História Toda Bad Girl Tem Seu Bad Boy - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce, Originais
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Dakota, Debrah, Kentin, Lysandre, Nathaniel, Personagens Originais, Rosalya, Viktor Chavalier
Tags Amor Doce, Auto-mutilação, Bad Boy, Bad Girl, Castiel, Original
Exibições 285
Palavras 2.634
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


ÚLTIMO CAPÍTULO!

Acabou e eu nem acredito...

Eu AMEI fazer essa história para vocês, eu nem sei como os agradecer por tudo.

Sem vocês, isso aqui não seria nada.

Muito obrigada, Alienígenas!

Quero só avisar que vai ter um capítulo bônus que uma Alienígena me pediu como presente de aniversário e eu resolvi fazer. :3

Beijinhos, boa leitura!

Capítulo 30 - Adeus, França!


~~Castiel~~

Estou na porta da casa de Sky, esperando ela para irmos ao baile.

Toco a campainha novamente e ela abre.

- Desculpa, minha avó saiu e eu só fui lembrar disso agora, por este motivo não abri a porta antes.

Escutei o quê ela disse, mas estou ocupado demais reparando no quão maravilhosa ela está!

- Castiel? - Sky estalou os dedos em minha cara
- Er... Oi?
- Está em Marte, é? - riu
- Estou no paraíso, isso sim!

Quando percebi a burrice que falei, corei.

Mas ela realmente estava linda!

Com um vestido longo preto, com um tipo de "rasgo" da coxa esquerda, decote não muito grande, batom vermelho, cabelo solto e salto preto.
Seu vestido valorizava suas perfeitas curvas, e seu batom destacava sua magnífica boca.

Ela estava... Estava... Achei a palavra!

Ela estava deslumbrante, perfeita!

- Está deslumbrante! - falei
- Conhece esses tipos de palavras? - brincou
- Talvez seja tempo demais com o Lysandre... - ela riu
- Obrigada. - sorriu

Ela colocou a cabeça para dentro de casa e depois voltou.

- Eu pedi para você vir às 19h30! - falou e riu
- Fiquei ansioso!
- Desculpado! - sorri - O baile começa às 20h, são 19h... Entra. Vamos tomar um vinho.

Entrei e ela pediu para eu me sentar no sofá, assim fiz.

Dois minutos depois, Sky volta com uma garrafa de vinho e duas taças.

Sky se senta ao meu lado e enche nossas taças. Me entrega minha taça e brinda.

- À nossa noite? - perguntou
- À nossa noite! - falei

Brindamos e tomamos um gole.

- Conseguiu pegar o mesmo vôo que eu? - Sky perguntou
- Sim, eu consegui. - sorriu - Pena que vou ficar apenas dois meses.
- Vou ter que me despedir de todos lá. Vou sentir muita falta de Dominik, Mike, Kentin... Eu nem falei muito com Kentin quando me mudei para Sweet Amoris e agora vou me separar. Devo ser uma péssima amiga! E, por mais que não pareça, vou sentir até falta do Jack. Por mais que ele tenha me magoado.
- Calma! Você vai voltar para visitar sua avó, não é?
- Sim.
- Então... Daí a gente dá umas saídas juntos. - ela sorriu
- Estou me preocupando atoa, não é? - riu de si mesma
- É! - sorri

Enchi nossas taças e olhei para Sky.

- Você está muito linda!
- Já falou isso! - riu
- É para não esquecer!
- Você também está lindo... - sorri
- São 19h45, vamos?
- Sim.

Sky coloca as taças na pia e guarda o resto do vinho. Pega sua bolsa e engancha seu braço no meu.

- Vamos com o carro da minha avó? Moto e vestido longo não fazem um belo casal! - brincou
- Vamos. - sorri

~~Sky~~

Quando entramos, duas meninas vieram pegar nossos votos para o rei e a rainha do baile.

Votei em Michelly e Mike, claro.

Castiel votou em Michelly e Danilo, amigo dele.

Castiel colocou sua mão em minha cintura e me guiou para dentro.

Estava tocando Lean On, várias pessoas dançando e outras bebendo. É claro que, em como toda festa, eu, Sky Collins, fui ao bar.

