História Timeline Camren - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camren, Ficção Cientifica, Fifth Harmony, Romance
Exibições 65
Palavras 1.902
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Ficção, Ficção Científica, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Espero que gostem.

Capítulo 31 - A consultora


Fanfic / Fanfiction Timeline Camren - Capítulo 31 - A consultora

POV Lauren

-Há não, não acredito que você está me traindo com alguma piriguete, e ainda tem audácia de falar o nome dela enquanto nos beijamos.
-Eu juro que não sei do que você está falando.
Neste momento a companhia da porta toca, Lucy vai toda furiosa até a porta ao abrir-lá ela olha pra mim de um jeito que parece que vai pular em cima de mim, e me esganar com as suas próprias mãos e indaga.
-O que essa fulaninha está fazendo aqui?
Imediatamente me levanto do sofá ao sentir a mesma fragrância do perfume que encontrei em meu closet, e olho em direção a porta de quem ela estava falando com tanto ódio no olhar e uma fúria em sua voz, fico perplexa ao vê que se tratava da Camila quer dizer da detetive cabello, um sorriso largo surgir em seu rosto sorrio em retribuição, mas deixando Lucy putz da vida.
-O que essa vadia está fazendo aqui? Ela fala apontando para a Camila que se mostra ofendida com o insulto.
-Auto lá do que você me chamou?
-Eu posso explicar Lucy não o que você está pensando.
-Acho que sou alguma idiota que vai aceitar suas desculpas esfarrapadas.
-A Camila quer dizer a detetive Cabello só está me ajudando...
Fui interrompida com um tapa no outro lado do meu rosto, fazendo doer mais ainda do outro tapa que levei minutos antes, levo a mão ao local massageando para aliviar a dor, mas não fez diferença nenhuma.
-Aí. Resmungo da dor neste momento ouço ela falar.
-Você podia ser mais criativa para inventar que essa daí uma detetive com um nome tão ridículo como esse.
E sai pegando suas coisas esbarrando na Camila de propósito e porta fora do apartamento tenho quase certeza que vi um sorriso pequeno surgir no rosto da Camila enquanto vem até mim e fala colocando um de suas mãos em meu ombro enquanto a outra mão está ocupado com dois copos de cafés e um pequeno embrulho de papel.
-Tudo bem com você?
-Eu não estou sentido um lado do meu rosto.
-Deixa eu do uma olhada. Ela segura com a mão livre delicadamente o meu queixo e fica olhando para o local por alguns segundos fazendo o meu corpo arrepiar e minha respiração acelerar freneticamente e diz.
-Você vá ficar bem só está um pouco vermelho talvez fique um pouquinho roxo. Ela olha diretamente e profundamente para os meus olhos e fala.
-Você vai ficar bem. Eu sorrio para ela fazendo corar imediatamente, ela tira a mão do meu rosto desviando o olhar para qualquer lugar dando um passo para trás e diz com uma voz engraçada.
-Tenho quase certeza que ela é bipolar. Eu complemento dizendo.
-Provavelmente não tomou o remédio dela hoje.
Ouço uma risada gostosa vindo dela ainda de costas para mim, ela se vira para minha frente com um lindo sorriso em seus lábios, um silêncio ensurdecedor fica entre nós por alguns instantes então falo para quebrar o gelo.
-Peço desculpas por ter passado por essa situação constrangedora.
-Está tudo bem não se preocupe com isso.
-Mesmo assim peço desculpas por ela ter te chamado de vad... ela me interrompe dizendo.
-Está tudo bem Lauren não se preocupe já me chamaram de coisa muito pior.
-E eu aceito suas desculpas mesmo sabendo que a culpa não é sua. Novamente um silêncio toma conta então indago.
-Um desses cafés é para mim? Ela olha para os copos em suas mãos e diz
-Sim, um deles é pra você e junto vem um brinde.
-E o que eu ganhei? Pergunto curiosa olhando para o embrulho de papel em sua mão.
