História Tinha que ser Você?Imagine Jungkook - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jeon Jungkook, Jung Hoseok, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Park Jimin
Exibições 514
Palavras 6.746
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


BOA LEITURA!

Capítulo 33 - "Até o fim da eternidade"


Fanfic / Fanfiction Tinha que ser Você?Imagine Jungkook - Capítulo 33 - "Até o fim da eternidade"

"Pelas salas de cinema

Pelos filmes que já vi

O feliz para sempre

Era o centro dos romances

 

A mocinha se apaixonava

E o mocinho corespondia

As vezes era preciso

Enxerga através da beleza externa

Mas no final o amor vencia

Com finais felizes ou trágicos

O sonho era realizado

O sonho do amor

Os olhares trocados

Já era um indício

Do início de uma paixão

O amor parecia algo fácil

Vemos histórias iguais na vida real

Mas não tem um final

Muitas vezes precisamos de tempo

E o tempo não foge do comum

Não tem príncipes nem princesas

Apenas seres de carne e osso

Com ilusões dessas interpretações

Sonhando com o dia de chegar

O tão esperado final feliz"

 

 

 

JUNGKOOK!!!—Minha voz falhava. Isso não poderia ser possível!

 

Não. O homem que amo NÃO pode morrer! Isso não poderia acontecer...

 

 Eu não sofri todo esse tempo para perde-lô! Nosso amor não poderá acabar assim!

Eu não viveria sem seu sorriso, sem seus toques, sem seus lábios...

Não sobreviveria sem ouvir um "Eu te amo" com sua voz aveludada, nem sem suas broncas e seus ataques de ciúmes!

 Eu quero um final feliz!

Eu NECESSITO de um final feliz.

E meu final feliz...É, somente, com Jungkook ao meu lado.

 

Lágrimas grossas desceram por meu rosto, soluços altos escapavam pelo os meus lábios.

 

Não...—Meus lábios tremiam.

 

Argh...—Um gemido alto e explicito me chamou atenção.

Olhei para onde os dois homens estavam caídos e me deparei com um deles se levantando e com o ombro sangrando.

 

Jungkook.

 

Ele estava vivo! Vivo! Machucado...mas vivo! VIVO!

 

Jungkook!—Exclamei.

Ele me olhou, abriu um grande sorriso e um suspiro de alivío — Ato meio estranho para uma pessoa com o ombro sagrando—. Ele veio na minha direção e desamarrou minhas mãos e meus pés.

 

—Meu amor, você está bem?!—Sua mão percorria meu rosto e meus braços, verificando se havia algum ferimento.

 

E-Eu...Eu...Eu achei que você ti-tinha...—Mordi os lábios—Morrido...

 

—Eu nunca morreria sabendo que deixaria o amor da minha vida.—Respondeu com um sorriso no canto dos lábios.—Por que está chorando?!

Achei...achei que iria te perder...

—Me perder?! Nunca! Mesmo que você desistisse de mim, eu iria continuar cuidado, protejendo e te amando!

—Obrigado.

"Obrigado" digo eu. Obrigado por existir.

 

 Ele me puxou para um abraço e, depois de muito tempo, pude sentir o calor protetor de seu corpo.

 

Uma fungada fez com que nos soltássemos. Olhamos para trás e vimos Yang Mi com o rosto vermelho e com a blusa de grife molhada de lágrimas.

 Jungkook me ajudou a levantar e fomos para o lado dela.

Jungkook tirou a arma, que ainda estava entre os dedos de Yang Mi, e colocou em cima da mesinha de madeira avermelhada ao lado.

 

Eu matei...—A voz de Yang Mi era mais um sussurro.—Matei-o...

—Calma.—Jungkook passou o braço pelo dela e a sentou cuidadosamente no sofá.—Você fez o certo.

Matei...—Ela olhava o nada.

—Acalme-se. Você agiu corretamente. Se não o tivesse feito...eu era quem estaria morto.

 

Ela ficou em silêncio por alguns segundos, me olhou com sarcasmos e sorriu.

—Por que está com essa cara?!—Perguntou ela vendo minha preocupação.—Não matei ninguém por sua causa. Por mim você teria morrido...—Gargalhou.—O único motivo foi...—Sorriu para Jungkook.—Ele.

 

Riu.

 

Ela está louca?! Está rindo?! Quê...

 

Um som de sirene ocupou nosso ouvidos. Vários carros de policia sercaram o prédio.

Batidas fortes e rápidas foram despejadas na porta.

 

—Abra! É a policia!—Uma voz grossa e áspera gritou do lado de fora.

 

Jungkook se levantou e abriu a porta. Vários homens bem armados e fardados adentraram no local.

Enfermeiros rodearam o corpo de Roger e o examinaram.

 

Havia muito sangue no chão, então virei de costas.

—O que foi?!—Yang Mi passou a mão no meu cabelo.—Não gosta de...Sangue?!

Ela gargalhava.

Todos a olharam, um policial olhou para mim e perguntou:

—Sabe quem...Quem o matou?!

—Ah...—Mesmo que eu quisesse eu não poderia entregar Yang Mi, afinal, ela salvou a vida do meu amor.— Fui e-...

—Fui eu!—Disse Yang Mi e gargalhou.—Divertido, não?! Adorei aperter o gatilho e estourar o crânio dele! Alguém quer ser o próximo?

 Ela tentou pegar a arma que estava em cima do sofá, mas eu a puxei e a joguei contra o chão. Ela se levantou e partiu pra cima de mim, quando Lainára e alguns homens de branco entram na sala e tiram Yang Mi de cima de mim, vestindo-a com uma camisa de força.

 

—Me soltem!!!—Ela se debateu e chutou a perna de um dos homens que a seguravam.

 

Lainára me viu e me abraçou com força.

 

—Que susto! Ainda bem que Jungkook chegou a tempo!—Ela sorria ao dizer tais palavras.

—Que saudade de você!!!—Uma lágrima desceu pelo meu rosto.

 

—Que cena linda!—Yang Mi gargalhou. Nojenta...—Não se preocupem, vocês serão as próximas!

