História Timeline Camren - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camren, Ficção Cientifica, Fifth Harmony, Romance
Exibições 27
Palavras 1.387
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Ficção, Ficção Científica, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Uma boa leitura pra todos.

Capítulo 33 - O Infiltrado


Fanfic / Fanfiction Timeline Camren - Capítulo 33 - O Infiltrado

POV Lauren

Ed pegou o envelope e examinou atentamente olhou para a Camila e depois para o Harry vira-se para o policial Keaton e indaga.
-Por que não abriu o envelope para saber do que se trata o seu conteúdo? Ele pergunta um pouco desconfiado.
-Eu não sei, talvez tive medo que algo pudesse me acontecer, então deixei pra lá já que ninguém acreditava em mim.
-Entendo, tem mais algum documento relacionado esse último caso que vocês trabalharam senhor Keaton?
-Não.
-Tudo bem, agora já vamos qualquer coisa que se lembrar por favor entre em contato conosco. Ele tira um cartão do bolso de paletó e entrega ao oficial.
-E se vocês descobrirem por favor me avisem. Ele fala enquanto olhava para o cartão que o Ed havia lhe entregado.
-Tudo bem, até mais senhor Keaton. Ed fala.
É impressão minha ou ele me olhava de um jeito que fazia meu sangue congelar em minha veias.
Depois de sairmos de lá voltamos para a delegacia Ed foi falar com o capitão enquanto Harry ia fazer alguma coisa, eu e Camila ficou esperando Ed em sua mesa, o silêncio ficava entre nós enquanto ela escrevia alguma coisa percebia que ela me olhava e cada vez que nos olhos se encontravam sentia um frio em minha barriga, alguns minutos depois o Ed voltou da sala do capitão Richardson, Camila para de escrever e olha para ele e diz.
-Como foi lá com o capitão?
-Tudo bem, depois que o atualizei ele disse para continuarmos indo com a investigação.
-Ótimo.
Assim que falou isso ele pegou o envelope tirou o conteúdo de dentro espalhando em cima da mesa, havia alguns papéis e um pequeno objeto quadrado, neste momento ouço o Herry atrás de mim falar.
-O que isso Ed em sua mão? Harry indagou e eu fiquei mais curiosa ainda para saber do que se trata aquele objeto.
-Isso meu caro em minha mão esse pequeno objeto é chamado de disquete.
-O que esse disquete faz?
-Ele é um tipo de disco de armazenamento composto por um disco de armazenamento magnético fino e flexível, e armazena informações como um pendrive, cartão de memória, Hds externos, discos óticos e rede de computadores quando guardamos na nuvem, mas a sua capacidade de armazenamento é muito pouca e de apenas 1,44Mb.
-E como vamos acessar essas informações? Camila pergunta com certa curiosidade.
-Como ele é muito antigo precisamos encontrar algum colecionador que tenha algum computador que acesse ele.
-E onde podemos encontrar alguém assim? Harry questiona.
-Eu acho que sei quem pode nos ajudar com isso. Após dizer isso ele pega o seu paletó e veste dizendo que volta logo e sai.
-Eu volto logo. Camila olha para o relógio e depois mim e diz.
-Está com fome?
-Um pouco e você?
-Bastante, já está mesmo na hora do almoço.
-Então vamos comer.
-Vamos sim eu conheço um lugar aqui perto que muito bom. Ela olha para o Harry e diz.
-Estamos indo almoçar quer vim conosco?
-Há não tenho que terminar de terminar alguns relatórios podem ir sem mim.
-E para onde vamos Camila?
-Para o P.J Clarke's fica na 9/5 3Th Avenue.
-Tudo bem pra você?
-Sim. Qualquer lugar com você pra mim é ótimo digo pra mim mesma.
Entramos em seu a carro e Camila ligou o rádio e fomos todo caminho ouvindo músicas aleatórias, e para minha surpresa Camila começou a cantar baixinho uma música que presumo ser uma de suas favoritas.
The day I first met you (O dia que eu te conheci)
You told me you'd never fall in love (Você me disse que nunca iria se apaixonar)
Now that I get you (Agora que eu te entendo)
I know fear is what it really was (Eu sei que era medo na verdade)
Now here we are, so close (Agora estamos aqui, tão perto)
Yet so far, haven't I passed the test (Contudo tão longe, não passei no teste?)
When will you realize (Quando você perceberá)
Baby, I'm not like the rest (Amor, eu não sou como o resto)

