História TMNT- Destruidor e seus mutantes - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Tartarugas Ninja
Tags Tmnt
Exibições 33
Palavras 1.292
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - Passado explicado


Fanfic / Fanfiction TMNT- Destruidor e seus mutantes - Capítulo 9 - Passado explicado

            Continuação
Após FishFace dizer aquilo Garra de Tigre aparentava estar com raiva mas antes de agir as tartarugas April, Casey, Xever e Éliz saíram correndo e foram a se esconder nos esgotos mas depois de uma corrida e mais uma pequena caminhada lógo Rapha diz ao Leo.

Rapha: Leo não vamos deixar que eles cheguem até o esconderijo não é?

Leo: Claro que não! Vamos até uma parte onde iremos parar pois todos nós sabemos que eles não são confiáveis.

Após aquele papo lógo pararam se sentaram e descansaram um pouco mas lógo Xever diz.

Xever: Vou ver se eles conseguiram nos seguir. Eu já vouto.

Após Xever ir April se senta ao lado de Éliz e diz.

April: Eu sinto muito

Éliz: tudo bem. Adimito que fiquei sériamente irritada por sua causa mas já passou e agora pertense ao passado.

April: Mas como conseguiu?

Éliz: Consegui o que?

April: Passar por tudo isso assim?

Éliz: Quer mesmo saber?

April: Sim mas eles podem saber também?

Éliz: Entá bem.

Após Éliz dizer aquilo April chamou as tartarugas e Casey que ficaram perto ouvindo. Mas assim que se juntaram para ouvir Éliz diz.

Eliz: Tá mas não é uma história tão boa mas...

April: Á! Eu já contei a eles até a parte que você foi a um lugar chamado... São Paulo?

Éliz: Sim mas como sabe?

April: É uma longa história.

Mickey: Á! Mais onde fica esse lugar São Paulo?

Éliz: Brasil! Um lugar bonito mas acho que não gostariam de lá.

Leo: Por que?

Éliz: Acho que o esgoto de lá não é do gosto de vocês haha.

Rapha: Poderia comesar lógo a história lógo?

Éliz: Ah sim! Claro. Em fim. Eu estava no carro de Polícia indo ao orfanato de São Paulo eles me deicharam bem na frente daquele prédio escuro e estranho. Desidi entrar achando que todos de lá seriam gentis e delicados ao assunto de pai e mãe mas assim que entrei uma Mulher alta e velha jogou uma chave com um número e mandou eu me verar mas já tinha entendido que seria o número do meu quarto. Fui ao meu quarto e arrumei minhas coisas mas quando dessi um garoto me empurrou para o chão e disse.

Garoto: Ei menina você é nova? Seus pais te largaram foi? Há há há.

Éliz: Saiba que estão mortos!

Garoto: Ah desculpe se eu soubese eu faria uma PIADA MELHOR! Há há há.

Depois eu me levantei chutei o... o... Bom a parte masculina dele e sai direto para o almoço. Lógo o resto inteiro do orfanato paresia me odiar! Mas nunca soube por que. Então fiz a pior escolha, desidi fugir! Saí pela janela e levei minha mala mas ao chegar no fim do muro eu parei e me toquei da minha bobera infantil e idiota mas bem antes de sair de lá um moleque saio correndo tão rápido e tão perto que ele fez meu cabelo ficar na minha cara e depois diz.

Moleque: Foi mau pirralha mas estou com presa!

Após ele sair correndo eu senti algo estranho. Não sabia o que era na época mas não senti raiva naquele momento. Lógo passou várias pessoas atrás daquele moleque mas lógo depois de ficar vendo todos correrem atrás dele e voltarem com nada além de cansaço mas ao ver aquelas pessoas voutando me dava alívio eu não sabia por que mas sentia de qualquer jeito então levei minhas coisas de volta ao orfanato mas todos os dias ia lá no mesmo lugar ver o mesmo moleque passando até que fui um pouco mais cedo e dois homens passaram falando que iam esperar mais a frente para pegar aquele moleque e dar uma lisão nele e eu não liguei na hora mas eu pensava e desidi fazer algo bem não meu estilo. Quando o moleque passou eu o peguei pelo pulso e mandei ele calar a boca lógo as pessoas passaram e quando passaram aquele moleque me disse.