-Um sanduíche.
-Foi você mesma que fez?
-Sim.
-Parece está uma delícia.
Falo mordendo meu lábio inferior e olhando direto para seus lábios deixando ela sem graça, percebo o que estou fazendo e olho para os seus olhos e digo.
-Você se importa se eu tomar um banho estou precisando praticamente estou com a mesma roupas de ontem.
-Tudo bem, eu vou avisar ao Sheeran que você vai demorar um pouco.
-O policial Sheeran está lá embaixo esperando você?
-Na verdade ele está nos esperando, o capitão quer falar com você.
-Tudo bem pra você?
-Sim, por favor fique a vontade eu já volto.
-Ok.
Vou até o meu quarto abro o closet pego uma calça Jens preta, uma camisa social branca, roupas íntimas e um par de coturnos que bem a minha cara, por instante paro na porta do banheiro colo a minha mão sobre o peito e o meu coração batia ainda apressado, levo a minha mão a minha testa e sinto ela quente assim como todas as partes do meu corpo, respiro fundo entro no banheiro ligo o chuvisco e deixo a água cair sobre o meu corpo esfriando um pouco a temperatura em que me encontrava e se fosse possível afasta de tais pensamentos da minha mente.
Assim termino de me enxugar saio do banheiro vestindo um roupão de cor roxo, visto minha roupas íntimas depois a calça Jens, coloco os coturnos volto para o toalete ligo o secador, após secar o meu cabelo faço uma maquiagem simples deixando os meus olhos bem marcantes com delineador bem visível, visto minha camisa e vou direto pra sala onde Camila me aguardava, antes de chegar lá aspiro sua fragrância que se espalha pelo ar no ambiente, respiro novamente tentando me controlar um pouco.
Vejo que ela está bem a vontade sentada no sofá com as pernas cruzadas de um jeito tão sexy, pelo menos eu acho, parece que qualquer gesto que ela faz mesmo sem intenção maliciosa vem em minha mente como sexy, balanço a minha cabeça para afasta esses pensamentos que estão começando a tirar minha atenção para tudo que está acontecendo não que seja algo ruim pelo contrário, mas tenho medo que ela perceba que estou tão atraída por ela quanto um imã, não sei o que ela iria pensar de mim.
Falo um pouco alto atraindo a sua atenção para mim.
-Já estou pronta. Ela se levanta bruscamente do sofá com um lindo sorriso no rosto, se virando rapidamente para frente e inclinando-se um pouco para pegar um dos cafés, sinto o meu rosto esquentar quando os meus olhos caem ao ver a sua bunda numa calça apertada, imediatamente olho para o teto e começo a contar até dez, quando ouço ela falar.
-O que foi tem alguma coisa no teto?
-Não me desculpe, fiquei um pouco distraída pensando na Lucy.
-Entendi isso explica por que o seu rosto que ainda está vermelho. Ela sorri e me me oferece um dos cafés em uma de suas mãos.
-Você ainda não tomou o seu?
-Não estava esperando por você.
-Obrigada.
-Não por isso. Assim que pego o café de sua mão algo vem em minha mente.
- Onde está o meu brinde?
-Que brinde?
-O sanduíche que você trouxe para mim.
-É claro já estava me esquecendo. Ela me entregá o pequeno embrulho de papel.
-Aqui está.
-Tem certa que o policial Sheeran não se importa em espera um pouco.
-Tenho certeza não se preocupe. Assim que terminei de devorar o sanduíche e beber o café fomos até o carro onde o polícias Sheeran nos aguardava e com uma expressão engraçada no rosto ele pergunta para Camila.
-Aconteceu alguma coisa lá em cima?
-O que quer dizer com isso?
-E que há exatos 45 minutos uma mulher saiu do prédio furiosa parecendo soltar fumaça pelas narinas entrou no carro e saiu cantando pneu pensei em ir atrás, mas deixei para lá.
-Deve ter sido a Lucy.
