História Time to shine - Capítulo 9


Escrita por: ~ e ~Luiz_kun_

Postado
Categorias Austin Mahone, Damian McGinty Jr., Demi Lovato, Il Volo, Justin Bieber, Linkin Park
Personagens Austin Mahone, Brad Delson, Chester Bennington, Damian McGinty Jr., Dave Farrell, Demi Lovato, Gianluca Ginoble, Ignazio Boschetto, Joe Hahn, Justin Bieber, Mike Shinoda, Personagens Originais, Piero Barone, Rob Bourdon
Tags Austin Mahone, Demi Lovato, Il Volo, Linkin Park, Musica, Romance
Exibições 27
Palavras 4.189
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, aqui estamos mais uma vez para postar um capítulo da nossa história. Nossa, como isso demorou hein?

Luiz tá super contente e está agradecendo ao apoio de todos que estão acompanhando nosso trabalho. Ma por que ele não faz isso pessoalmente? Nem eu sei...

Adorei escrever esse capítulo, e espero que todos gostem como nós mesmo gostamos.

Boa leitura.

Capítulo 9 - Break the Silence


Fanfic / Fanfiction Time to shine - Capítulo 9 - Break the Silence

Demi Lovato

 

Chester encarou o chão por muito tempo, estava tão arrependida de ter dito aquilo, mas sabia que era melhor tê-lo feito. Dava para sentir sua raiva exalando pelos poros, porém antes que eu pudesse falar qualquer coisa, ele me fitou.

- Foi ela que disse isso? - sua voz saiu sem vida. - E o que você tem a ver com isso?

- Nada... Só quero ajudá-lo. Maja, Damian, Brad e você... Essa história está muito ruim para todos vocês.

- Pra mim você não passa de uma intrometida. Chega assim do nada e se enfia em nossas vidas exigindo satisfações de todos. Porra, quem é você pra isso? - sua raiva era tanta que apenas sussurrou tudo encarando-me, porém já não tinha mais medo.

- Chester... Eu só quero ajudar vocês. Talvez você precise dizer o que sente... Desabafar com alguém, sei lá. Pôr isso pra fora.

- Pra quê? - ele começou a caminhar de um lado para o outro com os punhos ainda cerrados. - Sou um bosta mesmo, nem pra defender minha mina eu presto. Perdi o Damian porque sou um inútil, mas não vou perder Maja. Isso não.

Ele parecia um louco, não sabia se estava falando comigo ou para si mesmo, porém logo, encarou-me com uma expressão estranha.

-  O que mais ela disse? Disse que sou um frouxo? 

- Maja ama você, Chester. Só não entende porque você foi pra cima do Brad... - cruzei os braços olhando aquele rapaz que estava tentando se abrir de algum jeito.

- Sabe... Eu estava com ciúmes, porque... Percebi que Damian tava com ciúmes daquele babaca com a garota dele. Fiquei puto e perdi a cabeça. Também não queria que Maja visse o que vi, porque talvez ela faria pior que eu. Na verdade, acho que Maja ama mais ele do que eu. - Chester parecia mais calmo no fim do que havia dito.

- Eu não entendo. Pra mim você parece que gosta dos dois da mesma forma. - estava tão confusa que minha cabeça rodou.

O tatuado fitou-me agora com um sorriso torto nos lábios, seus olhos, ainda vermelhos, brilharam em um fogo novo e vivo.

- Eu amo os dois... Da mesma forma, do mesmo jeito. Acho que você não é tão tonta como pensei que fosse. Só peço que não se meta nesse assunto porque também pode acabar sendo machucada que nem nós quatro fomos.

- Chester, isso não faz sentido nenhum. - franzi o cenho nervosa.

- Pra você não precisa fazer. Talvez você precise parar um pouco de se importar com o que acontece com os outros e pensar mais em você. Na sua cara dá pra ver que está cheia de problemas.

- A questão aqui não sou eu. - sorri meio irritada.

- Só você pode ter impressões das coisas, Demi? Relaxa, guarda sua língua dentro da boca que é melhor pra você. - o rapaz entrou sem ao menos ouvir o que eu tinha pra dizer.

Como Chester era idiota. Mas afinal de contas o que Maja viu nesse otário, afinal? E Damian então? Talvez fosse pior já que também estava encantado por outro babaca como o Brad. Mas quem sou eu pra julgar, no fim das contas? Simon esqueceu que estou aqui esperando-o como uma retardada. Mas eu sei... Ele nunca vai voltar.