 

Só por cima do meu cadáver.—Jungkook se pôs ao meu lado e abraçou minha cintura.

 

—O que?! Está me pedindo em casamento?!—Yang Mi sorriu.—Claro que eu aceito!

 

Eu não disse isso...

—Sim, meu amor, vamos nos livra da ____ e viver felizes para sempre!

—Levem-a daqui!—Disse Lainára apontando para a porta.

—Sim, eu vou embora curti minhas "férias".—Disse Yang Mi se referindo ao hospício.—Pelo menos matei um!

 

—Não, você não matou.—Um enfermeiro se aproximou de nós.— Na verdade, você só acertou um lado da cabeça.

 

—Mas...há tanto sangue!—Lainára passou a mão nos lábios.

—Sim, sim. Normalmente, quando acertamos algum local na cabeça, tende a sangrar mais. Na cabeça há muitos vasos sanguíneos. Ele somente está em coma, vamos levá-lo para o hospital e quando ele estivar melhor...Vai passar um booom tempo na cadeia.

 

Ótimo.—Jungkook suspirou.

 

Sim. Ótimo.

 

 Roger foi levado logo em seguida para o hospital. Yang Mi foi levada para suas "férias" e, finalmente, meus amigos e eu estávamos tomando sorvete.

 

   Eu estava tomando sorvete de pêssego, enquanto Jungkook escolhia um sabor e os outros escolhiam um horário para pegar um voo para a Coréia.

 Entre uma colherada generosa e outra, meu celular vibra. *Uma nova mensagem*

Abro e vejo uma frase:

 

"Antes de olhar para frente, limpe sua boca que está suja de sorvete! :)"

 

Que?!

 

 Peguei uma guardanapo e passei nos lábios discretamente. Depois de limpos, olhei para frente, vendo um cara forte e gato, com um grande sorriso no rosto.

 

Jackson.

 

Estava de bermuda jeans, um camiseta branca, tênis vermelhos e um boné vermelho virado para trás.

 Ele se aproximou e parou exatamente na minha frente, com seus olhos percorrendo todo meu rosto e com um sorriso presunçoso.

 

—Pelo visto continua linda e esfomeada.—Disse ele com um riso entre lábios.

—E você o mesmo babaca de sempre. Pelo visto, as coisas não mudaram.

 

Rimos.

 

—Senti saudade do seu sarcasmo.

—Não nos vemos a dois dias...Que saudade é essa?!

—Ué...Não posso sentir saudade da garota que me fez rir depois três anos?!

—Ah...—Três anos?! Meu Deus!

—Não precisa fazer essa cara de "Como assim?!"—Riu.—Sabe...a gente poderia sair e comer alguma coisa...

—Nem a pau!—Jungkook entrou na conversa, labendo um picolé de morango e deixando os lábios úmidos e avermelhados...meu Deus...

—Jeon cú!—Disse Jackson e riu.

NUNCA MAIS ME CHAME ASSIM!—Jungkook fransiu a testa.

—Foi mal...Mas sobre eu sair com a ____...Se ela quiser é CLARO que vou levá-la.

—Como sempre tentando puxar meu tapete.

 

"Como sempre"?!

 

—Vocês já se conhecem?!—Perguntei boquiaberta com a situação.

 

—Sim.—Respondeu Jungkook.—Ele é meu primo de terceiro grau.—Primos?!—Quando meu pai soube que ele estava na índia, chamou ele para fazer parte do plano.

 

—Então você sabia de tudo e eu não?!—Perguntei me direcionando a Jackson. Ele assentiu—Que lindo.—Cruzei os braços.

 

—Não podíamos dizer nada a você.—Disse Jackson se sentando na cadeira ao meu lado. Jungkook fez o mesmo.—No início, eu achava que você era uma nojenta esnobe...Mas quando você me tratou bem, me fez sorrir e conversou comigo...Eu queria, ainda mais, te proteger de tudo isso. Então resolvi não lhe contar nada sobre tal assunto. Queria te proteger...

 

—Admito que quando olho para ela...eu sinto vontade de escondê-la do mundo!—Disse Jungkook sorrindo e olhando para seu picolé.

—Pois é...

—Eu não sou TÃO indefesa assim!—Falei abruptamente.

 

Eles riram.

 

—É sim!—Disse Jackson tomando um pouco do meu sorvete, quase já derretido.

—Pior que você é MUITO inocente.—Jungkook sorriu de lado.— Você é tão boazinha...tão simples e meiga...que as pessoas acabam te enganando.

—Como certas pessoas...—Insinuou Jackson para Jungkook.

—Foi necessário.

—Eu sei.

—Vocês podem parar de falar como se eu não estivesse presente?!—Perguntei tirando meu sorvete da mão de Jackson.—Você acabou com meu sorvete...

Eu compro outro.—Disseram os dois em uníssono.

 

Eles se entre olharam e começaram a discutir. Quando fui abri a boca para intervir, uma pessoa sentada bem distante me chamou a atenção.

 Jin estava sentado sozinho lendo um livro e tomando café. Resolvi me levantar —Deixando Jungkook e Jackson para trás— e me sentar com ele.

Puxei a cadeira e me sentei a sua frente. Ele não me olhou.

—Hum...Que livro é esse?!—Perguntei analisando a capa.—Ah! Romeu e Julieta?! Eu amo esse romance! Jin, temos que ler um livro novo...Que tal se, quando voltarmos para Coréia, comprassemos um livro novo?! Aí poderíamos...

—Como pode?—Me interrompeu ele.

—Como pode o que?!—Franzi a testa.—Não entendi.

—Como pode querer falar comigo depois de eu ter feito isso?!—Ele fechou o livro.

—Isso o que?!

—Ter mandado você para Índia!

—Mandado?! Epa! Em primeiro lugar: Você não manda em mim. Se eu vim para Índia foi porque eu quis, independente da sua opinião solista!—Me levantei e bati na mesa com as mãos.—Não seja ridículo! Eu não iria a lugar nenhum só porque VOCÊ "mandou"! Eu só lhe comuniquei e pedi uma opinião retórica! Não seja tolo!

