História Time to love - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dylan O'Brien
Personagens Dylan O'Brien
Tags Dylan O'brien
Exibições 6
Palavras 1.148
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello people!!!! Mais um capitulo. Espero que gostem.
Bjs

Capítulo 14 - Surpresa!!!!!


Fanfic / Fanfiction Time to love - Capítulo 14 - Surpresa!!!!!

POV de Amy

Desde quando cheguei a Londres tenho me mantido ocupada. Além das questões do divorcio, o John me pediu para que eu organizasse os livros de nossa mãe. Ela gostava de ler, eu puxei isso dela; então, ela tem uma super coleção e ele queria que eu catalogasse tudo; a intenção dele era doar os livros. Muitos são antigos, primeiras edições, passados de geração a geração, eu separei alguns pra ler antes. Outros, que ela comprou há muitos anos e alguns mais recentes; a coleção dela é cinco vezes maior que a minha. E agora, eu estou chegando à metade do trabalho. Eu escrevo o nome do livro, autor, edição e todas as informações e o trabalho estava bem devagar.

Já estou em Londres a cerca de dois meses, John e os meninos passavam o dia todo fora e eu ficava sozinha em casa catalogando tudo. Eles vieram para o almoço e logo depois saíram e eu voltei para a biblioteca. Cerca de uma hora depois eu ouvi o barulho de carro estacionando e alguém tocando a campainha. O Edward foi abrir a porta e cinco minutos depois veio falar comigo.

- Senhora Amy, tem uma pessoa procurando pela senhora. – ele disse solenemente.

- Quem é? – disse confusa.

- A pessoa pediu que só te chamasse e não disse quem era. – ele disse sem expressar qualquer sentimento.

- Ok! – eu disse.

Sai da biblioteca sem entender o que estava acontecendo. Fui andando até a porta, mas não tinha ninguém lá, então me lembrei de que o Edward não gosta de convidar estranhos pra dentro de casa. A porta estava entre aberta, a abri mais então, eu vi. Ele estava de costa para a porta analisando a propriedade; a mala estava ao seu lado apoiada na perna.

- Boa tarde! Em que posso ajuda-lo? – eu perguntei e quando se virou eu tive certeza que era ele. Seus cabelos escuros estavam precisando de um bom corte. Parecia que tinha malhado um pouco, seu corpo estava mais definido.

- Eu vim atrás de minha namorada, a Amy. Disseram-me que eu a encontraria aqui. – ele disse com um largo sorriso no rosto.

- Sim! – eu disse indo ao seu encontro. Abraçamo-nos e nos beijamos. Sentir o gosto dele o cheiro dele outra vez foi muito bom. – Meu Deus! Você está aqui! – eu disse soltando ele.

- Aconteceram uns problemas na universidade e resolveram suspender as aulas por tempo indeterminado. – ele me explicou.

- Bom! Estou precisando de ajuda. Vem! – eu peguei a mala dele e deixei do lado da porta. O Edward veio busca-la.

- Onde deixo a mala, senhora? – ele perguntou.

- Pode levar para o meu quarto. – eu disse levando Dylan para a biblioteca.

- Eu pensei que você iria me levar para seu quarto e matar a saudade. – ele fez graça.

- Não se preocupe, se uma coisa que a gente vai ter muito aqui em casa é privacidade. – entramos na biblioteca e o rosto do Dylan era de admiração.

- Quantos livros! – ele falou.

- Sim! São todos de minha mãe. O John quer doar tudo, estou catalogando.

- E você quer minha ajuda para isso? Catalogar? Eu queria outra coisa! – ele veio pra cima de mim e me beijou com desejo. Pegou-me pela cintura e me levantou indo em direção da mesa me sentando lá. Então, colocou as mãos por dentro de minha blusa tocando meus seios. Eu beijava seu pescoço afastando a camisa. Foi nessa hora que ouvimos um barulho vindo da porta da frente.

- Você disse que teríamos privacidade. – ele se afastou um pouco tirando as mãos de dentro de minha blusa. Segurou meu rosto e me beijou com calma.

- Desculpe! Mas você resolveu chegar na hora que todo mundo chega. – nós sorrimos.

Ajeitamo-nos e fomos para a entrada, onde logo podemos ver o John e o Daniel entrando. Meu irmão deu um forte abraço nele e apresentou o Daniel para o Dylan. Fomos para a cozinha onde nós sempre fazíamos nossas refeições e logo depois o Carl chegou e começamos a jantar. Dylan se deu muito bem com os amigos do John, até mesmo o Daniel que deu em cima de mim logo que eu cheguei. Depois de horas conversando todos nos recolhemos.

- Preciso de um banho.

- Ok. Vem! – chamei.

Eu mostrei o banheiro para ele; peguei uma toalha e a mala dele para o closet. Ele abriu a mala e tirou uma roupa leve para dormir; entreguei a toalha e ele foi tomar banho. Quando ele terminou foi a minha vez. Sai do banheiro e ele estava na varanda do quarto que dá para a parte dos fundos da propriedade, uma bela floresta.

- Aqui é muito lindo! Deve ter sido maravilhoso crescer aqui! – ele disse admirado.

- Sim, foi maravilhoso! Ter todo esse espaço e natureza. Eu adorava correr por essa floresta. – disse nostálgica.

- Eu consigo imaginar! – ele virou pra mim me abraçando.

- Eu sei que sim! – nós nos beijamos.

Um beijo doce e terno, saudoso, que foi se intensificando. Ela me abraça com força, mas como delicadeza. Eu segurava em seu pescoço tentando diminuir a distância já inexistente. Sabia exatamente o que eu queria e ele também sabia. Me segurou pela cintura me levantando do chão com facilidade; eu enlacei minhas pernas em sua cintura desejando não me separar mais dele. Ele foi andando para dentro do quarto ainda me beijando me levando direto para a cama. Então, ele tirou a camisa que vestia e depois tirou minha; beijando meus seios, minha barriga, tirando meu short e levando minha calcinha junto. Ele começou a beijar e a fazer o oral mais gostoso de minha vida, eu quase gozo, ele parou bem no momento certo. Sem que eu percebesse, ele já estava dentro de mim; eu nem o vi tirando a cueca nem nada. Seus movimentos eram devagar e compassado me proporcionando um prazer imensurável; fui para cima dele e comecei a cavalgar num ritmo que eu sei que ele gosta. Vê-lo gozar é maravilhoso, mas gozar junto com ele é muito mais.

- Não via a hora de ter você de novo em meus braços. – ele disse ofegante. Eu concordei calada.

- Eu faria amor com você à noite toda, mas amanhã tem almoço na casa de minha tia Kate. E ela gosta de pontualidade. – eu disse depois de um tempo. Ele virou pra mim com cara de desgosto. – Quanto tempo você vai poder ficar?

- Não sei ainda. Eu avisei para a universidade que viajaria e pedi que quando as coisas se resolvessem me chamassem. – explicou. – Mas, sinceramente? Quero voltar com você pra casa. – ele deitou em cima de mim me beijando. Ele logo ficou excitado de novo e transamos novamente, dessa vez com mais calma e tranquilidade. Quando gozamos outra vez, ele deitou do meu lado e quando menos esperava, dormiu.   

 


Notas Finais


Esse capitulo ficou bem pequeno. Não tem problema!
Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...