- Olá, Kentin! - ele estava servindo as bebidas
- Oi, Sky! O que vai querer?
- O que me recomenda?
- Preparo um copo especial de Whisky para você, só para começar!
- Beleza! - sorri
- E você, Castiel? - Kentin perguntou o encarando
- Nada.
- Nada? - perguntei
- Nada. - ri - Qualé? Amanhã vou acordar cedo... Temos que ir para os Estados Unidos.

Estados Unidos...

Não sei se quero ir.

- Ei... Vou estar lá! - falou percebendo a minha preocupação
- Apenas por dois, ou por menos, meses!

Kentin me serviu o copo, tomei o conteúdo tudo em uma só golada.

Castiel me olhou indignado, mas depois ignorou.

Fomos para a pista, dançamos e bebemos.

Olhei para meu celular, já eram 2h37 da manhã.

- Castiel, meu vôo sai às 8h. - falei para ele
- Porra! O meu também! Que horas são?
- 2h37.
- Vamos embora.

Fui até Mike e Michelly que estavam dançando juntos.

- Hey! Já vou...
- Amiga... - Michelly pulou em meu colo -  Vou sentir tanto sua falta! - começou a chorar
- Eu também...

Soltei Michelly e fui até Mike.

- Faríamos um ótimo casal, pena que cada um vai para seu lado. - sorri
- Até algum dia.

Nós abraçamos.

Fui até a turma da Rosalya.

- Tchau, Rosa!
- Foi legal te ter por uns meses. - sorriu, mas logo chorou
- Tchau, Armin!
- Tchau, Sky! - me abraçou
- Tchau, Lys! - o abracei
- Castiel vai sentir muito sua falta, tenta não perder contato com ele! - sussurrou bem baixinho
- Okay...

Me despedi do resto do pessoal e fui até Dominik.

- Já vou... - comecei a chorar
- Te amo! - chorou também
- Te amo mais!

Fomos até a parte de fora da festa.

- Amanhã eu vou na sua casa para te levar ao aeroporto.
- Combinado, às 8h eu já tenho que estar lá.
- Passo às 7h para tomar café! - brincou

Entrei no carro junto com Castiel e fomos até a casa do mesmo.

Descemos do carro e levei ele até a porta.

- Tchau... - falei
- Vou sentir sua falta! - me abraçou
- Calma, amanhã ainda estaremos no mesmo avião. - sorriu
- Quer entrar?
- Não... Já vou para casa.
- Até amanhã. - sorri

Fui para minha casa e guardei o carro.

Entro e vejo minha avó no sofá.

- Vovó, acorda. Vamos para cama. - a chamei - Vovó? - ela não me respondia - Vovó! - corri até ela

Tentei medir sua pulsação, nenhum sinal.

Ela não se mexia, não respirava e não falava nada.

- Não me deixe!

Liguei para a ambulância, cinco minutos depois ela chegou.

Um enfermeiro pediu umas informações e perguntou se eu era a única familiar presente. Respondi tudo e entrei na ambulância com ela.

Eu já estava entrando em desespero, não sabia o quê fazer.

Liguei para Dominik.

- Alô? Sky?
- Dominik, a vovó... Ela...
- Onde você está?
- A caminho do hospital.
- Estou indo aí!

Chegamos no hospital, desci da ambulância e quando estavam tirando minha avó, o carro de Dominik aparece, revelando um Dominik pálido, com boca roxa e assustado.

- Você tá bem? - perguntou
- A pergunta é: VOCÊ está bem?
- O que aconteceu com ela? - Castiel pergunta saindo do carro de Dominik
- Eu não sei... Quando cheguei em casa, ela estava no sofá, chamei ela...

Expliquei toda a história e resolvi ligar para meu pai.

- Sky?
- Pai, não sei se vou poder ir amanhã...
- Como assim? Por que?
- A vovó... E-eu cheguei em casa e ela não estava respirando... Estou no hospital agora, ela não acorda, não se mexe, não respira... - eu já chorava desesperada
- Calma, filha... Vai me mantendo informado de tudo, amanhã te ligo antes do seu vôo.
- Okay, pai. - desliguei

Fui até Dominik e o abracei.

- Ela morreu. - falei e chorei ainda mais
- Calma, Sky...
- Vamos entrar, sua avó já entrou. - Castiel avisou

Entramos para dentro do hospital e fui até à recepção.

- Pois não? - uma mulher loira perguntou
- Quero saber da minha avó, aquela senhora que acabou de entrar.
- Ah, sim... Preciso de uns dados.