 

Ele ficou me fitando durante alguns segundo, pasmo, e depois riu e disse:

—Obrigado. Você acaba de tirar um grande peso sobre minhas costas!

Ri e me sentei.

—Disponha.—Rimos.

 

 

LAINÁRA

 

 Enquanto todos tomavam sorvete, resolvi andar um pouco e esparecer meus pensamentos.

Tecnicamente, não são "pensamentos" no plural, mas sim um único pensamento.

 

Yoongi.

 

Tá, tá, ok! Eu sei que fui EU que dispensou ele...Mas vocês acham que não me sinto megamente increvelmente estranhamente mal?!

Eu gosto, amo ele a mais de seis anos! Não seria por uma briga, particularmente inútil da minha parte, que meu amor iria acabar tão fácilmente assim!

 

Ai. Chutei uma pedra, foi mal aê!

 

Enquanto mancava, continuei andando.

 

—Que ódio! Será que eu não posso amar uma pessoa e viver em paz?!—Falei em tom alto.

 

—Também gostaria de saber a resposta.—Uma voz grossa, séria e sedutora sussurrou logo atrás de mim.

 

Me virei abruptamente, dando de cara com Yoongi de olhos baixo e úmidecendo os lábios. Ele levantou o olhar diretamente para o meu.

 

Ai. Meu. Caramba.

 

—Muitas perguntas para poucas, ou nenhuma, respostas!—Por fim consegui falar depois de quase um minuto admirando seu belo rosto pálido.

 

—Eu tenho uma resposta.—Disse ele dando uma passo na minha direção. Recuei.

—E qual seria a sua "Resposta"?!

—Simples.

Ele me puxou pela cintura com tanta força que eu não conseguiria, e nem queria, me soltar de suas mãos. Nossos narizes colados um no outros, nossas respiração se encontrando e nossos lábios deslizando um no outro.

 

Enfim, nos beijamos.

 

Um falatório se criou ao nosso redor. Com certeza os indianos estavam bravos conosco.

 

E daí?!

 

Esse era o momento que eu mais esperava em uma semana!

Se felicidade tivesse forma, a minha seria um arco íris com um grande pode de ouro no final!

 

 Depois de algum tempo sem ar, separamos nosso lábios e encostamos nossas testas.

 

—E-Essa foi minha resposta.—Disse ele com os olhos fechado e um sorrisinho no canto da boca.

 

—Se essa foi sua resposta...—Sorri.—Me lembre de fazer mais perguntas.

 

Ele me abraçou e me rodopiou no ar.

 

 

 

________

 

 Depois de separar uma semi-briga de Jungkook e Jackson, chegou a hora de voltarmos para a Coréia. Namjoon e eu estávamos jogando no celular enquanto Lainára, Yoongi, Jungkook e Jin conversavam em alguns dos bancos do aeroporto. 

 

—Você tá acelerando de mais o carro!—Disse Namjoon depois de eu ter derrapado nos primeiro quinze segundos de jogo.—Tem que ser mais suave com a partida! Parecia que você queria voar e não dirigir!

 

—Tá, tá!

 

Continuei jogando. Quando Jungkook tira o celular da minha mão e diz:

—Já está na hora do nosso vôo.

 Assenti.

Namjoon e eu nos levantamos e seguimos para irmos todos juntos fpara o próximo vôo para a Coréia. Quando, de repente, dedos se entrelação nos meus. Fiquei em choque. Eu conhecia aquele toque quente e confortável.

 

Era ele.

 

 

Me virei e olhei no mais profundos olhos negros, me fitando e brilhando. Um sorriso tímido percorreu seus lábios e um frase transbordou por eles:

 

—Não sabe quanto tempo eu esperava por esse momento.

—Eu também esperei muito por isso.—Suspirei.—Jungkook.

 

 

                       [...]

 

 

Já se passaram dois meses. Sim! DOIS MESES! Minha mãe chorou muito quando me viu...Vocês podem imaginar!

Todos estavam felizes. Todos...Quase todos...Eu não estava!

Aí vocês devem estar se perguntando "Por que essa imbecil não está feliz?". Bem...A minha volta para a Coréia não foi como eu esperava...Eu realmente achei que, nesse momento, eu estaria vendo um filme, comendo pipoca, tomando um chocolate quente, enrolada em cobertor e abraçada com o meu namorado.

 

Namorado...

 

Tem dois meses que Jungkook não fala diretamente comigo. Eu nem o vejo mais...Só na escola e quando tem intervalo ele sai de perto e fica conversando com Namjoon e Yoongi!

 Eu realmente não sei o que está acontecendo com ele!

Quando eu tento me aproximar, ele dá um jeito de dizer que está ocupado ou que não se sente bem...Quando ligo pra ele dar "Fora de área ou desligado".

Eu estou meio que...Desesperada?! Talvez...Ficando maluca?! Bem provável.

 Nesse momento eu estava pesquisando algum vestido para mim. Isso mesmo! Pesquisando um vestido na internet!

Falatava exatamente dois dias para o dia da minha formatura do meu último ano escolar...

 É. Eu estou virando uma mulher adulta. Hora de ir para a faculdade.

 E eu já decidi qual faculdade eu vou fazer.

 E não vou falar agora!

 

Eu já visitara uns cem sites de moda e não encontrara nada que me agrada. Eu já não curto muito esse lance de moda...

 Olhei o relógio, eram 00:05h e eu ainda estava acordada.

Desliguei o notebook e me joguei na cama.

 O que será que está acontecendo com Jungkook...?

Fechei os olhos e caí no sono.

 

                        [...]

 

 No dia seguinte, acordei um pouco mais cedo. Era Sexta-feira e não teria aula por causa da formatura. A escola todo estava animada para a tal "festa de formatura". Todos já tinham seus acompanhantes para o baile...Menos eu.

 Talvez eu esteja ficando feia...

Me olhei no espelho. Meu cabelo cresceram bastante, batia agora debaixo dos meus seios, eu emagrecera, estava com mais busto e mais quadril e bem menas cintura, meus olhos estavam mais claros que o normal e eu estava bem mais branca!

Talvez eu estivesse parecida com uma cadáver...

