História T.K - Through Killers, a Psycho Love - Capítulo 26


Escrita por: ~, ~OtaFomiga e ~Liikook

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, Tiffany, V, Yoona
Tags Bias, Bts, Drama, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, K-pop, Mortes, Psicopata, Rapmon, Romance, Suga, Suspense
Exibições 62
Palavras 949
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Capítulo novo!
Aleluia irmãos, a Loli está postando QUASE TODO DIA! SERIA UM MILAGRE?
~tá parei~
Enfim, boa leitura pra vocês amores.

Capítulo 26 - Casa dos Horrores


Fanfic / Fanfiction T.K - Through Killers, a Psycho Love - Capítulo 26 - Casa dos Horrores

Yoona ON

- O que?! (eu grito assustada)
Vejo um palhaço pendurado sobre mim, mas minha cabeça interpretou de outra forma...Por algum motivo, por segundos eu enxerguei o Taehyung.
- J-Jungkook! (eu berro altamente)
Me curvo e passo pelo palhaço (que graças a Deus, era somente de pano). Começo a caminhar sobre o local escuro, risadas de crianças, pianos tocados lentamente. Parece que estou num filme de terror. Um som estranho...como alguém tentando socar uma porta para abri-la....
- O-Olá? (falo caminhando)
A lanterna não me auxilia muito, mas pelo visto o som está se tornando próximo. Começo a andar lentamente, na ponta dos pés, meu coração se torna somente um objeto que não para de pulsar. Sinto que meus sentimentos estão todos saindo pelo suor e pelo medo.
- A-Alguém? (falo me aproximando de uma porta)
Com minha mão suada, coloco-a sobre a maçaneta da porta.
Fecho meus olhos, pois não quero ver o que me aguarda. Minha mão começa a escorregar, abrindo lentamente a maçaneta, tornando o clima mais tenso e psicodélico impossível.
- Em nome do Pai, do filho e do Espírito Santo. Creio na sua santa palavra, que me livre de todo mal senhor…(começo a rezar)
A porta se abre e uma luz gigantesca atinge minha visão, assim me dando um sentimento de liberdade.
Começo a andar até eu conseguir sair daquela escuridão e algo pula em meu rosto.
- Olá! (algo diz com voz de criança)
Me assusto e automaticamente começo a correr. Tropeço e caio de cara sobre o chão, fazendo-me parar de correr.
- Mas o que era isso?! (falei olhando para trás)
Começo a virar meu olho para frente para focar minha visão, vejo pares de sapatos sociais pretos.
- O que?! (me assusto)
Jogo meu corpo para trás e percebo que meu olho se torna normal novamente.
 

Taehyung ON

Vejo Elisa (a Ruiva), correr para a quadra de esportes do colégio.
- Eu sou o professor, tenho acesso a tudo. Se ela pensa que irá fugir, tão inocente e insolente.
Vou até a sala de diretoria e peço para ficar em folga.
- Senhor Taehyung, não podemos disponibilizar uma folga hoje. Jungkook pegou a folga de hoje.
Espera, aquele marginalzinho de merda realmente saiu com a Yoona?!
Ele me paga, estou usufruindo ódio máximo desse idiota.
- Então, poderia me suspender essa aula? Não estou me sentindo bem, acho que preciso ir a um médico rápido e logo voltarei. (falo com charme)
- Certo, mas descontarei no seu salário sr. Taehyung.
Foda-se, eu tenho todo o dinheiro que eu queria ter, só estou nessa escola pela Yoona.
- Certo.
Estou explodindo, mas não posso ir atrás deles, se não meu plano falhará.
- Que tal eu me divertir, com alguém que está merecendo punição? (Falo a mim mesmo)
Isso mesmo, minha sanidade nunca foi normal, mas hoje está pior. Necessito aliviar meus desejos ou irei ter um ataque de fúria.
- Onde a Elisa foi mesmo?

Yoona ON

O homem ri da minha reação e me ajuda a levantar.
- Yoon, eu--(ele não consegue falar de tanto rir)
- Por quê você sumiu? Eu estava presa, na escuridão e tinha palhaços e crianças e pianos e--(fico sem fôlego de tanto dizer os motivos de meu desespero)
- Boba, olha para trás.
Olho e vejo um cartaz gigantesco.
Obrigada por vir, volte sempre, Casa dos Horrores
- Espera...isso é--
- Um parque de diversão. (ele diz rindo demais)
Fico extremamente nervosa e começo a dar tapas no Jungkook.
- Idiota, idiota, idiota, IDIOTA! Eu fiquei ASSUSTADA! Eu vi até o rosto do Taehyung lá, eu nunca mais saio com você! (falo prestes a chorar)
- Tá criança, agora vamos...Temos mais muitos lugares do parque para irmos, ah e…
Ele tira sua mão direita que estava atrás de sua coluna e a trás para frente.
Um lindo buquê de flores amarelas aparece em sua mão, brilhante e exuberante como o sol.
- N-Nossa...Digo, tá tentando melhorar a situação?!

Taehyung ON

Ela saiu correndo para a quadra de esportes, lembrei-me.
Mas o que houve? Ela parecia tão satisfeita aquele dia, mesmo sendo uma empregadinha de merda.
Começo a cantarolar e vejo a porta dos “objetos escolares” fechados. Geralmente, eles colocam as bolas e outros artefatos das aulas ali. Mas nunca fica fechado.
- Elisa, é inútil...Vamos, saia.
A porta não se abre, realmente, que saco essa garota.
- Vamos, caralho! (falo berrando)
Não posso berrar muito, os funcionários podem ver.
- Ah foda-se.
Pego a chave do local e abro a porta. Começo a vagar pelo cômodo e não encontro ninguém.
- O rato...fugiu do gato e não soube se esconder. Pobre rato, será ele, uma vítima? (falo rindo)
Percebo uma sombra na parte dos artefatos de tênis e já entro na sala.
- Hmm..interessante…
Entro e vejo uma garota escondida no canto.
- Acho que o rato não soube mesmo se esconder.
Começo andar em direção a ela e ela se levanta brutamente.
- Hmm, interessante novamente.
Seguro seu braço que pretendia bater em minha face e coloco minha mão em sua cintura.
- O que você quer comigo?! Desde aquilo, ficou me perseguindo como um louco! (ela diz assustada)
- Digamos que, aquele dia eu estava nervoso e usei voc--Seu corpo, como objeto de meu deleite próprio. Queria usá-lo novamente, mas não sei se deixarás.
Ela tenta me dar um tapa, mas não deu certo.
- Não tente nada, somente me diga. A forças ou--
- Pensa que sou uma vadia? Esse não é o meu trabalho, seu ridículo. (ela diz cuspindo em meu rosto)
Ótimo, essa vagabunda não quer permitir minha diversão, porém mal sabe ela, proibido é sempre melhor.


Notas Finais


Ohayoo!~
É sempre importante para nós, sabermos a opinião de vocês, então se puderem comentar o que achou, irá ajudar muito (E amamos quando vocês comentam <3)

Bjaaau <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...