Entrei na sala sem encará-lo, Rob parecia curioso para saber o que tínhamos conversado, já Joe estava ocupado demais escrevendo alguma coisa que podia ser referente a banda. Chester me fitava com aquele ar de idiota que sempre teve, parecia que tinha voltado a ser como era antes. Um nojo.

Quando a aula finalmente começou, recebi uma mensagem de Damian dizendo que pedia desculpas por matar a aula anterior e que, na saída, explicaria tudo o que conversou com Brad em particular. Por alguma razão, isso não me deixou curiosa, mas sim as palavras que Chester havia me dito antes. Nunca tinha visto algo assim e talvez, recusei-me a entender.

Estudos sociais era um saco, a professora não parava de fazer perguntas em sala. Fez-me duas que não pude explicar muito bem, mas as respostas de Chester eram piores que as minhas, isso fez-me rir um pouco. Mas logo que tudo terminou, dei graças a Deus.

Rob chamou-me para ver o ensaio da banda que seria no fim das aulas, porém recusei porque havia me comprometido a encontrar com Damian. Tentei afastar-me antes que o tatuado dissesse alguma coisa que pudesse me constranger.

Saí com a cabeça cheia de bobagens, dei-me por reparando naquele anuncio de intercâmbio mais uma vez, nem sei o porquê aquilo me chamou tanta a atenção. Deve ser porque sempre leio tudo que esta na minha frente, pode ser quantas vezes for. Mania horrível, sei lá.

Avistei Damian que nem um tonto sentado no chão olhando pra coisa nenhuma em um canto do pátio.

- O que foi, homem? Tá bloqueado? O que aquele magrelo horroroso te falou? - sentei ao seu lado e coloquei a bolsa em meu colo.

- Ah Demi... Maior caralho. Brad é tão covarde quanto Chester... Se não mais. - ele sorriu pra mim de forma dolorida.

- Mas o que ele te disse, afinal? - mexi no cabelo para inibir minha ansiedade.

- Ele me foi muito cruel... Pelo menos se entendeu com Chester, não são amigos, mas prometeram se tratar melhor. Ele disse... Disse que me amava de novo.

- E isso é ruim?

- Muito. Porque ele não vai fazer nada para que possamos ficar juntos. É como a minha história se repetisse de novo. Sei lá, estou num ciclo que nunca acaba. - Damian olhou para as mãos que estavam sobre seu joelho. Aproximei-me e lhe toquei no ombro.

- E o que pretende fazer a respeito?

- Mais nada. Preciso esquecê-lo e é isso que vou fazer. Tô cansado dele, assim como me cansei de Chester. - o rapaz levantou-se e logo, ajudou-me a fazer o mesmo.

- Vai ver o ensaio dos meninos? - achei que devia perguntar.

- Tá doida? - Damian fez uma careta engraçada. - Só se for pra arrancar os cabelos da periquita que não tenho. Sai fora, já estou aqui consumido pelo ódio... Vou ver esses demônios tocar pra quê?

- Ai Damian... - ri que nem um louca do que ele disse. Sabia que ele estava melhorando porque estava voltando a ser mais engraçado. - Devíamos arranjar alguma coisa pra fazer. Tô num tédio que não é meu, sabe?

- Ih... O que houve? 

- Ah sei lá. Quer ir em minha casa? Talvez seja a hora de conhecer minha mãe. A mulher é um terror, sabe... Acha que devíamos chamar Mika e Maja? 

- A casa é sua, você que acha o que é melhor. Pra mim, tudo bem. - o rapaz sorriu gentilmente. - Também faz um tempo que não fazemos nada juntos.

Então foi assim que aconteceu. Mandei mensagem para Maja que logo aceitou o convite, dizia que nos esperaríamos do lado de fora da escola em poucos minutos. Por alguma razão, ela não se encontrava junto de Chester, mas não ousei perguntar o  por quê. Já Mika, Damian decidiu ligar para ela, assim que percebemos que ela não respondia minha mensagem. A loira, um pouco mais relutante, aceitou o convite após algumas insistidas minhas.

Nos encontramos pouco depois, Mika foi a que mais demorou. Disse que estava resolvendo umas coisas da pesquisa junto com Dave, mas não creio que seja realmente isso que tenha acontecido.

