História Titanic - The NaLu Story - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail, Titanic
Tags Coração Do Oceano, Fairy Tai, Iceberg, Mar, Nalu, Navio, Titanic, Tragedia
Visualizações 73
Palavras 2.753
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Chegay com mais um cap.
Hehe... ficou um pouco granddin eu acho XD (empolguei sabe... KKK)
Mas enfim, o cap. tá mto bom msm, se tiver alguns errinhos (eu ñ revisei hehue) tem errinhos djeoajidaj se tiver
Boa Leitura amores <3

Capítulo 2 - Embarcar! Bem-vindos ao Titanic!


Fanfic / Fanfiction Titanic - The NaLu Story - Capítulo 2 - Embarcar! Bem-vindos ao Titanic!

Capítulo 2 – Embarcar! Bem-vindos ao Titanic!

 

Era de manhã, vários rapazes andavam de um lado para o outro, ou estavam sentados em algum lugar ou se encontravam conversando com os amigos, como sempre, muito barulho, bebidas, aperitivos, dança, música, e muita bagunça... Aquela algazarra toda não era problema para ninguém que já frequentava este lugar.

Em um canto, estavam sentados à mesa um grupo de jovens que realizavam no momento uma aposta, mais especificamente, um jogo de cartas, até então um cara de cabelos rosados se levantar com tudo da cadeira, gritando...

- EUUUU GANHEEEEEIIII!!!

Ele saltitava de felicidade, parecia estar bem alegre, até um outro rapaz o olhar feio

Jet: Ah, não! É sério isso? – olhava para as cartas no meio da mesa

Droy: Trapacear também deixa tudo fácil, não? – respondia um homem sentado ao lado

Gajeel: Ouou... – se levantava da cadeira olhando eles – Ninguém aqui trapaceou! Meu amigo ganhou a aposta e pronto, venceu! – apontava para o garoto de cabelos rosados

Droy: Aff Natsu! Como consegue ter tanta sorte...  – suspirou

Natsu: Haha! É isso aí – fez um “high five” com Gajeel –Ué, Droy! Não tenho culpa se a vida me adora! Agora, pode ir passando meu prêmio – olhou para Jet sorrindo

Jet: Tá bem, tá bem... – disse retirando 2 passagens do bolso e entregando para Natsu, que logo pegava olhando-as

Natsu: MEEEEEOO DEOOOSS!! – rodopiou rindo – Eu falei, não falei que ia ganhar, Droy?! Haha -  o encarava rindo

Droy: Parabéns! Era isso que queria ouvir? Ok, agora pega suas passagens e vai chamar seu brother pra sair, tchau! – se levantava se virando e saindo de perto deles

Gajeel: Iiih alá, ficou bolado – ria

Natsu: Deixa ele, Gajeel – sorria – Presta atenção nisso! Nós vamos viajar! – amostrava as passagens para o amigo

Gajeel: Como assim “nós”? Você ganhou as passagens!

Natsu: É, mas não significa que terei que ir sozinho, olha aqui cara, eu tenho duas passagens! Nós vamos para Nova York! Cara... – exclamava com os olhos brilhando

Gajeel: E desde quando eu disse que queria ir de avião?

Natsu: E desde quando eu disse que era de avião? Ei! Hello! Acorda... É O TITANIC! NÓS VAMOS VIAJAR DE TITANIC! – falava alto olhando para os caras que se espantavam olhando Natsu

Gajeel: Tá brincando, né? – pegou as passagens as analisando – Não acredito, nós vamos ir a naufrágio!

