História To Sir With Love - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias Em Família
Personagens Clara Fernandes, Francisca Proença Fernandes, Juliana Castro Proença, Marina Meirelles, Shirley Soares Esteves, Silvia Monteiro Passos, Virgílio Machado
Tags Drama, Drogas, Romance, Sexo
Visualizações 427
Palavras 2.020
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Hentai, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá amorinhos!
Estou aqui com muita alegria e com um pouco de tristeza por ser o tão esperado último capítulo da fic mais com o sentimento do dever cumprido.
Sinceros agradecimentos à todas que comentaram e favoritaram e que também ficaram na moita, e que acompanharam. E também a uma nova amiga que fiz e que me ajudou a terminar a fic a Ju a JRobinns55.
Vou sentir saudades disso!
Espero que gostem desse final que escrevemos com muito carinho.
Enjoy!

Capítulo 38 - Juntas pra Sempre


Fanfic / Fanfiction To Sir With Love - Capítulo 38 - Juntas pra Sempre

Meses Depois

Narrador

Clara estava em frente ao espelho se maquiando, arrumando e colocando o seu vestido branco e ia pensando em tudo que foi a sua vida nesse último ano em que conheceu sua professora Marina Meirelles.

O tempo passou muito rápido enquanto Clara ficou em recuperação na Clínica para se desintoxicar dos barbitúricos e conseguir largar o maldito vício, o que conseguiu graças ao amor de Marina que permaneceu ao seu lado o tempo todo. E numa dessas visitas a professora contou à sua amada sobre seu passado e sua história com Chica. Apesar do choque inicial, a professora garantiu que tudo não passou de uma paixão da adolescência e completamente unilateral, e que tudo agora era passado.

Clara dedicou-se ao tratamento para se libertar de vez do vício dos remédios, enquanto recebia aulas particulares de Marina e seguiu com sua vida no colégio normal para  terminar os estudos, que foi o único pedido de sr. Ramiro para aprovar o namoro e o casamento das duas.

Após o incidente; Marina recebeu a proposta de se tornar a mais nova diretora do Colégio, uma vez que Benjamin, seu antecessor se aposentou por ser muito idoso e não ter mais condições emocionais para lidar com tantos alunos bagunceiros. Assim a professora mais querida e respeitada do Colégio, tornou-se a diretora do mesmo, para felicidade geral e de todos os alunos.

Vanessa e Cadu pagaram um preço alto por suas maldades. O ex-atleta foi condenado a 15 anos de prisão por tentativa de estupro e agressão à vulnerável. Para se manter vivo dentro da prisão, virou mulherzinha dos outros detentos, quando descobriram o que fez. E Vanessa foi condenada a 18 anos de prisão psiquiátrica por ser a mandante do crime, onde foi diagnosticada com esquizofrenia crônica, e sendo deserdada pelos pais. Mesmo com os recursos gastos pelos pais, os dois amargaram por anos da severa punição da justiça.

Assim, como a vida que se segue; o relacionamento de Clara e Marina seguiu firme e forte. Silvia engatou um romance com Flavinha e Shirley começou a namorar a professora Juliana amiga de Marina. E quando o ano escolar acabou Marina marcou a data do casamento delas. É a concretização de um amor que em meio a todas as dificuldades, renascia e sobreviveria sempre mais forte e belo aos olhos de todos que conheciam a história do casal.

--------------------------------------

O grande dia havia chegado. Diante de amigos e familiares mais íntimos, Clara e Marina realizariam sua união. O salão escolhido para a cerimônia e a festa estava todo decorado em tons azul e branco. Com flores vermelhas e brancas penduradas enfeitado o corredor por onde as noivas passariam até ficarem frente a juíza de paz.

Aos poucos os convidados foram chegando e se acomodando em seus lugares. Chegando o momento tão esperado as noivas entram de mãos dadas rumo ao salão,ao som de Só Vejo Você de Tânia Mara, vestindo vestidos brancos longos iguais, ao caminharem pelo corredor, são recebidas com uma salva de palmas pelos convidados presentes.

Junto a juíza, além dos pais da morena, o pai de Marina veio especialmente da Europa junto com a madrasta Branca para o casamento da filha. E as testemunhas escolhida pelo casal: Flavinha e Silvia por Clara, e Juliana e Shirley por Marina. Apesar de não aceitar de início muito bem a escolha da filha; Chica optou por respeitar sua decisão, pois viu que o amor de Marina por Clara era sincero. Agora apenas o tempo poderia mudar sua mente.

Então a juíza realizou a cerimônia de forma simples e rápida.