Caminhamos alguns quarteirões até minha casa, Maja não parava de reclamar que não poderíamos ir de ônibus, já que seus sapatos não foram feitos para andar tanto. Mika estava um pouco menos animada, por uma razão que chamou a atenção de nós três. Damian tentava a todo custo manter a mesma animação disfarçada de Maja. Já eu, decidi manter-me um pouco mais fria, mas não menos empolgada.

Quando finalmente chegamos em minha casa, minha mãe ficou enlouquecida por conhecer meus amigos. Não parava de falar em como Maja era bonita, dos lindos olhos de Damian e de como Mika se vestia tão bem. A morena acabou por entrar na onda dela e também não parava de falar, Damian apenas ria de tudo e Mika estava como eu, horrorizada. 

Decidi então que íamos para meu quarto, Maja encantou-se logo pelo meu tapete felpudo de que deixava perto da cama. Damian jogou-se em minha poltrona na qual guardava meus bichos de pelúcia que eu não brincava mais. Já Mika, foi a única que não estava muito à vontade com isso.

- Sua mãe é um barato. - disse Maja sentando-se em minha cama ao lado de Mika.

- Realmente. Como você disse, ela fala muito mesmo. - Damian riu junto comigo.

- Tadinha, ela está contente que eu tenha arranjado amigos. Estava meio preocupada que eu ficasse sozinha ou não gostasse muito de ficar nessa cidade.

- Os pais são engraçados. - Mika cruzou as pernas e fitou minha janela aberta. A luz tomava conta do lugar e iluminava todo o ambiente sem que eu precisasse ligar nenhuma lâmpada. - Sua casa é muito bonita.

- O que você tem, Mika? Está desconfortável? - perguntei um pouco preocupada.

- Não... - finalmente sorriu. - Só estou um pouco... Como posso dizer? Com a cabeça um pouco fora do lugar.

- Aconteceu algo entre você e Dave? - o rapaz inclinou-se sobre a poltrona para dar espaço a Maja que sentou no braço dela.

- Deve ter descoberto que ele é um idiota. - indagou a morena aos sorrisos. - Todos os homens são uns idiotas.

- Qual é? Eu sou homem também. - Damian torceu o nariz. - Então eu também sou?

- Você também. É o rei dos idiotas. Mas a gente ama você mesmo assim. - ela acabou por fazer um carinho na cabeça do amigo. Apenas observei isso com uma estranha atenção, já Mika não acompanhou o ato com tanta intensidade.

- Na verdade, tenho pensado em muita coisa. - Mika resolveu se abrir um pouco. - Dave pediu-me para namorá-lo, mas... Eu não sei se realmente quero isso.

Houve um silêncio estranho, nos entreolhamos por alguns segundos antes que um de nós resolvesse dizer algo.

- Se você não quer, não aceita. É mais simples do que pensa, diga que não está preparada para isso. - Maja foi categórica. - Talvez você não queira magoá-lo, mas se aceitasse sem querer poderia fazer isso muito mais, não acha?

- Nossa Maja... - disse Damian fazendo uma careta. - É você mesmo dando um conselho desses? 

- Obrigada Maja. Vou pensar nisso. Até já me sinto melhor... - Mika continuava tímida.

- Bom, já que isso está parcialmente resolvido... Vou trazer algo para gente, o que vocês querem? - falei com uma estranha animação.

- Chocolate! Tô doida por um chocolate... - Maja disse bem baixinho.

- Eu aceito um chá. - Mika pediu sem exitar tanto.

Encarei Damian por alguns segundos, sem dizer nada, apenas sorriu para mim. Deduzi logo que ele queria café, nunca vi uma pessoa para gostar tanto desse tipo de coisa. 

O clima estava um pouco mais aconchegante para meus amigos, inclusive Mika, que parecia ser um pouco mais relutante. Assim que trouxe as bebidas, Maja logo pegou sua xícara de chocolate fumegante e mergulhou sobre ela um biscoito na qual havia trazido.

- Fazia tempo que não ficávamos juntos, não é? - disse para tentar quebrar um pouco o gelo.

- Realmente. Aconteceu muita coisa esses dias. - Mika deu um gole em seu chá. - Talvez fosse bom reunirmos pelo menos uma vez na semana. Nem que seja para não fazer nada.

- É um ótima ideia. - comentou o rapaz. - Mas só não pode ser as sextas porque tenho treino de futebol... Por falar nisso, vocês vão me ver jogar no dia 15, não é? Será depois do baile dos veteranos.

- Não sabia que jogava futebol, Damian. - fiquei surpresa com isso. - Você não tem cara que faz essas coisas.