Natsu: HAHA! PESSOAL, EU, NATSU DRAGNEEL, E MEU AMIGO, GAJEEL REDFOX, VAMOS VIAJAR NO NAVIO MAIS LUXUOSO DO MUNDO! – falava levantando os braços, super feliz

Gajeel: Gehee – esbanjava um sorriso, assim ouvindo o início dos aplausos dos amigos que sorriam felizes pelos amigos

Warren: Haha, todos vamos! – confirmava um homem olhando-os

Natsu: O que estamos esperando?  Vamos, Gajeel! Pessoal, nos encontramos em breve – se despediram dos amigos saindo de lá partindo para o encontro do navio

Não demorou muito, e os dois estavam em frente do navio, do grande Titanic, lá era possível enxergar uma grande correria, as pessoas indo para lá e para cá, algumas para ver os seus parentes partirem e outras entrando no mesmo, foram direto entregar as passagens para uma mulher de cabelos longos ciano, olhos azuis e a pele de um tom claro, se encontrava com uma roupa de marinheira em frente a entrada do navio

Gajeel: Nossa! Que mulher... – sussurrou para Natsu

Natsu: Esqueça, Gajeel – sussurrou de volta, entregando as passagens tranquilamente para a mulher, que pegou as passagens encarando-os, até de repente se espantarem com a fala da mulher

- Posso saber o que os mocinhos cochicham? – perguntou ela cruzando os braços

Gajeel: Kyah!

Natsu: Que susto! – disse respirando – C-Cochichando? Ué...

Gajeel: Não é nada não... Senhorita, err...

- Aquarius! – respondeu ela

Gajeel: Aquarius!

Aquarius: Não quero saber de nenhum problema com gentinha que nem vocês, estão ouvindo? Não suporto ficar dando uma de babá dos homens!

Natsu: C-Claro... – disse surpreso

Gajeel: Sim senhora! – respondeu mais surpreso ainda

Aquarius: Senhora? E eu lá tenho cara de 30 anos?

Gajeel: Não!

Natsu: Claro que não, senhorita – confirmou, quase suando

Gajeel: S-Será que podemos entrar?

Aquarius: Vocês me entregaram as passagens?

Natsu: Mas é claro!

Aquarius: Então é pra vocês darem meia volta e saírem pulando daqui voltando para suas cavernas – respondeu irônica

Natsu: Ahn...

Aquarius: O quê? O que estão esperando? Sumam da minha frente! Anda! – ordenou séria

Natsu e Gajeel: SIM SENHO... RITA! – disse eles entrando correndo para dentro do navio

Aquarius: Humpf! Homens...

Natsu e Gajeel entravam no navio, olhando em volta um pouco aliviados

Gajeel: É gostosa mas é brava!

Natsu: Gajeel! Fica calado!

Andaram mais a frente, observando os detalhes e a formosa estrutura do navio, que deixara qualquer um impressionado

Natsu: Gajeel...

Gajeel: Quê?

Natsu: EMBARCAR! BEM-VINDOS AO TITANIC! – gritava despertando os olhares alheios, Natsu saiu correndo de dentro da entrada indo para o segundo andar

Gajeel: IDIOTA! ESPERA! – dizia correndo atrás do rosado

Natsu e Gajeel foram parar no segundo andar do navio, onde lá eles viam algumas garotas sentadas em um banco de biquínis pegando sol tomando suco

Gajeel: Tarado...

Natsu: Parei aqui por acaso! – tentava se explicar meio corado

Gajeel: Pera! A vista é legal aqui de cima! – disse se aproximando de uma grade olhando as águas do oceano que refletiam a luz do sol

Natsu: É... Verdade! – foi para o lado do amigo, observando as águas

 

*.*

Em meio aquela movimentação, uma carruagem chega por lá, e o homem que dirigia os cavalos descia, em seguida, abrindo a porta para que de lá saíssem duas belas moças, e logo a madame junto de seu marido

- Não acredito! Senhor Jude Heartfilia! Que honra tê-lo por aqui! – exclamava um membro da companhia do navio, recebendo os novos viajantes

Jude: Oh, é um honra! – disse sorrindo olhando para o moço

- Veja! Os Hockley’s estavam a sua espera! – apontava para um homem alto de cabelos negros e ao seu lado um moreno, de pele branca e olhos castanhos

Jude: Igneel! Meu amigo! – cumprimentava Igneel, que retribuía

Igneel: Jude! Vocês vieram! – olhava para as pessoas ao lado de Jude

Jude: Claro! Há uma razão perfeita! – sorria

Igneel: Senhora Layla – segurava a mão da madame a beijando

Layla: Como vai, senhor Hockley?! – indagava esbanjando um leve sorriso

Igneel: Bem, ooh... Michelle! Lucy! Filhas de Layla e Jude – as cumprimentava

Michelle: Bom dia, senhor Igneel!

