História Timetale - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Flowey, Frisk, Grillby, Mettaton, Napstablook, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne, W. D. Gaster
Exibições 2
Palavras 908
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ecchi, Famí­lia, FemmeSlash, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Yuri
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Necrofilia, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Capitulo III


Time:(Ok, agora tenho de pensar em algo rapido, bem sei parar o tempo mas não posso estar em dois lados... já sei) - Ele foi até a Toriel - Eu peço desculpa mas não vou poder ir, então teram de ir sozinhas, ok?

Toriel: Não faz mal Sans, sabes se Frisk vai demorar muito?

Time: Ela deve estar quase a vir, bem adeus - Ele foi até Snowdin, parou o tempo e foi até o Castelo de Asgore e fez o tempo continuar - (Onde ele está?) - O Asgore aparece, time para o tempo novamente, agarra no Asgore, levou-o até a sala onde Sans o tinha encontrado pela primeira vez, trancou-o lá e voltou - (Bem isto cansa muito, bem posso dizer que era mentira).

Frisk Pov

Frisk ainda estava a vestir-se e enquanto isso cantarolava.

Frisk: Hoje vou ver o papai, hoje vou ver o papai - Depois dela ter acabado de se vestir ela foi até a Toriel - Estás pronta mãe? 

Toriel: Tu sabes como é o meu relacionamento com o Asgore, mas por ti eu faço esse sacrifício e a propósito o Sans não vai poder ir.

Frisk: Porque? - Perguntou ele um pouco triste.

Toriel: Ele disse que não podia ir mas não disse o porque filha.

Frisk: Ok mãe - Depois dessa conversinha, eles foram até ao Papyrus perguntar pelo Sans - Ei Papyrus sabes onde o Sans foi?

Papyrus: ELE FOI PARA O CORE HUMANA.

Toriel: Obrigado Papyrus.

Elas foram até o Riverman e ele perguntou.

Riverman: Ubi sunt vis ire? (Para onde querem ir?)

Toriel: Que?

Riverman: Et non intelligere me? (Vocês não me entendem?)

A Toriel massageava a cabeça na tentativa falha de tentar entender o que ele dizia, enquanto Frisk só ria.

Riverman: Quoniam tu rides? (Porque te estás a rir?)

Ela olha para o Riverman e fala.

Frisk: Ut ducas unumquodque ad Core - ela vira-se para Toriel e fala - Podes-nos levar ao Core?

Riverman: Scilicet ut resurgant (Claro que podem).

Frisk: É para subir nós vamos até o Core, Mãe.

Toriel: Tá mas me diz umas coisas, O que ele está a falar e que lingua é essa? - Ela pergunta enquanto elas sobem.

Frisk: Bem nós estamos a falar Latim.

Toriel: Já sei o que é isso, isso é uma língua muito antiga, certo?

Frisk: Sim, é.

Enquanto elas iam até o Core a Frisk ia explicando um pouco de Latim à Toriel, quando chegaram lá elas desceram e foram até o Castelo do As(s)gore quando estavam no meio do caminho a Frisk pergunta.

Frisk: Até agora viste o Sans?

Toriel: Ainda não, espera o que é aquilo ao fundo - ela fecha um pouco os olhos para ver mais ao longe - Olha é o Sans.

Frisk: A sério? - Ela fecha um pouco os olhos (Que por natureza já estam fechados)  e avista o Sans, que logo em seguida corre até ele - Ei Sans aqui, aqui Sans.

Sans: Heya kiddo, como vai?

Frisk: Eu estou bem, o que vieste fazer aqui?

Sans: Eu tive uma briga com o Paps e sai para tomar um ar.

Frisk: Então o que foste fazer la às Ruinas?

Sans: Eu não fui às Ruinas?

Toriel: Mas tu estavas lá, que eu vi e ainda tinhas falado comigo.

Sans: Mas eu não me lembro de nada disso, e olha que eu me lembro de muita coisa - ele começa a ficar um pouco triste.

Frisk: Não te faças de vitima tu só dizeste isso pa...

Toriel: Não ligues ele só queria um pouco de tempo - ela interrompe a Frisk deixando-a bem mais calma.

Frisk: Ok, temos de nos despachar senão nunca mais chegamos lá.

Toriel: Tens razão - ambas deram tchau para o Sans e seguiram até o Castelo do Asgore.

Sans Pov

Sans: Tá fazer o que né, ela deve estar drogada, acho que vou até aquela sala que estava - pensou ele para si, ele deu meia volta e voltou para a sala - pergunto-me de quem será a sala, bem vou me deitar aqui no meio - ele vai ate o "meio", deita-se e dorme,

Sonho On

Estava ele num sonho (óbvio se está a sonhar obviamente está num sonho) em uma sala completamente escura e que nem dá para ver as paredes assim com a sala em que ele adormeceu, nessa mesma sala havia só uma porta ele decide-se levantar e andar em direção a ela, quando passa por ela ele avista um homem que parecia um esqueleto e era alto.

???: Vejo que já acordas-te vem não temos tempo, nós temos de te preparar para ameaças futuras - ele nem me deixou falar, agarra em mim põe-me numa cama de hospital - Não te esqueças isto não doi.

Eu pensava para mim mesmo    quem era ele, e o que era isso de "preparar para novas ameaças" ele realmente não entendia nada.

Sans: Q-quem és tu?

???: Tu sabes quem sou, ´vá não temos muito tempo fica ai enquanto eu vou buscar as almas - ele vai embora e me deixa aqui passado algum tempo ele volta com duas almas.

Sans: Para que são essas almas?

???: São as almas da justiça e da paciência, tu já sabes o que fazem.

Sans: Sim e estou pronto.

O outro ser pega numa seringa extrai um pouco de justiça e de paciência das almas, ejeta em mim e eu acordo.

Sonho Off



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...