O garoto riu, Maja apenas encarou-o com um certo tipo de orgulho como se fosse dado a um filho ou coisa parecida, Mika apenas abaixou os olhos para sua xícara cheia.

- Está aí uma das minha grandes paixões... É que não gosto muito de ficar falando das coisas que eu faço, sabe? - ele pareceu um pouco mais nervoso. - Todo mundo lá em casa dizia que era meio duro, sei lá.

- Duro no quê? 

- Ah... Era meio travadão, nem conseguia correr direito. Aí, comecei a jogar futebol e acabei por gostar muito disso. - ele começou a ficar envergonhado. 

- É super fofo Damian em campo. Ele joga muito, a gente vai ver o time do colégio arrasar com aquele idiotas do Grand Noroeste... - Maja sorriu. - Vai ser muito divertido.

- Sério? Tô louca pra ver. - acabei por ficar empolgada com isso.

Conversamos por diversas outras coisas, Maja contou-me sobre sua paixão em cantar, era algo que tínhamos em comum. Descobri que realmente poderia ter muito mais a aprender com eles do que o contrário.

- Posso fazer uma pergunta pra você, Demi? - a morena debruçou-se sobre o encosto do sofá, encarando-me.

- Pode dizer. - não pareci surpresa.

- Conta pra gente... Sobre seu bofe de longe, Simon, não é?

- Maja, não seja deselegante. Isso é um assunto muito particular de Demi. - Mika fechou os olhos para mostrar-se um pouco mais superior.

- Tudo bem, não me incomodo. - fiz uma pequena pausa. - Simon é um rapaz diferente... Sabe, de tudo que já conheci. Eu realmente amei ele muito... Seu jeito meio responsável demais para aquilo que realmente importava, mesmo que desse uma fumada às vezes. - acabei por rir um pouco. - Mas eu sei que ele não vai vir me buscar, mesmo dizendo, não, prometendo, que o faria.

- E por que acha isso? - disse Damian.

- Não sei... Apenas sinto isso, sabe? Dentro do meu coração...

Para mim, foi a única resposta plausível que pude dar. Realmente meu coração não acreditava mais que Simon poderia voltar a me ver de novo. Talvez já até esteja com a vida feita em outra lugar ou até em Albuquerque mesmo. Isso me doía mais do que eu podia suportar. Maja fitou-me como se entendesse tudo o que estava se passando comigo, já Mika, não sabia como se portar com minha confissão.

- Mas... E se ele voltar? O que pretende fazer? - o rapaz continuou a questionar.

- Não sei... Eu realmente não sei.

- Arrependo-me tanto em tocar nesse assunto. - Maja tocou-lhe no joelho encarando o chão.

Sorri para ela sem a menor culpa. Aproximei-me dela e sentei-me ao seu lado.

- Tudo bem. Somos amigos, não é? Acho que faltava apenas eu para compartilhar minhas dores com vocês. 

A morena levantou o rosto com os olhos um pouco marejados, percebi o quanto ela realmente estava arrependida em ter invadido minha história com Simon. Toquei-lhe o rosto com ambas as mãos e aproximei-me beijando em seu rosto.

- Tudo bem... Tá tudo bem.

- Não está não. - ela finalmente sorriu. - Temos que resolver nossos problemas...

Damian franziu o cenho, engoliu seco e levantou-se. Mika manteve-se inerte em seu lugar, estava preparada para o pior.

- Se refere ao 'nosso' problema? - sua expressão mostrou-se dolorida por agora.

Afastei-me de Maja para que a mesma pudesse encarar melhor o irlandês que, incrédulo, cerrou os punhos saltando veias de seus braços.

- Acho que sim. - a menina limpou o rosto que estava úmido. - Eu não tive culpa... Juro que não tive culpa.

- E por acaso, Maja, lhe culpei de alguma coisa nesse tempo todo? - sua postura tremeu em um milésimo de segundo.

- Não... Mas me olha como se eu tivesse. Vocês dois. - encarou Mika com um olhar apertado. - Jamais faria algo desse tipo com nenhum de vocês.

- Por que tocou neste assunto agora, Maja? Está tendo um delírio terrível? - Mika encarou-a horrorizada. - Nunca coloquei vistas inquisidoras sobre você. Não sou tão hipócrita como acha que sou.

Tentei dizer algo, mas achei que não deveria fazê-lo. Maja realmente estava colocando para fora tudo que estava louca pra dizer. Não devo censurá-la por isso.