Talvez eu devesse...Cortar o cabelo? Engordar mais um pouquinho? Pegar um sol? Usar lentes de contato escuras?

Não! Eu não vou mudar meu jeito por causa dele! Ele que venha atrás de mim!

A quem estou enganado?

Sem ele minha vida perde a cor...

Fui para a cozinha preparar meu café da manhã. Preparei um copo de leite quente e um pãozinho doce.

Agora, parando pra pensar, não foi só o Jungkook que se afastou de mim. Todos se afastaram! Nathália vive na casa do Jimin, Lainára nem me liga mais, Jin só fica na casa do Namjoon, Taehyung e Hoseok só ficam jogando video-game um na casa do outro e Jungkook e Yoongi não se desgrudam!

Estou abandonada.

 Uns minutos depois a campainha toca, toca, toca e toca!

Será que as pessoas não sabem que a campainha só se deve tocar uma vez e na segunda já é o máximo?!

 Me levantei da cadeira da cozinha e fui em direção a porta, abri e dei de cara com Lainára e Nathália.

—Bom dia!—Gritaram as duas em uníssono.

Lembraram da minha existência?!—Perguntei me virando e indo em direção ao sofá. Elas me seguiram.

—Estávamos ocupadas!—Disse Nathália se pondo a minha frente.

—Durante dois meses?!

—Bem...Eram muitas coisas.—Justificou Lainára.

—Então...Me digam que coisas foram essas.—Falei cruzando as pernas.

 Elas se entreolham e depois de alguns segundo Lainára disse:

—Nada de importante.

—Vocês acabaram de me dizer que foram muitas coisas. E como algo que não é importante pode tomar TANTO tempo assim?—Perguntei observando a reação das duas.

—Hã...é que...O que eu ía dizer...?—Nathália se enrolou.

—Mais mentiras, talvez?—Provoquei.

 

Silêncio.

 

 

Bufei.

 

—Vamos trocar de assunto?—Sugeriu Lainára.—Temos que comprar um vestido para você!—Apontou para mim.

—Não sei se eu vou nessa tal festa...—Comecei.

VAI SIM!!!—As duas gritaram.

—Por que eu tenho que ir? Se eu não estiver com vontade eu não vou!

—Teimosa que nem uma mula!—Disse Nathália cruzando os braços.

—Podemos testar piscologia inversa.—Sugeriu.

—Por favor! Me digam o que querem!—Falei me levantando e indo em direção a cozinha tomar água.

—Amanhã é a nossa formatura...Então resolvemos te levar para comprar um vestido!—Disse Nathália batendo palminhas.                    

—Não estou a fim... Não me sinto bem.—Falei e tomei um gole d'água.

—Isso se chama falat de homem!—Disse Lainára.

—Você fala isso porque o seu namorado não te esqueceu! E o meu...nem sei se somos namorados...acho que nçao...Ele nem sabe mais da minha existência!

—Ele também está ocupado...—Começou Nathália.

—Mais que merda!—Vociferei.

—Calma!—Lainára massageou as têmporas.—Vamos sair, comer alguma coisa e escolher um vestido lindo pra você!

Num sei não...

—Vamos! Vai ser legal!

—Tá. Deixem-me trocar de roupa.

Elas riram e eu fui para meu quarto.

 

                    [...]

 

 

—Que saco!—Falei enquanto Lainára e Nathália procuravam um vestido para mim.—Estou sentada aqui a horas!

 

—Acabamos de chegar!—Disse Lainára me olhando feio.

—Vamos! Escolha um vestido!—Insentivou Nathália.

—Não quero escolher.—Falei e cruzei os braços.

—Okay. Então, cale a boca e espere que a gente vai escolher um bem bonito!—Disse Lainára sorrindo.

 

 Enquanto elas vasculhavam cada canto da loja, resolvi escrever um mensagem para Jungkook.

Meus dedos clicavam rapidamente pela tela do celular.

Agora era só apertar o "Ok"...Não! Não posso fazer isso! Não sou desesperada!

Mas...quem eu estou enganando?

 

 

—Achamos!—Gritou Nathália.

Olhei para elas —que estavam sorrindo feito duas malucas— e avistei o vestido.

 Era azul, estilo tubinho, com as costas em renda, bem apertado e curto.

Se eu gostei?! Mas é claro!

Corri até elas e segurei no tecido macio.

—Gostou?—Perguntou Lainára curiosa.

—Sim! É lindo!—Exclamei com um sorriso.

—Então...Vamos escolher um sapato!—Disse Nathália. Ela se retirou e alguns minutos depois já estava de volta, com o sapato escolhido a mãos.—É esse!

 Era um salto agulha azul.

—Pronto! Agora vamos para casa prepara seu dia de beleza!

—Dia?—Perguntei assustada.

—Sim, senhora.—Lainára segurou meu braço e pagou as compras.

Nathália e Lainra passaram o dia inteiro me arrumando, com máscaras faciais, hifratando minhas pernas, fazendo massagem no meu cabelo e tals...

No dia seguinte, eu acordei meio que tarde. Eram 12h30. Levantei da cama e fui direto tomar meu café da manhã, quando dou de cara com Nathália e Lainára sentadas na sala.

—O que fazem aqui? Como entraram? E com que direito?—Perguntei cruzando os braços.

—Viemos cuidar de você. Nathália sabe arrombar portas e eu tenho todo direito sobre você!—Disse Lainára.

Hey...

—Calma!—Levantou as mãos—Viemos cuidar de você, só isso!

Concordei.

 

 A festa de formatura seria ás 20h, e já eram 19h.

Lainára havera se vestido com um vestido preto, em tubinho bem justo no corpo e com detalhes em renda. Seu cabelo estava liso, bem maquiada com um batom vermelho e com os olhos marcantes e um salto agulha preto.

Nathália estava com um vestido curto e com mangas compridas, bem rendado e de cor Rose. O cabelo estava bem lisinho e mechas estavam presas com um laço nude. Sua maquiagem se baseava em um delineador bem marcado, um blush claro e um batom rosa-pink.

 E eu...Eu estava BEM diferente!

Eu colocara meu vestido e meu salto. Meu cabelo estava liso e ondulado nas pontas. Minha maquiagem se resumia em bastante rímel e gloss.