-Quem? Sheeran pergunta com certa curiosidade.
-Acho que minha namorada ou alguma coisa do tipo.
-Acho que ex agora.
-E o que aconteceu para ter deixado ela assim furiosa?
-Isso não de sua conta Sheeran. Camila tentando me defender.
-Há qual detetive Cabello só estou tentando entender a situação.
-O que aconteceu Lauren?
-Bom antes da detetive Cabello ter chegado em meu apartamento eu e Lucy estávamos discutindo, neste caso ela estava discutindo comigo e quando a companhia tocou ela imediatamente foi atender a porta deu de cara com a detetive Cabello e interpretou tudo errado achando que nós estávamos tendo um caso,
-E depois de ter ofendido a detetive Cabello ela me deu um tapa no rosto na verdade foram dois tapas.
-Nossa que garota brava.
-Pois é.
-E com certeza não foi sem motivos.
-O que quer dizer com isso? Camila o questiona.
-Nada já está ficando tarde é melhor a gente ir o capitão está nos esperando.
Algum tempo já na delegacia fomos direto para a sala do capitão, chegando lá ele estava com uma cara que pra mim era indecifrável, olhei para a Camila e o Sheeran pela expressões de seus rostos não pareciam preocupados.
-Por favor sente-se.
-Imagino que deve está se perguntando por que a chamei até aqui.
-Sim, na verdade estou um pouco curiosa.
-É claro, bom senhorita Jauregui devido ao seu estado de saúde e ter testemunhado um crime comecei avaliar o seu caso e cheguei a uma conclusão.
-E qual foi. Camila pergunta curiosa.
-No começo pensei em colocar-lá na proteção a testemunha, mas avaliando melhor o seu caso pensei que não seria bom por seu caso de amnésia, e como um assassino a solta provavelmente deve esta atrás de você por ter testemunhado ele cometer tal crime.
-E não é só isso também tem as anotações em seu caderno bastante peculiar, já que tem um desenho com o rosto do dito cujo Bulguer, você provavelmente viu ele em alguma lugar que ele frequenta ou frequentou.
-E como a doutora Hansen falou que você deveria voltar a sua rotina normal para quem sabe sua memória pode retorna, não sei o Sheeran teve tempo de lhe da algumas informações sobre você mesma.
-Não capitão não tive a oportunidade. Sheeran responde.
-Bom senhorita Jauregui você é uma escritora pela conversar que tive com a sua editora senhorita Hamilton ela informou que você frequenta vários lugares durante suas pesquisas, ela passou uma lista desses lugares e de alguns contatos que a senhorita faz algumas consultas.
-Imagino que se você começar a frequenta esses lugares e encontrar com esses contatos quem podemos encontrar alguma pista sobre o que aconteceu com a senhorita para ter perdido a memória, e se tivermos sorte acha alguma pista do Bulguer.
-É claro se você concordar.
-Posso lhe perguntar uma coisa antes de dá a minha resposta.
-Sim pode pergunta.
-E quanto aos meus pais eles sabem o que aconteceu comigo?
-Infelizmente não tenho uma boa notícia para lhe dá sobre eles.
-O que aconteceu com eles? Pergunto com medo de sua resposta.
-Infelizmente eles morreram há 8 anos, a senhorita Hamilton informou. Fico em silêncio tentando lembrar sobre isso, mas nada vem em minha mente.
-Eu sinto muito por dá essa notícia.
-Tudo bem.
-Olha leve o tempo que precisa para dá uma resposta, sei que não deve ser nada fácil para você saber sobre algo tão delicado com isso.
Respiro fundo olhando para o chão e falo. -Tudo bem eu irei fazer de tudo para ajudar vocês para encontrar esse assassino.
-Ótimo você será uma consultora nesse caso, por enquanto estamos mantendo esse caso em sigilo para não levantar um alarme na impressa sem termos uma direção certa para seguir com a investigação.
-Tudo bem pra você?
-Sim senhor.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...