu então fui em sua direção e me sentei na carteira a frente dele.

- Por que fica me seguindo?

- Eu só te "sigo" -Fez aspas com as mãos- aqui na faculdade. 

- Mas por quê?

- Porque... eu acho que se fizer isso você talvez se lembre.

- Não tem como.

- Talvez tenha.

- Como?

- Passe um dia inteiro comigo.

- O que?

- É. Passe um dia inteiro comigo e veja se você se lembra de algo ou o que fizermos for familiar, caso contrário eu paro de te incomodar.

- Se eu aceitar, você vai parar?

- Só se você não se lembrar de nada.

- Ta. 

- Ok então depois que sairmos vou te levar pra um lugar então me espere no portão.

Acenti e então ele foi para fora da sala me deixando sozinha.

Depois do último sinal, peguei minhas coisas e saí, então fui para o portão esperar Jungkook, o que não demorou muito.

- Vamos? - perguntou animado, então apenas acenti. Pegou em minha mão e fomos até uma praça que me lembro de já ter vindo aqui alguns dias atrás, e eu senti que já havia vindo bem antes, mas ignorei isso aquele dia, agora estou curiosa.


Notas Finais


Gente vou falar sobre uma coisa sobre a fic, sempre que eu for postar um capítulo vai ser da visão do Jungkook e no outro capítulo na visão da Taeyeon.
Bom gente foi isso espero que tenham gostado e até o próximo capítulo tchauu.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...