História To be Reborn - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan Boys, Bts, Drama, Longfic, Romance, Taekook, Vkook
Visualizações 7
Palavras 1.164
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


espero que gostem
boa leitura <3

Capítulo 1 - Prólogo


Era inverno, o que se era muito reparado pelo frio e mais frio todos os dias.

Muitas pessoas amavam essa época do ano, sendo considerada a melhor para comemorações e sorte. Nessa época, nunca se é visto muitas pessoas na rua, só caso esteja havendo festa. Pode haver dois motivos para isso: Pessoas felizes estão aproveitando como nunca ou pessoas fracassadas estão trancadas em casa.

Jungkook ficava no segundo motivo, mas ele não era totalmente fracassado. Sua família era conhecida por todos os lados de Seul, pois seu pai adotou uma empresa e fez ela crescer inacreditavelmente nos últimos dez anos. Quem poderia achar alguém filho disso tudo um fracassado? 

Para ele, sempre foi muita pressão por parte de seu pai, que tentava em todo custo preparar seu filho para comandar a empresa. Jungkook ainda tinha somente 14 anos quando isso começou, e como um comum adolescente, não conseguia aceitar isso. Caso acontecesse, seria ocupado pelo resto de sua vida, não iria poder fazer nada.

Hoje, já com 18 anos, as coisas só pioraram. A grande quantia de amigos que tinha era por puro interesse. A sua vida, que temia virar desgraça, hoje já não existia. Havia perdido totalmente seu interesse em trabalhos ou qualquer outra coisa. Passava todo o dia em seu quarto, talvez gastando dinheiro em jogos online.

Odiava o inverno por completo, mas aquele dia estava com um clima bom. Era noite e não havia realmente quase ninguém na rua. Estava sozinho em casa, porque provavelmente seu pai estava em trabalho, e sua mãe com alguma “amiga”.

Botou uma blusa de frio, um boné e um short jeans velho, que sempre esteve perto de ir pro lixo, mas que sua mãe sempre pedia para consertarem o rasgado que podia ter.

Incrivelmente, sua vida, mesmo desgastante, não era total tristeza. Ele sempre foi e ainda é um menino dócil, gentil, sonhador, porém poucos se dão o esforço de procurar por esse lado. Todos veem ele como uma pessoa fria, mas ele é totalmente o contrário. Talvez, até mesmo por não ter compartilhado com ninguém, não saiba mais quem é, mas segue sendo o que o destino lhe propõe.

Já foi alguém sociável por completo, com seus amigos — verdadeiros — de infância. Se lembra de quatro meninos no qual eram seus amigos: Yoongi, Jimin, Namjoon e Jin. Todos se afastaram sem deixar rastros, ninguém tem conhecimento do porquê. Nem por isso as memórias chegaram a ser esquecidas, seja as das vezes em que brincavam de fazer bonecos de neve ou as que brincavam de máfia. Era a brincadeira que viesse em mente. Eram todos tão pequenos mas tinham seu espírito criativo para brincadeiras. Para Jungkook, os únicos amigos que teve de verdade.

Quando se deu por conta, estava sentado em banco de uma praça. Sua casa realmente era perto da parte central da cidade.

Ao lado do banco em que estava sentado, tinha algumas árvores. Não conseguia reconhecer o tipo, mas eram rosas e roxas cada folhinha que nela continha. O vento estava bom, eram muitas árvores por perto, e ele amava toda essa sensação. Passaria um dia todo ali sentado.

A visão das pessoas que também havia ali, era somente namorados. Eram vistos com olhos revirados pelo menino. Não tinha interesse em namorar, mas também não tinha interesse em ver pessoas com amor por todo lado.

Nunca havia se apaixonado antes, lamentava por isso mas ao mesmo tempo agradecia, não se imaginava em um relacionamento, nem sequer saberia como agir. Às vezes questionava como deve ser ter algo desse tipo, mas no mesmo segundo parava de pensar, era um sonho distante. Essas questões são sem tocar no assunto de que sente pavor de se pensar casado com uma menina.

Sua família sempre lhe falou para namorar, mas desistiram quando viram que não tinha mais jeito. Para eles, Jungkook se tornou alguém estranho aos olhos das pessoas, todas iriam querer manter distância de alguém assim. Ele se encontrava totalmente ofendido com palavras assim, que ouvia de longe. Achavam isso dele por ele simplesmente parecer não ter mais interesse em nada, ficar em seu canto como um “vagabundo”, pelo menos era o que diziam.

A verdade sempre foi de que evitava ser obrigado á vergonha, obrigado a ser quem não era: um sucessor filhinho de papai que deveria viver em regras.

Caso saísse para conversar, seja com quem fosse, veriam que tem algo de diferente. A esperança de todos voltariam, mais exagerada que nunca. Vários encontros com o menino seria marcado, para tratar sobre a empresa e até mesmo namoro e amigos arranjados. Ele sabia disso tudo.

Sentiu no seu olhar alguém se aproximando, mas viu que essa pessoa o viu sentado e então foi para outro banco se sentar, cujo era virado de frente para o banco já ocupado por ele.

Parou um segundo para ver quem era e se surpreendeu de um jeito nunca antes. Era um menino que aparentava ser quase da sua altura, magro, cabelo castanho claro, e um brilho no olhar, que foi o que surgiu encanto. Ele havia se sentado ali para ler um livro e, por incrível que parecesse, ele parecia feliz lendo, totalmente entretido. Ele nunca havia visto alguém tão feliz por tão pouca coisa.

Imediatamente mudou seus pensamentos, afinal, ele deveria ter ficado feliz por outra coisa. Porém, nem por isso deixaria de admirar a beleza que o menino exalava. Era bonito por completo e parecia levar uma boa aura consigo.

Toda sua admiração era notada por ele não tirar os olhos. Até mesmo o que era observado notou. Quando os olhares dos dois se encontraram, Jungkook desviou o olhar, o que fez com que o garoto soltasse um sorriso.

O garoto do livro continuava a encarar o desconhecido em sua frente, havia se interessado também. Achou ele alguém tímido, mas que agora há pouco olhava fixamente pra ele, isso despertou uma curiosidade das grandes.

Jungkook, por outro lado, estava nervoso e sentia tremor só de pensar os olhares de cruzando novamente. Sabia que estava sendo observado, mas não podia em ocasião nenhuma olhar pra frente. Tinha somente que fingir que nada aconteceu — que seria fácil se ele não estivesse visivelmente tremendo —.

O garoto em sua frente se levantou e foi embora, parecendo apressado pra algo, mas nem sequer havia recebido uma ligação ou algo do tipo, só foi derrepente. Nesse momento, Jungkook se virou para o lado, para poder observar o menino indo embora.

Quando voltou sua visão ao banco em sua frente, percebeu que o livro havia sido deixado ali. Na pressa em que estava, talvez tenha esquecido.

Levantou-se e foi até o outro banco conferir o livro. Era um daqueles livros que são deixados em lugares públicos para doar. Pelo marcador de página contido ali, ele ainda estava na metade do livro. Parou para ver sobre o que era o livro e era um romance de ficção, era algo de se interessar.

Leria aquele livro e, ah, com certeza voltaria naquela praça.


Notas Finais


!!112!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...