- É com muita alegria que inicio a cerimônia de casamento de vocês. Duas pessoas que decidiram em nome do amor formar uma nova família juntas. Clara Fernandes você aceita de livre e espontânea vontade casar com Marina Meirelles?

- Sim, aceito! - Marina responde e sorri feliz para sua amada.

- Marina Meirelles, você aceita se casar com Clara Fernandes de livre e espontânea vontade?

- Sim, aceito! - Clara responde sorrindo também feliz.

- De acordo com que acabaram de afirmar, perante a mim. Eu em nome da lei, as declaro Casadas! Podem se beijar!

Após trocarem as alianças, o momento é fechado com beijo apaixonado e com uma salva de palmas de todos os convidados. Logo a festa se inicia e as noivas vão para o salão dançar a valsa nupcial e trocarem juras de amor.

- Feliz, Senhora Fernandes Meirelles?

- Muito, Senhora Meirelles Fernandes. Mas ficarei ainda mais quando sairmos daqui o mais rápido possível.

Clara dá um sorriso malicioso para Marina, com uma mordida nos lábios e uma piscadela de olhos, que é compartilhado com a esposa ao trocarem um selinho.

As noivas se despedem dos pais de Clara e de Marina e escondidas deixam o salão de festa rumo a sua lua-de-mel. Saem rumo ao carro de Marina com um motorista para levarem ao Heliporto, rumo à Angra dos Reis, lugar que testemunhou seu amor pela primeira vez. A viagem é tranquila, regada a muitos carinhos pelo casal apaixonado. Ao chegarem ao local; Clara se surpreende com a decoração da casa. Marina havia pedido aos seus empregados para abastecer e decorar a  casa para três semanas. A branca pega Clara no colo e vão entrando no quarto. O quarto e a cama estava toda decorada com pétalas de rosas vermelhas em forma de coração. Ao colocá-la no chão Marina se vira para a esposa e sorrindo maliciosa diz

- Bem, como dizem nos filmes: enfim sós!!

- Finalmente meu amor, parece que estou sonhando com toda essa felicidade!

As duas trocam um longo beijo que começou lento e que foi se tornando urgente, logo Marina vai conduzindo Clara para cama sem parar o beijo. Deitam juntas, sem parar de se beijarem, e aos poucos ambas vão perdendo suas roupas. Marina beija, com carinho e lambe todo o corpo de sua amada. Tudo é feito de forma carinhosa e intensa, sem pressa. Marina vai descendo os beijos pela barriga chapada de Clara, vai beijando as pernas e para próximo a buceta de Clara que já estava ansiosa para sentir de forma total a língua de sua amada. Clara estava em brasa, e seu olhar é de pura luxúria. Sem perder mais tempo, Marina segura os clitóris de Clara com os lábios, enquanto enfia dois dedos em sua vagina já encharcada, movendo-os ao mesmo tempo, num vai e vem alucinante, ouvindo os gritos de prazer de seu amor a deixando cada vez mais louca de tesão. Em questão de minutos Clara chega ao orgasmo mais violento de toda sua vida, sentindo seu corpo se partir em mil pedacinhos. Se arqueando toda na cama.

- MARINAAAAAA!!!! EU TO GOZANNDOOO!!!

Clara cai sem forças na cama, sentindo Marina sugar todo o seu néctar dos deuses. A branca segue  subindo beijando todo o corpo da jovem, até chegar em seu rosto, onde se olham apaixonadamente e trocam um beijo lento.

- Você é deliciosa meu amor. Simplesmente deliciosa. - sorri maliciosa para Clara.

As duas se olham e se abraçam e ficam assim por mais alguns minutos. Assim que sente sua força voltar, Clara inverte as posições e prende Marina à cama. Usando de sua força para mantê-la deitada, Clara pega quatro pares de algemas na gaveta do criado mudo, que havia trazido na bolsa escondida da branca, e a prende em um X na cama, e  coloca uma vendo nos olhos.

- O que está fazendo meu amor? - Marina pergunta um pouco ansiosa.

- Hoje eu vou colocar em prática nossas aulas, minha professora gostosa. - a voz da morena sai rouca e sensual devido ao grau de excitação da mesma. - Hoje a aluna vai superar a mestra.

Dizendo isso, Clara vai até o frigobar do quarto, e pega um pote de sorvete de morango. Marina engole um seco, ansiosa pela espera. Clara volta para cama, e ajeita os travesseiros na cabeça de sua esposa. Beija Marina e diz em seu ouvido:

- Hora de ouvi-la gritar meu nome meu amor. 

Clara sorri vitoriosa ao ver os arrepios de tesão no corpo de sua amada, só de ouvir sua voz rouca.

