História Toda sua - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias David Luiz, Kylie Jenner
Personagens David Luiz, Personagens Originais
Tags David Luiz, Kylie Jenner, Romance
Exibições 69
Palavras 704
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Precipitados? Talvez...


-Amy... -Sussurrei.

-O que foi? -Ela me encarou.

-Minha vida mudou tanto em poucos dias, que... que... -Balancei a cabeça.

-Que? -A mesma segurou as minhas mãos.

-Que parece que tudo vai dar errado a qualquer momento, não sei se é porque estamos sendo precipitados, ou pelo fato de eu ter medo de me entregar. -Dei de ombros.

-Pra falar a verdade, vocês estão sendo precipitados, e isso pode ser bom ou não para o relacionamento, depende da forma que vocês lidarem. -Ela me puxou para o seu colo.

-Eu sei. -Beijei sua testa.

-Você está se arrependendo? -Ela me afastou.

-Não, só parece que eu estou atrapalhando a vida dele, sabe? Tipo, eu cheguei do nada e logo estamos quase namorando, isso parece estranho. 

-Por que você não conversa com ele sobre isso? Porque não vai adiantar eu bancar uma de psicóloga sendo que não vai ajudar em muita coisa.

-É. -Dei de ombros. -Obrigada.

(...)

-Oi baby. -David atendeu o celular.

-Oi...

-O que foi?

-Precisamos conversar.

-Está livre agora?

-Sim. 

-Passo aí te pegar.

-Não, só vem pra cá. -Me joguei na cama.

-Tudo bem. -Ele desligou a chamada.

 

*Batidas na porta*

-Oi. -Falei sem graça e dei passagem para que ele entrasse.

-Você está estranha, eu fiz alguma coisa?

-Não. -O abracei. -Só acho que estou me metendo demais na sua vida.

-Como assim? -Ele me encarou.

-Começando pelo fato de que a gente se precipitou demais, mas eu não estou reclamando, eu amo passar o tempo com você e tudo mais.

-Aonde você quer chegar com tudo isso? -Ele me encarou incrédulo.

-Quero saber se não estou te atrapalhando? Sabe? Não quero você mude sua vida por minha causa.

-Meu amor. -Ele se sentou no sofá e me puxou para o seu colo. -Eu mudei algumas coisas na minha vida por você, claro que mudei, mas você também mudou, estamos apenas tentando fazer com que isso dê certo, pelo menos eu estou. E não quero que você fique pensando assim.

-Desculpa, é que as vezes eu acho que só estou atrapalhando. -Dei de ombros e encostei minha cabeça em seu ombro.

-Hey. -David acariciou meu cabelo. -Quer fazer alguma coisa? Não quero que fique assim.

-Você quer?

-Estava pensando em sair comprar alguma coisa... 

-Tá bom. -Sorri sem graça. -Vou me trocar, você vem junto?

Ele riu.

-Isso não vai dar muito certo... 

-Tudo bem, eu não demoro.

Coloquei um vestido preto curto, botas acima do joelho preta e uma jaqueta de couro da mesma cor.

 

(...)

-Eu amo esse restaurante.

-É aqui onde nos conhecemos. -Ele sorriu.

-Eu me lembro de como foi, nós "fugimos". -Sorri.

-Sua irmã estava um porre.

-Sim. -Revirei os olhos. -Mas e aí, como foi o seu dia, amor?

(...)

 

Sua mão passou firmemente pela minha cintura, colocando nossos corpos juntos. Seus olhos fixaram-se nos meus, sua respiração se misturava com a minha e nossos corações pulsavam como um só. Ele me encostou na parede e começou a beijar meu pescoço descendo lentamente até o decote do meu vestido. Seus lábios úmidos faziam minha pele se arrepiar, ele me puxou para o seu colo, encaixando em seu quadril me fazendo sentir o volume que se formava por baixo da sua calça jeans.

Em questão de segundos, ele havia me levado para o sofá, fiquei sentada em seu colo, frente-a-frente com ele. Me levantei, tirei minha calcinha e me apoiei no encosto do sofá começando a beijá-lo enquanto suas mãos abriam o zíper do meu vestido. Me ajoelhei em sua frente e baixei o zíper de sua calça, coloquei minha mão dentro da sua cueca e o acariciei antes de tirá-lo, fui colocando aos poucos na minha boca, senti seus dedos percorrerem minha nuca até se enroscarem em meus cabelos. 

Até que ele se levantou e me empurrou para o sofá, me fazendo ficar de quatro.

-Você é minha. –David mordeu o lóbulo da minha orelha.

Sorri e o encarei com desejo e logo senti ele me preencher lentamente.

 

A cada estocada que ele dava, eu gemia mais, fazendo-o ir com mais força. Aos poucos minha respiração ficava mais pesada e minhas pernas ficavam bambas. 

-Goze para mim, baby. -Ele resmungou.

E simplesmente me entreguei.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...