—Essa noite vai ser íncrível!—Disse Nathália batendo palminhas.

Rimos. Buzinas de carro soaram.

—Estão esperando alguém?—Perguntei.

—Yoongi e Jimin viram nos buscar...—Disse Lainára tímida.

—Ah...

—Então vamos!—Disse Nathália puxando nossos braços.

 

                      [...]

 

Chegando na festa, Lainára e Yoongi seguiram para um lado e Nathália e Jimin para o outro. Tradução: Fiquei sozinha.

 Todos os alunos estavam se sentando para a cerimônia de formatura. Todos bem vestidos e sorridentes.

Talvez eles estivessem pensando no futuro feliz que eles prepararam.

Queria eu estar com um futuro planejado. Sim, já sei qual faculdade irei cursar...Mas, enquanto a pessoa que amo não estiver ao meu lado, meu futuro nunca será feliz.

 Hoje, minha mãe não pôde estar presente na minha formatura. Ela quase gritou de tristeza. Hoje ela estava cheia de pacientes e ela não poderia deixar ninguém na mão. E eu admiro isso nela.

Mandei meus pensamentos para longe e me sentei em no meio das cadeiras para frente do palco.

 Os Oradores das turmas já estavam fazendo fila para seus descursos.

E no fim da fila...vejo Jungkook. Como ele estava lindo!

Usava um terno preto, seu cabelo estava bem arrumado...E eu tinha certeza que ele estava usando perfume de alfazema...

 Cada discurso demorou cinco minutos, e a vez de Jungkook chegara.

 Ele subiu no palco e ficou diante ao microfone.

Enquanto ele recebia os comprimentos do diretor, múrmurios me chamaram atenção. Um grupo de garotas sentadas a minha frente, estavam falando...Sobre mim.

—Tenho peninha dela, perdeu um namorado maravilhoso.

—Deve ter sido uma grande idiota.

—Perdedora.

—Mal-amada.

 Senti meu sangue dar um leve esquentada.

Eu não iria falar nada...Na verdade, elas estavam certas. Eu sou uma idiota.

A idiota que perdeu o melhor cara do mundo! O cara que arriscou sua família, seus sonhos, seu futuro e sua vida para me salvar, me proteger...E eu não acreditei nele...Eu não acreditei.

Ai se arrependimento matasse...

 

 O diretor falou algumas palavras antes de passar o microfone para Jungkook.

 Jungkook passou a língua nos lábios —Ai meu Deus!— e ajeitou o cabelo. O holofote iluminava totalmente o seu rosto, fazendo seus olhos terem um brilho nunca visto antes...

—Bom...—Ele começou. Sua voz aveludada e sedutora.—Esse ano foi o melhor ano que já tive. Não só pela escola...Mas sim pelo que aprendi durante esse meio tempo. Aprendi a ser um homem, a respeitar o próximo e a...amar. Amor. Todos vocês deveriam amar! Saibam que o amor é a pior droga e o melhor remédio. Ele te vicia e te cura. Te abate e te abraça. Te agride e te beija. Eu nunca soube que amar seria tão bom assim...É como se realmente minha vida estivesse completa.—Ele deu uma leve risada.— E se vocês estão pensando que eu vou falar meu discurso inteiro sobre o amor...estão certos!—Todos riram.— Eu passei minha vida toda, acreditando que ninguém seria ideal para mim. Até que...Até que um pessoa apareceu. E quando ela apareceu...Minha vida mudou por completo. Nesses últimos dois meses, eu não passei um dia se quer sem pensar em seu sorriso, em seus olhos, em seus lábios...—Ele sorriu.—Não fiquem com água na boca!—Todos riram.— Essa pessoa...é simplesmente maravilhosa...Quando disse que ela mudou minha vida, na verdade, quis de dizer que, se hoje eu existo, é por causa dela. Eu nasci, vivi e quase morri por ela e não me arrependo por isso. Muito pelo contrário, faria tudo de novo se fosse preciso.—Ele fez uma pausa. Eu não acredito...— E eu sei que vocês estão curiosos para saber quem é ela. E ela está bem no meio de vocês, me olhando e, provavelmente, bem corada.—Ele estava certo.—E eu amo isso. Agora, eu quero que as pessoas que estão ao redor da garota de vestido azul e super gata se afastem e me dêem espaço.

 No mesmo instante todas as cadeiras ao meu redor desapareceram. Só eu fiquei sentada no meio de um pátio gigante e vazio. Jungkook estava vindo na minha direção.

Fiquei em estado de choque. Ele parou na minha frente. O silêncio era cruel, todos nos olhavam.

 Ele pegou em minha mão e me fez levantar da cadeira.

Ele me olhou bem nos olhos, e com a voz mais linda possível, disse:

—Você é a razão do meu viver, minha inspiração, meu exemplo, meu refúgio...Meu lar. Os batimentos do meu coração se acelera com os seus, se está assustada, eu também fico, se tem raiva, também tenho...Se ama, eu te amo.—Ele se colocou a mão no bolso e tirou uma caixinha e a abriu. Um aliança simples estava lá dentro.—Eu iria te entregar essa aliança no dia do seu aniversário...Mas aconteceram coisas. Então tive que esperar o melhor momento para te dar.—Ele sorriu e se ajoelhou a minha frente.

Jungkook o que está fazen-...

—Quer casar comigo?—Sua pergunta foi alta, clara e sólida.

Minha respiração falhou. Todos nos olhando, tudo silêncioso, um olofote os iluminando...Mas isso não importa agora! Ele precisa de um resposta e eu vou dá-la.

—Pensei que nunca me pediria!—Falei e ele suspirou de alívio.

Ele sorriu e colocou a aliança na minha mão direita.

—E eu pensei que você fosse dizer não.—Disse ele se pondo de pé e me olhando nos olhos.

—Eu não sou maluca a esse ponto.

 Rimos.

Ele inclinou seu rosto para perto no meu, seu nariz quase tocando o meu, quando ele me abraça e sussurra em meu ouvido:

 

—Só irei te beijar, quando seu "aceito" for...definitivo.