Lucy: Olá! – sorria meiga

Jude: Zeref... – olhava para o garoto ao lado de Igneel – Que bom vê-lo aqui!

Zeref: Igualmente, senhor Heartfilia! – olhava Lucy – Olá, querida Lucy!

Lucy: Oi... Zeref! – o olhava forçando um sorriso

Igneel: O que acha do navio? – perguntava

Jude: Sensacional! Eu realmente fico feliz que este seja o local de grande comemoração!

Layla: Em nome do casamento de Lucy e Zeref! – dizia alegre

Igneel: Oh sim!

Michelle: Apenas por curiosidade, há chances deste navio afundar?

- Afundar? Do que está falando, moça? – indagava um homem se aproximando

Jude: Gildarts Dreyar Clive! – se surpreendia – Como vai?

Gildarts: Vou bem! Olá, senhor Igneel, senhora Layla! Estou muito contente com a chegada de ambos!

Zeref: Nos sentimos honrados!

Gildarts: Michelle... Certo? – olhava para a moça

Michelle: Eu mesma, senhor! – sorria

Gildarts: Não vou deixá-la sem resposta, o que perguntastes?

Lucy: Se há chances do navio afundar! – dizia olhando para Gildarts

Gildarts: Ora... Querida! Nem Deus pode afundar esse navio!

Michelle e Lucy se olharam estranhando um pouco o que o capitão havia dito

Lucy: E-Err...

Michelle: Hum, obrigada! Estamos bem mais confiantes agora! - sorria

Igneel: De qualquer forma, será que poderemos conhecer nossos quartos?

Gildarts: Mas é claro! Por favor, venham! – orientava as famílias, as levando para seus aposentos e apresentando os lugares do navio

 

*.*

Gajeel: Puxa! Cara... Nosso quarto até que é bacaninha! – exclamou observando em volta – Mas eu acho que poderia ser um pouco mais chique!

Natsu: Ei... Acha que pagamos atendimento de primeira classe?

Gajeel: Nossa eu tava só brincando...

Natsu: Hahaha, eu percebi isso! – disse subindo na cama de cima

Gajeel: Eii! Saiiiii...

Natsu: What? Viu uma barata, amiga?

Gajeel: Vá se ferrar! Como pôde subir na cama de cima?

Natsu: É crime?

Gajeel: Essa cama é minha!

Natsu: Não tô vendo seu nome nela! Aliás, onde comprou? Mostre-me o cupom!

Gajeel: Aff Natsu – se jogava na cama de baixo, fechando os olhos

Natsu: Hehe... – sorrio, deitado olhando para o teto

 

*.*

Lucy caminhava pelo quarto, olhando o mesmo, sua expressão era triste, andava olhando para baixo pensativa

Lucy: Que vida infeliz... – sussurrava para si mesma

Escutava alguém batendo na porta de seu quarto

Lucy: Ahn... – se dirigiu até a porta abrindo-a

- Atrapalho?

Lucy: Levy! É claro que não, entre! – deixava um espaço para a amiga a passar

Levy: Obrigada! Hihi... – sorria entrando no quarto olhando ao redor – Nossa! Que bela suíte!

Lucy: É, eu também gostei, é bem bonito

Levy: Com certeza – se sentava em um banco ali mesmo, olhava Lucy – Amiga! Já te disse que seu noivo é um gato?

Lucy: Miiiilhaaareees de vezes! – respondia fazendo sinal com os braços

Levy: Haha... – ria – Apesar de você tá com cara lindo e rico, não parece que você está feliz

Lucy: Quê? Como assim?

Levy: Você engana a todos eles com seu sorrisinho forçado, mas atrás dessa cara “feliz” eu enxergo uma cara confusa e triste.

Lucy: Inconformada! – respondeu sentando-se na cama de frente para Levy

Levy: Hum... desabafa, o que foi? Ele te trata mal?

Lucy: Jamais- erguia as sobrancelhas – ele me trata como uma verdadeira princesa, confesso que, ele é gentil, bacana, legal...