Moleque: Ei! Por que fez isso?

Éliz: Ouvi dois caras falando que iam acabar com você se fosse mais a frente então de nada cara de pau.

O moleque ficou de boca aberta mas eu tinha saído na hora mas ele me seguiu e foi falando.

Moleque: Ei garota! Nas ruas é cada um por si! Mas mesmo assim valeu. Mas não pense que irei te ajudar depois!

Éliz: Tá.

Moleque: Espera ai você não... Espera só tá?

Éliz: É só tá. Eu só fiz aquilo por que quis mas não fique se achando.

Moleque: Espere garota!

Éliz: O que?

Moleque: Sou Xever mas pode me chamar de senhor X.

Éliz: Que nome ah estranho e apelido mais estranho pois senhor? Para uma criança como nós? Acho melhor te chamar só de Xever mesmo.

Xever: Há ha "incrivel" mas em fim qual seu nome?

Éliz: Acho melhor não dizer mas me chame de a garota dos olhos violeta ou só de violeta mesmo.

Xever: Hum. Em fim onde você vai?

Éliz: Ao orfanato.

Xever: Aquele ali?

Éliz: Sim.

Xever: A ta então tchau garota estranha espero não vê-lá novamente.

Éliz: Digo o mesmo o X!

Então fui ao orfanato e depois de um tempo comesaram a dar aulas de ingles. Não entendia por que mas eu era a melhor entre todos. Depois de um ano eu estava andando em volta do orfanato e adivinha quem tromba comigo? Xever e depois de nos trombarmos e me deichar no chão Xever me diz.

Xever: Olha onde anda sua... Espera Violeta a garota da doidera como vai?

Éliz: Acho que vou no chão!

Xever: Ah! Perdão

Após falar aquilo Xever me ajudou a me levantar e conversamos um pouco depois ficamos amigos. Depois de alguns meses eu descobri por que estavam ensinando inglês aos órfãos e desidi falar com Xever sobre então marquei de nos encontrar perto do orfanato.
Então quando nós encontrarmos eu o contei que estavam nos ensinando inglês para nos mandar para os E.U.A. pois a adoção estava em alta lá mas Xever paresia ah... irritado mas não ligou depois coisas estranhas ocorreram e ai eu fui uma das poucas crianças a ir aos E.U.A. Mas ninguém me adotava eu até entendia pois só queriam bebês mesmo ai me matriculei na escola de la. Ajudei pessoas no tempo livre e fiquei na minha até as férias.
Quando chegou as férias eu estava pensando como seria quando eu saise daquel orfanato mas ai lógo um dia chegou um cara estranho e encapuzado mas eu não tava nem aí para ele mas ai eu persebi algo que ninguém mais persebeu. Lógo depois dele ver todas as crianças de lá ele foi embora sem adotar ninguém mas eu fui correndo a portaria e vi ele indo mas eu me encostei no muro e disse.

Éliz: Ei acho que não achou o que queria não é?

Estranho encapusado: Não mas isso não é da sua conta garotinha.

Éliz: Tá então tchau TIGRE.

Estranho encapusado: Não sei do que está falando.

Éliz: Ah da sua aparência mas isso não é importante não?

Estranho encapusado: Qual seu nome?

Éliz: Elizabeth por que?

Então aquele estranho entrou e simplesmente me adotou ai fiquei daquele jeito e agora estou assim.

April: Nóssa.

Éliz: Ah! E se contarem a qualquer um eu vou ARRANCAR MEMBRO A MEMBRO DE TODOS VOCÊS!

Todos concordaram com a cabeça mas em seguida Xever veio e disse que Razor e Garra de Tigre estavam perto mas ai as tartarugas viram que tinham que fugir mas Éliz estava fraca para correr mas mesmo com ajuda ela não conseguiria ir então as tartarugas tinham que fazer a escolha de se esconder no esconderijo levando FishFace com eles ou arriscar e tentar fugir para a superfisie.

                  Continua


Notas Finais


Mano realmente espero que gostam e comentem por favor e bjs valeu.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...