 

 QUÊ?

 

Todos nos aplaudiram.

 

                        [...]

 

 

  Depois da formatura, todos nossos amigos fomos para minha casa. Eles me explicaram que, nesses dois meses, estavam preparando...meu casamento.

 casamento! Eu ainda não acredito.

—Então, vamos deixar os noivos a sós?!—Sugeriu Lainára. Agradeço...

 Quando fui responder, uma voz alta falou atrás de mim.

NOIVOS???—Minha mãe parou na nossa frente.—Que história é essa?

 Eu iria explicar, mas Jungkook pediu para falar.

—Eu sei que a Senhora acha que sua filha é muito nova...—Começou ele.—Mas eu a amo. A amo muito! E eu peço sua benção ao nosso casamento.

Minha mãe me fuzilou com o olhar, mas logo em seguida abriu um sorriso e disse:

—Eu sempre soube que isso iria acontecer. E eu sempre irei aprovar um amor verdadeiro!

 Ela nos abraçou e rimos.

 

 Duas semanas depois, Jungkook e eu estávamos em casa vendo filme e comendo pipoca.

—Eu estou muito nervoso.—Disse Jungkook se referindo ao casamento.

—Nervoso? Não está tentando voltar atrás, certo?—Indaguei preocupada.

—Nunca! Eu nunca iria desistir disso! Só que...Eu tenho medo de não ser o marido que você merece.—Caí na gargalhada.—Não ria! Isso é sério!

—Pode parando! Você sabe que é mais, BEM MAIS, do que realmente mereço.

—Você merece o universo.

—E o que seria do meu universo sem você nele?

—...

Ficou vermelhinho!

—Hey!

 

 Ele fez cósegas em mim e caímos nas risadas.

 

Uns minutos depois, Jungkook me diz:

—Eu já sei que faculdade irei cursar.

—Eu também.

—Sério?! Qual?—Perguntamos ao mesmo tempo.

—Pode falar primeiro...—Disse ele.

—Não. Pode dizer você primeiro.

 Ficamos nos olhando e depois...

—MEDICINA.—Disse ele.

—ENFERMAGEM.—Falei.

—Como assim? Quando decidiu isso?—Perguntou ele surpreso.—Pensei que fosse cursar artes...

—Mudei de ideia. Eu pensei melhor e resolvi fazer enfermagem.

—E eu resolvi fazer cardiologia...

—Meu Deus. Até nisso estamos juntos!

Rimos.

Ele ficou me olhando e eu a ele. E quando achei que iríamos nos beijar...Ele recuou.

—Isso é maldade.—Falei.

—Também estou louco para fazer isso!—Disse ele passando os dedos entre o cabelo negro e macio.

—Então...—Me aproximei.—Não precisamos esperar.

—Precisamos sim! Amanhã é o nosso casamento! Vai ter que esperar até lá!

—Quem é a noiva aqui?! Você já fez tudo! Programou a o casamento e a festa! Eu nem escolhi meu próprio vestido!

—É que o seu NOIVO queria fazer uma festa surpresa! Queria fazer algo diferente!

—Atha, falou o SENHOR DIFERENTÃO!

—Falou a SENHORA NORMALZINHA!

 

 Nos encaramos e começamos a rir.

—Nosso casamento vai ser incrível!—Disse Jungkook entre risadas.

—Eu que o diga!—Ri.

 A campainha tocou. Jungkook se levantou do sofá e abriu a porta. Yoongi, Jimin, Taehyung e Hoseok estavam sorrindo e olhando Jungkook de um jeito estranho.

—O que fazem aqui?—Perguntou Jungkook.

—DESPEDIDA DE SOLTEIRO!—Gritaram todos juntos.

—Que merda é essa?—Perguntei.—JUNGKOOK!

—Eu não sabia disso!—Se justificou ele.

—Calma, _____! Não se preocupe!—Disse Yoongi.—Não faremos nada de errado! Não quero que a Lainára me mate! Ela que disse que o noivo e a noiva devem ficar 24h sem se ver!

Lainára...—Rosnei seu nome.

—Vamos! O carro está lá fora!—Disse Jimin.

Jungkook me olhou, como se estivesse pedindo permissão, assenti.

—Tudo bem. Podem ir. MAS EU QUERO ELE NO HORÁRIO CERTO AMANHÃ!

—Pode deixar!—Disse Hoseok puxando Jungkook e fechando a porta.

 

 

Enfim, sozinha.

 

 Enquanto terminava de assistir o filme, a campainha toca. Toca, toca e toca.

 

 

Nathália...

 

Me levantei bem devagar e abri a porta para Lainára e Nathália que entraram sem minha permissão.

 

—Bom noite pra vocês também.—Falei e fechei a porta.

—Sabe que horas são?—Perguntou Lainára.—Hora do seu sono da beleza! Tem que dormir para não ficar com bolsas nos olhos amanhã!

—São 19h50.—Falei sem humor.—Ainda é muito cedo.

—Não para um noiva!—Disse Nathália.

—Meu casamento...—Como é estranho dizer isso.—Meu casamento vai ser...Na verdade, eu não sei que horas vai ser o meu casamento? Nem onde vai ser meu casamento! Vocês poderiam me dizer...

—NÃO!—Disseram as duas.

—Mais...

—Nada de "mais"!—Disse Lainára.—Amanhã a limusine vem te pegar bem cedo! Então vá dormir!

—Okay...Boa noite.

Fui para meu quarto e me joguei na cama.

 

  Tá, eu posso estar meio grossa...Mas é que eu quero muito ficar a sós com Jungkook! Preciso!

 Eu só quero ficar sozinha com ele...em algum lugar bem sossegado. Ficar sentindo seu cheirinho de alfazema e me enrolar em seus braços...

 Só quero estar com ele!

Em meio ao meus pensamentos...caí no sono.

 

                      [...]

 

 No dia seguinte, eu já estava na limusine há quase 3h!!!

—Para onde estão me levando?—Perguntei a Lainára e Nathália.

Os vidros era totalmente escuros...eu não podia ver nada!

—Não podemos falar...Só que você está indo direto para seu vestido, depois cabelos, unha (pé e mão), maquiagem e o "Aceito"!—Disse Lainára.