- Estou mais lúcida do que nunca. - finalmente pude vê-la sorrir. - Apenas não gostaria de me tornar a vilã dessa história toda, sabe... Eu nunca me dei muito bem com as pessoas como me dou com vocês. Meu relacionamento com o Chester, eu sei, que não tem o menor futuro.

A morena encarou Damian como se esperasse que ele dissesse algo para poder amenizar ou até mesmo piorar tudo de vez. Porém, o rapaz apenas sorriu para ela de um jeito que me fez ter um arrepio.

- Não foi só você que viu isso... - disse ele. - Estou feliz por você agora. Jamais deixarei que algo de ruim aconteça com você. Porque... Nossa amizade é mais importante que qualquer pessoa que se coloque entre a gente.

Maja levantou-se e logo abraçou Damian tão apertado que vi que o rapaz ficou vermelho. Seus olhos encheram-se de lágrimas e também retribuiu o ato com o mesmo carinho. Fitei Mika com um alívio tão grande que fez eu dar um profundo suspiro. Acho que agora sim. Finalmente pude entender, através dessa estranha e breve conversa, que Maja e Damian haviam se entendido. A amizade dos dois era uma coisa que não ainda não podia compreender como um todo, mas já estava contente com o que pude presenciar.

- Já acabou a cena de novela mexicana? - Mika entrometeu-se aos risos nervosos. - Tô quase pra morrer aqui com isso. Posso ser sincera com vocês? Eu nunca entendi o que realmente acontece com vocês dois. Mas, pensando muito bem, nem quero mexer nesse vespeiro porque deve ser o maior perigo.

- Acho bom mesmo. - Maja arqueou a sobrancelha direita assim que se afastou um pouco de Damian. 

Todos acabaram por rir, exceto eu, que totalmente sem entender nada, permaneci em um bloqueio terrível.

 

Depois de alguns dias, estávamos fortalecendo ainda mais nossa amizade. Maja passava mais tempo com a gente do que Chester e sua banda, Mika também fazia o mesmo, digo, já não falava mais tanto em Dave como antes e até estava evitando de olhar para Mike como fazia antes. Já Damian, bom... Este parecia que havia se esquecido de Brad, ou pelo menos disfarçava-o muito bem.

Com a passagem de semestre chegando, estava louca para terminar meus trabalhos de conclusão. Tive muita ajuda de meus amigos nas matérias que não dominava muito bem, assim como também os ajudei muito, principalmente Maja em exatas e Damian em Inglês.

Quando finalmente chegou o  primeiro dia da semana de inverno, tudo parecia diferente. Havia novas caras na escola e era como se estivesse começando o ano tudo de novo. Estava uma grande loucura, novos alunos e até alguns bem esquisitos, daí me dei conta que estava começando o circuito de intercâmbio.

Esgueirando-me pelo corredor, consegui encontrar-me com Maja no meio de tantas pessoas. Cumprimentei-a com um beijo e nos dirigimos para um pouco mais longe.

- O que é essa loucura toda? - perguntei um pouco assustada.

- São os alunos de intercâmbio, os transferidos, os novatos e tudo mais. Ele só podem vir no segundo semestre, não pergunte o porquê, já que não sei responder. - ela sorriu. - Mas até que veio uns gatinhos pra cá, não acha?

Percebi logo que o ar estava um pouco mais diferente, tinha até que um pessoal bonito no meio daquele povo todo, mas também havia muita gente com a roupa bem estranha pro meu gosto.

- Onde estão Mika e Damian? - questionei rindo um pouco.

- A baixinha ainda não chegou, já o 'duende verde'... Acredita que já fez amizade com um povo sei lá da onde? Parece que queriam entrar no time de futebol, ou sei lá o quê...

- Eita, mas Damian arranja amizade rápido, não é?

- Ele não é o único, senhorita Lovato. - Maja puxou-me pelo braço e seguimos para a sala de aula.

Ao entrarmos demos de cara com um monte de gente nova. Alguns conversavam com outros como se fossem melhores amigos, já outros mantiveram-se calados em um estado de vergonha.

Maja pôs-se em minha frente, questionou um rapaz que estava sentado em seu lugar. Ri um pouco disso, logo pediu desculpas ao garoto que estava mais encantado pela beleza dela do que incomodado como o modo que a mesma falou com ele.

- Esse povo já quer chegar dominando tudo, caralho... - sussurrou para mim.

- Parece que o rapaz gostou de você. Não para de te olhar. - sentei-me encarando-a.