Respondi tudo o quê ela pediu, depois o médico que estava responsável por ela me chamou.

- Senhorita Collins?
- Eu mesma.
- Quer ver sua avó?
- Ela está bem?
- Vamos... Responderei no quarto.

Segui o médico até o quarto que minha avó estava.

- Então... - ele começou - Sua avó está coberta por este lençol.
- Isso significa que...
- Sim. Sinto Muito.
- Me deixe sozinha por favor...

Então o médico saiu e eu me aproximei.

Então é isso...

Minha avó morreu.

- Por que todos me deixam?

Comecei a chorar e me aproximei de sua cama.

- Primeiro o Felippe... Agora você? Vó, sem você não sou nada!

Tirei o lençol de seu rosto.

- Eu... Eu te amo.

Ela estava pálida, com a boca roxa e os cabelos bagunçados.

- V-vó...

Tirei o lençol de seu corpo num puxar.

Percebi que tinha uma elevação barriga, me aproximei e toquei o local.

Levantei sua blusa e vi que era um curativo carregado de sangue.

Saio do quarto e procuro o médico.

- Desculpa, mas nem perguntei seu nome. - falei
- Beto Cipher.
- Senhor Chiper, gostaria de saber o motivo daquele curativo na barriga dela.
- Curativo?
- Sim.
- Não fui eu que a vesti com as roupas do hospital, apenas os enfermeiros, então não fiquei sabendo de nada. Mostre-me por favor.

Voltamos até o quarto dela e mostrei o curativo para ele.

- Saia por favor. Quero ver isto.

Fiz o quê ele me pediu e fiquei esperando ele voltar.

Uns 15 minutos depois, ele volta.

- Siga-me, por favor.

Fomos até o quarto de minha avó, lavamos as mãos e colocamos luvas. Tive que prender meu cabelo e colocar máscara para entrar.

Chegamos perto do machucado, que já nem estava mais com o curativo.

- Então... O que é? - perguntei
- O fim da vida de sua avó não foi por causa natural, mas por uma infecção que alguém causou nela.
- C-como assim?
- Fizeram um corte na cintura de sua avó com algo sujo e infeccionou. Resumindo grosseiramente: mataram sua avó.
- COMO?

MATARAM MINHA AVÓ?

Saí do quarto correndo e fui para fora do hospital.

Castiel veio atrás de mim. Percebeu que estava chorando e me abraçou.

- Calma. - falou
- Mataram a minha avó.
- C-como?
- A machucaram com algo sujo e infeccionou.
- E-eu n-não sei o quê te falar agora.
- Não precisa falar nada... Só me abraça forte.

Castiel me apertou e deu um beijo em minha cabeça.

- E o velório? - Castiel perguntou
- Não vou estar aqui no dia. Será amanhã, umas 19h30.
- Então não vai mudar a data da sua viagem?
- Não. - olhei para baixo - Agora nem tenho mais motivos para voltar aqui.
- Tem, sim. Você tem que me visitar! - sorriu

Seu sorriso me fez sorrir junto.

Eu estava muito triste e com muita raiva pela minha avó, mas estar com o Castiel faz todos os sentimentos ruins virarem bons.

- Você me faz tão bem, ao mesmo tempo tão mal. - sorri
- Você só me faz bem. - falou

[...]

Dominik me deixou em casa, porém não consegui entrar. Então estava parada em frente à minha porta e Dominik e Castiel me olhando do carro.

- Sky, quer dormir em casa hoje? - Castiel perguntou
- E-eu... Quero. Não vou conseguir entrar em casa.

Dominik saiu do carro e entrou na minha casa, minutos depois voltou com as minhas malas.

- Era só as malas que você vai levar?
- Isso.

Entramos no carro e fomos para casa de Castiel.

- Obrigada, Dominik. Amanhã você pega a gente?
- Sim, pequena.

Dei um beijo em seu rosto e entrei na casa de Castiel, junto com o mesmo.

- Vou pedir uma pizza. - falou fechando a porta - Coloca as malas no meu quarto.
- Hey... Você não trabalhava como motoboy? - perguntei e ri
- Fui mandado embora quando me pegaram fumando escondido.
- Parabéns. - rimos

Coloquei as malas no quarto de Castiel e fui para sala. Me sentei no sofá e esperei ele.