Engraçadinha...

—Calma.

 

Emburrei a cara.

 

 Depois de mais trinta minutos, o carro finalmente estaciona. O motorista abre a porta para mim.

Lainára tampa meus olhos e eu não vejo nada. Nem fiz questão de relutar.

 Seguimos andando, andando e andando até que paramos.

Lainára tira a mão dos meus olhos e eu dou de cara com um quarto de hotel bem luxuoso.

—O que vamos fazer aqui?—Perguntei.

—Esse vai ser seu dia de beleza!—Respondeu Nathália.

—Todo dia é "dia da beleza"?

—No seu caso...sim!

 

     Um equipe de profissionais da beleza entraram no quarto. Tinha mais de quise pessoas...Vão recontruir um prédio acabado?

 Ér...hora da luta.

 Enquanto faziam meu cabelo e minhas unhas, deixei minha mente vagar.

Jungkook...Como estou louca para ficar a sós com você! Quero poder gritar pro mundo que finalmente estamos livres!

Eu ainda não acredito que vou me casar....é como se tudo isso fosse um sonho!

 

 Duas horas depois, já estava quase de tardinha, daqui a pouco ía ter o pôr-do-sol. Eu estava maquiada, com o cabelo feito e vestida.

Eu ainda não tinha me visto, e Lainára e Nathália me disseram que eu só poderia me ver depois de dizer "Aceito".

Eu estou muito nervosa! Não sei como agir...Não sei o que fazer!!!

—Está na hora.—Disse a auxiliar de casamentos.—Os convidados já estão aí. Só falta a noiva.

 Eu estava vendada. Caramba! Pra quê eu fui arrumar um namorad...NOIVO dramático?!

 Senti minhas mãos serem envolvidas.

—Tudo vai dar certo.—Disse Lainára.

—Com certeza.—Confirmou Nathália.

 Um buquê foi depositado em minhas mãos. Eu queria muito poder ver!

 Lainára e Nathália me ajudaram a levantar, andamos e andamos até que elas pararam e um braço envolveu minha cintura.

—Permita-me dizer que a Senhorita está magnifica!—Essa voz...

—Sr. Kim?!—Perguntei.

—Sim, sou eu. Sua mãe me pediu para lhe acompanhar até o altar. Mas se a Senhorita não quiser...

—Claro que quero!—Disse quase chorando.— o Senhor foi o único que me tratou como filha!

—E sempre vou tratar. Agora...está pronta?

—Não.—Rimos.—Sim, estou.

 Ele desvendou meus olhos. Pisquei algumas vezes por causa da claridade e olhei em olhos negros, sinceros e com pés-de-galinha.

—O senhor está muito elegante!—Avaliei-o sorrindo.

—Obrigado! Mas não temos muito tempo, Jungkook quer que se casem na hora exata! Então olhe bem a decoração ao seu redor.

O obedeci. Estávamos em um tipo de "caverna de flores", a minha frente um éu com margaridas estavam estendidas até o chão, que estava repleto de polem e algumas pétalas.

Olhando através do véu, pude ver pessoas sentadas conversando.

Eu estava suando e...muito impressionada!

—Vamos?—Perguntou.

—Hum...Sim.

 A auxiliar de casamentos de ordem para que tocassem a música. Mas...não era a música de casamento que eu estava pensando...Era a música que Jungkook cantava para eu dormir!

QUE LINDO!

O piano estava totalmente no ritmo...era como se a própria voz dele estivesse ali!

—Atenção a todos! A noiva vai entrar!—A auxiliar de casamentos avisou.

Todos se levantaram. Eu ainda não vi quem eram...mas estavam de pé.

O Sr. Kim me deu uma piscadela e o véu de margaridas abriu ao meio.

Meu olhos foram direto ao encontro do homem perfeito, vestido de preto e com os cabelos sobre a testa.

Eu estava absorta com a cena. Não com os detalhes da decoração ou os convidados...Mas sim em como tive sorte em um homem como ele me escolher.

A música estava na segunda repetição, eu fiquei tanto tempo olhando boquiaberta para ele que o Sr. Kim precisou me dá uma cutucada no braço para me acordar.

Jungkook sorriu. E começamos a caminhar pelo tapete vermelho...Pera! São pétalas de rosas! UM TAPETE DE PÉTALAS DE ROSAS!

Se controla!

Eu não reparei mais em nada! Apenas no homem parado a minha frente sorrindo para mim.

Ao lado de Jungkook, Yoongi e Namjoon. Do meu lado, Lainára e Nathália.

Chegamos ao altar. Jungkook pegou em minha mão e sorriu.

—Cuide bem dela.—Disse o Sr.Kim antes de se retirar.

Jungkook me conduziu ao seu lado e Lainára tirou o buquê da minha mão.

Ele sorriu e disse bem baixinho:

—Você é coisa mais linda que já vi! E aproveite que temos três minutos e olhe ao seu redor.

A minha frente, eu via um praia...uma mar perfeito! O altar era envolto por flores brancas e amarelas. Quando o vento soprava, eu podia ver todo o polem fazendo desenhos no céu.

Os bancos para os convidados eram talhados a mão e todos tinham flores penduradas.

—Acabou seu tempo.—Disse Jungkook com um sorriso. Mas...que tempo?!
O juiz de paz fez um sinal para Jungkook que retribuiu com um sorriso-meia-lua e começou a falar.

Enquanto ele falava, falava e falava. Meus olhos estavam em Jungkook.

O juíz se virou para Jungkook e perguntou com um grande sorriso:

—Você, Jeon Jungkook, aceita ________ como sua legítima esposa, para amá-la e respeitá-la até que morte os separe?

Jungkook respirou fundo, se virou para mim, pegou minhas mãos entre as suas, olhou nos meus olhos e disse:

—Eu, Jeon Jungkook, aceito ________ como minha legítima esposa, para amá-la e respeitá-la até o fim da eternidade. Pois nem a morte poderá nos separá. —Disse ele como se corrigisse o juíz.

Não chore, _________!