Clara pega o pote, e enchendo uma taça, vai derramando o sorvete pelo corpo da professora que arqueia as costas pelo contato gelado com seu corpo em brasa, mas seus movimentos são limitados por causa da algemas. Logo a boca ávida de Clara começa o seu serviço, lambendo e chupando por todo seu corpo, arrancando suspiros e gemidos da mestra. Ao chegar nos seios, Clara demora mais um pouco e aumenta o contato da língua deixando os bicos entumescidos devido ao contato da língua gelada provocando mais gemidos na branca que já se contorcia de prazer.

- HAAAA meu amor... continue..

Marina já não conseguia formar frases inteiras. Seu corpo é só sensações. A jovem desce pelas pernas da branca, derramando sorvete e lambendo em seguida. Ao se aproximar da buceta da esposa, Clara sente Marina tremer. Clara faz Marina gritar mais alto pelo contato gelado em sua buceta. E para deixando a branca mais ansiosa. E para os movimentos deixando a branca mais excitada ansiosa na expectativa.

- Agora o grande finale amor. Eu quero que me peça.

- Me foda! Clara não aguento mais!!! - Marina fala não se aguentando mais de tanta excitação. Clara a estava levando à loucura. - Essa menina ainda vai me matar de tanto prazer! - pensou Marina.

Clara tira a venda dos olhos da Branca, e toma um pouco do sorvete, segurando o quadril da esposa, começa a lamber sua vagina em ritmo lento. Marina incapaz de se mover, só consegue gritar. Clara lambia sem parar de cima pra baixo, de um lado a outro, quando Clara sente que Marina está quase gozando, Clara coloca três dedos de uma vez, fazendo em questão de minutos, Marina chegar a ter um gozo estrondoso!

- CLARRINHAAAAA!!!! AAAAHHHHHHHHHH.!!!!!!

A branca cai exausta na cama, tremendo todo seu corpo ainda se recuperando do forte orgasmo, enquanto Clara vai soltando as algemas beijando os seus pés e tornozelos. Sobe beijando cada parte do corpo suado de sua amada até  chegar em seus pulsos onde a solta e beija a sua testa. E ao chegar nos lábios, lhe diz:

- E então minha gostosa ,como me saí na primeira aula? Gostou? Passei na prova?

- Se eu gostei? Eu amei. Tirou nota 10!! Definitivamente hoje a aluna superou a mestra!

Marina fala sorrindo abrigando Clara em seus braços, e alisando o rosto suado da morena.

- Mas sabe o que você nunca vai superar? - Marina pergunta.

- O que? - Clara a olha confusa.

- O amor que sinto por você. - Marina responde a olhando apaixonadamente nos olhos.

- Obrigado por ter me ensinado tudo que eu sei minha amada mestra. Pois eu amo você Marina, por toda minha vida.

- Eu amo você Clarinha, minha amada aluna para sempre!!

Então trocam um beijo apaixonado e urgente, selando de vez a felicidade de duas almas gêmeas. Que nada e ninguém conseguiram separar! Pois o  AMOR VERDADEIRO é mais forte que tudo!!!!!!

 

 

 

Aqueles dias de estudante no colégio

De contar contos e roer unhas se foram

Mas em minha cabeça

Eu sei que eles irão continuar para sempre

 

Mas como você  agradece alguém

Que tirou do seu giz de cera para perfumar seu coração?

Que te ensinou tudo que você sabe da vida?

Que te  ensinou ser uma pessoa melhor?

Que te  ensinou a amar e ser amada?

Não é fácil mas  tentarei 

 

Se você quisesse o céu, eu escreveria nele

Em cartas que se elevaria mil pés de altura

À mestre com amor.

O que posso lhe dar em troca pelo seu amor?

Se você quisesse a lua eu tentaria alcançar

Mas eu  prefiro  lhe dar meu coração

À mestre com  paixão.

 

O que eu poderia comprar para você?

Se você quisesse o mundo

Eu o cercaria com um grande muro,

E rabiscaria estas palavras para você

Com letras de dez metros de altura,

Minha mestra eu te amo pra sempre!!

 

THE END

 

 


Notas Finais


Então é isso nossa fic chegou ao fim.
Espero que tenham gostado. Esse título eu tirei de um antigo filme com Sidney Portier " Ao mestre com Carinho" e do livro de Cassandra Rios " As traças" e adaptei para o mundo de Manoel Carlos, Clarina para vcs.
Obrigada por me acompanharem esses meses todo. Vou tirar umas férias e quem sabe algum dia eu volte com uma nova história pra vocês.
Um grande beijo no coração de todas.
BJO, BJO,BJO,BJO. ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...