Don't wanna break give your heart (Não quero quebrar seu coração)
Wanna give your heart a break (Quero dar um tempo ao seu coração)
I know you're scared it's wrong (Eu sei que você está com medo, que é errado)
Like you might make a mistake (Como se você fosse cometer um erro)
There's just one life to live (Há apenas uma vida para viver)
And theres no time to waste, to waste (E não há tempo a perder, perder)
So let me give your heart a break (Então me deixe dar um tempo ao seu coração)
Give your heart a break (Dar um tempo ao seu coração)
Let me give your heart a break, your heart a (Me deixe dar um tempo ao seu coração, um)
Break (Tempo ao seu coração)

Alguns minutos depois chegamos ao nosso destino, entramos no estabelecimento e Camila pediu uma mesa afastada, assim que o garçom anotar os nossos pedidos e sai ficamos em silêncio por alguns minutos antes de nossos pedidos chegarem, resolvo falar alguma coisa, mas nada inteligente vem em minha mente então pergunto sobre a música que ela estava cantando no carro.
-Então qual o nome daquela música que você estava cantando ainda pouco no carro?
-Give your Heart a Break da cantora Demi Lovato.
-E você parece ser bastante fã dela.
-Por que acha isso?
-Pelo o jeito que cantava com tanta emoção embora que cantasse bem baixinho.
-Você está certa eu sou super fã dela.
Neste momento o garçom trouxe os nossos Pedidos Camila comia a sua pizza como se amanhã não existisse amanhã, na verdade parecia uma adolescente atrapalhada de tão engraçado o jeito que comia, resultado se lambuzou toda a boca de molho e as mãos também, em questão de segundos devorou dois pedaços de pizza, começo a rir sem parar ela fica séria olhando pra e diz.
-Do que você está rindo?
-De você.
-De mim?
Balanço a cabeça para confiar que sim e aponto para ela o motivo da graça porque estou rindo tanto, ela olha para as mãos e vê as duas sujas de molho e um belo sorriso se forma em seu rosto.
-Me desculpe por rir, mas não aguentei foi inevitável.
-Tudo bem eu estava tão concentrada na minha pizza.
Ela pega um guardanapo e começa a limpar as mãos, mas não conseguiu tirar tudo então ela se levanta da mesa dizendo.
-Eu vou ao toalete lavar as minhas mãos, com licença.
-A vontade.
Não acredito que isso aconteceu quando estou com ela parece que perco a noção das coisas e esqueceu que não posso ser eu mesma e sim a Camila dessa linha de tempo uma policial séria, abro a torneira e pego um pouco de sabão líquido espalho entre minhas mãos olho para o espelho e vejo o reflexo de alguém refletir atrás de mim quando olho para trás vejo alguém que não esperava não no banheiro feminino.
-Chester!
-O que você está fazendo aqui no banheiro feminino?
-Não temos tempo para isso precisamos conversar.
-Aqui não é um lugar conveniente para conversarmos agora.
-Isso não importa. Ele vai até a porta e a tranca a fechadura para ninguém entrar.
-O que aconteceu pra você está aqui?
-Vim te avisar sobre algo.
-O que você descobriu?
-Andei conversando com uma de minhas fonte e ar um infiltrado aqui nessa linha de tempo.
-Acho que você já deve saber sobre o caso Cartaze.
-Sim, o que tem haver?
-Ele estava trabalhando num caso onde uma jovem foi assassinada.
-Sim, mas nunca encontraram o corpo.
-Por que você acha que o corpo dela nunca foi encontrado.
-Não faço ideia.
-Bom acontece que a garota que mataram era a versão de uma certa garota de belos olhos verdes que está te esperando numa mesa deste lugar.
-A Lauren.
-Sim, você precisa achar-lo e eliminar-lo imediatamente antes que ele mate a sua queridinha Lauren e depois você.
-Eu não posso matar alguém assim.
-Não posso fazer isso por você, então der um jeito nisso.
-Mas...
-Mas nada Camila ou você o mata ou ele vai matar ela e você.
-Me diz uma coisa Camila esse amor que você diz sentir por ela vale a pena você se sacrificar tanto sim ou não?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...