História Time to Change - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens JB, Youngjae
Tags 2jae, Got7, Youngjae
Exibições 109
Palavras 1.072
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Cheguei monamus.
Eu tô tão feliz com esse capítulo, queria escrever ele desde do começo da fic.
Não me matem pelo amor de Min Yoongi.
Aproveitem a leitura.

Capítulo 27 - Feliz Ano Novo


Fanfic / Fanfiction Time to Change - Capítulo 27 - Feliz Ano Novo

JB

 

Chan Hee me abraçou e voltou para dentro, os fogos iam começar em alguns minutos e decido por meu plano em prática, fico pensando no que Chan Hee me falou:

            - Eu falo para eles que você está bem, eu sei que você vai estar em um lugar melhor.

Seguro o choro e penso: “Parece que aquele pirralho lê mentes”.

Primeiro vou em meu quarto e pego a heroína que tinha comprado do meu antigo colega de escola aqui de Seul, uma garrafa de whisky, meu canivete, vejo o porta-retrato que Chan Hee comprou para mim e colocou uma de nossas fotos no parque e me deu de natal; tiro a foto do porta-retrato e coloco-a no bolso da frente da mochila, guardo o celular no bolso e desço para o escritório de meu pai.

Quando chego no térreo vejo que estão todos lá fora assistindo os fogos do ano novo, entro no escritório e coloco uma cadeira na porta para ninguém entrar. Subo no sofá e tiro um quadro da parede e coloco no chão, olho para o cofre e sorrio:

            - Appa, acho que você vai ter um prejuízo.

Digito a senha do cofre e lá encontro milhares de wons, ponho tudo na mochila, fecho o cofre novamente e coloco o quadro no lugar, tiro a cadeira da porta e saio sem ninguém perceber.

Me dirijo aos fundos da casa e saio pela porta dos fundos, quando olho para trás vejo Chan Hee sentado em um banco brincando com o seu boneco do Capitão América, respiro fundo para não voltar atrás.

Pego o ônibus que leva a estação de trem de Seul sei que lá tem uma locadora de carros; quinze minutos depois estou na porta da estação, entro na rua de trás onde fica a locadora de carros:

            - Queria alugar um carro. – digo nervoso.

A moça sorri para mim e diz:

            - Tem preferência por algum modelo ? – pergunta.

            - Pode ser o Kia Soul. – digo.

Ela faz o contrato para mim, assino e pago o valor do aluguel.

            - Senhor... você parece nervoso... tem certeza de quer dirigir ? – a atendente pergunta.

Olho para ela e começo a rir:

            - Eu não estou nervoso, eu estou ESGOTADO, cansei dessa vida. – digo. – Você já fechou a loja eu sou seu último cliente, vá para casa aproveitar o ano novo com sua família por que para mim o ano novo chegou ao fim. – digo.

Acho que assustei a garota e ela sai correndo.

Coloco a mochila no banco da frente, pego o whisky e a heroína e entro no carro. Ponho o celular no guarda-luvas e tomo um gole do whisky, minha visão já estava meio embaçada por causa de tudo que eu bebi em casa, injeto a heroína em meu braço e começo a chorar.

Fico ali parado com o carro no estacionamento por uns dez minutos, respiro fundo e ligo o carro:

            - JB, você está fazendo o melhor para você. – digo para mim mesmo.

Pego a estrada que leva para Mokpo, bebo quase a garrafa depois de uma hora de viagem; estou indo bem devagar porque sei que essa é minha última viagem.

Injeto mais heroína mas me controlo para não colocar demais; eu preciso chegar a Mokpo.

Durante a madrugada paro em um posto e compro cerveja, volto para o carro e durmo lá dentro, acordo por volta de quatro e meia da manhã e pego a estrada novamente.

Reparo na estrada e na paisagem e vejo como me apeguei a Mokpo e a Youngjae e eu ia desistir de tudo isso por causa de meu pai porque ele conseguiu o que ele queria, destruiu minha vida.

Paro no acostamento porque me sinto enjoado e vomito no chão, volto a chorar, acho que precisava colocar todos meus sentimentos para fora e eles estavam saindo em forma de lágrima:

            - Eu... sou um lixo. – digo para mim mesmo.

Ia dar 6h00, mais uma hora de viagem eu chegaria em Mokpo, ouço meu celular tocar, pego-o no carro e vejo o número de Chan Hee, desligo, se eu atendesse e ouvisse a voz dele eu iria desistir e voltaria para Seul como um cachorro que fez arte e vai pedir desculpa pro dono, eu não podia dar mais essa satisfação para o meu pai, ele me culpa pela morte de minha mãe, ele me interditou alegando que sou louco, quase caso a força com Hani se fico mais um dia em Seul... ele destruiu o meu namoro com Youngjae.

Ah Youngjae... me desculpe fazer isso eu sei que você não vai entender no começo mas você tem Mark e Junior para te consolarem e você vai encontrar alguém menos complicado que eu para vocês viverem um amor juntos.

Coloco meu óculos de sol e volto para dentro do carro, continuo minha viagem.

Depois de uma hora chego em Mokpo, observo a cidade pela última vez, paro em uma vaga em um lugar deserto e tiro meu canivete da bolsa; eu tinha parado com isso por causa de Youngjae mas agora que não poderíamos mais viver o nosso amor, passo o canivete em minha perna e observo o sangue escorrer, passo o canivete e faço um corte um pouco profundo demais:

            - Aish...

Sigo de volta para a estrada, pego o meu celular e vejo uma mensagem de Chan Hee:

“Eu te amo JB Hyung”.

Ligo para Youngjae e cai na caixa postal, enquanto deixo a mensagem entro no centro de Mokpo, não consigo me controlar e começo a chorar enquanto deixo a mensagem para Youngjae:

            - Jae... meu amor... me desculpa está fazendo isso... eu ... não desisti do nosso amor... eu desisti de mim, não posso mais continuar com isso... meu pai me interditando e alegando que eu sou louco... talvez eu seja... e meu casamento arranjado com a Hani... se fosse para casar com alguém a única pessoa que eu casaria seria você... eu te amo Youngjae... me perdoa...

Pego a foto de Chan Hee no bolso da mochila e volto a gravar a mensagem para Youngjae:

            - Diga para Chan Hee que eu o amo.

Deixo o celular gravando em uma das mãos seguro a minha foto e de Chan Hee e com a outra no volante acelero o carro, a última coisa que sinto é o impacto contra o poste no meio da praça da cidade e minha cabeça batendo no volante.


Notas Finais


E ai o que acharam ?
O título desse capítulo foi meio irônico né ?
Vamos esperar e ver o desenrolar dos próximos capítulos.
Beijos de luz para vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...