Levy: Louca! O que mais falta? Isso tudo não é o suficiente?

Lucy: Digamos que tem tudo, mas eu acho que só faltam três coisas...

Levy: Três coisas?

Lucy: Sinceridade, confiança e... amor!

Levy: Amor?

Lucy: Eu não sei se ele me ama... – se levantava da cama – Amiga, nós fomos comprometidos um para o outro, eles nem se quer perguntaram algo para nós, meus pais não me deram a liberdade de escolher a pessoa que amo, eles simplesmente me forçaram, aliás, me forçam, a amar alguém que... que...

Levy: Que...?

Lucy: Que confusão! – se sentava novamente – Que droga! Essa sensação de estar presa, de seu destino ter sido obrigatoriamente entrelaçado com um ser que você nem conhece!

Levy: Ah! Minha amiga...

Levy se levantou, indo até Lucy que estava deprimida, a abraçando

Levy: Não fica assim... vai! Não gosto de te ver triste

Lucy: Ah... Levy! Como eu queria voar para longe daqui! Nunca pude sentir o sabor da doce liberdade!

Levy: Eu entendo... Eu entendo perfeitamente, até porque, não demora muito e minha mãe avança em cima de mim dizendo que achou um noivo!

Lucy olhava para o chão, suspirou, olhando para amiga

Levy: Vamos ser fortes, tá bem? Sabe que pode contar comigo! – segurava a mão de Lucy sorrindo

Lucy: Claro, minha amiga!

Levy: Te vejo mais tarde, eu preciso voltar agora! Não posso demorar

Lucy: Certo, até mais, Levy!

As amigas se despediram, Levy abriu a porta e a fechou assim que saiu do quarto de Lucy, que levantou da cama

Lucy: Do que adianta eu estar viva, se não poderei ter a liberdade de seguir meu coração, minhas vontade...

Colocou um cachecol azul em volta de seu pescoço, Lucy trajava um longo vestido de seda e alça fina de cor cinza, e por cima um curto casaco preto, assim, abriu a porta e a trancou ao sair de seu quarto, foi caminhando pelos corredores até chegar na ponta do navio, olhou para os lados percebendo que não havia ninguém por ali, continuou andando, até chegar bem na ponta do navio, olhou para baixo, tirou suas sapatilhas e pôs um dos pés na barra de ferro, assim que colocou o outro, fechou os olhos, sim! Estava decidida de que todo aquele sofrimento era o fim, depender de dinheiro, casar por negócios, algo horrível...

Lucy: Apesar de tudo, não esqueçam... Eu sempre amarei vocês, pai, mãe, minha irmã... Todos! – sussurrou – Adeus! Um, dos, tr...

 - EI! O que você pensa que está fazendo aí?

Lucy abriu os olhos e rapidamente se virou, vendo um garoto de cabelos rosas e olhos verdes de braços cruzados a encarando

Lucy: S-Se afaste ou eu vou pular... – respondeu ela tremendo e nervosa, aquele vento que começou a bater naquele momento era frio demais, e ela estava bem próxima do mar

Natsu: Sério? Nossa! Ok, vai em frente... – disse se sentando em um banco ali, a observando

Lucy continuou o olhando, percebia que ele há observava por segundos, ou até mesmo minutos, e um belo silêncio tomava conta do local

Natsu: O que foi?

Lucy: Eu é quem pergunto!

Natsu: Hã? Cadê? Você não disse que ia se jogar?

Lucy se calou por um tempo, desviando seu olhar para o lado

Lucy: Eu... Eu acho que não consigo!

Natsu: Não mesmo!

Lucy: Por quê?

Natsu: Medo!

Lucy: Medo? – dirigia seu olhar para ele – Isso é culpa sua!

Natsu: Culpa minha? Mas o que eu fiz?

Lucy: Se você não tivesse aparecido aqui, a esta hora eu já estaria lá no fundo do mar.

Natsu: Mas não está!

Lucy: Quer parar com isso?

Natsu: E como eu ia adivinhar que quando eu chegasse aqui encontraria uma louca tentando se jogar no mar?!

Lucy: Tsc... Você não sabe de nada!

Natsu: Dá pra descer daí ou tá difícil?