- Já pedi a pizza. - sorri - Quer beber algo?
- Estou com uma vontade louca de beber uma Vodka.
- É para já.

Castiel foi para a cozinha é voltou com minha Vodka em mãos.

- Agora sim! - riu

Peguei a bebida de sua mão tomei um gole grande daquela Vodka pura.

- Sede? - perguntou rindo e ri junto

Uns minutos depois a pizza chegou.
Castiel pegou a pizza e trouxe na sala.

[...]

Terminamos com duas garrafas de Vodka e com a pizza.

Fui para o banheiro, tomei um banho e escovei meus dentes.

Coloquei meu pijama, que no caso era apenas um short minúsculo e uma regata pequena, e fui até Castiel.

- Onde vou dormir?
- A minha cama é de casal, se importa em dormirmos juntos?
- Não... Eu já vou me deitar.
- Depois eu vou, boa noite.
- Boa noite.

Me deitei na cama de Castiel e fiquei pensando sobre coisas aleatórias. Tempo depois, Castiel se deita junto.

- Acordada ainda? Disse que ia dormir faz uma hora.
- Passou tudo isso?
- Sim.
- Acho que me afundei muito nos meus pensamentos. - ele riu

Castiel ficou por cima de mim. Olhei ele sem entender nada.

- Sky, não vou te pedir para tentar namorar comigo, mas quero te pedir para me dar uma noite. Só te peço isso.

Arregalei os olhos, meu coração palpitou e minhas mãos começaram a suar.

Castiel me beijou intensamente e me coloco por cima de si.

Continuamos nosso beijo, mesmo quando ele começou a tirar minha regata.

Ele estava apenas de bermuda, então tirei a mesma...

[N/A: NÃO DESCREVO PARTES ASSIM.]

[...]

Acordo com o despertador de Castiel, o desligo e levanto.

Castiel ainda estava dormindo, então eu me visto, faço minha higiene matinal e vou para a cozinha.

Começo a preparar um café, mas os flashes da noite anterior me invadem e eu fico parada com um sorriso bobo no rosto.

Logo sinto uma mão passando pelo meu quadril até se fechar em minha barriga.

- Obrigado. - Castiel sussurra

Me viro e o beijo.

- Eu que agradeço. - Castiel sorri
- Está passando café?
- Sim. Prefere mais escuro ou mais fraco?
- Escuro, mas se quiser mais fraco...
- Não esquenta, prefiro escuro também. - sorrio

Tomamos nosso café e fomos nos trocar.

Coloquei um short jeans e um cropped roxo escuro.
Prendo meu cabelo em um rabo de cavalo alto, passo perfume, delineador, rímel e batom vinho.
Coloco um chinelo e levo minhas malas até a sala.

Castiel coloca uma calça jeans e uma camiseta vermelha, penteia seu cabelo e passa perfume.
Coloca um tênis e leva suas malas até a sala também.

Fomos para a sala e ficamos no sofá abraçados, esperando Dominik.

- Eu amei cada detalhe de ontem. - Castel falou
- Eu também. - sorri
- Sky, você... - Castiel foi cortado pela campainha - Deve ser o Dominik.

Abrimos a porta e Dominik entra.

- Vamos rápido, eu me atrasei e agora a gente tem pouco tempo.

Pegamos as malas e colocamos no carro de Dominik.
Entramos e fomos ao aeroporto.

Fizemos tudo o quê tínhamos que fazer, então nosso vôo é chamado.

- Te amo, Dominik! - falei o abraçando
- Te amo mais, pequena! - me apertou

Meus olhos se encheram de lágrimas, mas segurei o choro.

Dominik e Castiel se despediram, então nós fomos para o portão de embarque.

- Calma, você vai voltar. - Castiel falou e eu respirei fundo

Castiel pegou minha mão e entrelaçou nossos dedos.

Entramos no avião e nos sentamos em nosso lugar. O meu era ao lado da janela e o dele ao meu lado.

- Tô cansado.
- Não fez porra nenhuma desde manhã.
- Você me cansou e eu não descansei o bastante. - riu
- Dorme. - revirei os olhos

Castiel encostou no meu ombro, entrelaçou nossa mão e fechou os olhos.

O avião começou a decolar.

Adeus, França!

Continua...


Notas Finais


Último capítulo! :3

Leiam as notas inicias!

Até a segunda temporada!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...