- Que vá a porra. Tô sem saco para esse tipo de coisa agora. - Maja mexeu em seu cabelo.

Estava ficando tudo um pouco mais natural, havia até me acostumado com as mudanças que estavam acontecendo. Porém algo me chamou a atenção logo que voltei-me meus olhos para a porta... Entrando devagar, um rapaz alto, de cavanhaque e bigode, suas bochechas eram um pouco "cheinhas", sobrancelhas grossas e marcadas. Conversava com um sorriso doce com uma garota de cabelo castanho caído sobre os ombros, pareciam ser amigos havia um tempo.

Maja encarou-me com uma expressão debochada, abriu um sorriso largo e me tocou os ombros.

- Que foi Demi? Encantou-se pelo homem grande aí na porta?

- Que? Tá doida? -corei tão violentamente que nem percebi que quase havia gritado. - Não é isso, acho só que o conhecia de algum lugar... Foi só uma impressão forte.

- Impressão forte? Ah tá... Me engana que eu gosto muito. - ela encostou-se sobre o assento. - Você está é tendo um encantamento terrível. Eca... Que gosto esquisito pra homens, ele parece que era gordinho há não muito tempo.

- Eu tenho gosto ruim pra homem? Isso é sério? Nem vou falar pra você o que eu acho do seu. Porque se não ofende.

- Acho bom mesmo...

Damian apareceu de repente, passou pelo rapaz e a moça que conversavam perto da porta e sentou-se ao meu lado antes que outro o fizesse.

- Nossa... Pensei que não ia chegar a tempo. - disse o garoto com um sorriso bobo.

- Estava todo ocupadinho com seus novos amigos, né?

- Na verdade não, tinha muita gente querendo entrar para o time de futebol... Aí fui ajudar os caras com isso. - ele olhou para a porta. - Ah... Tá vendo esse aí? Ele também vai fazer teste. Ignazio alguma coisa... Parece ser italiano.

- Olha se não é o encanto de Demi... - Maja riu. - Esse mundo tá muito pequeno.

- Meu encanto nada! Vai à merda Maja. - fechei a cara para ela, fazendo-a rir. - Só achei que o conheço de algum lugar...

- Sério? - Damian pareceu animado, acabou por se levantar. - Hey, Ignazio! Chega aí, faz esse favor!

Meu coração foi pela boca, encarei Maja que abriu um sorriso todo malicioso, queria matar ambos por me fazer esse tipo de coisa.

- Vou matar vocês dois... - cochichei a ela, fazendo-a rir.

O rapaz alto aproximou-se acompanhado pela outra garota, percebi com sua aproximação que era mais bonito do que eu pensava que era. Sua colega olhou com uma expressão de interesse.

- Ignazio, essas aqui são minhas amigas. Maja e Demi... Acho que já falei delas pra você hoje lá perto do campo.

- Claro... - ele sorriu pra mim. - Como vão as senhoritas?

- Muito que bem... - disse Maja em um tom meio debochado que só eu pude entender de fato.

Apenas acenei com a cabeça, estava tão envergonhada e nem sabia o porquê disso. Afinal, ele não tinha nada de mais e muito menos era tão atraente assim, mas tive a sensação muito forte de que o conhecia de algum lugar.

- Essa daqui é Elhaida... Nos conhecemos quando fizemos a integração para o intercâmbio, veio da Albânia.

- É um imenso prazer... - ela sorriu de forma doce. - Essa escola aqui é muito movimentada, não é?

- Que nada, é só esses dias de início de semestre, depois isso aqui vira um deserto. - Damian estava muito mais animado que eu e Maja.

- Mas e você? É da onde? - disse Maja ao rapaz.

- Sou de Bologna, Itália... - disse com o mesmo sorriso gentil que me fez tremer. Seu sotaque era mais forte como achava que seria, diferente da garota, que falava sem qualquer tipo dele. - Mas perdão... - ele voltou-se para mim. - Mas eu não te conheço de algum lugar?

Todos olharam-me curiosos, meu coração saltou pela boca. não sabia o que dizer nem o que fazer. Apenas encarei aquele italiano que sorriso bobo que me olhava como se eu fosse mais íntima das amigas.

- Eu... Também tive essa impressão. - disse finalmente. 


Notas Finais


Quem vai escrever as notas finais sou eu Luiz :D Quero agradecer por terem lido ^^ e semana que vem tem mais.

PS: Adorei este tal de Ignazio não sei o porquê rsrs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...