Lucy: Eu não vou descer! Já estou decidida! Eu vou pular e você nem tent...

Lucy acabou perdendo o desequilíbrio, escorregando para fora do navio

Lucy: AAAAAAAAHHHH! – grita

Natsu: Heey! Se segura! – se levantou correndo indo até ela

Lucy havia sido segurada pelo seu vestido que havia ficado preso na barra de ferro, que já estava se rasgando, tentou levantar o braço para segurar na barra de ferro mas sem sucesso

Natsu: Me dê a mão – ordenou, colocando o braço para fora, próximo a ela

Lucy: Ah... – segurou na mão de Natsu, que tentava puxá-la de volta para dentro do navio

Natsu: Argh! – continuava a puxá-la

Lucy: Eu vou morrer... me solte!

Natsu: Nunca! Nunca te soltarei...

Apesar de estarem naquele momento assustador, Lucy se espantou com a resposta do rosado desconhecido, que logo fazia mais força, conseguindo trazer de volta para a ponta

Natsu: Huh... – suspirava

Lucy: Ufa... – disse meio ofegante

Natsu: Você pesa, hein?

Lucy: Como é que é, idiota?

Natsu: Idiota? É esse elogio que recebo por ter salvado sua vida?

Lucy: Desculpe... Obrigada!

Natsu: Sou Natsu Dragneel! E você...?

Lucy: Heartfilia!

Natsu: Hein?

Lucy: Lucy Heartfilia!

Natsu: Bom, não sei se é um prazer conhecê-la, mas ok... Senhorita Suicida Heartfilia – sorrio a cumprimentando

Lucy: Como? – ria

- LUCY!!!

Natsu e Lucy se viravam, avistando Zeref se aproximando

Zeref: Lucy! – se aproximou da mesma, colocando as mãos em seu rosto a beijando

Natsu os olhava com os olhos arregalados, Zeref se distanciou de Lucy, que estara surpresa com a ação do noivo

Natsu: Err... Cof Cof – simulava uma tosse

Zeref: Lucy, o que você está fazendo aqui? Descalça e com... ele – olhou para Natsu sério

Lucy: Ah, ele me ajudou com a qu...

Natsu: Calma senhor! Nã...

Zeref: Eu ainda não falei com você! -  exclamava sem olhar para Natsu

Lucy: Zeref!? – estava espantada com o modo de falar do noivo – Por que falou com ele desse jeito?

Natsu: Não! Que isso... Tá tudo bem, Luce!

Zeref: E você acha que é o quê dela pra ter essa intimidade toda?

Lucy: ZEREF!!!

Natsu: Eu não me importo, o importante é que estás bem, até mais senhor, até mais Luce! – sorrio e se virou, saindo andando do local voltando para o quarto

Zeref: Folgado você, hein cara? – perguntava para Natsu que já estara longe

Lucy: Ei! Calma! Vamos voltar para o quarto, eu quero dormir!

Zeref: Está bem – forçou um sorriso

Zeref se virou e saio bufando por causa da “insolência” do garoto, não gostou nada de ter visto a noiva junto com um carinha de quinta classe

Lucy o seguia, caminhando lentamente olhando para o chão

Lucy: Eu gostei desse “Luce”... – rio de leve

Zeref: O quê? – indagou parando e a olhando

Lucy: Hein? Nada...

Zeref: Hum...  – voltou a andar até o quarto de ambos

Mesmo após de ter tentado se matar sem sucesso, o que dessa vez estava estampado no rosto da jovem não era uma cara de tristeza, e sim um sorriso, um belo e doce sorriso... Agora, por que? Momentos antes atrás, a garota estava deprimida...

 

*.*

Natsu estava deitado em sua cama, seu amigo Gajeel já estava dormindo, estava olhando para o teto, perdido em seus pensamentos...

“Luce... Não é? Hehe, por que será que uma garota tão linda como ela estava tentando tirar a própria vida?”

 

Continua...


Notas Finais


Ain q fofo, eu senti um clima, quem aí sentiu? Hehe, farei novamente a msm coisa, tentarei postar o outro cap. ou hoje de madrugada ou só amanhã! BGDA <3 ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...