O juiz sorriu, me olhou e perguntou:
—Você, __________, aceita Jeon Jungkook como seu legítimo esposo, para amá-lo e respeitá-lo até que a morte os separe?

Meus olhos percoreram o rosto ancioso de Jungkook. E comecei a lembrar de como nos conhecemos, das nossas brigas, nossas conversas, nossos beijos...Nossa primeira vez.

Passamos por tantas coisas...que nem parece ser real! É como se tudo fosse um sonho...e eu não queria acordar.

—Senhorita?—O juíz chamou minha atenção.

Pisquei e vi Jungkook me olhando assustado.

Sorri e repondi:

—Eu, _________, aceito Jeon Jungkook como meu legítimo esposo, para amá-lo e respeitá-lo até o fim da eternidade. Pois nem a morte poderá nos separá.

E isso era verdade. Encaramos a morte tantas vezes! E nunca deixamos de nos amar.

Jungkook sorriu alíviado.

—Então...pode beijar a noiva.

Jungkook sorriu e me agarrou pela cintura. Nos olhamos e enfim nosso lábios se encontraram. Foi um beijo simples, pois nenhum de nós dois gostávamos de nos expressarmos em público. Ele sorriu e me olhou.  Quando olhei para o mar, vi que o sol se punha...Era isso que ele queria! Que nos beijássemos no pôr-do-sol. Maravilhoso.

—VIVA!—Gritou Yoongi.

Os garotos foram abraçar Jungkook e as meninas me abraçaram.

      Jin e Najoom vieram ao meu encontro.

—Parabéns!—Disse Jin e Namjoon acentiu.

—Obrigado!—Falei e Jungkook se pôs ao meu lado.

—Muito obrigado por comparecer Jin...a ______ e...eu ficaríamos muito tristes se você não presenciasse nosso casamento.—Disse Jungkook.

Jin sorriu.

—Claro que eu viria.—Disse ele.—Afinal...eu não escolheria dia melhor para dar minhas novidades a vocês.

—Novidades?—Perguntei.

—Sim. Bom...como você havia me sugerido, eu mandei publicarem meu livro de poesias e até semana que vem pelo menos trinta mil cópias vão estar prontas!

—Isso é ótimo, Jin! Muito bom! Mas...você disse "novidade" no plural...

—Sim. Tenho mais um novidade.—Ele olhou para Namjoon e entrelassou os dedos nos do dele.—Eu encontrei a pessoa que mudou e irá mudar minha vida.

QUE?—Perguntamos Jungkook e eu em uníssono.

—Isso mesmo.—Os dois sorriram.—Se nos dão licença, temos que comprimetar os pais de Jungkook.

Okay...

Os dois sairam.

EU. SABIA.—Falei.

TODOS sabíamos.—Disse Jungkook. Ele me abraçou e me virou para um espelho.—E TODOS sabemos o quão linda você está essa noite.

Sorri. O vestido era leve, o cabelo envolto por flores e para combinar um homem lindo ao meu lado.

Rimos.

Já estava bem escuro, quando decidimos que estava na hora de ir....para lua de mel...

Mas...antes eu deveria jogar o buquê. Por tradição e tals...

Subi no lugar mais alto que consegui e contei:

—UM, DOIS, TRÊS e...

Joguei o buquê. Foi uma confusão! Todas se jogaram em cima do buquê...Mas apenas duas conseguiram. Lainára e Nathália.

Cada um ficou com a metade do buquê. Olhei para Yoongi e Jimin que pareciam desesperados. Ri.

Jungkook ía me conduzindo até o carro quando, a mãe dele me chama. Me viro e ela diz:

—Eu..queria pedir desculpas. POR TUDO! Eu fui muito arrogânte...me perdoe.

—É claro! Não se preocupe.

Ela sorriu. Depois que minha mãe me comprimento, entramos no carro e seguimos para nossa lua de mel.

       Ficamos em silêncio todo o caminho.

Quando chegamos, Jungkook abriu a porta para mim e me conduziu oara dentro de uma...Mansão...Que?

Meu celular vibrou. Era uma mensagem de Lainára.

"Oie, desculpa atrapalhar a diversão de vocês mas....eu esqueci de avisar, Não se preocupe, A mansão é de você! Durante esse anos, o Sr.Kim conseguiu passar toda a fortuna de Roger para Jungkook e você herdou tudo do seu avô...Boa lua de mel!"

Bugando como sempre, mas agora eternamente...

—Ela te contou?—Perguntou Jungkook.

—Sim...

 Ele riu. Eu estava muito curiosa, então saí correndo em direção, quando eu iria entrar, uma voz me parou.

NÃO OUSE!—Ele veio correndo na minha direção.—Temos que fazer isso direito.

Ele me pegou no colo. Dei um gritinho. Ele riu.

—Sabe de uma coisa?—Perguntou.

—O que?

—Você é a melhor coisa que eu poderia ter pedido a Deus.

—Você também...é muito mais que eu mereço.

—Você merece o universo.

—E você todo o amor que há nele.

—Eu te amo.

Abracei seu pescoço e nos beijamos.

Sim...Jungkook eu te amo!

Te amo.

 

                                                                             CONTINUA...(se vocês quiserem)

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Oie, gente!
Peço desculpas pela demora do cap, meu pai faleceu...e eu n tive cabeça para postar.
Mas n quero falar sobre isso!
Bom...como viram, esse foi o ultimo cap da Parte 1. Muitos de vcs me pediram a tal continuação...e dps de pensar e pensar, resolvi fazer a parte 2!
Claro, só farei se vcs quiserem.
Então, peço a vcs q favoritaram ( e gostaram da fic) q me sigam...Para q qnd eu postar a continuação vcs possam me acompanhar.
Bom...eu queria agradecer a vcs por terem ficado ao meu lado durante 3 meses! Nossa, quanto tempo!!! Agradeço os favoritos, os comentários, apoio e carinho. Venho agradecer tbm ao leitores q conversaram cmg e me derem apoio qnd precisei. Eu agradeço muito mesmo! Fazer essa fic me fez muito feliz! E eu espero ter agradado a tds vcs ♥
Muito obrigado!
BEIJÃO DA VICK


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...